Coletiva - São Paulo começa a vacinar as primeiras comunidades quilombolas no Brasil 20212301

De Infogov São Paulo
Revisão de 20h18min de 30 de janeiro de 2021 por Fincatibianca (discussão | contribs)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - São Paulo começa a vacinar as primeiras comunidades quilombolas no Brasil 20212301

Local: Registro - Data: Janeiro 23/01/2021

Soundcloud

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Então nós vamos abrir aqui uma pergunta do Fagner Vieira que é do Portal Registro Diário. Sempre nós estamos gravando também aqui para a TV Tribuna, que é TV Globo, a TV Tribunal de Santos de todo o litoral, pra TV Bandeirantes, pro SBT, pra TV Record e Record News, e também para a Globo News e para a CNN Brasil. Todos estão participando com uma câmera pra facilitar, e um áudio pra facilitar a distribuição. Então muito obrigado aos técnicos e jornalistas das emissoras que eu acabo de mencionar. Fagner Vieira, do Portal Registro Diário. Sua pergunta, por favor.

FAGNER VIEIRA, REPÓRTER: Bom dia, governador.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom dia.

FAGNER VIEIRA, REPÓRTER: Foi anunciado a volta das aulas agora para o dia 8, né, previsto a volta às aulas presenciais no estado. Queria saber se existe algum plano de imunização para os profissionais da educação. Emendar numa outra pergunta aqui também. A gente está acompanhando a crise em Manaus e acompanhamos também ontem a um anúncio do Plano São Paulo que enrijeceu aí algumas regras. A gente quer saber se o estado de São Paulo está preparado no caso de uma crise em questão de leitos de oxigênio. E acompanhamos também a liberação da Anvisa. Como é que está a questão das doses, a liberação das doses aí nos municípios. [ininteligível] Vale do Ribeira e no estado de São Paulo também.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Fagner, vamos responder sim. Vou pedir a ajuda do Marco Vinholi pra esta aqui ao nosso lado. Primeiro no tema da Anvisa, a Anvisa liberou sexta-feira uma nova... uma nova autorização para as vacinas do Instituto Butantan, em menos de dez minutos após a autorização da Anvisa anunciada ontem por volta das 16h, em dez minutos nós já estávamos fazendo o primeiro carregamento de vacinas do Butantan para o Ministério da Saúde, 900 mil doses já foram entregues ontem para o Ministério da Saúde. Nós não perdemos tempo, nós ganhamos tempo para salvar vidas. Toda vida importa, todo minuto, toda hora e todo dia também. Quanto mais rápido vacinarmos, melhor. Plano São Paulo. Muito importante que haja compreensão do programa denominado Plano São Paulo para proteger vidas. Esta região, região aqui do Vale do Ribeira está agora na fase laranja que é uma fase restritiva, e é muito importante, aproveitando a presença de prefeitos, prefeitas, de vereadores, representantes de comunidades, e também aqueles que estão nos assistindo, ouvindo, ou vão nos ver e que representam setores de comércio, serviços, bares, restaurantes, padarias. Compreendam que tudo isso é feito pra proteger a vida deles, dos seus funcionários e dos seus clientes. Sem vida não há economia, não há economia que prospere diante de um ar de morte. Nós precisamos ter vida, vida saudável e a recuperação dessas pessoas para termos a volta da normalidade da economia de São Paulo e do Brasil. E aqui em São Paulo nós seguimos rigorosamente a orientação do centro de contingência do Covid-19. Aqui nós obedecemos a ciência, respeitamos a saúde e principalmente respeitamos a vida. A vida é o bem mais importante que todos nós temos. [aplausos]

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: E vou pedir, em relação à primeira pergunta você quer repetir ou você lembra? Ok.

FAGNER VIEIRA, REPÓRTER: Profissionais de educação.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Isso, da educação. Ok. Vinholi. Silêncio, por favor.

MARCO VINHOLI, SECRETÁRIO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO: É importante dizer que a premissa básica do governador Doria desde o início da pandemia que não faltasse nada [ininteligível] da população. Diversas vezes aqui [ininteligível] aumentamos leitos de UTI no Hospital Adventista, nós fizemos no final do ano, conhecimento de novas [ininteligível] pra todos os municípios da região, e diariamente nós aplicamos esses índices. Agora nós tivemos uma alta de casos na região, por isso nós estamos na fase laranja aqui, eu tenho certeza que os prefeitos [ininteligível] vão respeitar [ininteligível] com a gente esse combate ao Coronavírus. Nós estamos garantindo os insumos, garantindo os leitos de UTI, mas é fundamental que a população se conscientize da necessidade de respeitar essas restrições do Plano São Paulo. [ininteligível] nós tivemos o acompanhamento direto do avanço da pandemia no estado de São Paulo, a saúde e a educação trabalham em conjunto, por isso essas novas regras. Nós estamos priorizando nesse primeiro momento os profissionais de saúde e as comunidades mais vulneráveis como hoje aqui, primeira comunidade quilombola do Brasil a ser vacinada. De acordo com a faixa etária a sequência mudou de classificação. Nós vamos seguir com essa sequência e produzindo mais vacinas pra São Paulo e pro Brasil.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Marco Vinholi. Portanto, em breve, estaremos vacinando também, professoras e professores, e também as pessoas portadoras de deficiência. Tudo isso está no planejamento do Plano Estadual de Imunização. Nós precisamos é de mais vacinas, não apenas a vacina do Butantan que foi viabilizada graças ao esforço do estado de São Paulo. Os brasileiros de São Paulo hoje estão vacinando os brasileiros de todo o Brasil, mas nós precisamos de mais vacinas, mais vacinas da Astrazeneca, mais vacinas da Moderna, mais vacinas da Pfizer, outras vacinas que possam ser adquiridas pelo Ministério da Saúde e disponibilizadas para a população. E a liberação dos insumos que estão na China é pra vacina do Butantan quanto pra vacina da Fiocruz. Vamos agora, pra encerrar, com o Cabral do SBT. Cabral, bom dia. Obrigado por você ter vindo. Sua pergunta, por favor. Prazer em revê-lo.

CABRAL, REPÓRTER: Vim de lá até aqui só pra poder acompanhar.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado.

CABRAL, REPÓRTER: Governador, eu gostaria de saber, o senhor acabou de falar em relação aos insumos. Há uma previsão correta, nós sabemos do esforço que o governo de São Paulo, há alguma expectativa da chegada? Quantas vacinas ainda há no Butantan, havendo essa liberação? Pra gente se sentir um pouco mais aliviado. Nós sabemos do esforço do governo de São Paulo, mas eu gostaria de saber a sua opinião, governador, como está essa briga aí pra poder trazer essa vacina pra nós.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Cabral. É, de fato, é a luta pela vacina que é a luta pela vida. Ontem nós entregamos já ao Ministério da Saúde mais 900 mil doses da vacina do Butantan. A vacina do Brasil, a vacina da vida. Temos mais 3,1 milhões de doses no Butantan em envase para a entrega muito em breve já na semana que vem para os brasileiros de São Paulo e os brasileiros de todo o país. No total, 11,8 milhões de doses da vacina do Butantan, em solo brasileiro. E agora, vamos aguardar a chegada de mais insumos na próxima semana, essa é a nossa boa expectativa para a produção de mais vacinas. Lembrando que sempre cada lote precisará ter a autorização da Anvisa para o seu envase. Mas eu tenho segurança que a Anvisa tem dado demonstrações de independência, agilidade, e fará essa aprovação de forma muito breve, muito célere como já fez esta semana. E esperar também outras vacinas. Volto a repetir, o Brasil precisa de muitas vacinas, lembrando que são duas doses da vacina pra cada brasileiro. Então, vamos cobrar e desejar que o Ministério da Saúde possa trazer mais vacinas pra mais brasileiros em todo o Brasil, assim como disponibilizar seringas, agulhas e boas equipes como estamos fazendo aqui em São Paulo. Aqui tudo foi feito com planejamento e com antecedência. Quero repetir que desde setembro, nós já temos o Programa de Imunização pronto com seringas, com agulhas, com aventais, com máscaras, com os insumos, o álcool, o álcool gel, [ininteligível]. E agora com as vacinas também pelas quais estamos lutando desde maio, desde o início de maio deste ano nós firmamos o acordo com o laboratório Sinovac. Então eu quero agora neste encerramento pra poder liberar essa área e evitar aglomerações, quero que todos compreendam que não é bom estarmos aglomerados, ainda que momentaneamente, ainda que com máscaras, pra que a vacinação possa continuar ocorrendo com calma e com eficiência. Mas eu quero aqui ao final, vou afastar aqui um pouquinho o púlpito pra lá, porque nós vamos fazer mais uma fotografia com esses que são os primeiros quilombolas vacinados no Brasil. Isso é muito importante porque é uma representação significativa. O Plano Nacional de Imunização chamado PNI, excluiu os quilombolas. Eu não vou aqui discutir nem vou entrar no mérito, nem fazer críticas, apenas dizer que em São Paulo nós estamos vacinando os quilombolas.