Coletiva - Reunião com Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles 20162511

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Reunião com Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles

Local: [[]] - Data:Novembro 25/11/2016

REPÓRTER: O que o senhor achou em relação ao ministro Geddel, o presidente Temer? O senhor acha que eles devem explicações? Que o ministro deve ficar no governo?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, primeiro em relação à vinda aqui ao Ministério da Fazenda. Nós transmitimos ao ministro Henrique Meirelles nosso total apoio às reformas, reformas estruturantes necessárias para o país poder retomar, sair dessa espiral recessiva, retomar o crescimento, gerar emprego, renda e trabalho. Depois, a nossa pauta foi uma conversa sobre obras no Estado de São Paulo, como o Rodoanel, obras de Metrô que nós já temos financiamento, mas precisamos de alterações só de escopo, o que é parte do financiamento Linha 5, pode utilizar na Linha 4, enfim, não altera o valor original do contrato e foi uma boa conversa. E também colocamos, no que se refere a situação de São Paulo, a discussão do rating, porque nós temos por toda as empresas privadas, Standard e Poor's, 'Guds', o próprio BNDES um rating b, e a 'Capag' nós temos um rating c. Então, vai ser feito uma audiência pública uma rediscussão em relação aos ratings. Em relação--

REPÓRTER: Tem alguma previsão de resultado para essa reavaliação do rating em São Paulo?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não só de São Paulo, mas eles vão abrir, o Ministério de Fazenda deve abrir uma audiência pública para rediscutir os ratings de maneira mais ampla. Então, isso deve acontecer agora em dezembro ou janeiro, já convocar audiência pública em dezembro e fazer os estudos a partir de janeiro. São Paulo está rigorosamente em dia, pessoal, fornecedores, financiamentos, rigorosamente em dia.

REPÓRTER: Ontem, o 'Cemenea' anunciou aquela abertura de espaço fiscal para os estados pegarem novo empréstimos, né? São Paulo não tem o rating suficiente. Então, o senhor espera que essas mudanças permitam que São Paulo possa pegar esses novos empréstimos?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Exatamente. E eu defendo os novos financiamentos, por quê? O que pode hoje ajudar a segurar o emprego é infraestrutura, construção civil gera muito emprego. Uma obra em São Paulo, a Linha 5 do Metrô, ela tem hoje 5.600 empregos diretos registrados, fora os empregos indiretos. Então, eu defendo, sim, investimento em infraestrutura, saneamento básico, logística, construção civil, importante para segurar o emprego. Em relação à sua pergunta. Esse é um tema da área federal e o Governo Federal vai encaminhá-lo corretamente. Cabe aqui ao governo avaliar, tá bom?

REPÓRTER: Agora, se houver alguma gravação do governo do presidente, do fica uma situação delicada, governador?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Acho que a gente não deve comentar especulação, tá bom?

REPÓRTER: Tá bom. Obrigado. Categoria 25 de novembro de 2016 [[]]