Coletiva - Queda Barreira Imigrantes 20132402

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Queda Barreira Imigrantes

Local: Santos - Data: 24/02/2013

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha... Nós sobrevoamos toda a área, desde aqui da Imigrantes, que está interrompida, e nós sabemos os problemas que causa a interrupção da pista ascendente da Imigrantes, mas a prioridade é segurança. Ela só será reaberta quando se tiver segurança, em relação à questão das chuvas, para os usuários. Essa é uma pista da década de 70, inaugurada em 1976, que tem um controle feito pela concessionária, com os institutos, inclusive, em relação ao maciço aqui da Serra, mas tudo isso vai ser re-checado aí, e nós já convocamos o IPT, inclusive, para acompanhar esse trabalho. Lá embaixo, em Cubatão também, o Rio dos Pilões subiu muito, aqui as águas chegaram a 50 km/h, então a região mais afetada lá foi o Bairro da Água Fria, as famílias, inclusive, já foram desalojadas e a Secretaria da Habitação também está trabalhando para fazer que essas famílias já vão para o auxílio-habitação, auxílio-moradia e já se providencia uma nova moradia. Nos bairros-cota da Anchieta, não teve problema maior, o que mostra que o programa da Serra do Mar é um programa necessário, para não ter famílias, aqui, em área de risco.

REPÓRTER: Houve danos estruturais para os túneis, Governador?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, isso... É por isso que, em questão de horas, a pista estará livre, limpa, lavada. Por que ainda não será reaberta? Exatamente para se verificar se houve dano nas estruturas, pontes, túneis.

REPÓRTER: A vistoria está sendo feita?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: A vistoria está sendo feita, vai continuar sendo feita, então--

REPÓRTER: Não vai reabrir hoje, então, Governador?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não, a prioridade é segurança. Será reaberto o mais rápido possível, mas com segurança para os usuários. Então, verificar se não houve dano em túneis, pontes e análise do maciço aqui da Serra, para avaliar a questão de segurança.

REPÓRTER: Que informação o senhor tem sobre a mulher que morreu?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, primeiro nossa total solidariedade. Foi exatamente neste local aqui do lado, onde houve o deslizamento grande; veja que essa escada de dissipação de energia, ela tem quase... Deve ser da época da construção, isso tem mais de 30 anos. Acontece que nós tivemos, realmente, uma precipitação aqui na região fortíssima. O que nós vamos verificar? Fazer uma apuração rigorosa sobre o dever de prevenir, de evitar, se tudo foi comprido, o dever de monitorar as obras de contenção, todas as obras aqui e o dever de alertar aos usuários. Então, isso vai ser apurado pela Secretaria, pela Artesp e todo o esforço para liberar o mais rápido possível e fazê-lo com segurança.

REPÓRTER: Governador, o que muda na fiscalização, no monitoramento, tem alguma mudança já para a segurança os usuários? GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: O que se faz é uma análise geológica. Para isso o IPT já está convocado também para fazer esse trabalho.

REPÓRTER: Quando fica pronto esse trabalho?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não, isso os técnicos podem informar.

REPÓRTER: Governador, muitos motoristas reclamaram, inclusive os envolvidos no acidente diretamente, do sistema de emergência que ligavam para Ecovias e não conseguiam informações. O que o senhor tem a falar sobre isso?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, é isso que vai ser apurado, né, se o dever de prevenir, de evitar todos os procedimentos, foram cumpridos, o dever de manter as obras todas de contenção, dissipadores de energia, e o alerta aos usuários, né, o alerta aos usuários, isso tudo vai ser apurado e aprimorado.

REPÓRTER: Governador, na década de 90 houve um deslizamento no Km42.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Da Anchieta, né?

REPÓRTER: Da Anchieta, é. Como isso já aconteceu, já tinha um precedente, o senhor acha que pode ter havido alguma falha no sistema de prevenção a este tipo de ocorrência?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não. Isso é o que vai ser apurado, né? Veja que a nova pista da Imigrantes, que ela é mais em túneis e no meio da rocha, ela não teve problema, as obras mais antigas tem mais escavação, e onde tem escavação você tem maior probabilidade de ter deslizamento, e áreas que nunca tiveram. Então tudo isso vai ser analisado tecnicamente, se há necessidade de outras áreas serem monitoradas.

REPÓRTER: Governador, o senhor já sabe quem é a vítima que morreu, quem é essa moça, da onde que ela é?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Sei, a Sra. Lilian, todo nosso sentimento, nossa solidariedade, e todo o empenho, né, em verificar se os procedimentos de prevenir, de manter obras, de alertar os usuários, se eles foram tomados.

REPÓRTER: O senhor tem o sobrenome dela?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Tenho, tá aqui. Acho que é Lilian Aparecida de Souza.

REPÓRTER: O senhor sabe confirmar se ela estava grávida mesmo?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Eu não tenho essa informação. Mas aí, o Corpo de Bombeiros pode prestar as informações, tá bom? Nós fomos verificar, inclusive lá em Cubatão, porque tem um bairro chamado Água Fria, que praticamente quase todo vai ter que ser... Aliás, nós já estamos no processo de retirar famílias de área de risco, nas áreas chamados bairros cota da antiga Anchieta, grande parte das famílias já foram transferidas. Agora tá faltando lá embaixo o bairro Água Fria, então as famílias já saíram das casas, porque ficaram todas debaixo d’água, já estão em locais seguros, não houve nenhum óbito, e já entram no programa de auxílio moradia, e a CDHU já está fazendo os programas habitacionais pra gente não ter famílias em área de risco. E o programa de preservação da Serra do Mar, quer dizer, de retirar as famílias dos bairros cota tá bem adiantado, nós já temos mais de 3.000 famílias que saíram, estamos falando de 15.000 pessoas, é praticamente uma cidade nova de famílias que estavam ao longo da Anchieta, nos bairros cota, que não estão mais. Agora, o problema mais grave é Água Fria, porque fica na beira do Rio dos Pilões.

REPÓRTER: Quantas famílias foram afetadas em Água Fria?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Eu tenho impressão que deve ter... Quantas famílias ficaram desalojadas em Água Fria?

REPÓRTER: Cento e vinte.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Cento e vinte famílias. E não tem condição de voltar, porque as casas ficam na beira do rio, e o rio recebe todas essas águas da serra, é um volume muito grande e com uma força impressionante.

REPÓRTER: Por gentileza. Que o senhor reiterasse a questão de que o senhor falou que tá priorizando a segurança. Então, não tem um prazo determinado pra voltar a abertura das pistas?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não tem prazo, não tem prazo.

REPÓRTER: Queria que o senhor explicasse por quê?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: O prazo... A pista limpa ela vai tá daqui duas, duas horas tá totalmente desobstruída, ela tá desobstruída, lavada, limpa e pronta. O problema é segurança, só depois de checar os maciços, possibilidades de deslizamento, análise do IPT, é que tendo segurança a pista será liberada, pode ser hoje, pode ser amanhã, isso é uma decisão técnica.

REPÓRTER: Mas, como é um processo de cautela, obviamente deve levar mais de um dia, né? Só pra trabalhar com previsão.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Vamos aguardar esse trabalho, tá bom?

REPÓRTER: Governador, a Ecovias vai ser punida de algum jeito pelos transtornos?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Como?

REPÓRTER: A Ecovias vai ser punida pelos transtornos?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: A apuração será rigorosa, da obrigação de prevenir, da obrigação de manter as obras e de alertar aos usuários.