Coletiva - Inauguração da Unidade Regional Fazendária de Sorocaba - 20122808

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva na Inauguração da Unidade Regional Fazendária de Sorocaba

Local: Sorocaba - Data: 28/08/2012


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, é uma alegria voltar à Sorocaba na entrega, hoje, do prédio da Secretaria da Fazenda, um prédio moderníssimo. A prefeitura nos doou o terreno, 12 mil metros quadrados de área construída, atenderá 58 municípios da região. O prédio é um prédio verde, com acessibilidade, com toda a parte de iluminação natural, reuso de água, enfim, um prédio com sustentabilidade.

De outro lado, criar, aqui, a terceira Etec. Sorocaba é a cidade, fora da capital, que tem o maior número de alunos de Etec e Fatec, são 8.200 alunos no ensino técnico e tecnológico, e a primeira, fora da capital, a ter três Etecs, a terceira em Parada do Alto, que é a zona leste de São Paulo, e muito voltada à área industrial, à automação industrial e outros cursos, também, importantes. Então, duas boas notícias, o novo prédio da Secretaria da Fazenda, com toda acessibilidade e sustentabilidade, e, de outro lado, a criação da terceira escola técnica, fazendo Sorocaba a cidade com o maior número de Etecs fora da capital. Essa é a ducentésima oitava, 208 escolas técnicas, e uma Fatec, também, muito boa aqui na cidade.


REPÓRTER: Governador, além desses outros assuntos, eu queria falar com o senhor o seguinte, UTI neonatal na região, duas crianças morreram em Salto, os planos do governo para resolver esse problema.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós temos, na região, 40 leitos de UTI neonatal, 16 leitos aqui em Sorocaba, dez no complexo hospitalar e seis em convênio com a Santa Casa. Vamos criar mais dez leitos em Itapetininga, que está sendo reformado, lá, o hospital de Itapetininga, sendo ampliado. Então, passaremos para 50 leitos de UTI neonatal na região. E com o novo hospital, também, de Sorocaba, nós vamos ter uma ampliação grande de leitos de UTI. UTI adulto, nós tivemos um implemento de dez leitos para 30 leitos, aqui no complexo hospitalar, e, tendo necessidade, nós vamos ampliar.


REPÓRTER: O senhor já falou a respeito da duplicação da 264, da SP-264. Ela já vem com pedágio?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, não terá pedágio, porque ela não é concessionada. Então, a SP-264, ela vai ser duplicada, nós estamos terminando o projeto executivo, já demos entrada no pedido de licenciamento na Cetesb e, no começo do ano que vem, ela será licitada. Ela é financiamento do BID, do Banco Interamericano de Desenvolvimento, não terá nenhum pedágio, obra feita pelo Estado. Na concessão, aí sim. Na Raposo Tavares é feito pela concessionária, então, o trecho de Sorocaba até Capela do Alto, nós vamos entregar até início do ano que vem, até abril do ano que vem, e depois, até Itapetininga, 2014. E já estamos licitando o projeto executivo de Itapetininga até Ourinhos, que não será toda duplicada, mas terá acostamento, terceira faixa, obras importantes. E já começou, também, a duplicação de Sorocaba à Itu, que, inclusive, terá ciclovia também, uma obra importante.


REPÓRTER: Governador, com relação ao presídio de Votorantim, o presídio feminino, o que o senhor tem a informação, como estão as obras? O procedimento a partir de agora.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, infelizmente, a penitenciária feminina de Votorantim, a empresa teve problema, a empresa quebrou, e nós vamos relicitar em setembro. Então, até o dia 18 de setembro, estará relicitada a obra. Já está 65% pronta, é só terminar a obra, mas não podemos fazê-la sem nova licitação.


REPÓRTER: Governador, em 2014, os olhos do mundo estarão voltados para São Paulo, com a abertura da Copa do Mundo, não é, e de terroristas também essa atenção estará voltada. Como que o governo do estado pretende garantir a segurança dos estrangeiros no período da Copa do Mundo?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, ontem, inclusive, em São Paulo, nós assinamos as obras para todo o sistema viário de acesso ao estádio. A abertura da Copa do Mundo deve ser em São Paulo. O estádio lá do Corinthians, na zona leste, em Itaquera, não tem dinheiro público, é um estádio privado. O governo fica responsável pelas obras viárias da região: alargamento da Radial Leste, intersecção da nova Radial Leste com a Jacu-Pêssego, passarelas, viadutos, obras de arte, obras permanentes, e também a ampliação do sistema de trem, da Linha 11 da CPTM. Nós teremos um trem a cada três minutos; hoje, é cinco minutos, vai reduzir para três minutos. Novos trens e o metrô, que é a Linha Três do metrô. E segurança pública. Aliás, quem vai treinar a polícia do Brasil, a polícia estadual para a Copa do Mundo, vai ser a Polícia Militar de São Paulo. Então, nós estamos aumentando o nosso efetivo da Polícia Militar, também a Polícia Civil. Em novembro, nós teremos 200 delegados de polícia a mais já trabalhando, eles já estão fazendo a academia, já passaram no concurso público, e um aumento gradual do efetivo da Polícia Militar. No mês de julho, nós tivemos queda de homicídio no estado de São Paulo, na cidade de Sorocaba, na capital, em todos os parâmetros que a gente examine. Se você comparar julho com julho do ano passado, a queda foi de 12%; se você comparar julho com junho deste ano, a queda foi de 7%. E acredito que o mês de agosto, pelos indicadores que nós temos, a redução ainda será maior. Então, é um trabalho permanente. Agora, um esforço grande, também, no crime contra o patrimônio, roubo e furto, então, um trabalho que é 24 horas, é a polícia trabalhando.


REPÓRTER: Em relação ao hospital, governador, como está o cronograma e como que está em questão do orçamento?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, o hospital... Nós vamos fazer dois hospitais novos, além de ampliar, reformar toda a... Nós temos 85 hospitais no estado, então estamos investindo em todos eles, modernização. Sábado mesmo, eu fui a Rio Preto, onde nós vamos ter um grande investimento na área de emergência, na área de UTI, na área de centro cirúrgico, na área de imagens. Agora, dois nós vamos fazer novos, que é o hospital de Sorocaba e o hospital de São José dos Campos. Sorocaba é o segundo hospital, aliás, a rigor, até o terceiro, porque o complexo hospitalar tem dois, e São José não tem nenhum leito público do estado, nenhum, nem hospital, nem leito, nada. Então, nós vamos fazer uma PPP para esses dois hospitais, porque achamos que a gente fará de maneira mais rápida. A construção e o equipamento dos hospitais, 100% SUS, 100% gratuito, com qualidade, para atender à população. E vamos... Eu espero inaugurar, se possível, ainda este ano, o AME. O AME vai ajudar muito, porque são 23 espacialidades médicas, mais a parte de apoio diagnóstica, porque muita gente vai para o hospital porque não tem... Falta resolutividade, às vezes, na rede primária, então acaba procurando o hospital, mas o hospital é só para caso de cirurgia ou internação, o restante deve se resolver fora do hospital. Então, o AME, ele vai dar mais resolutividade às UBSs, as Unidades Básicas de Saúde, e ele vai aliviar muito a procura hospitalar.


REPÓRTER: Mas quando que está previsto iniciar realmente a licitação, e quanto de recurso vai ser necessário?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós esperamos começar a obra o ano que vem do complexo hospitalar, o valor exato de prédio e equipamento, nós só vamos ter quando tiver o projeto executivo pronto, e entrar em operação provavelmente em 2015.


REPÓRTER 2: Governador, Alckmin vem aí em 2016?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, não, está tudo muito longe, né? Primeiro são as eleições municipais, né, que nós temos esse ano, que não é tarefa de governo, governo não se envolve em eleição nem municipal, nem estadual, nem federal, o governo trabalha para a população, mas cabe aos partidos políticos lançarem candidatos, os seus melhores nomes, fazerem o convencimento necessário para eleição.


REPÓRTER 3: Governador, o senhor vê... Como que o senhor vê Sorocaba...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: A última!


REPÓRTER 3: Com relação em fazer mais uma Etec, a questão da educação mesmo escolas técnicas aqui, no município, o que isso ajuda para região, também?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha! Eu acho que Sorocaba é um bom exemplo de como a gente pode avançar! Ter uma boa rede de creche e de Ensino Infantil da prefeitura, uma boa rede para as mamães poderem deixar a criança na creche, e a pré-escola o Ensino Infantil. Ter uma boa rede municipal de Ensino Fundamental, criança de 06 a 14 anos que nós também temos, nós temos uma boa rede de Ensino Médio que estamos integrando ao Técnico é o Projeto Rede, então oferecer ao nosso aluno o integrado, poder fazer Médio e Técnico. Tem a Etec, agora a terceira, tem Fatec que é das melhores do Brasil e tem a universidade, nós temos aqui a Unesp, então... E tem o Parque Tecnológico, você pode avançar na pesquisa de pós-graduação, então, eu diária que tem muito por fazer, mas o modelo está bem formatado.


REPÓRTER 4: Governador, ainda sobre o presídio de Votorantim, o presídio feminino, vereadores na sessão de ontem na Câmara votaram pedindo solução, porque moradores de rua estão ocupando o prédio!


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, é setembro está licitada a obra, infelizmente a gente não pode contratar por emergência, e você faz concorrência, a empresa entra com, né, nós queremos o preço mais baixo possível, agora às vezes o pessoal não aquenta, quebra! Então, o que você vai fazer? Tem que relicitar a obra, não tem como, tivemos dois casos de empresa que não conseguiu fazer a obra, então nós vamos relicitar em setembro, imediatamente assinar o contrato e terminar. Aliás, quero assumir um compromisso aqui, nós esperamos em 10 meses, até metade do ano que vem o estado de São Paulo ser talvez o primeiro estado do Brasil a não ter nenhuma mulher em cadeia, só no sistema prisional. O problema não é... Não é presídio, o problema é cadeia! Eu ouvi uma vez uma entrevista de um ex-presidiário na Marília Gabriela, aí ela perguntou para ele, ‘o que você viu de melhor e o que viu de pior no seu período que você ficou preso?’, ficou quase 8 anos, ele falou, ‘olha de melhor foi à penitenciaria de Pirajuí, ao lado de Bauru’, porque ela é uma fábrica penitenciaria, é uma fábrica, então fabrica: móvel, cadeira, mesa, escola... Coisa para escola, tudo, é uma fábrica todo mundo trabalha, e cada 3 dias de trabalho, reduz 01 de pena. E o que viu de pior? Ele falou, ‘pior é cadeia, você imagina, você entrar num elevador lotado, você fica torcendo para abrir a porta e sair do elevador. Agora, você imagina você morar no elevador lotado?’, então nós temos... O que São Paulo fez? Criou os CDPs – Centros de Detenção Provisórios, aquele preso que está aguardando julgamento, que ainda não foi julgado, não foi condenado ou absolvido, ele não espera mais na cadeia, ele fica no CDPs. Nós tínhamos 25.000 presos em CDP, hoje tem 7.500, e a primeira meta é zerar mulher, eu acho que em 10 meses, nós não teremos mais nenhuma mulher em cadeia, só nos Centros de Detenção Provisório. E aí vamos trabalhar para zerar os homens também, mas aí demora um pouco mais, porque 94,5% da população carcerária são os homens, mulher é só 5% e ainda é a má companhia dos homens, né?


REPÓRTER 5: Governador, e a ação da justiça da efetivação dos soldados temporários?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós nos baseamos para o soldado temporário numa lei federal do Fernando Henrique e numa lei estadual que nós aprovamos permitindo ao jovem de 18 a 23 anos de idade ser nosso soldado temporário, por quê? Primeiro é o período de idade de maior vulnerabilidade de 18 a 23 anos, todo mundo tem que estudar, para ser soldado temporário tem que está estudando, então ele tem que estudar. Segundo, ele vai ganhar dois salários. Terceiro, ele se profissionaliza, ele aprende computação, aprende informática, aprende gestão, então ele sai de lá e consegue emprego. E aí muitos gostam da atividade policial, e aí faz concurso para a polícia e vai fazer a carreira policial. Então só traz beneficio, e com isso, nós liberamos 5.000 PMs que estavam em atividade-meio: telefone, fax, prestação de contas, atividade não fim, atividade policial. Então uma medida boa, ajuda ao jovem, profissionaliza o jovem, ajuda o primeiro emprego, estimula carreira policial, só traz benefício e libera a polícia para ficar na rua pegando bandido, e não em atividade-meio, então nós vamos recorrer, estamos muito confiantes de que a decisão judicial final será favorável.