Coletiva - Inauguração da Etec "Profª Drª Doroti Quiomi Kanashiro Toyohara" - 20122504

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Inauguração da Etec "Profª Drª Doroti Quiomi Kanashiro Toyohara"

Local: Capital - Data: 25/04/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, hoje nós estamos entregando a Etec de número 203. Já são 203 escolas técnicas. A Etec aqui de Pirituba, a Etec Professora Doroti. Aqui tem ensino médio de manhã e tem ensino técnico à tarde e à noite, eletrotécnica, contabilidade e segurança do trabalho, e também tem ensino médio. Os alunos, nós estamos abrindo agora, na sexta-feira, o vestibulinho. Então nós vamos oferecer 63.678 vagas pra todo Estado de São Paulo, 63.678 vagas. Os alunos podem se inscrever pelo www.vestibulinhoetec.com.br. Então só repetindo, www.vestibulinhoetec.com.br. E 63.678 vagas. E três novidades: o curso de técnico em portos, técnico em finanças, inclusive convênio com a Febraban, e técnico em legislação, convênio inclusive com a Câmara Legislativa, o técnico legislativo. Três novidades aí no vestibulinho. E 63.678 vagas a mais, e uma nova escola aqui na Zona Norte de São Paulo, Pirituba, uma grande escola, doze salas de aula, sete laboratórios, biblioteca, acessibilidade, elevador, rampa, enfim, uma escola pra gente ter aqui mil e quinhentos a dois mil alunos em pleno funcionamento. O reajuste, nós estamos dando um reajuste de 10,2%, a partir de 1° de julho. Estamos mandando a lei para a Assembleia Legislativa essa semana para todos os funcionários do Paula Souza. Diretores, professores, servidores, administrativos e aposentados, não ficou ninguém de fora. A inflação nós últimos 12 meses foi 5,2%, nós estamos dando 10,2% de reajuste. O ano passado a inflação foi 6%, nós demos 11% de reajuste. Estamos a cada ano procurando dar um ganho real para os profissionais de educação. Serão ao todo 17.000 servidores beneficiados. É isso?


REPÓRTER: Governador, é uma outra pergunta sem ser na pauta. Com relação à ontem que o senhor anunciou até o início, né, nas obras de duplicação na Tamoios, né, no trecho [ininteligível] de planalto, eu queria que o senhor comentasse também o início quando será, no trecho de serra e os benefícios, né.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, ontem foi assinado o contrato para a duplicação de 49km no trecho do planalto, vai de São José dos Campos, passa por Jambeiro, Paraibuna, e vai até o alto da serra. Começamos, são dois lotes, 32% de desconto. O Governo economizou R$270 milhões nesse processo licitatório. Começamos pelo planalto porque a pista é do lado e já conseguimos o EIA/RIMA e licença ambiental. Simultaneamente, estamos fazendo as audiências públicas e terminando o EIA/RIMA, pra fazer uma nova autoestrada na Serra do Mar, que não tem como duplicar do lado. É que nem a Imigrantes, uma sobe e outra desce. Então, uma nova autoestrada, são 22km para ir do alto da serra até Caraguatatuba. E depois nós teremos o contorno de Caraguatatuba para Ubatuba e para São Sebastião, sendo que São Sebastião chega dentro do porto. É uma nova estrada que vai chegar praticamente no porto de São Sebastião. A gente imagina que tenha licença ambiental até o final do ano, e aí licitaremos a obra, ou por PPP, parceria público-privada, ou obra pública mesmo. Isso vamos definir até outubro.


REPÓRTER: ...com a informação da Folha sobre a falta de professores...[intinteligível]?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós temos praticamente 1%, é o número que nós temos nessa questão de ausência de professor. Ou por falta, ou por vários motivos, mas não passa de 1%. Só para ter uma ideia de esforço, nós já nomeamos 23 mil novos professores. Foram 14 mil o ano passado e nesse começo de ano mais 9 mil, concursados, 23 mil. Estamos chamando, agora em maio, mais 9 mil, que já vão fazer o curso de formação de professor. Então, 23 mais 9 mil, 32 mil professores concursados, efetivados. Não houve isso na história de São Paulo. E valorização do magistério. Nós queremos que os melhores alunos da universidade venham para o magistério. Então, nós estabelecemos um plano de carreira de 43% de reajuste ao longo dos quatro anos e dobramos o salário, no caso de professores de tempo integral e escola de tempo integral. Além daquela prova de 25% a mais que o professor pode fazer periodicamente, além do bônus. Pagamos agora, há 20 dias atrás, R$580 milhões de bônus, isso até 2,9 salários a mais para quem teve o máximo do mérito, do resultado. Então, nós estamos fazendo um esforço grande no sentido justo, nada mais do que justo. Justo para valorizar a educação.


REPÓRTER:...Aqui para Pirituba?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Linha-6?


REPÓRTER: A linha-6.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Então, a linha-6, ela sai de São Joaquim, lá na Norte/Sul, passa pela Higienópolis, cruza com a linha amarela, linha-4, passa pelas universidades Mackenzie, Perdizes, PUC, cruza o Rio Tietê, Freguesia do Ó, Brasilândia e aí depois, em um segundo momento, Pirituba. Esse projeto, nós esperamos até junho ter as propostas avaliadas no Conselho gestor de PPP, já temos a manifestação de interesse de iniciativa privada, estamos avaliando e está caminhando bem, eu acho que deve ser a próxima linha do metrô a ser licitada.


REPÓRTER: E a posição dessa linha ser até... A previsão de tempo pra inauguração dessa linha, se ficará pronto a tempo do Centro de Convenções?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eu acho que sim porque o centro de Convenções é 2020, não é, 2020; uma linha de metrô pé no chão, cinco anos pro trem estar rodando, a não ser o VLT, aí é mais rápido, mas nem começou ainda. Eu espero fazer a viagem de trem até o aeroporto de Cumbica, até o aeroporto de Guarulhos, nem começou então nós vamos fazer era e em dois anos, mas aí não é metrô, metrô e enterrado, metrô é mais complexo, mas o trem dá para e fazer mais rápido, nem começou ainda, espero também, ainda, no meu governo ir de trem pra tenho Varginha, Zona Sul de São Paulo.


REPÓRTER: Governador, só mais uma pergunta em relação a...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Está tudo já licitado.


REPÓRTER: ‘Guerra dos Portos’, o Senado aprovou ontem...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: ‘Guerra dos Portos’ foi uma grande medida, Resolução 72 do Senado. É pena que só vai vigorar a partir de 1º de janeiro de 2013. Acredito que a presidenta Dilma deve promulgar a lei, já vai direto no Senado para sanção presidencial. E é importante. Por que é importante? Porque essa chamada ‘Guerra dos Portos’, ela é um estímulo a importação. Na medida em que você estimula a importação, você está fechando fábrica no Brasil, e está perdendo emprego. Porque não é importação de máquina que vai gerar produto, não é importação de produto primário, é importação de manufatura. É importar roupa, sapato, brinquedo, eletroeletrônico, ou seja, tudo tirando o produto brasileiro. Então, além do custo Brasil que é imposto alto, juros alto, moeda sobrevalorizada, você ainda dar um estímulo, não tem sentido. Por que alguns estados faziam isso? Para ganhar algum dinheirinho. Ou seja, o ICMS de importação é de 12%, você fala: “Olha, importe aqui pelo meu estado você paga 3%”. O cara ganha 9%, aí ele vai importar pelo outro estado, em prejuízo do produto brasileiro, que não tem essa isenção. Então a medida é correta. Nós sempre defendemos. Ficou uma alíquota de 4%. Então ao invés de 12% é 4%. Com 4% é difícil você fazer guerra fiscal. Que se você der 3%, vai ficar com 1%. Dificulta. Quer dizer, tira o estímulo. Então a medida é uma medida correta em defesa do emprego no Brasil e do parque industrial brasileiro.


REPÓRTER: Qual vai ser a posição do governo em relação a greve [ininteligível] da saúde.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós temos... Eu posso até conferir, mas eu tenho o dado de ontem. Nós temos 206 unidades de saúde, 87 hospitais, 44 AMEs, enfim... 206. Tinha greve em cinco unidades parcial, cinco unidades. Não tem greve. Ela é política, por que não tem nenhum sentido. Você faz uma greve quando você não tem diálogo. Não! O diálogo é permanente, nós temos reajustes o ano passado, que variaram de 11% a 34%, médico foi 20%. Qual categoria teve um reajuste nesse patamar? E o diálogo tá aberto, e prejudica a população que precisa de atendimento da saúde do SUS.


REPÓRTER: Há algum projeto que visa duplicar a Avenida Raimundo Pereira de Magalhães (conhecida como a antiga Estrada Velha de Campinas), que vai ser a principal via de acesso da região [ininteligível]?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, a nossa parte, que é do estado, é terminar o Rodoanel. Então, a região vai ter o Rodoanel Norte, a obra já está licitada, nós esperamos assinar o mais rápido possível o contrato e por as máquinas para trabalhar. O Rodoanel Leste tá em obra, tá dentro do cronograma, vai ser entregue em dois anos, o Leste. O Norte, esperamos em 90 dias, 120 dias assinar o contrato. Aí nós vamos fechar o Rodoanel. Ele hoje, ele termina exatamente na Estrada Velha de Campinas. Correto? Tá parado lá na Estrada Velha de Campinas. Aí você vai fechar o Anel. Você sai da Estrada Velha de Campinas e vai para o aeroporto de Cumbica, pega a Fernão Dias, pega a Dutra, pega a Ayrton Senna, Pirituba vai ficar na melhor esquina do Brasil.