Coletiva - Início das Obras de Recuperação e Melhorias da SP 261 - 20120707

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva do Início das Obras de Recuperação e Melhorias da SP 261

Local: Macatuba - Data: 07/07/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Bom dia.


REPÓRTER: Bom dia, governador.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós estamos começando uma obra hoje necessária, que é a SP-261. São 40 quilômetros de recapeamento, acostamento dos dois lados, 12 quilômetros de terceira faixa, 12 trevos, obras de segurança e sinalização. Lençóis Paulista, Macatuba até Perdeneiras. A obra começa hoje, o prazo é 18 meses, mas nós queremos ver se entregamos em 14 meses. Depois temos também a SP-293 em obras, que é Cabrália Paulista-Duartina. Temos a SP-315, Duartina, Lucianópolis, Ubirajara, também já em obra. Temos a ponte em Pongaí, sobre o Rio Tietê, já entregue. SP-333 fazendo parte dos investimentos da Hidrovia Tietê-Paraná. R$ 1,5 bilhão de investimento na Hidrovia Tietê-Paraná. Deu em torno de... Aliás, R$ 1,7 bilhão: 900 milhões do Governo Federal, R$ 800 milhões do Estado. A hidrovia vai ser prolongada até Piracicaba, mais 55 quilômetros. Várias pontes vão ser implodidas e serão reconstruídas a parte central, passando de 40 para 120 metros. Com isso o comboio passa direto. Hoje tem que parar ponte por ponte, leva uma hora e quarenta a travessia. Aprofundamento da calha e melhorias das eclusagens. O Aeroporto Bauru–Arealva é um dos grandes aeroportos do Brasil e o Aeroporto Central de Bauru vai ser totalmente recapeado, sinalização, modernização também da pista. Nós temos também a SP-304, Jaú, Dois Córregos, Mineiros do Tietê, publicado hoje o edital da obra. A SP-304 Jaú, Bariri, Ibitinga, incluímos no programa do BID, será publicado agora no segundo semestre. E a SP-321, Bauru-Aeroporto, será duplicada até o Aeroporto de Arealva e vai ser ampliada até Iacanga. Publicaremos o edital no dia 20 de julho. Então a região estará bem atendida com rodovias com segurança, modernas, ampliadas, recuperadas aqui na região. Saúde, nós visitamos agora cedo a Maternidade Santa Isabel, a Faculdade de Medicina, a Fundação da UNESP, a Famesp já assumiu. Conversei com médicos, enfermeiras, pacientes, todo mundo satisfeito, já viu que melhorou. E nós vamos estudar a questão do prédio fazer uma reforma completa e ampliar a maternidade, ampliar a maternidade. Tem um prédio no fundo, parada a obra há quase 20 anos. E daqui estamos indo pra Jaú, onde vamos liberar R$ 3,1 milhões, R$ 8,1 milhões para custeio e R$ 5 milhões para investimento para as áreas cirúrgicas: centro cirúrgico, reforma, equipamentos, investimento num hospital que é uma referência na área do câncer.


REPÓRTER: Governador, o senhor citou a maternidade e o Hospital de Base?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O Hospital de Base é o próximo que vai ser encampado. A Secretaria de Saúde está terminando os entendimentos. Há uma hipótese com a Fundação da USP. Essa é uma alternativa. Existia uma alternativa da Famesp, mas esse mês nós vamos definir a melhor solução.


REPÓRTER: Vocês têm algum planejamento, algum projeto para resolver os problemas das rodovias que não estão em concessão?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, são essas que eu citei. Essas todas que eu citei não são concessionadas. Então essas não terão pedágio e vão ser todas recuperadas, ampliadas, modernizadas com o orçamento do Estado: SP-304, Jaú, Dois Córregos, Mineiros do Tietê; 304, Jaú, Bariri ,Ibitinga; 321, Bauru,Aeroporto; 321, Aeroporto,Iacanga; 293, Cabrália Paulista a Duartina, já em obra; 315, Duartina, Lucianópolis, Ubirajara; 333 ,a Ponte do Açúcar, que será também recuperada e essa aqui, que é a 261. Enfim, nós vamos recuperar todas as SPs da região. Não queremos nenhuma SP com buraco. Nenhuma. Se tiver, nos avise. Queremos modernizadas as rodovias estaduais.


REPÓRTER: Governador, a mesma SP-261, a partir de Lençóis, no sentido contrário, nem tem pavimentação. Existe em sentido Santa Barbara. E é uma reivindicação muito antiga da população da região.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Essa é uma estrada de terra, não é isso?


REPÓRTER: Isso.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Ela é de terra. Nós vamos avaliar... Vamos avaliar a necessidade. A primeira tarefa é recuperar a malha rodoviária. É recuperar a malha rodoviária. Essa nós vamos avaliar.


REPÓRTER: Governador, em particular a 304, Jaú – Dois Córregos, está bastante deteriorado. Gostaria que o senhor falasse disso.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: SP-304, Jaú, Mineiros do Tietê, Dois Córregos, o edital foi publicado hoje. É uma das rodovias mais necessárias em termos de recuperação. Então, hoje foi publicado o edital. A gente calcula de 60 a 90 dias pra começar a obra.


REPÓRTER: Governador, o senhor falou da questão do Hospital de Base, eu queria fazer uma pergunta. Eu sei que está em avaliação ainda, mas em relação ao passivo trabalhista, já foi definido quem iria assumir no caso?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, a Procuradoria Geral do Estado vai definir. Quer dizer, o passivo não é do Governo. Então, a Procuradoria Geral do Estado vai buscar a melhor solução jurídica. O que que nós queremos garantir à população? É atendimento gratuito e de qualidade. Então, na maternidade a gente percebe que já melhorou, a gente ouve dos pacientes e ouve do corpo clínico e de enfermagem: “olha, está melhorando, o pessoal tá feliz”. Então melhorou a qualidade do atendimento, não falta material, o pessoal está mais motivado. Aí nós vamos analisar a melhor solução pro prédio: se é fazer um prédio novo, sempre demora mais, sempre demora mais, ou se é melhor reformar o prédio, deixar o prédio novinho ali no centro, ele é bem localizado, e ampliar a maternidade, precisa ser ampliada. Nós vamos definir esse mês também a melhor solução.


REPÓRTER: Ontem aconteceu um acidente grave, apesar de não ter tido nenhuma vítima, aqui na Luarte. O senhor passou por lá hoje, esteve lá pra ver o que aconteceu?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eu não ouvi. Como é que é?


REPÓRTER: Um acidente grave ontem à noite...


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Rodoviário?


REPÓRTER: Na Luarte. Não, na empresa Luarte [ininteligível]. O senhor ficou sabendo à respeito? Houve uma explosão de uma caldeira. Soube de alguma coisa?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, mas eu vou verificar com a Segurança Pública. Acidente na indústria? Eu vou verificar.


REPÓRTER: Governador, com relação a esses ataques à Polícia Militar, que tipo de trabalho está sendo desenvolvido para se evitar que os profissionais da segurança sofram represália pelo crime organizado?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, primeiro, enfrentamento. O que que acontece? A polícia foi pra cima do tráfico de drogas, inclusive das chamadas biqueiras, da ponta do tráfico de droga. O pessoal sentiu a força da presença policial coibindo o tráfico, começou a queimar ônibus, atacar policial pra desviar a atenção. Então, pra aliviar um pouco a questão de tráfico. Nós não vamos retroceder um milímetro, a polícia está toda mobilizada, trabalhando. Já tem 38 criminosos presos. O combate ao tráfico de droga continua, porque ele é necessário. De um lado é tratar os dependentes químicos. A região vai ter um serviço modelar em Botucatu, modelo, vamos inaugurar agora no segundo semestre, hospital, ambulatório, tudo de saúde mental pra tratar dependente químico. E prender criminoso. Tráfico de droga é crime. E o Governo Federal precisa fazer a sua parte, porque essa droga vem toda de fora, Bolívia, outros países. Está entrando pela fronteira. Se não a gente enxuga gelo. Precisa ter um tráfego mais duro no enfrentamento ao tráfico do droga. E fortalecimento da polícia. Então, vamos mais alguns meses ter mais 1.160 policiais militares a mais. Duzentos delegados de polícia. Inclusive, vamos preencher os claros aqui da região. Já acabamos de nomear 900 investigadores e escrivães.


REPÓRTER: Governador, em relação aos delegados, esse é um problema resolvido então?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós abrimos um concurso pra 140 delegados. Como o concurso foi de muito bom nível, autorizamos chamar mais 60. Então serão 200 delegados. Sessenta dias eles já vão estar trabalhando já.


REPÓRTER: Governador, só pra finalizar, nós tivemos reajuste do pedágio. Vocês estão com a implantação agora do sistema Sem Parar. Fala um pouquinho a respeito dos benefícios que isso vai trazer para os condutores, essa disputa de mercado.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós tivemos o índice de inflação, tem IPCA e IGP-M. O IGP-M foi menor que o IPCA. Então nós optamos pelo menor, que foi o IGP-M. E nós estamos estudando, já implantamos na rodovia Jundiaí-Itatiba, já implantamos, estamos terminando a implantação na Santos Dumont, Sorocaba-Campinas, Indaiatuba-Campinas, e vamos, gradativamente, expandindo. Então, o tráfego regional fica mais barato, porque às vezes a pessoa, o bairro é perto de uma praça de pedágio, a pessoa percorre um trecho pequeno e paga a tarifa inteira. Aí com o chip eletrônico de graça, o chipzinho, o tag de graça e os arcos, a pessoa só vai pagar o trecho percorrido. Vai sair mais em conta. Estamos fazendo uma implantação gradual. Já estamos em duas autoestradas. A terceira será agora em agosto.


REPÓRTER: Quais as chances dos municípios que possuem pedágio e deixar de pagá-lo?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Prefeitura?


REPÓRTER: É, no caso, os munícipes ou a pessoa que trabalha no municio que tem pedágio.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: A tese sempre é por trecho percorrido. Então, se a pessoa de um município percorre um trecho menor, ela vai pagar menos. Ela paga sempre o trecho percorrido. Então isso vai resolver a questão do trânsito mais regional.


REPÓRTER: A partir de quando?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Já começou, já está implantado em Itatiba-Jundiaí. Teve 97% de aprovação. Agora estamos implantando em Sorocaba-Campinas e, gradualmente, vai expandindo.


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Obrigado, hein, pessoal.