Coletiva - Posse e primeira reunião de trabalho com os novos chefes das polícias paulistas - 20122711

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Posse e primeira reunião de trabalho com os novos chefes das polícias paulistas

Local: Capital - Data: 27/11/2012

GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Olha muita alegria hoje nós estarmos aqui a posse ao novo delegado geral, Dr. Luiz Maurício Blazeck, como Delegado Geral de Polícia, e ao Coronel Benedito Meira, nosso Comandante Geral, e o Dr. Fernando Grella, ele manteve o Dr. Celso Perioli no Instituto Criminalista, e também já indicou o Dr. Costa, O Dr. Ponte, como secretário adjunto de segurança pública. Então, temos Dr. Grella, Dr. Ponte, secretário adjunto; Celso Perioli no Instituto Criminalística; Comandante Meira, Coronal Meira na Polícia Militar; e o Dr. Blazeck na Polícia Civil, equipe montada e todo o empenho redobrado no sentido de fortalecer a segurança pública. Primeira já boa notícia, o presidente da assembleia acabou de sair e já trouxe o projeto de lei da atividade delegada. Nós temos hoje dois municípios apenas, com Atividade Delegada, que é a capital e Mogi das Cruzes, e temos 123 municípios pra fazer o convênio. Então, nós estamos assinando a lei, e com esta lei já promulgada já podemos imediatamente já celebrarmos convênio com 123 municípios parceiros nesse trabalho da Atividade Delegada, e com isso nós teremos mais policiais na rua, no sentido de policiamento ostensivo, preventivo, repressivo, ajudando a população. E também já assinamos na Polícia Científica, a autorização pra nomeação de mais 33 médicos legistas, e 47 peritos criminais, então 33 médicos legistas e 47 peritos criminais. E o Dr. Grella já determinou que a perícia, tendo inclusive um prazo pra chegar nas ocorrências, rapidamente está presente a perícia e a investigação já ter trabalho imediato. Quanto mais rápido a polícia agir, maior a chance de esclarecer os crimes, maior a chance de prender os criminosos, então eles já começam, nós vamos fortalecer muito a Polícia Científica, o Instituto de Criminalística, nomeamos hoje 80 novos profissionais, mas nós vamos ampliar bastante o quadro da Polícia Científica e a rapidez desse trabalho. O Dr. Grella também vai fortalecer toda área voltada a homicídios, inclusive nós teremos a semana que vem mais 185 novos delegados de polícia para a Polícia Civil, e 137 que começarão academia, então, um total de 322 novos delegados. Então, 185 já começam a trabalhar, Dr. Grella já determinou uma força tarefa no sentido do esclarecimento e da prisão de todos esses criminosos envolvidos com o crime, e mais 137 entram na academia e daqui 90 dias eles já estarão formados. E na Polícia Militar nós teremos mais quase 960, uma nova formatura, mais 960 novos soldados da Polícia Militar pra fortalecer esse trabalho de policiamento de rua. Então, time formado, agora ao trabalho.


REPÓRTER: [ininteligível].


GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Olha, São Paulo deu avanços importantes aí ao longo última década, e sempre a necessidade de novos aperfeiçoamento, novos avanços. O Dr. Grella já começa a partir de amanhã cedo, toda manhã reunir as polícias, começar o dia reunindo as policiais, ação integrada da Polícia Civil, da Polícia Militar, presença da Polícia Científica, então muita integração desse trabalho e rapidez nos esclarecimentos e na área de inteligência.


REPÓRTER: [ininteligível].


GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: O governo federal é nosso parceiro, as operações rodoviárias elas estão em curso, a parceria na área penitenciária também está em curso, à medida que estiver necessidade de transferência elas serão divulgadas, a parceria com a Polícia Científica, nós teremos um núcleo voltado a questão da droga, a questão de identificação inclusive, do DNA da droga, o núcleo especializado que até vai poder servir outros estados brasileiros, e a agência de ação integrada na área de inteligência trocando inclusive, informações e tendo ações conjuntas no trabalho.



REPÓRTER: Governador, teve alguma influência o acordo celebrado com o governo federal em relação ao comando de todas as polícias?


GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Não, nenhuma influência.


REPÓRTER: Governador, em relação a esse trabalho integrado da Polícia Civil e militar [ininteligível], ele não vinha acontecendo?


GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Não, ele vinha acontecendo, nós já avançamos bastante, veja que o distrito da Polícia Civil e a companhia da Polícia Militar já é conjunto, o curso superior para delegado de classe especial pra tenente coronel, coronel, ele é também integrado, esse trabalho já ocorre; agora, é sempre hora de avançar mais, de nós fazermos mais, eu fico entusiasmado com a experiência, o espírito público, a capacidade de trabalho e a liderança, Dr. Grella no comando de secretaria.


REPÓRTER: [ininteligível] a perícia chegar mais cedo ao local, parece que [ininteligível].


GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Não, nós temos um conjunto de trabalhos que já estão ocorrendo e novos vão ocorrer. O que nós colocamos? Polícia Civil reforçar o time, já tomam posse 185 delegados, já tivemos quase 1.000 nomeados investigadores e escrivães, e mais 138 indo pra academia e aí é uma estratégia de segurança dirigir pra onde vão os novos delegados; o que diz o Dr. Grella, vai haver uma força-tarefa na área de investigação, a segunda, na Polícia Militar, além de todo o trabalho da polícia o comandante-geral depois vai anunciando as novas medidas, os novos programas e nós teremos mais uma formatura com quase 1.000 PMs e um grande reforço na área da polícia científica e a nesse trabalho de presença da polícia científica muito rápida.


REPÓRTER: Foi estipulado um prazo pra uma reversão desse quadro [ininteligível] segurança?


GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Olha, essa é uma tarefa permanente, permanente, você não tem uma... É pra ontem, tá todo mundo trabalhando, trabalhando com senso de urgência e empenho nessa questão.


REPÓRTER: O coordenador da Anistia Internacional disse que o Governo de São Paulo tem sido negligente no combate à violência e disse ainda também que a punição tem sido pouca aos policiais que cometem crimes eu assassinatos, o senhor considera a análise equivocada?


GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Olha, ainda há muito..., da outra vez até que fui até governador, nós aprovamos uma lei chamada Via Rápida, aperfeiçoando a lei orgânica da Polícia Civil e o regime disciplinar da Polícia Militar, então entre o ano 2000 e 2012, até agosto de 2012, nós tivemos demitidos ou expulsos, 1.795 policiais civis e 3.999 policiais militares, total 5.794; então se tem um Estado que tem Corregedoria que age, que toma providências é São Paulo.


REPÓRTER: [ininteligível] que grande parte dos policiais militares com ao recálculo que foi tirado do holerite deles e que depois essa questão da lei delegada parece que [ininteligível] considera uma bomba na nova gestão.


GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Olha, no governo anterior, foi mandado à Assembleia Legislativa, um projeto de lei estabelecendo a incorporação do ALE – Adicional do Local de Exercício e ele foi acertado, isso foi acordado e foi aprovo aprovado por lei a incorporação de em 5 anos, então 2010, 20% ao ano, 2011, 2012, 2013, 2014, isso foi o acordado, foi o pactuado, lei encaminhada à Assembleia, lei aprovada. É natural que as entidades de classe, procurem mais, procurem antecipar, procurem uma série de benefícios, é dever do governo defender a sua visão do ponto de vista jurídico, então nós estamos cumprindo rigorosamente decisão judicial, rigorosamente, estamos cumprindo decisão judicial, mas o Dr. Grella, secretário da segurança ele está aberto pra receber as entidades, ouvir as entidades e dialogar com as entidades . Muito obrigado.