Coletiva - Reunião para discutir prevenção e combate a assaltos em bares e restaurantes - 20121206

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva na Reunião para discutir prevenção e combate a assaltos em bares e restaurantes

Local: Capital - Data: 12/06/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós tivemos uma reunião muito proveitosa com as entidades dos empresários da área de restaurantes, bares e similares, e também dos trabalhadores; e também da região, da Sociedade Amigos de Bairro da comunidade, na região do Itaim; e com o secretário da Segurança Pública, delegado-geral, comandante-geral da Polícia Militar, medidas imediatas para hoje, só para hoje, Dia dos Namorados, mas, além dos 3,5 mil policiais militares na rua até a madrugada, nós teremos também em São Paulo..., além das 942 viaturas, então nós temos 3,5 mil policiais militares, 942 viaturas e um reforço que nós estamos colocando de mais 390 policiais militares, 215 viaturas e 70 motos. É ROCAM, ROTA, GOE, GARRA, Força Tática, todo mundo aí trabalhando. Medida de hoje, para o Dia dos Namorados. E nós vamos fazer esse trabalho permanentemente, então, uma reunião que fizemos com o setor, nós estabelecemos quatro estratégias. A primeira é de prevenção primária. O quê que é a prevenção primária? Por exemplo, iluminar fortemente as entradas dos restaurantes. Ser bem iluminado, o local bem visível, ostensivo, bem iluminado. Então, tem várias medidas de prevenção primária: botão de alarme do pânico, enfim, você tem aí um conjunto de medidas. Primeiro a prevenção primária. Segunda: ações de polícia. Então, uma série de estratégias foram, aqui, estabelecida, discutidas, de ações policiais. Terceiro: Vizinhança solidária. Amanhã tem uma reunião na Secretaria de Segurança Pública, vai se estabelecer esse modelo de vizinhança solidária que o comandante-geral implementou quando foi comandante no ABC, em Santo André, e deu excelentes resultados. Ou seja, envolver a comunidade, nós queremos toda comunidade participando, ajudando no seu bairro, na sua rua, na vizinhança, no sentido de maior segurança pública. A quarta é investigação e solução rápida de crime. 70% desses crimes de restaurantes estão esclarecidos, a maioria já está presa, outros já estão esclarecidos e vão ser presos rapidamente. Nessa questão da investigação, nós incluímos também no nosso debate a questão dos receptadores. Porque hoje pouco dinheiro é roubado. É tudo cartão, então dinheiro se leva muito pouco, é mais relógio, joia, notebook, celular. Então, quem são os receptadores? Então nós discutimos aqui ter uma denúncia anônima na questão dos receptadores, uma conversa até com o Instituto de São Paulo contra a violência, que tem o telefone, não é, da denúncia, para gente ter essa denúncia e nós vamos para cima dos receptadores, quem está pegando coisa roubada para vendê-la, não é? Então quatro estratégias: a prevenção primária, as ações da polícia, a investigação rápida, avisar rapidamente a polícia, não demorar, a notificação ser imediata nesse trabalho.


REPÓRTER: Esse efetivo, governador, vai ser mantido...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Esse efetivo são para dias especiais. Mas nós vamos, nós estamos trabalhando para ter até o final do ano, chegar muito próximo de sete mil policiais militares a mais, mas é óbvio que esse efetivo é no dia de hoje, mas sempre que necessário nós vamos ter um reforço e estratégias policiais permanentes.


REPÓRTER: Eu não entendi, governador, até o fim do ano o senhor pretende deixar definitivamente nas ruas sete mil policiais?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós pretendemos ter sete mil policiais a mais nas ruas do estado de São Paulo.


REPÓRTER: Ah, no estado?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: No estado. Você sempre pode colocar a metade na região metropolitana.


REPÓRTER: Governador, nessa prevenção primária que o senhor falou, essa questão da iluminação vai ser feita pelos estabelecimentos ou pelo Governo?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Pelos estabelecimentos. É a frente da entrada do restaurante, a frente do restaurante onde fica ali, chega o carro, as pessoas, se identificam, enfim, ser feericamente iluminada. Eu dei um exemplo de prevenção primária, mas você tem outros exemplos de prevenção primeira. Até foi discutido uma cartilha, o próprio setor fez a cartilha que vai ser aperfeiçoada pela polícia como uma série de recomendações de prevenção primária.


REPÓRTER: Agora, governador, muitos assaltos aconteceram a quinhentos metros de postos policiais, isso é uma forma, dá para se traduzir como os bandidos estarem debochando da polícia, estarem desafiando a polícia? Como é que se lê isso, essa proximidade?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O que é importante, né, vamos dar outro exemplo até de prevenção primária: câmeras de vídeo. Se você tem câmeras de vídeo permanente e guardando imagem, você identifica, não é? Quer dizer, um outro exemplo aí de prevenção primária. A outra, a polícia rapidamente ser notificada.


REPÓRTER: Mas e o fato de ser próximo aos batalhões, às delegacias?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, polícia da rua, polícia preventiva e ostensiva, não é? Nós temos, na Região Metropolitana, só aqui na Grande São Paulo, 70 mil estabelecimentos. Hotéis, bares e restaurantes similares. Setenta mil. Então, é preciso ter uma ação articulada entre todos. Porque em algum momento você não vai ter polícia na porta do estabelecimento. Então, é preciso ter uma ação articulada. Inclusive, quem tem segurança, essa segurança privada, ela é muito idônea, muito séria, muito preparada para poder trabalhar, mas eu vou pedir.


REPÓRTER: [Ininteligível].


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Mas eu vou pedir, não, o estado tem a responsabilidade, mas a ação articulada faz toda a diferença. Eu vou pedir ao Ferreira Pinto, o delegado-geral, o comandante, complementar aí as informações. E o setor privado.


REPÓRTER: Já foi identificada alguma quadrilha? É uma quadrilha só? São várias quadrilhas? São menores?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O delegado-geral pode explicitar melhor, tá bom?


REPÓRTER: Governador, governador. Só mais uma questão. A figura do governador em uma situação como essa. Do delegado-geral, do comandante da Polícia Militar, o secretário de segurança, para tratar de um problema específico de restaurantes em bairros da capital. Por que essa necessidade, governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós temos que estar permanentemente trabalhando. Isso aqui é uma, eu sempre digo, é uma guerra que você tem que vencer batalha todo dia. Vai para cima. Aí escapa do outro lado. Você vai para cima. Nós tivemos uma reunião aqui há uns meses atrás com todo o setor dos táxis de São Paulo. Taxistas, entidades, discutimos estratégia. Eles trouxeram experiência. É ouvir. Ouvir. Ouvir a reclamação, ouvir sugestão, ponderação, ideias, quem vive os problemas. Então, é uma tarefa importante. Eu não tenho dúvida que isso aqui vai ser equacionado. Agora, tem que estar 24 horas trabalhando.


REPÓRTER: Governador, esses quatro pontos são suficientes para equacionar a situação?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Ah, sim. Isso é uma estratégia. É claro que pode ter 10, 15, mas estrategicamente, quer dizer, no sentido de estabelecer grandes metas, essas são as principais. Quer dizer, a primeira prevenção primaria, que pode ter 20 itens de prevenção primária. Aliás, nós elencamos todas essas prevenções primárias. A questão das ações da polícia, né? A presença policial nas ruas. A vizinhança solidária, que é um programa que nós pretendemos implantar. Amanhã já tem a primeira reunião para esse trabalho. E a investigação e solução rápida. E aí vamos incluir nesse trabalho os receptadores. Não está roubando dinheiro, porque hoje em dia o estabelecimento é tudo cartão. Não tem dinheiro vivo, é eletrônico. Então, estão levando materiais, que depois são vendidos. Vendidos para quem? Então, nós vamos fazer um trabalho junto com a questão da denúncia anônima, para ir para cima dos receptadores também.


REPÓRTER: Governador, me permita abrir um parênteses. O PSB resolveu apoiar o Haddad na campanha da Prefeitura. Como é que o PSDB vai fazer e qual vai ser a estratégia do PSDB para garantir mais tempo na televisão para o seu candidato?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, o PSDB já tem o nosso candidato, pré-candidato, vai ser candidato depois da convenção. Ele já te um arco de alianças importante, né? PSDB, Democratas, PSD, PV, PR, já tem um arco de aliança importante, tá bom?