Coletiva - Inauguração do Serviço Especializado em Tratamento de Gestantes Dependentes de Crack - 20121004

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Inauguração do Serviço Especializada em Tratamento de Gestantes Dependentes de Crack

Local: São Bernardo do Campo - Data: 10/04/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, hoje nós estamos iniciando um serviço inédito, que é um serviço voltado exclusivamente a mulheres gestantes com dependência química. Nós temos verificado nos nossos hospitais um aumento de número de mulheres gestantes que acabam depois que dão à luz, perdendo a guarda das crianças na justiça em razão do problema da dependência química. Então um trabalho inédito, que já começa enquanto a mamãe não deu à luz, é gestante, uma visão integral, tratamento clínico, psiquiátrico, atendimento obstétrico, voluntário. Todas as internações voluntárias. Começa com dez leitos, exclusiva para mulheres grávidas com dependência química aqui no Hospital Lacan, em São Bernardo do Campo. E teremos em seguida mais 15 leitos no Américo Bairral, em Itapira. Então uma conquista importante. A dependência química é doença, exige tratamento. Há casos que basta tratamento ambulatorial através dos CAPS, e há casos mais graves que há a necessidade de internação. E em razão da gestação esse tratamento precisa ser muito especializado, porque qualquer droga tem efeito sobre o feto. E é muito importante a mamãe estar bem para quando a criança nascer, até pra ela não perder a guarda da criança. E também queria dizer que, nesse trabalho nosso de enfretamento da questão da dependência química, álcool e droga, o Cratod, em São Paulo, está funcionando 24 horas, sete dias por semana. Aumentou muito o número de internações voluntárias na chamada ex Cracolândia, na região da Nova Luz, na operação Centro Legal. Já são 444 internações voluntárias, nenhuma delas, obrigatória. E nós vivemos hoje um novo quadro na região da Nova Luz. E agora no segundo semestre, nós teremos 311 leitos a mais no Estado de São Paulo na área de tratamento para alcoolismo e droga; 72 em Botucatu, está ficando pronto a clínica; 104 Espírito Santo do Pinhal; 95 no Américo Bairral; e aqui mesmo, em São Bernardo, nós estamos estudando mais 40 leitos exclusivamente para adolescentes. Então um trabalho também mais especializado voltado para jovens, para adolescentes. Ou seja, 311 leitos. E estamos muito confiantes de que isso vai trazer bom resultado nessa questão.


REPÓRTER: Governador, dois policiais militares foram presos nos últimos dias, acusados de ajudar bandidos em assaltos a residências em São Paulo. Como é que o senhor vê a prisão, o envolvimento, o suposto envolvimento, desses elementos com a criminalidade?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós temos 92 mil policiais militares ao todo, mais a Polícia Civil e a Polícia Cientifica, quase 140 mil policiais. Então não é a regra. São questões pontuais. A Corregedoria muito firme. Esses policiais são presos, respondem a processo civil, processo penal e são expulsos da polícia, e respondem a processo. A polícia trabalhou. Foram meses de trabalho, foram 13 prisões, quadrilha organizada na questão de arrastão, de assalto a prédios de luxo. Aliás, tivemos duas ações muito importantes: na área do Denarc a maior apreensão de drogas desde a criação do Denarc, 1,1 toneladas de cocaína. E na área do Deic... Vou até chamar o Dr. Nelson e a equipe pra cumprimentá-los pessoalmente, esse trabalho de investigação, estourando uma quadrilha especializada com 13 criminosos, inclusive com participação de um policial militar.


REPÓRTER: Essa conduta, na opinião do senhor, governador, mancha a imagem a corporação? Porque a Band mostrou as escutas telefônicas e é assustador, você ver um policial negociando, avisando um bandido onde ele pode ou não invadir.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós temos 140 mil policiais, se 1% tiver problema, são 1,4 mil. Então esse trabalho é ininterrupto, é 24 horas a polícia trabalhando, Corregedoria muito firme e punição exemplar. É prisão e demissão a bem do serviço público.


REPÓRTER: O senhor encontrou uma manifestação ali na porta, são de integrantes do CAPS, e tal. Eles questionam o método de atendimento aos dependentes químicos, principalmente a internação compulsória. Queria que o senhor falasse a respeito disso.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós também somos contra a internação compulsória, nós somos contra. Nós somos favoráveis à internação voluntária. Nós só fazemos internação compulsória quando a Justiça determina. Então todo trabalho nosso é de convencimento. Um dia desse eu fui com o professor Giovanni Cerri de madrugada lá no Cratod e a médica lá de plantão falou: “Olha, essa noite eu já atendi duas pessoas que vieram aqui, conversei, conversei, ficaram de voltar amanhã para ver se vão concordar ser internadas”. Agora, nós temos que entender o seguinte: há uma discussão acadêmica, uma discussão de profissionais de saúde, eu sou favorável à desospitalização, porque nós chegamos a ter no passado em Franco da Rocha, no Juqueri, mais de 10 mil doentes, então não era possível você ter esses manicômios. Agora, também não é possível dizer, olha, não vai haver nenhuma internação. Porque há casos que são tão graves que o atendimento em ambulatório uma vez por dia ou duas vezes por semana é totalmente insuficiente. Há necessidade de internação e internações longas, não são internações curtas. Então como tudo em medicina é caso a caso, a grande maioria atendimento ambulatorial: equipes multiprofissionais através dos Caps, depois você tem internações de emergência, leito/dia e você tem, tem que ter mesmo internação para casos mais graves.


REPÓRTER: Governador, pode definir de que forma o governo vai auxiliar na construção do hospital de clínicas aqui em São Bernardo?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós vamos liberar 20 milhões de reais, já está autorizado, professor Giovanni Cerri vai fazer o convênio e nós vamos liberar 20 milhões de reais para o hospital municipal de São Bernardo do Campo.


REPÓRTER: O Conselho de saúde de São Bernardo disse que não houve negociação, não houve diálogo para a instalação desses leitos, que vão contra a política de atendimento à saúde mental e independentes do município. Houve alguma coisa nesse sentido?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, não pode ser contra alguma coisa que é a favor da saúde, que é para oferecer de forma gratuita...


REPÓRTER: O Conselho disse que não houve diálogo.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, na realidade você vai atender mulheres grávidas de todo estado de São Paulo, não é uma questão apenas local, é uma referência para a região e até para outras regiões, nós vamos ampliando esse modelo.


REPÓRTER: ... A aliança do PSDB com o PPS aqui em São Bernardo?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, esse é um assunto partidário, não é, não é de governo.


REPÓRTER: Mas o senhor foi favorável, governador?


REPÓRTER: O presidente do metrô vai ser anunciado quando?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, ainda não definimos, quando definir nós vamos anunciar.


REPÓRTER: O novo comandante da PM?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, o novo comandante da Polícia Militar, o coronel Roberval, ele foi o comandante aqui do ABC. Então nós viemos buscar aqui no ABC o seu comandante para ser o comandante geral de toda a Polícia Militar de São Paulo. E estamos muito confiantes no seu trabalho. Ele vai escolher o comandante aqui do ABC, o novo comandante. E como ele conhece muito bem a região, fez aqui um bom trabalho, vai ter todas as condições para designar para cá um ótimo comandante.


REPÓRTER: Governador, está feito [ininteligível] uma CPI para investigar um caso de corrupção [ininteligível], isso favorece o PSDB em Santo André ter candidatura própria?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, esses assuntos partidários, são do partido, precisa conversar com o Pedro Tobias.


REPÓRTER: ... Leitos e não pais perto da região da Nova Luz que é onde a gente tem um caso grande...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Como é que é?


REPÓRTER: Por que aqui, os leitos em São Bernardo?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, os leitos são em todos os locais, o Cratod é do lado da Nova Luz, o Cratod é no Bom Retiro, e ele funciona 24 horas por dias, sete dias da semana lá no Bom Retiro. A prefeitura tem os Caps, também ali na região. Agora, leito é retaguarda, aí não pode ter leito em cada bairro. O leito é retaguarda, então nós vamos fazendo retaguarda para adolescentes, retaguarda para mamães gestantes com dependência química, retaguarda para várias áreas e de forma regionalizada, nós vamos abrir vaga em Botucatu, para região central do estado, vamos abrir vagas em Espírito Santo do Pinhal, para região mais ao norte de São Paulo, vamos abrir vaga para a região de Campinas no Américo Bairral, abrir vaga para a Região Metropolitana aqui em São Bernardo, são centros especializados de referência. E todos nós conhecemos um caso de uma família que tem um problema de dependente químico e que não tem dinheiro para pagar essas clínicas especializadas e caríssimas, nós estamos oferecendo de forma gratuita, 100% financiado pelo Governo do Estado, não tem um centavo do SUS.


REPÓRTER: O senhor não acha dez leitos pouco?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós já vamos abrir em seguida mais 15 leitos, lá no Américo Bairral, então serão 25. Mas é só para mulheres grávidas. Eu coloquei aqui, que nós vamos abrir agora no segundo semestre , 311 leitos a mais, só aqui em São Bernardo mais 40.


REPÓRTER: A respeito do pedágio, agora será cobrado por quilômetro rodado?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós, ontem, lançamos o Pedágio Ponto a Ponto, primeiro do país, pedágio eletrônico, não tem...


REPÓRTER: Como é que funciona?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não tem mais aquele ‘barreirão’, aquela barreira de pedágio de concreto, é um arco. Um arco, um chipzinho no carro, o chip de graça, o tag de graça, não tem manutenção e a pessoa passa pelo trecho, paga pelo trecho percorrido, então...


REPÓRTER: Aonde as pessoas adquirão esse aparelho?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não! É que nós começamos pela SP-360 de Jundiaí à Itatiba, depois vamos a Itu à Campinas, depois vamos... Nós vamos estradas... Rodovia por rodovia.


REPÓRTER: Há previsão de vim para o ABC, governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: A partir de 2013, nós vamos ampliando. Esse projeto piloto começou lá, então, nós tínhamos nove bairros lá em Itatiba que ficaram do lado da praça do pedágio, ele para ir a Itatiba pagava R$ 2,00, agora ele tem o tag, ele não para, não precisa pegar troco, nada, passa direto e ele paga o trecho percorrido, abaixa de R$ 2,00 para 0,60. A próxima em maio vai ser a região de Indaiatuba. Quem morava em Indaiatuba pra ir ao Aeroporto para ir a Campinas, ou ir ao Aeroporto de Viracopos como Indaiatuba está do lado da praça de pedágio pagava R$ 10,00, vai passar o trecho percorrido, vai cair para R$ 4,00.


REPÓRTER: Governador...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Então é pelo trecho percorrido.


REPÓRTER: O senhor vira aqui, durante a campanha eleitoral, o senhor virá no ABC durante a campanha?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Se eu virei?


REPÓRTER: São Bernardo já está ratificado, governador, a aliança?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Se fora de horário de trabalho, fim de semana, alguma coisa até poderei vir, mas como militante, mas não é a nossa prioridade, a prioridade é do partido.


REPÓRTER: Governador as escolas estaduais da região tem caído no índice do INDESP desde 2009, como reverter esse quadro aqui no ABC?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha investir no professor. Nós estamos fazendo um trabalho permanente de capacitação de professor, concurso público, nós vamos ter mais 6 mil, aliás, 9 mil professores a mais esse ano nomeados, concursados. Professor motivado, carreira, escola de tempo integral, professor de tempo integral, pagamos semana passada o bônus, a média foi R$ 2.800,00, mas teve caso de diretor de escola que recebeu R$ 17.000,00 além... Fora o seu salário, R$ 17.000,00 só de prêmio. Então, o bônus é também uma maneira de estimular a melhorar a qualidade da educação, enfim, só na semana passada bônus mérito, baseado em resultado, foram R$ 585.000.000,00 para professores, diretores e funcionários da rede estadual.


REPÓRTER: São Bernardo… Como é que o senhor viu a decisão?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Essa é uma questão dos partidos políticos, e a convenção...


REPÓRTER: É que aqui já foi definido.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Pois é, a convenção é só em junho. Eu acho que o Alex Manente é um excelente pré-candidato, preparado, deputado sério e vai fazer um bom trabalho.


REPÓRTER: O senhor participou das conversas, também, governador?


ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Gente, obrigada. Obrigada.


REPÓRTER: Obrigado, governador.