Coletiva - Inauguração do Fábricas de Cultura do Capão Redondo 20122212

De Infogov São Paulo
Revisão de 11h01min de 26 de dezembro de 2012 por Anapaulamarinho (discussão | contribs) (Criou página com ''''Coletiva - Inauguração do Fábricas de Cultura do Capão Redondo''' '''Local: Capital - Data: [http://infogov.imprensaoficial.com.br/index.php?title=2012#Dezembro 22/12…')
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Inauguração do Fábricas de Cultura do Capão Redondo

Local: Capital - Data: 22/12/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, essa é a 7ª Fábrica de Cultura, aqui no Capão Redondo. Temos mais 3 para inaugurar o ano que vem, já serão 10. Total de 12 Fábricas de Cultura em regiões de maior vulnerabilidade juvenil para oferecer ao jovem - ela é aberta inclusive nos finais de semana - teatro, música, aula de violão, literatura, circo, dança, multimídia, internet, biblioteca. Cursos, 25 alunos, duas aulas por semana, seis horas por semana. Isso vai ajudar também no rendimento escolar, no aproveitamento escolar, e diminuir a vulnerabilidade juvenil. A inclusão através da cultura. Um belíssimo prédio, novinho, as melhores instalações, monitores, professores, tudo gratuito para as crianças, os jovens e também aberto às famílias e aos idosos.

REPÓRTER: Governador, em relação ao balanço divulgado ontem, houve o aumento em número de homicídios em novembro. O que o senhor tem a dizer sobre isso?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós podemos fazer duas leituras: se a gente pegar de janeiro a novembro, comparado a janeiro a novembro do ano passado, veja que realmente teve um aumento, está vermelho, só aqui em verde. Então, houve um aumento. Janeiro a novembro do ano passado, com janeiro a novembro deste ano. Por quê? Porque no segundo semestre desse ano nós tivemos momentos mais difíceis, aumento de criminalidade. Mas a boa notícia é que se nós compararmos outubro com novembro deste ano, de um mês para o outro, outubro para novembro, tudo ficou verde, praticamente. Caiu homicídio, furto, roubo, furto de veículo, roubo de veículo. O que mostra o seguinte: comparando... Isso vale para o estado - isso aqui é o Estado de São Paulo - vale para a Capital, veja que na Capital quase tudo ficou vermelho, comparando com o ano passado. Mas outubro com novembro, tudo verde. E vale também para a região metropolitana de São Paulo. Então, são duas leituras que eu acho que os indicadores mostram. Primeiro, janeiro-novembro com janeiro-novembro desse ano, esse ano teve um aumento maior do que o ano passado em relação ao segundo semestre. Mas se nós compararmos o mês de novembro com o mês de outubro desse ano, tudo reduziu, o que mostra que se a gente perseverar, e a polícia toda está trabalhando, todo mundo mobilizado, integrada, nós vamos ter uma curva de queda. Eu acho que já iniciou uma curva de queda. Enfim, é muito trabalho para proteger a população.

REPÓRTER: Por quê que as Fábricas de Cultura são sempre na periferia?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, a escolha dos locais da Fábrica de Cultura foi a vulnerabilidade juvenil. Então, foi feito um estudo mostrando as regiões de maior vulnerabilidade juvenil, mais índice de violência. Então, exatamente nesses locais é que são feitas as Fábricas. Por exemplo, as próximas que nós vamos inaugurar é Cidade Tiradentes, lá no extremo da zona leste, Jaçanã, lá em cima, na zona norte, e Brasilândia, na zona noroeste. E aqui, o Capão Redondo, na zona sul. Então, a escolha foi sempre a cultura para diminuir violência e para fortalecer a educação. Está bom? Tem um cafezinho.