Coletiva - Inauguração da fábrica da JCB do Brasil Ltd. - 20122709

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva na Inauguração da fábrica da JCB do Brasil Ltd.

Local: Sorocaba - Data: 27/09/2012

REPÓRTER: Governador, eu queria que o senhor falasse um pouco da importância do Polo Industrial de Sorocaba, não só a nível estadual, mas a nível de Brasil, também.



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, muito importante esse grande Pólo Industrial de Sorocaba. Ele tem uma posição geográfica privilegiada, pela presença de Sorocaba na macrometrópole de São Paulo, que é uma das maiores do mundo. Tem uma infraestrutura extraordinária, aqui, do lado da Castelo Branco. Nós começaremos segunda-feira a duplicação de Sorocaba até Itu, a SP 79. Primeira rodovia, já com ciclovia, a duplicação será com ciclovia. E como Sorocaba cresce muito, isso é muito importante para São Paulo e para o Brasil. Cada empresa que se instala tem que pedir uma autorização para o acesso a Castelo Branco. Então, o Prefeito Vitor Lippi já está elaborando os estudos para nós prolongarmos a marginal. Então, a marginal, que foi feita entre o viaduto até a Toyota, nós prolongarmos, aí, mais 6, 7 quilômetros, aí todas as novas indústrias, novas empresas que estão chegando, que virão para cá nessa grande área industrial, já tem acesso direto a marginal. Ganha tempo, não precisa ficar uma por uma pedindo acesso a Artesp para poder chegar a Rodovia Castelo Branco. E a outra são os investimentos em recursos humanos. A cidade está preparada para esse grande desenvolvimento, de escolas técnicas, tecnológicas, engenharias, enfim... Mas é uma alegria, a inauguração de mais uma fábrica. Uma indústria que é sinônimo de retroescavadeira, que é a JCB, com nível de excelência. E uma fábrica que parece um centro cirúrgico, de tão limpa que é a fábrica. Muito bom. É uma conquista importante pra São Paulo, pro Brasil.


REPÓRTER: O senhor falou de investimentos no sistema viário, principalmente, na Castelo Branco; e, também, chegando aí a fábrica da Toyota de motores em Porto Feliz, serão feitos investimentos, também, nesse sentido?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Ah, sim. Esse eixo da Castelo Branco, eu diria que é, hoje, o grande eixo de desenvolvimento de São Paulo e do Brasil. Então, você tem quase que uma indústria, um investimento grande, de grande porte, um do lado do outro. O que é muito bom. Isso aí é emprego, oportunidade. Diz que o desenvolvimento é o novo nome da paz. Porque você só tem paz verdadeira onde tem oportunidade para as pessoas. Então, uma região que... E mantendo qualidade de vida. O que é muito importante.


REPÓRTER: Nós tivemos uma situação recente, falando de Porto Feliz, o prefeito de Porto Feliz que foi a pé a São Paulo protestando contra o presídio. Ele foi recebido, governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, foi recebido pela Casa civil. Nós sempre ouvimos, dialogamos. Agora, nós todos precisamos ter responsabilidade. Quer dizer, todo mundo quer segurança. Segurança é, hoje, o desafio de todo país. E a polícia está na rua, trabalhado 24 horas, vencendo uma batalha todo dia. Então, nós saímos no começo do ano dos 180 mil presos, que já é 36% da população carcerária do Brasil, e estamos chegando a 192 mil presos. Então, todos precisam ajudar um pouco para que a gente possa ter um sistema penitenciário forte, seguro, para melhorar a segurança, para que a justiça se faça. O que estimula o crime é a impunidade. Nós não podemos ter impunidade. E já estamos reabrindo a licitação da penitenciaria feminina em Votorantim, porque a empresa quebrou. E queremos, até o meio do ano que vem, zerar mulheres presas em cadeia. São Paulo ser o primeiro estado do Brasil a não ter nenhuma presa, mulher, em cadeia; todas no sistema prisional, no sistema penitenciário, em centros de detenção provisória. E mais dois, três anos, serão os homens. Porque é uma situação muito ruim, preso em cadeia. E isso dá outro ganho, também, para segurança. Porque a Polícia Civil vai deixar de tomar conta de preso para poder exercer o seu papel prioritário, que é polícia judiciária e polícia investigativa. Então, nós vamos ter um ganho, também, na segurança.


REPÓRTER: Governador, o senhor falou, também, aproveitando essa questão de obras viárias, tem um novo hospital regional na região da Raposo Tavares, também? Que obras serão feitas nesse sentido? Quando começam? E com relação também ao próprio novo hospital regional.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Ontem tivemos uma reunião, e nós vamos fazer cinco hospitais numa PPP, Parceria Público Privada. Então, são cinco: é o hospital de Sorocaba, lá na Raposo Tavares, um grande hospital estadual, além de reformar e recuperar o complexo hospitalar de Sorocaba; São José dos Campos, Vale do Ribeira e São Paulo, o novo Hospital da Mulher e o Hospital de Oftalmo e Otorrino, no Hospital das Clínicas. É uma PPP a cinco. Com isso a gente ganha tempo. Nós já deveremos estar lançando, no início do ano que vem, o edital da PPP.


REPÓRTER: Quanto às obras viárias, questão das obras, aqui, em Sorocaba mesmo, no hospital?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O hospital é na Raposo, não é? A Raposo, a duplicação até Itapetininga, ela está em curso. E a outra grande nova obra e importantíssima é a SP-264. Que vai ser, também, importante para a região. Mas segunda-feira nós estaremos de volta, aqui.




REPÓRTER: Ainda falando sobre segurança, rapidinho. Eu só queria que o senhor comentasse a respeito da troca do comando da Rota, o que pode melhorar?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, a Rota é uma tropa de elite do Batalhão de Choque, extremamente preparada para conflitos mais graves, situações mais graves. O Comando da Polícia Militar e a Secretaria de Segurança Pública é zero interferência política. Então, é, exclusivamente, decisão técnica, administrativa, de comando. Nós damos total liberdade para substituição que precise ser feita. Sempre no sentido de melhorar, aperfeiçoar e fortalecer a segurança em São Paulo.


REPÓRTER: Governador, o senhor falou da licitação para o presídio de Votorantim, tem uma previsão de quando vai sair essa licitação?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Posso checar, já, para você. Acho que, agora, em outubro. Deixa eu ver. Liga para mim, para o Nivaldo, e pergunta para ele a abertura da licitação da penitenciária feminina de Votorantim. Acho que é agora no mês de outubro. Mas qualquer anúncio você tem que fazer, juridicamente, todo levantamento, trâmite, para poder abrir nova licitação. Mas é o cumprimento só dos prazos legais. E, hoje, eu vou perder a padaria... Como é que chama aquela padaria?


REPÓRTER: Real.


REPÓRTER: A importância disso na nossa região, eu converso, agora, com o governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin. Governador, muito bom dia, primeiro destacar a importância dessa nova estrutura da JCB, aqui, na cidade de Sorocaba. Nesta região, uma região que já temos a Toyota, aqui, também tivemos a fábrica... O anúncio da fábrica de motores em Porto Feliz, também, da Toyota; e agora a JCB chegando, aqui. Qual a importância para o estado de mais um investimento na região de Sorocaba? Bom dia!


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Muito bom dia, André. Quero cumprimentá-lo, cumprimentar todos os ouvintes da Rádio Cruzeiro do Sul, dizer que é uma grande alegria, primeiro, receber aqui o Primeiro-Ministro da Grã-Bretanha, David Cameron, aqui, em Sorocaba, dar as boas vindas a ele. E saudar, aqui, todos da família da JCB, todos os trabalhadores, uma grande fábrica, muito bonita. Aliás, eu dizia aqui, uma fábrica de tratores, retroescavadeiras que parece um centro cirúrgico, tal é a limpeza, aqui, da fábrica. É um sinônimo de excelência em retroescavadeiras, confirmando, mais uma vez, confiança em Sorocaba. Hoje, esse grande polo de desenvolvimento da indústria e confiança, em São Paulo, no Brasil, no momento que a economia mundial passa por dificuldades. Então, parabéns a Sorocaba, mais emprego, mais progresso. E eu conversava, agora, com o prefeito, Vitor Lippi, cada indústria que se instala, aqui, no Polo Industrial da Castelo Branco precisa pedir uma autorização para Artesp; às vezes acaba atrasando um pouquinho. Então, a marginal que veio até a Toyota, nós vamos prolongá-la, vamos estudar fazer mais 7 quilômetros, aí, vamos ganhar tempo para outras empresas se instalarem, gerando mais emprego, aqui, na região. E na segunda-feira, aqui do lado, nós começaremos a duplicação da SP-79 de Sorocaba até Itu e com ciclovia; a primeira rodovia já contratada com ciclovia também. Então, os trabalhadores, os ciclistas, enfim, os estudantes já vão ter uma ciclovia com total segurança, também; ligando Sorocaba até Itu.


REPÓRTER: Esses investimentos, então... O senhor falou, até, segunda-feira, da SP-79. Tem previsão já para o início das obras da ampliação das Marginais da Castelo Branco nessa nova zona industrial norte de Sorocaba?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Essa, nós vamos aguardar os estudos da prefeitura, depois de pronto os estudos da prefeitura, aí, nós vamos solicitar a Artesp que faça o projeto executivo, orçamento... Mas é uma obra necessária, nós vamos fazê-la, porque é sinônimo de emprego, quer dizer, um polo industrial é um grande polo de desenvolvimento, isso é importante para todo o estado de São Paulo, extrapola até o município.


REPÓRTER: Semana que vem o senhor disse, já antecipou que estará presente, de novo, em Sorocaba. Podemos antecipar o motivo dessa visita, governador?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Eu devo vir na segunda-feira para começar, já, a obra de duplicação da SP-79, que é Sorocaba até Itu e com ciclovia. A primeira rodovia já contratada ciclovia no contrato do DER. Quero deixar aqui, um abraço a toda Sorocaba, cumprimentá-la por essa conquista. Convidei o Primeiro-Ministro David Cameron para vir na abertura do jogo inicial da Copa do Mundo, porque o futebol nasceu na Inglaterra. Aí ele complementou: “Olha, futebol nasceu na Inglaterra, mas foi aperfeiçoado no Brasil”, e eu estou, particularmente, muito feliz porque o Peixe foi campeão da Recopa, não é? Então, hoje é um dia de sorte.


REPÓRTER: Está certo! Muito obrigado, governador.