Coletiva - Recepção aos Campeões Olímpicos - 20121308

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva na Recepção aos Campeões Olímpicos

Local: Capital - Data: 13/08/2012


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Alegria de receber aqui na sede do Governo de São Paulo, as medalhistas olímpicas, campeãs do mundo da Olimpíada de vôlei feminino foi uma grande honra, uma grande alegria! Mostraram técnica, profissionalismo, garra, tenacidade, alegraram o Brasil todo, então foi uma... Fizemos com muita honra a homenagem da medalha do mérito esportivo, as nossas campeãs olímpicas, quero abraçar a todas abraçando a capitã do time, a Fabiana Marcelino. O José Roberto que preside a comissão técnica é o técnico responsável, aliás, três olimpíadas sucessivas, então é dizer da nossa confiança para 2016. São Paulo tinha 11 Centros de Excelência, já são 15 Centros de Excelência e vamos ampliar, ainda mais. Também teve aqui conosco o Judoca o ‘Baby’, o Rafael Silva que também foi medalhista na Olimpíada em Londres.


REPÓRTER: Governador, quanto gasta o estado de São Paulo com esporte, e eu queria que o senhor dissesse em cima desse número, o senhor fica satisfeito, gostaria de gastar mais e o que isso representa?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha! Nós temos gasto diretamente na Secretaria de Esporte do Estado, o orçamento está aqui são R$ 180 milhões, e temos gastos na Secretaria... É investimento na Secretaria da Educação, na Secretaria de Desenvolvimento Econômico, de Desenvolvimento Social e em várias outras áreas. E temos um grande trabalho junto aos nossos alunos, são 5,5 milhões de alunos que participam de todos os nossos torneios esportivos escolares, o Campeonatos Esportivos Escolares e temos Centros de Excelência passaram de 8 para 15 Centros de Excelência, aí o trabalho de alto rendimento.


REPÓRTER: Como que o senhor recebe governador, o vôlei tudo bem, tem apoio, tem patrocínio próprio, mas outros esportes que não tem o mesmo recurso consegue medalha, em relação ao futebol que é o esporte que mais gasta dinheiro, mais se cobra e menos resultado tem trazido ultimamente?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: É o futebol não foi... Não teve a medalha de ouro, mas teve a medalha de bronze... De prata! Teve a medalha de prata, o esporte é isso você ganha, perde esse é espírito esportivo, mesmo o voleibol masculino teve também a medalha de prata, quer dizer, eu acho que o Brasil está avançando é um país com quase 200 milhões de brasileiros que podem ter um resultado que vai ser, e eu tenho certeza cada vez mais crescente, mas em muitas modalidades esportivas, nós já somos hoje o melhores do mundo! Nós procuramos aqui em São Paulo através do Proac do Esporte apoiar intensidades não governamentais, entidades da sociedade civil para apoiar as mais variadas modalidades esportivas, até rugby a gente patrocina aqui através do estímulo ao esporte.


REPÓRTER: Governador posso fugir um pouquinho do assunto?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Pode!


REPÓRTER: A Assembleia está discutindo um projeto de cobrança de pedágio com cartão de crédito ou débito. Isso não vai na contra mão da ideia do estado de fazer o Ponto a Ponto, ou uma coisa não tem nada a ver com a outra?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: A modalidade de pagamento eu não vejo maior problema. A ideia é sempre facilitar a vida das pessoas. Tipo o cartão, você facilita, não vejo maior dificuldade. O que nós queremos no ponto a ponto é evitar que quem percorre um trecho pequeno da rodovia pague uma tarifa cheia. Esse é o objetivo do ponto a ponto. Deu certo na Itatiba-Jundiaí, está dando certo também, acabou de ser implantado na Rodovia Santos Dumont, então nós estamos otimistas quanto a isso.


REPÓRTER: A respeito da denúncia [ininteligível]?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, já passei há 30 minutos atrás um e-mail até o secretário da Segurança Pública, e nem precisaria, porque isso já é rotina da Secretaria, a apuração rigorosíssima. Não há nada que justifique mudança de turno, nada disso, que não haja uma ação policial imediata no caso de necessidade. Então, já está sendo apurado pela Secretaria de Segurança e pelo comando da Polícia Militar. Mas quero destacar o esforço que está fazendo a polícia. Nós temos quase cem mil policiais militares diuturnamente, 24 horas, trabalhando para proteger a população.


REPÓRTER: [ininteligível] porque a escola há quase um ano, as obras não acabam nunca, as crianças já estão [ininteligível], e a gente gostaria de uma resposta do senhor sobre essa situação.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós já verificamos esse caso, nós temos 5.100 escolas no estado de São Paulo, mais de 5 milhões de alunos. Quase todas elas sendo reformadas, ampliadas, melhoradas pela FDE. Nessa escola especificamente a empresa fez uma obra, a FDE não aprovou, exigiu que a obra fosse refeita, e ela está sendo refeita, sem nenhuma despesa para o governo. Então, o governo é que exigiu, por isso entrou no período das aulas agora de agosto, mas que a obra fique bem feita, o que é dever da FDE na sua fiscalização. E as empresas que causam problema, vão para um cadastro da FDE para não participarem mais de licitação. Agora são mais de 5 mil escolas e as obras são exatamente para a escola ficar nas melhores condições para atender aos alunos.


REPÓRTER: Com relação ao prazo, governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O prazo, ele será… Ele pode lhe passar depois pela direção da FDE o prazo exato. Será o mínimo necessário para terminar a obra.


REPÓRTER: Obrigado, pessoal.


REPÓRTER: O senhor tem defendido muito ultimamente o maior vigor para menor idade também. Acho isso bacana porque eu estou achando que tem muita gente defendendo bandido aí. O senhor acha que o esporte ainda continua sendo o melhor caminho?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Bom, e defendo sim que nós tenhamos para... Duas mudanças importantes na questão da criança e do adolescente. Uma mudança é acabar com essa história de que não pode passar de três anos e sair com ficha limpa. Não. Casos graves, de latrocínio, homicídio esse prazo poderá ser maior, quatro, cinco, seis, oito anos, enfim, um prazo mais longo. E segundo, completou 18 anos não é mais criança nem adolescente não fica mais na Fundação Casa. Hoje até 20 anos e 11 meses fica, no mundo inteiro quando completa 18 anos a justiça diz, olha, pode sair, então sai, se não pode vai para o sistema prisional em área separada, não mistura com os demais presos, mas não fica na Fundação Casa. E aqui quero destacar o que se chama de prevenção primária. Nós além do trabalho de polícia repressiva, polícia preventiva, polícia na rua, temos que agir da questão social e, principalmente, trabalhando com jovens nas áreas de vulnerabilidade juvenil. Por isso nós fizemos as fábricas de cultura exatamente nessas áreas da Região Metropolitana de maior vulnerabilidade juvenil. E o esporte é o grande caminho para educar, não é, que vem de duco do latim que quer dizer se conduzir em sociedade, disciplina, trabalhar em equipe, saber ganhar, saber perder, praticar atividade esportiva, melhorar a sua saúde, a autoestima do jovem, então tudo de bom, não é? Melhora a educação, melhora a área social, melhora a área do combate à violência, afasta das drogas, então é o bom caminho, caminho do esporte. E a Olimpíada ela tem essa emulação, ela fala ao imaginário de toda a população do mundo, fala às crianças, aos jovens estimulando a atividade esportiva.