Coletiva - Mobilização do Dia Nacional de Combate ao Aedes aegypti 20160212

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Lu Alckmin - Mobilização do Dia Nacional de Combate ao Aedes aegypti

Local: [[]] - Data:Dezembro 02/12/2016

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Muito bom dia a todas e a todos. Agradece a presença dos nossos ministros, Gilberto Kassab, de Ciência, Tecnologia e Inovação; Mendonça Filho, da Educação; e Alexandre de Moraes, da Justiça e Cidadania. Os nossos secretários de Estado: David Uip, da Saúde; Dr. Nalini, da Educação; coronel José Roberto, da Casa Militar; coronel de Exército Dari, o comandante da 2ª Região Militar; a Rosangela Valim Gonçalves, dirigente de ensino aqui da região centro-oeste; professor Marcos Boulos, coordenador da Área de Controle de Doenças Infecciosas; o Dalton Pereira da Fonseca Júnior, que é o superintendente da Sucen; a Silvia Regina da Silva, diretora desta Escola Estadual Alcides da Costa Vidigal. E queria cumprimentar a diretora Silvia, que está aqui há 19 anos, por essa escola modelo, uma beleza de escola, 7,2 no Ideb. Em nome da Silvia, dar os parabéns a toda sua equipe, professores, funcionários e alunos. A Regiane de Paula, diretora de Vigilância Epidemiológica; a professora Ilda Faustino Feres, professora responsável pelos alunos do quarto ano e pela apresentação teatral Unidos Contra a Dengue; um agradecimento ao Alfredo Degoy, parceiro, ele e o Jair são parceiros aqui, há cinco anos, né? Doze anos são parceiros aqui, ajudando em pequenas reformas, atividades, enfim, tem feito uma enorme colaboração. Diretores, professores, alunos, amigas e amigos. Hoje é um dia importante. O mosquito da dengue, o Aedes Aegypti transmite quatro doenças: dengue, zika vírus, chikungunya, febre amarela urbana, e o caminho é combater o vetor, que é água parada. Agora, vai começar, daqui a pouco, o verão, ainda nesse mês, muita chuva e muito calor, e água parada prolifera o mosquito e transmite a doença. O mutirão que foi feito, desde o ano passado até agora, fez com que São Paulo caísse 76% o número de casos de dengue no estado de São Paulo, e 81% o número de mortes. Agora, esse é um trabalho que não pode parar. Então, hoje é o dia do início do mutirão, e nós temos aqui, São Paulo junto com o Ministério da Saúde, um trabalho inclusive todos os sábados. Nós pagamos R$ 120 para o agente de saúde, no estado todo, contratado pela prefeitura, para fazer o mutirão, não só de segunda a sexta, mas também aos sábados, e agradecer a população por esta grande participação. E dar uma notícia, a nossa vacina da dengue, a primeira do mundo tetravalente contra os quatro tipos: 1, 2, 3 e 4 de vírus, e de outro lado única, que é dose única, já está na última fase, que é a fase clínica, nós temos 14 Centros de Pesquisa Clínica, 13 já instalados, de Roraima, de Boa Vista até Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, em todas as regiões do Brasil. Temos que vacinar 17 mil pessoas, já foram vacinadas 3.100. Então, nós já chegamos aí a quase 20% da meta. Falta um último centro, que é no Distrito Federal, em Brasília, que será instalado ainda esse mês. Tudo feito pelo Instituto Butantan. Tivemos uma boa parceria com o Ministério da Saúde, que também colabora conosco, e temos duas boas tratativas com o Ministério de Ciência e Tecnologia e com o BNDES, mas está indo bem. Mas enquanto não tem a vacina da dengue, só tem um caminho, que é o combate ao mosquito, ao transmissor da doença.

REPÓRTER: Tem alguma estimativa de quando ele deve chegar ao mercado?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, depende dos resultados. Das 17 mil pessoas, 12 mil são vacinadas, 5 mil recebem placebo, ninguém sabe quem tomou vacina e quem tomou o placebo, e você acompanha resposta imunológica. A pessoa em contato com o vírus, quem pegou a doença e quem não pegou, e se estava ou não vacinada, aí você tem a resposta imunológica. Pode ser que no ano que vem, a gente já tenha a resposta. Aí encaminha para a Anvisa, pedindo o registro, e a fábrica para produção, no Butantan, está quase pronta, mais 60, 90 dias ela estará concluída, aliás, aqui pertinho, aqui no Butantan. Então, está indo superbem. Isso pode ser um grande ganho para ciência do mundo, 40% da população mundial vive em país tropical ou subtropical, perto de três bilhões de pessoas, e é uma doença de regiões quentes, e que chove bastante.

REPÓRTER: Agora, governador, os especialistas na área da saúde projetam, aí para o ano que vem, um crescimento muito grande nos casos de zika e de chikungunya, como é que o Governo de São Paulo está vendo isso, e se preparando para--

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, o caminho é combater o mosquito, porque é o mesmo agente. Então, o mesmo mosquito, se a gente conseguir eliminar os focos do mosquito, você evita as quatro doenças, mas o professor David Uip, que é um grande professor de infectologia, pode detalhar melhor. Agora, esta vacina tetravalente, que está na última fase, última fase, já começou a ser estudada para ela ser pentavalente, você envelopar um quinto vírus, que é o zika vírus, então, ela seria pentavalente. Essa é uma vacina de vírus atenuado. O que é a vacina? A vacina, você introduz na pessoa aquele agente que gera a doença para poder gerar o efeito imunizante, ter anticorpos. Só que não gera doença, porque ou você pega pedacinho de proteína lá, o DNA, e injeta, ou o vírus morto, ou o vírus atenuado, é um vírus que você tirou perna, braço, cabeça, então, ele não tem como gerar a doença. Então, o mundo inteiro faz vacina ou com o vírus, ou com o vírus atenuado, ou com partes de proteína, que é o DNA.

REPÓRTER: Governador, nesta quinta-feira, funcionários da Odebrecht começaram a assinar delação premiada. O senhor teme que o seu nome apareça em novas situações, que façam menções relacionadas ao nome santo?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, nós defendemos toda investigação e defendemos a Lava Jato. Tá bom?

REPÓRTER: Governador, o projeto anticorrupção foi aprovado na Câmara essa semana com várias alterações, em relação a proposta inicial, qual é a sua avaliação em respeito a esse pacote de medidas? O senhor é a favor das alterações, ou acredita que elas podem enfraquecer a Lava Jato?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, eu acho que tem que destacar um aspecto positivo, porque muitas medidas foram tomadas, no sentido de ter mais transparência, de ter punição, de você detalhar melhor a legislação. Questões, outras, o Senado vai analisar. O Senado vai analisar, eu não tenho detalhes jurídicos disso, mas isso vai ser muito discutido, antes de ser ainda aprovado. Tá bom?

REPÓRTER: Governador, só uma dúvida. Lideranças do PSDB está cogitando aí um novo cenário, cogitando uma saída do presidente Michel Temer. Como o senhor vê esse novo cenário com a possível--

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Saída como?

REPÓRTER: Saída talvez--

REPÓRTER: Via impeachment, via renúncia.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Eu não vejo nenhum cabimento nisso. Você não tem nenhum fato que justifique isso. O impeachment tem previsão legal, mas é para caso muito claro, crime de responsabilidade muito claro. Eu acho que nós estamos é atravessando um período de dificuldade financeira, com uma grave crise recessiva, que quanto mais rápido o governo agir, mais depressa você sai dessa crise. E defendo total apoio as medidas do governo para recuperação do emprego e renda. Isso é que eu tenho defendido sempre. Todas as medidas que visem a retomada do crescimento, sair da espiral recessiva, e retomar emprego, renda, melhorar a vida da população, terá o nosso integral apoio.

REPÓRTER: E o nome do FHC para presidência?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Mas não está em cogitação. Não tem nenhuma... O presidente Fernando Henrique é Hors concours, é um estadista, mas nem ele admite isso, e não há essa hipótese. Tá bom?

REPÓRTER: Governador, você acha que o Renan Calheiros deveria deixar o cargo [ininteligível]?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Esse é um tema do Senado Federal. Categoria 02 de dezembro de 2016 [[]]