Coletiva - Inauguração da fábrica de Monotrilhos da Bombardier - 20121304

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Inauguração da fábrica de Monotrilhos da Bombardier

Local: Hortolândia - Data: 13/04/2012


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, hoje é um dia muito importante para São Paulo. Hortolândia é uma nova fábrica, a fábrica da Bombardier, fábrica que vai construir os monotrilhos, monorails. Nós contratamos para a linha do Metrô, a Linha-2, contratamos um número de 54 trens, 54 vezes 7 vai dar mais de 350 carros, então o auge da produção vai ser, praticamente, um carro por dia e o primeiro trem já vai ser entregue em agosto desse ano. Nós queremos o ano que vem, 2013, já inaugurar a estação Oratório na zona leste de São Paulo e já estar em operação. Cada trem tem sete carros, capacidade para mil passageiros, o intervalo entre um trem e outro é de 75 segundos, ele é operado por sistema de computação, não tem operador, não tem o motorneiro, não tem o operador, o maquinista, ele é operado todinho por sistema como os trens modernos; todos eles com ar condicionado, câmeras de vídeo anterior e posterior, sistema de motorização e frenagem, o que há de mais moderno. Queria destacar o esforço do governo na questão metro ferroviária. Nós temos hoje em obra a Linha-2, que é essa que vai para a zona leste de São Paulo, que é essa encomenda dos 378 carros e 54 trens; temos a Linha-4 em obras, que é a Linha Amarela, que vai Luz até Vila Sônia; temos a Linha-5 em obras, que é a de Santo Amaro até Chácara Klabin; temos a Linha-17 em obras, que é monotrilho, como este aqui, que vai atender o aeroporto de Congonhas, em São Paulo, já em obra; e temos a Linha-9 também em obra, que vai de Grajaú até Varginha, que é CPTM; Amador Bueno, Itapevi – Amador Bueno na Linha-8 da CPTM. Então, nós temos seis extensões de Metrô e trem simultâneas hoje, em São Paulo. São 295 novos trens. Se a gente calcular uma média de sete carros, vai dar mais de 2.000 carros. Então, a indústria ferroviária, de metrô, de trem, em um momento espetacular aqui em São Paulo. E queremos todos os aeroportos, as pessoas poderem utilizar o trem. Então, para chegar ou sair do aeroporto de Congonhas, o monotrilho, Linha-17 do Metrô, Cumbica; Expresso Guarulhos, que já vamos licitar ainda esse ano. E Viracopos o TAV –Trem de Alta Velocidade. Uma grande conquista para a população. Quero também anunciar, até por estar aqui em Campinas, o nosso secretário de Transporte Metropolitano, é o engenheiro Jurandir Fernandes, que é aqui da Unicamp e o expert em transportes, campineiro, que é o nosso secretário de Transporte Metropolitano; e vou nomear para presidente do Metrô, o Peter Walker, que também é de Campinas, engenheiro eletricista, com larga experiência e é hoje o secretário-adjunto de Transporte Metropolitano e assumirá a presidência da Companhia do Metrô de São Paulo.


REPÓRTER: Porque o senhor escolheu esse nome?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Pela sua capacidade técnica, engenheiro eletricista, pela sua competência, pela sua expertise. Ele já é o secretário-adjunto desde o início do governo, conhece tudo sobre CPTM e Metrô, e nos faz, inclusive, ganhar tempo nesse trabalho.


REPÓRTER: [ininteligível].


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Continua como diretor de finanças.


REPÓRTER: Ele já assumiu a função de presidente?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não. Vai assumir a hora que... Quem nomeia, nós indicamos, quem nomeia é o Conselho de Administração do Metrô, que deve se reunir no começo da semana.


REPÓRTER: Foi uma escolha do senhor, esse nome?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não. Sempre quem escolhe presidente de empresa é o secretário. Não tem política, não tem nada disso. Pessoa de confiança do secretário Jurandir Fernandes em nós demos todo o respaldo.


REPÓRTER: E ele é [ininteligível] adjunta ainda?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não. Só presidente do Metrô.


REPÓRTER: Governador, eu queria saber o seguinte. Projeto não de trem rápido, mas de trem de média velocidade para as regiões metropolitanas, como é que está indo nisso dentro...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Está indo bem. Então, nós já estamos estudando São Paulo – Jundiaí, o Expresso, sem parada, 25 minutos; o Expresso Guarulhos, também já está sendo feito; Sorocaba, o trem já está indo de Itapevi para Amador Bueno, então já também vai caminhando e temos outros estudos. No caso de Campinas, não tem sentido você acelerar uma obra, que tem o TAV – Trem de Alta Velocidade, ele já bastante bem encaminhado, então nós vamos, por enquanto, fazer só Jundiaí – São Paulo.


REPÓRTER: Obrigado, governador.