Coletiva - Inauguração das obras de Afastamento e da Estação de Tratamento de Esgoto - ETE Oeste - 20121711

De Infogov São Paulo
Revisão de 08h40min de 21 de novembro de 2012 por Natalia.fransilva (discussão | contribs) (Criou página com ''''Coletiva - Inauguração das obras de Afastamento e da Estação de Tratamento de Esgoto - ETE Oeste''' '''Local: Adamantina - Data: [http:…')
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Inauguração das obras de Afastamento e da Estação de Tratamento de Esgoto - ETE Oeste

Local: Adamantina - Data: 17/11/2012

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: [ininteligível] para a região. Nós teremos aqui na região, até o ano que vem, uns 62 municípios operados pela SABESP, com esgoto coletado e tratado, e os rios, a bacia hidrográfica despoluída, que vai ser muito bom pra piscicultura, para o lazer, para a saúde, para a região. Então, em Adamantina, passou de 40% pra 100% de tratamento de esgoto, de esgoto coletado e tratado. Aqui também inauguramos a Delegacia de Defesa da Mulher, aqui a ETEC também terá um curso inovador de técnico em mecânica, que é o único da região, e teremos uma FATEC, a segunda FATEC da Alta Paulista. Temos uma FATEC em Pompeia, um curso inovador, de tecnólogo e mecânica, de agricultura de precisão, e agora a FATEC de Adamantina. A UNESP, três engenharias novas pra região, Adamantina, perdão. Tupã, engenharia de biossistemas, Dracena, engenharia agronômica e Rosana, engenharia de energia. Então, ampliação forte aqui também das engenharias. E a SP-294, a Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros, dia 23 já sai o edital da obra, R$ 150 milhões de reais, Adamantina, Tupi Paulista, e em seguida Tupi Paulista até Panorama, mais R$ 50 milhões. Recapeamento, acostamento, terceiras faixas, obras de arte, viadutos, entradas em cidades, enfim, segurança em desenvolvimento para a região. E o Melhor Caminho que também estamos trazendo pra região, autorizando em várias cidades pra melhorar as estradas vicinais. E o programa de habitação, entregamos 119 casas em Parapuã, mais 86 em Nova Guataporanga, estamos aqui na região com 3.000 unidades em construção, e 1.400 para começar. E o Cidade Legal, aqui em Adamantina já assinamos o convênio, começando com 190 famílias, regularização fundiária, da escritura do terreno da casa, ou do apartamento. E aí vamos regularizar loteamentos, bairros, áreas que precisam em convênio com a prefeitura municipal.


JORNALISTA: Governador, sobre a Operação Fronteira, o senhor acredita que ela vai conter aí ao crime organizado e principalmente a ofensiva de violência que a força de segurança tem sofrido?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Eu tenho absoluta confiança nisso, começa agora já nesta semana um grande programa de contenção, unindo Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Estadual, Polícia Civil de São Paulo, Polícia Militar. São 14 pontos estratégicos que foram levantados, e esse trabalho vai evitar a entrada de armas no estado, e entrada de drogas. Então, um trabalho muito importante nas fronteiras do nosso estado nas principais ligações terrestres de São Paulo.


JORNALISTA: Governador, o senhor já começou a tomar as devidas posições pras ondas de ataqueS terminarem, mas continua. O senhor vai mudar de estratégia ou vai continuar? Como que é isso?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Olha, nós estamos há 12 anos trabalhando com boas conquistas, São Paulo saiu de 35 homicídios por 100.000 habitantes pAra 10, então foram conquistas importantes. São Paulo era o quarto estado mais violento do Brasil, hoje é o 25º, mas nós temos que avançar mais. O crime organizado, essa é uma tarefa, é um enfrentamento permanente, tem que vencer batalha todos os dias. Então, o investimento na inteligência, no instituto de criminalística, no chamado DNA da droga, para identificar se a droga vem da Bolívia, do Paraguai, do Peru, da Colômbia, contenção nas entradas da cidade, Operação Saturação preventiva e repressiva pela Polícia Militar, inteligência na investigação na Polícia Civil, remoção de presos para outras unidades fora de São Paulo, integração com a Polícia Federal. Nós já temos uma boa integração na área de troca de informações e inteligência, agora estamos fazendo uma integração na área de criminalística, de especialização nos laboratórios contra a droga, no SIS Bala, que você vai identificar pelo projeto a arma que saiu o tiro, em ações de inteligência e penitenciárias. Um apoio importante na construção de mais unidades no estado, especializadas, e transferência de preso, enfim, todo um empenho. A polícia toda está mobilizada para defender a população.


JORNALISTA: E o número de utilidade de policiais, tem o número suficiente pra cuidar de tudo isso?


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Nós temos hoje 98.000 policiais na Polícia Militar, 30.000 na Polícia Civil, mais 4.000 na Polícia Científica, é a maior força policial do país. São 132.000 policiais. E estamos contratando mais, esta semana que entra agora teremos mais 200 delegados de polícia que sem da ACADEPOL, e mais 150 entram pra fazer o curso de 90 dias. Vamos ter até o final do ano mais uma formatura da PM, mais 2.000 policiais militares, e estamos fazendo uma reengenharia, já liberamos 2.300 policiais que estavam na atividade meio, para atividade fim, e essa reengenharia continua.


JORNALISTA: E como o senhor vê essa migração do crime para o interior?


JOSÉ MÁRIO, REPÓRTER: E o governador encerrou sua entrevista coletiva rapidamente, dirigindo-se a lagoa de tratamento. O repórter José Mário. Tchau.