Coletiva - SP amplia programa Poupatempo de 75 para 340 unidades e investe em serviços digitais 20201208

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - SP amplia programa Poupatempo de 75 para 340 unidades e investe em serviços digitais 20201208

Local: Capital - Data: Agosto 12/08/2020

Soundcloud

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom, muito boa tarde, a todos e à todas. Queria agradecer a presença de todos os jornalistas, os veículos de imprensa aqui presentes. Agradecer a presença da nossa equipe de trabalho, os nossos secretários aqui presentes. E trazer em primeira mão uma notícia em nome do nosso governador João Doria, que acaba de receber a informação que testou positivo para o Coronavírus. O governador João Doria está assintomático, mas como o protocolo determina, cumprirá agora o isolamento nos próximos dias em sua casa, e todos nós pedimos para que ele possa continuar assintomático, e logo-logo retornar ao trabalho. Nesses próximos dias eu estarei aqui na condição de vice-governador transmitindo as mensagens do nosso governador João Doria, junto com a nossa equipe de trabalho, dando continuidade a todos os projetos e a todos os trabalhos do governo de São Paulo. O governador João Doria nesse momento não pedirá a licença do cargo, porque não vemos nenhuma necessidade, e da sua casa, com os mecanismos de comunicação hoje, continuará dando as orientações para a sua equipe de trabalho, e também para a figura do vice-governador. Hoje nós temos dois anúncios a serem feitos aqui na nossa coletiva de imprensa, o primeiro deles, que diz respeito à ampliação do programa Poupatempo, de 75 unidades para 340 unidades no estado de São Paulo. É a maior expansão do Poupate mpo nos seus 23 anos de história. O número de unidades presenciais existentes, portanto, crescerão quatro vezes nos próximos dois anos, até o final do nosso governo. Para expandir o programa nessa dimensão, nós estamos unificando o DETRAN junto ao Poupatempo, a partir de agora o DETRAN e Poupatempo são um único local de atendimento ao público, e essas unidades serão transformadas em postos presenciais do Poupatempo ao longo dos próximos dois anos. Nessas nossas unidades nós vamos manter todos os serviços prestados pelo Departamento de Trânsito, e incorporar outros serviços prestados hoje pelo Poupatempo. No total, essas unidades prestarão mais de 133 tipos de serviços à população de São Paulo. Junto à essa expansão, que ela é sem precedentes, o Poupatempo continua o seu processo de digitalizaç&ati lde;o, para que o Poupatempo esteja no tablet, no celular de cada um dos paulistas. No início de 2019, quando assumimos o governo, nós tínhamos sete serviços digitais no portal online do Poupatempo, nesses 18 meses de governo multiplicamos isso em mais de dez vezes, e hoje nós prestamos cerca de 82 serviços digitais pelo APP do Poupatempo. Estamos facilitando, integrando, desburocratizando a vida de quem é usuário desses serviços públicos. E a notícia também de hoje, é que o atendimento presencial nos postos do Poupatempo, que foram fechados durante a pandemia, será retomada a partir do dia 19 de agosto. Portanto, na semana que vem, na quarta-feira, nós reabriremos naquelas cidades da fase laranja e da fase amarela os postos do Poupatempo, e ele já serão abertos dentro desse novo modelo, incorporando os serviços do DETRAN nesses postos do Poupatempo. Portanto, essa abertura no dia 19 ela respeita todos os protocolos sanitários, que a gente assinou com os setores produtivos de São Paulo, respeitando a capacidade de atendimento, o horário de atendimento, e as fases do plano São Paulo. Então é a primeira notícia técnica aqui do dia de hoje, a integração do Poupatempo com o DETRAN em todo o estado de São Paulo. E a segunda informação sobre a estratégia do nosso plano São Paulo, e do governo de São Paulo no enfrentamento ao combate ao Coronavírus, a notícia é que agora nós vamos ampliar para mais de 120 municípios o sistema de monitoramento de contatos e de pessoas infectadas pelo Coronavírus. A partir de segunda-feira, em um trabalho articulado pelo nosso secretário Marco Vinholi, junto com a nossa equipe do centro de contingência, nós começaremos em 120 municípios esse programa de monitorar o indivíduo infectado essas pessoas que tiveram contato com esses indivíduos. A propagação que já é esse programa, que está em atividade em alguns municípios, o governador João Doria anunciou isso há algumas semanas atrás, como Araraquara, São Bernardo do Campo, Bauru, ele é considerado por especialistas uma estratégia essencial para o controle da propagação da pandemia. Estamos levando, portanto, essa experiência que começou em São Bernardo, Bauru, e Araraquara, para mais de 120 cidades, a partir de segunda-feira, e esse programa, nessas cidades que nós tivemos como experiência piloto. E também nos outros países do mundo que aplicaram essa estratégia, eles têm se demonstrado muito eficaz no controle da pandemia. Portanto, o governo vai ampliar o rastrea mento de infectados e seus contatos, através de uma plataforma tecnológica, de um aplicativo, que vai centralizar todas as informações, e essas informações são estratégicas para que a Secretaria de Saúde, o conjunto do atendimento à saúde dos municípios possam lidar com a revolução da epidemia. Essa iniciativa também vai garantir muito maior agilidade na identificação dos casos pela rede municipal de atenção básica. E também ela está linkada às estratégias de vigilância sanitária de cada uma das cidades que participam desse programa. Volto a dizer, saímos de quatro cidades para 120 municípios espalhados pelo interior de São Paulo, que, com certeza, a partir desse anúncio vão buscar a adesão cada vez maior à essa estratégia de combate ao Coron avírus. Portanto, o objetivo ele é promover o isolamento dos infectados, e de pessoas que tiveram contato com esses infectos de maneira rápida, para que você evite a circulação do vírus. Então com esses dois anúncios e a informação de que o nosso governador João Doria foi testado positivo para o Coronavírus, e graças a Deus está assintomático, mas cumpre o protocolo agora de isolamento social na sua residência, nós passaremos então para a oitiva dos nossos secretários e da nossa equipe de trabalho, que vão detalhar um pouco as informações que foram passadas aqui por mim. Portanto, eu quero nesse momento passar a palavra ao presidente do DETRAN, Ernesto Mascellani Neto, que vai detalhar essa junção do DETRAN e do Poupatempo, que a partir de 19 de agosto estarão funcionando no estado de São Pa ulo.

ERNESTO MASCELLANI NETO, PRESIDENTE DO DETRAN: Bom, boa tarde, vice-governador. Boa tarde, secretários. Boa tarde, jornalistas. É um prazer estar aqui hoje com vocês. A gente vai tratar um pouco de um processo de transformação digital que começa muito pautado pelo nosso governador João Doria, que escolheu isso como prioridade, a quem eu mando um abraço nesse momento aí que está começando a cumprir aí a sua quarentena. A nossa proposta é que a gente vá muito além do digital, é trazer um olhar 360 para a jornada do consumidor público. Isso nós estamos falando de o estado ser proativo, de a gente entender qual é essa jornada, e de melhorar muito a experiência desse usuário ao utilizar esses serviços públicos. Isso vem muito alinhado com a Prodesp, a quem eu quero cumprimentar o presidente da Prodesp, André Arruda que está aqui. E com as premissas muito claras, é a premissa de ser menos burocrático, isso o nosso vice-governador tem acompanhado aí constantemente, para que a gente tenha essas condições. É economizar para o cidadão, é estar mais próximo desse cidadão, ser muito mais resolutivo, a nossa expectativa é que ao final da jornada, da demanda desse serviço, seja no aplicativo, seja no portal, esse serviço seja resolvido. E incluir esse cidadão em tudo aquilo que é oferecido, ser muito mais ágil, integrar as iniciativas do governo do estado, e integrar essa oferta de serviços, e esse anúncio hoje da integração de DETRAN e Poupatempo, é nesse espírito, vem nesse sentido. E acima de tudo, facilitar para que esse cidadão utilize e demande esses serviços públicos. No final do dia, o que nós estamo s é empoderando o cidadão para que resolva as suas demandas 24 horas por dia, sete dias da semana no conforto da sua casa. Nós aqui, para o novo normal, entendemos que vai haver uma queda muito grande na demanda por serviços presenciais, hoje a gente tem aí, por exemplo, o CRLV, que é o documento do veículo, que representava 44% dos atendimentos do DETRAN, hoje ele é só digital, então não demanda mais que essas pessoas se dirijam até as unidades. A transferência de veículos, hoje ela pode ser feita de forma não presencial. A renovação da CNH, também não demanda que o cidadão vá até a nossa unidade, ele simplesmente agenda o médico e vai até esse médico para fazer essa renovação. Então, portanto, nós entendemos que esses serviços devem ser muito mais eficientes, e trazer muito mais qualidade na experiência desse usuário. Nós saímos de 2019 de sete serviços digitais no Poupatempo, a gente chega em 82 serviços agora em agosto, e nós vamos até o final dessa gestão, oferecer 242 serviços digitais em um único canal. É tudo em um lugar só, é tudo com o padrão Poupatempo que todos nós conhecemos, e que o cidadão de São Paulo reconhece como serviço de excelência. Então, portanto, o DETRAN ao se integrar, tanto ao Poupatempo físico, quanto o digital, tem a expectativa de atender melhor, e de ser muito mais eficiente nesse relacionamento. Importante destacar que cada uma dessas 340 unidades que o Rodrigo Garcia comentou aqui, serão avaliadas, serão na medida certa, serão dimensionadas para cada um desses municípios que a gente faz esse processo de transição ao longo dessa gestão. A gente vai oferecer muito mais serviços, hoje as unidades do DETRAN disponibilizam 72 serviços diferentes, com a virada disso para o Poupatempo a gente já de cara sai de 72 para 133 serviços. E sai de 75 para 340 unidades. Então, portanto, com o viés do cidadão a gente oferece muito mais, a gente está muito mais próximo, e a gente, com certeza, vai trazer muito mais satisfação. E em relação à reabertura, a gente tem um planejamento de reabertura, ela está inicialmente pautada pela nossa capacidade de integração dessas operações. Então em 19 de agosto a nossa expectativa é que 260 cidades podem ter a reabertura autorizada, isso sempre vinculado ao plano São Paulo, então cidades que estão no amarelo e no laranja, cidades que estão no vermelho, automaticamente a gente altera es sa data de reabertura. A capacidade de atendimento será de 30%, ou seja, a gente reduz essa capacidade para que não tenham aglomeração. A gente vai fazer a contagem dessas pessoas que estão dentro da unidade, para que a gente não tenha aglomeração. E ao longo dessa gestação a gente vai adaptando essas Siretrans, essas unidades do DETRAN que viram Poupatempo, que chegará a 340. Acho que é isso, governador, muito obrigado.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Neto. Vamos ouvir agora o nosso secretário de Saúde, o doutor Jean Gorinchteyn.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO: Boa tarde. Boa tarde, a todos. Vice-governador Rodrigo Garcia, secretários, todos aqui presentes. O estado de São Paulo teve um aumento do monitoramento e do isolamento, especialmente agora em relação a pacientes, e mais especificamente seus contactantes, para mais de 120 municípios do estado de São Paulo. O programa ele vai ser fundamental no combate à pandemia, com a identificação mais precoce, e o isolamento dos pacientes, bem como de todos os seus contactantes. Conseguindo dessa forma, impedir e diminuir mais do que isso, a progressão da doença em formas graves, principalmente naquela população vulnerável, composta por idosos, pacientes portadores de doenças crônicas, que são merecedores de atenção especial. Mas lembramos que essa monitorização vai acabar acontecendo para todos aqueles que são os contactantes. Esse programa ele já vem ocorrendo há três meses de forma manual, com quatro municípios, como dito pelo vice-governador Rodrigo Garcia, de forma quase que heroica pela vigilância, e também pela municipalidade na atenção básica, e agora ganhará uma ferramenta muito mais tecnológica, e um suporte remoto, que padronizarão a atenção e assistência desses casos. Portanto, essa integração unificada dos municípios farão uma gestão, principalmente desses contactantes, promovendo um rastreio e monitoramento muito mais rápido. Isso provou ser bastante eficaz para a diminuição da progressão de doença em vários países, especialmente da Europa, e seguramente será um instrumento bastante importante para nós també m aqui no Estado de São Paulo. O objetivo, portanto, é diagnosticar de forma muito mais rápida esses infectados, bem como também todos os seus contactantes, ajudando no combate da pandemia. A boa notícia de hoje: o número de internações diminuiu 6% na média móvel, na quarta semana consecutiva, e na terceira semana também epidemiológica, apresentando queda nas internações. Para ter uma ideia, na capital nós tivemos uma queda de cerca de 5,9% da internação, com uma ocupação inclusive de 60% da ocupação nas unidades de terapia intensiva. Na região metropolitana, tivemos uma queda de 6,12%, e no interior também queda, mais pronunciada, de 7,18%. Isso é importante, porque nós temos um programa, que vem acontecendo especialmente na testagem, nos controles, e por outro lado a outra ponta fazendo com aparelhame nto do sistema de saúde, visando exatamente isso, para que a gente possa diagnosticar mais, de formas mais leves, evitando as internações que vinham ganhando cifras aumentadas, pelo menos há um mês atrás. Nos novos casos, nós tivemos, na capital, queda de casos de 33,9%, na região metropolitana, de 9,18%, e no interior uma queda de 3,8%. Quero desejar pronto restabelecimento ao governador João Doria, acometido pela Covid-19, e lembro que a política de testagem dos contactantes aqui também será feito, garantindo a identificação, mesmo daqueles portadores assintomáticos. Todas as pessoas que tiveram contato por mais de 15 minutos e com distanciamento menor do que um metro, já foram afastadas, além da própria pesquisa que será realizada a essas pessoas, e que iniciarão, o governador iniciará o isolamento. Aquelas que tiveram esses asp ectos de distanciamento ou um contato maior do que 15 minutos serão então mantidas em quarentena até o resultado final dos exames. Lembro que, incluindo aqui estão alguns secretários e secretárias, como a secretária Patrícia Ellen, do Desenvolvimento Econômico, que foi orientada a manter-se em quarentena até o resultado do exame. Os dados de hoje: Nós tivemos em São Paulo 25.869 óbitos, com casos, 655.181 casos, mantendo aquela taxa de ocupação em unidades de terapia intensiva, menores do que 60%, 58% no estado, a Grande São Paulo, como disse, 57%. Próximo. Hoje, conforme disse, total de casos de 15.619 casos, 71%... Isso é importante, que nós estamos vindo de forma crescente, fazendo o diagnóstico a partir do PCR, ou seja, é a identificação do vírus, e as outras metodologias continuam sendo feitas, mas elas es tão ganhando menos força em relação ao próprio PCR. Próximo. A projeção de casos no estado na primeira quinzena de agosto, está dentro de todas as expectativas e projeções matemáticas, mantendo-se entre o patamar de 620 mil e 720 mil, portanto, 655 mil. Próximo. Assim como o número de óbitos, mantendo-se muito mais próximo do limite inferior daquilo que era projetado. Próximo. Muito bem, muito obrigado.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Dr. Jean. Vamos ouvir agora o nosso secretário Marco Vinholi, que fez toda a articulação com as prefeituras, para que elas pudessem integrar essa estratégia de vigilância de casos. E na sequência, eu quero ouvir o Dr. Sérgio Henrique Antônio, que é secretário municipal de Saúde de Bauru, que vai trazer aqui a sua experiência, o seu testemunho desse projeto piloto bem-sucedido lá em Bauru. Então, com a palavra, nosso secretário Vinholi.

MARCO VINHOLI, SECRETÁRIO ESTADUAL DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL DE SÃO PAULO: Muito obrigado, vice-governador Rodrigo Garcia, boa tarde a todos. Primeiro, registrar aqui a boa notícia dada pelo Dr. Jean Gorinchteyn, baixando mais um ponto na taxa de ocupação do estado. Na última segunda-feira, era 59%, já veio para 58,3%, era 59,4%. Então, a gente já seguiu com mais um pouco de descendência nessa taxa, fruto da queda nas internações. Nós tivemos, nos números de isolamento social, na última terça-feira, 43% no estado e 44% na capital, no dia 10, 43% no estado e 43% na capital. E seguindo a política de aumento da capacidade hospitalar do estado, essa semana, mais 178 respiradores sendo entregues, nas regiões de Araraquara, Baixada Santista, Barretos, Bauru, Campinas, Franca, Marília, Presidente Prudente, São José do Rio Preto, Soroc aba e Taubaté. Com isso, vamos ao programa de rastreamento. Aqui, como registrado pelo Dr. Jean Gorinchteyn, num trabalho feito em uma parceria muito forte com a Vigilância de cada uma das cidades do Estado de São Paulo, e esse rastreamento visa duas questões fundamentais, com implementação dessa tecnologia. A primeira delas é prevenir a expansão da doença, portanto, relacionando os contatos, testando os contatos, isolando os contatos, a prevenção para essa expansão no território do Estado de São Paulo. E no paralelo a isso, também o tratamento precoce, esse tratamento que tem funcionado, que tem reduzido as taxas de mortalidade, e também de letalidade. Nós já estamos com a metade do que era antes, e taxas essas, que, através da política de rastreamento, vão melhorar mais ainda. Pode passar o slide. Com isso, a estratégia de limita que o caso confirmado, ou suspeito com sintomas, aguardando resultado, ele é notificado, nas bases da Vigilância Municipal, o agente de saúde reforça a necessidade de isolamento, ele vai ficar isolado até chegar o resultado, assim como acontece hoje com a secretária Patrícia Ellen, o secretário Flavio Amary também teve o contato, hoje isolados, fazem o teste, e daí, dentro disso, na nossa política de isolamento, por 10 a 14 dias, se confirmado. Então, todas aquelas pessoas que tiveram contato nos últimos 14 dias, por pelo menos 15 minutos, a menos de um metro de distância, serão contactados pela Vigilância Municipal, é um sistema de SMS, e dentro disso faremos a testagem, isolando aquelas pessoas que tiveram o contato, assim como foi feito em países da Europa, na Coreia, e nos países do mundo que conseguiram avançar com uma boa pol&i acute;tica de isolamento e redução da evolução do Corona Vírus. Além disso, no tratamento da pessoa que segue isolada, um acompanhamento dessa vigilância, das equipes de saúde, para que possa monitorar também a evolução da pandemia, cada uma das pessoas. Pode passar, por favor. Bom, nós trabalhamos, a partir da última quarta-feira, nós viemos aqui na quarta e divulgamos o modelo de adesão para os municípios do Estado de São Paulo. Nós já expandimos para mais de 100 municípios, pode passar o slide, por favor. Esses municípios... Deixa nesse aqui, por favor. Esses municípios, que hoje já batem 120 em todo o Estado de São Paulo, vão seguir mobilizando as suas regiões, e a gente vê nesse quadro já as regiões do Estado de São Paulo que mais aderiram. Região de Barretos , por exemplo, um bom exemplo, 100% dos municípios já fizeram a adesão. No Vale do Ribeira, 57%, em Bauru, 56%. Essa política segue mobilizando os prefeitos do Estado de São Paulo, para que possam fazer a adesão também. Na segunda-feira, nós começamos com esse processo nos 120, mas é algo contínuo, que nós esperamos atingir o maior número possível de municípios aqui do Estado de São Paulo. Portanto, fica registrado hoje, para os prefeitos do Estado de São Paulo, esse modelo de adesão, que está disponível dentro do nosso site aqui do Governo do Estado de São Paulo. A política foi implementada nos municípios de São Bernardo do Campo, de Araraquara e de Bauru, de forma exitosa. Está aqui hoje o Sérgio, que é o secretário lá em Bauru, que pôde produzir um resultado na ponta , muito importante ao longo desse período, vai deixar aqui o seu testemunho, o seu registro dessa política bem feita pelo município. Nós seguimos mobilizando a estratégia de rastreamento no Estado de São Paulo. É um passo muito importante, agregando tecnologia à prática que a Vigilância dos municípios vêm fazendo, de forma exitosa, no combate ao Corona Vírus.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Muito bem, secretário Vinholi. Parabenizar aqui a região de Barretos, que tem 100% dos municípios, que já fizeram a adesão a essa estratégia de vigilância, e ouvir aqui o testemunho do Dr. Sérgio Henrique Antônio, que é secretário municipal da Saúde, da cidade de Bauru.

SÉRGIO HENRIQUE ANTÔNIO, SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE DE BAURU: Boa tarde a todos. Trago meu abraço fraternal ao secretário Marco Vinholi, ao vice-governador, a todos aqui, com [ininteligível] do nosso prefeito Clodoaldo Gazeta, que incansavelmente está junto com a Saúde, na busca de enfrentamento cada vez para melhorar os nossos pacientes, na nossa região de Bauru. Também queria agradecer imensamente ao Governo do Estado, de poder implementar e colocar Bauru, uma cidade de 400 mil habitantes, em torno desse projeto que muito vem nos ajudar a nossa região. Nós iniciamos o projeto, esse projeto de rastreamento de contactantes dos infectados, e houve uma mudança significativa nos nossos resultados. Nós tínhamos uma medida, uma média móvel de casos em torno de 120 casos, e hoje estamos com 97,4. Nosso índice de letalidade caiu de 4,2% e foi para 2%. Por quê? Porque o diagnóstico precoce, pegando e fazendo isolamento social desses pacientes, através do controle deste projeto, que é realizado não só pela Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, como também pelos centros Paula Souza, nos ajuda bastante. Você fazendo esse projeto, atribuindo esse projeto, nós percebemos também que, quanto mais precocemente o diagnóstico de Covid, fazendo isolamento social, iniciando um tratamento, seja ele medicamentoso ou só sintomático, houve uma regressão em torno de 3% a 4% dos pacientes que desenvolveram a doença grave, a síndrome respiratória aguda grave. E isso impedindo, não necessitando da internação. Então, esse projeto é um projeto muito importante, nesse combate à pandemia, que assola não só o Estado de São P aulo, como o Brasil, como o mundo. Então, eu queria parabenizar ao Governo do Estado, pelo empenho nesse projeto, e dizer que nós estamos lá empenhados para que a gente possa chegar também, que nem a região de Barretos, nos 100% dos prefeitos das cidades, que façam adesão a esse projeto. Hoje, Bauru tem 5.082 casos positivos, e temos 106 mortes. Nós já estamos numa situação de patamar hoje, que a média é em torno de 100 casos positivos por dia, 94 positivos por dia. Nós chegamos a ter já quase 200 casos. Então, eu queria mais uma vez agradecer, e é uma experiência muito boa. E pode contar conosco, viu, vice-governador, secretário Marco Vinholi, na nossa busca incansável para poder colocar mais municípios nesse projeto, que realmente é o que está valendo a pena hoje, é o isolamento social. Muito obrigado a todos e uma boa tarde.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Muito obrigado, Dr. Sérgio. Mande nosso abraço ao prefeito Gazeta. A presença do Dr. Sérgio aqui só reforça o papel preponderante e fundamental que as Vigilâncias Sanitárias Municipais têm no combate à pandemia. E o esforço que foi feito ao longo desses últimos cinco meses, de integração, de estratégias comuns, para que a gente pudesse enfrentar essa pandemia. Vamos agora passar às perguntas dos jornalistas que se inscreveram previamente, começando pela Cleisla Garcia, da TV Record. Enquanto ela se dirige ao microfone, vamos passar então para a Tainá Falcão? Não, chegou. Vamos lá, Tainá Falcão, que faz a pergunta pela CNN.

REPÓRTER: Bom, eu vou perguntar primeiro, governador, eu queria saber mais detalhes sobre a testagem do governador João Doria. Quantas vezes ele fez o teste? Quem mais está esperando pelo resultado do teste? Porque teve uma reunião na sexta-feira aqui. Ontem, o deputado Vinicius Poit, que estava na reunião, testou positivo, divulgou no Twitter. Então, acho que tinham aí umas 20 ou 30 pessoas na reunião. Tem mais alguém da equipe esperando resultado? E uma outra pergunta, que aí talvez o secretário de Saúde pode me responder, é sobre a reunião de amanhã com o Ministério da Saúde, o encontro no Instituto Butantan. De quê se trata? Eu sei que se fala numa visita de cortesia, mas existem outros assuntos que vão ser levantados nesse encontro? Dentre eles, tem uma emenda que foi colocada pelo próprio líder da bancada paulista na C&acir c;mara, pedindo pra que o valor da MP de Oxford seja divido igualitariamente com o Butantan, esse assunto foi levantado ou será?

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Tainá, no tocante ao teste positivo do governador João Doria, o governador João Doria fez o teste ontem, né, e o resultado saiu hoje pela manhã, como resultado positivo, e ele agora, então, fará o isolamento social. Como nosso secretário da saúde aqui informou, todas as pessoas que dentro dos protocolos que orientam a se fazer um teste, estiveram com o governador por um período maior do que 15 minutos e numa proximidade de menos de um metro, estão orientados a fazer o teste, e o secretário de saúde está promovendo agora a realização desses testes aqui pro conjunto dos servidores e colaboradores que estiveram nessas características ao lado do governador. Então, isso será feito, cumprindo o protocolo, e se algum deles testarem positivo, natur almente farão seu isolamento. Já estão, vamos dizer assim, em quarentena prévia e preventiva, né, os testes sendo realizados, eles passarão também a ter o resultado e a fazer, se necessário, o seu isolamento. Quanto a visita ao Instituto Butantan, pedir que o Dr. Jean pudesse detalhar essa visita de amanhã.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO: Muito bem, Tainá, muito obrigado pela pergunta, amanhã será, como você mesmo disse, uma visita de cortesia, nada mais certo do que nós estarmos juntos ao diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, apresentando as estruturas que nós temos no Butantan para a equipe do ministério que ali estará, e apresentando, realmente, a importância da vacina Coronavac para o país, essa vacina, ela não é só importante pra São Paulo, ela é importante para o país, e mesmo sendo feito um acordo entre o Governo do Estado e a Sinovac chinesa, assim que essa vacina estiver disponível, ela estará disponível pra todos os brasileiros, isso fique muito claro, e de uma forma absolutamente gratuita, então, cabe a nós, realmente, estreitarmos ainda mais as boas relaç&oti lde;es que nós já temos com o Ministério da Saúde, especialmente com o General Pazuello, que tem sido um grande aliado, um grande parceiro no combate da pandemia no nosso estado.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Agradecer o Dr. Jean. Vamos passar agora a palavra pra Silvia Amorim, que faz a pergunta em nome do Jornal O Globo.

SILVIA AMORIM, REPÓRTER: Boa tarde, boa tarde a todos. Eu vou continuar um pouquinho nessa questão do teste positivo do governador, eu queria entender se os familiares do governador também já foram testados e se temos resultados, eu queria saber qual é a rotina de testagem aqui no governo, com qual regularidade todos vocês, incluindo o governador, fazem o teste, e quero entender porque até o momento somente a secretária Patrícia Ellen foi pra quarentena, sendo que imagino que a maioria, secretário Marco Vinholi, o secretário de saúde, o próprio vice-governador, acho que atendem a esses critérios de distanciamento e de permanência com o governador. Então, eu queria entender porque, enfim, vocês estão aqui, ela não.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom, do ponto de vista técnico, eu vou passar aqui para o Dr. Jean, mas posso lhe responder, Silvia, que os testes são realizados no Palácio, no conjunto dos órgãos públicos não pra satisfazer a curiosidade das pessoas, e sim quando um protocolo determina que o teste seja feito. Então, desde março, quando nós tivemos aqui nosso primeiro colaborador testado positivo, nosso antigo presidente do centro de contingência, Dr. David Uip, todos que conviveram naquela ocasião com o Dr. David Uip se submeteram aos testes, e assim sucessivamente, né, quando se identificava alguém da equipe que testava positivo e as pessoas que conviviam e cumpriam os protocolos de estar com proximidade menor de um metro, que às vezes, naquela ocasião, ainda sem máscara, né, todos eles fizeram o teste, e vai seguir exatamente esse protocolo, seja os familiares, seja os colaboradores do governador. Secretária Patrícia esteve mais de 15 minutos com o governador, a menos de um metro de distância. Então, esse foi a orientação que ela seguiu pra que ela pudesse não estar aqui, já cumprir o seu isolamento e fazer o teste, né? Alguns outros farão os testes, mas foram recomendados o isolamento nesse momento apenas aqueles que tiveram mais de 15 minutos e um contato muito próximo, que foi o caso da secretária Patrícia, e não foi o caso de outros que estão aqui. Mas agora o secretário Jean foi encarregado de fazer essa relação, e todos que estiverem dentro e enquadrados, passarão pelo teste. Acho que o Jean pode complementar.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO: É importante nós lembrarmos que nós temos que fazer identificação de quem são as pessoas consideradas contactantes, de forma geral, são aquelas que tiveram um contato superior a 15 minutos, que não respeitavam as regras de distanciamento de um metro, um metro e meio, bem como aquelas pessoas que não se utilizaram da própria máscara. Então, essas três questões fazem, sim, com que aquelas pessoas sejam elegíveis como possibilidades de serem contactantes, quando nós trazemos isso pra realidade atual, primeiro nós soubemos há muito pouco, o próprio governador João Doria recebeu uma ligação telefônica, em que foi revelado o diagnóstico, ou seja, o diagnóstico através do PCR, o RT PCR, que se identifica o vírus. O governador está totalmente sem sintomas, e de alguma forma todos aqueles que estiveram muito próximo, servidores, assessores, foram imediatamente afastados, serão já realizados os testes, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, já foi acionado, pra que esteja enviando uma equipe para a testagem e rastreio dos contactantes, pra garantir, dessa maneira, essa proteção. Lembro que, mesmo aquelas pessoas que estiveram em reuniões próximas, também serão testadas, por medida de cautela. Por isso que todos nós estamos aqui, uma vez que tivemos esse distanciamento maior, o uso de máscara e tivemos por um período mais encurtado.

SILVIA AMORIM, REPÓRTER: Me permite uma dúvida? Por que o governador fez o teste, então? O que deflagrou a necessidade do governador fazer o teste, já que não há um teste de rotina?

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO: Essa foi uma pergunta que eu mesmo fiz ao governador, e ele, por uma medida de rastreio, pelo fato de ter um número de pessoas muito grande muito próximo a ele, e que, eventualmente, não siga os protocolos sanitários, eventualmente, apesar dele exigir que assim os faça, por uma medida de segurança, de tempo em tempo, já é o sexto teste que o governador fez.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom, muito obrigado, Silvia. Vamos pra próxima pergunta, que será online, do Xando Alves, do Jornal O Vale.

XANDO ALVES, REPÓRTER: Bom dia, vocês já me ouvem?

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Estamos ouvindo, Xando. Qual a sua pergunta?

XANDO ALVES, REPÓRTER: Boa tarde a todos. O Vale do Paraíba atingiu mais de quatro mil casos e 106 mortes em uma semana, 21% de aumento nos casos e 37% de aumento nas mortes em sete dias. O crescimento se deu após queda na primeira semana de agosto, e é mais acentuada nas cidades do vale histórico. Aí, eu pergunto, qual o motivo de o Vale, o Vale do Paraíba ainda não ter queda percentual de casos e, principalmente, mortes, ao contrário de outras regiões até próximas, né, como Baixada, Campinas e etc., há um componente diferente no avanço da doença aqui no Vale? A chegada forte da Covid nas médias e pequenas cidades pode explicar esse fator, por exemplo? É isso, obrigado.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Xando, vou passar pro nosso secretário, Marco Vinholi, pra fazer a resposta.

MARCO VINHOLI, SECRETÁRIO DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO: Xando, boa tarde. O Plano São Paulo prevê justamente a gestão disso, né, manter as restrições e aumenta-las se necessário e, quando possível, com os indicadores indicando pra isso, diminuir essas restrições. Nós estamos hoje, chegamos na fase amarela no Vale do Paraíba, devido aos dados indicados na última semana, nos últimos 14 dias, né, comparação de uma com a outra, que indicaram uma melhora, né, uma queda nesses índices, tanto nos índices de casos, internações e óbitos, o Vale sempre manteve, ao longo desse período, uma taxa de ocupação dos seus leitos de UTI abaixo de 70%, uma taxa considerada boa aí, comparada com o restante do estado. Nós passamos por uma primeira fase com um crescime nto maior no Alto Vale, né, na sequência disso, também ali na região de Taubaté, o litoral norte segue com índices positivos, positivos também de isolamento, ao longo de todo esse trajeto. E agora o Vale da Fé, o Vale Histórico tem essa alta no número de casos, e uma alta também que acontece nas cidades menores, né, nós citamos algumas delas na última segunda-feira, podemos classificar com a interiorização da pandemia, que já atinge quase todos os municípios do Estado de São Paulo como um fator, mas também podemos classificar como uma oscilação que segue na região, assim como acontece em outras ao longo desse período, nós estamos fazendo a gestão, aumentando as restrições quando necessário, e diminuindo quando possível, mas ainda é um momento de atenç&atil de;o no Vale do Paraíba e, sobretudo, nessa faixa de municípios do Vale Histórico, que tem tido uma alta um pouco maior, de ações como os municípios têm travado, né, aonde existe essa alta, o município aumenta as restrições de forma responsável, com cautela, pra que a gente possa, através do isolamento social e da utilização de máscara, baixar essa evolução da pandemia.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Pois não, doutor.

JOSÉ OSMAR MEDINA, COORDENADOR DO CENTRO DE CONTINGÊNCIA DO COVID-19 DE SÃO PAULO: Só pra completar essa resposta, lidar com essa pandemia é bastante difícil, assim, então, vai ter algumas regiões que vai diminuir, depois que vai aumentar, o melhor exemplo é o que aconteceu hoje na Nova Zelândia, a Nova Zelândia passou 100 dias consecutivos sem nenhum caso, de repente, hoje, apareceram quatro casos na Nova Zelândia, mais um outro caso que apareceu agora de manhã, a Nova Zelândia foi demonstrada, assim, como, talvez, o lugar que teve o maior sucesso no controle da pandemia, e agora, depois desses quatro novos casos, de novo houve um isolamento da população na Nova Zelândia, algumas regiões, inclusive a eleição, que está programada pra setembro, na Nova Zelândia, vai ser postergada. Então, lidar com essa pandemia não é simples assim, não é uma coisa linear, então, ela fica, vai e volta, e o melhor exemplo que tinha no mundo, que era taxado como aquele que teve o maior sucesso, hoje já teve um retrocesso, por causa de pessoas que entraram no país sem ser identificado, mesmo tendo passado 14 dias em quarentena. E tem que lembrar bem que biologia não é matemática, esses 14 dias podem ser 15, podem ser 16, podem ser 20, em alguma circunstância, e que leva a acontecimentos como esse, que aconteceu na Nova Zelândia. Então, é difícil lidar com essa pandemia e no Estado de São Paulo, esse Plano São Paulo de lidar com a pandemia está sendo bastante eficiente, nem todo mundo tá ficando escondido, a maioria das pessoas tá enfrentando a doença com sucesso, graças a nossa organização do SUS.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Muito obrigado, Dr. Medina. Obrigado, Xando. Vamos agora a próxima pergunta, que é da Maria Manso, da TV Cultura.

MARIA MANSO, REPÓRTER: Boa tarde a todos. Desculpem a insistência, mas como a notícia pegou todos aqui de surpresa também, eu queria saber de vocês quantas pessoas do secretariado estão afastadas nessa quarentena preventiva, por terem tido contato mais próximo do governador, eu sei que hoje de manhã ele teve uma reunião presencial com a secretária Patrícia Ellen, também com o secretário da habitação, e mais quantos assessores estavam envolvidos ali, e quantas pessoas aqui do Palácio e também do contato mais próximo do governador vão ser testadas. Eu tenho também mais duas questões, uma é sobre as vacinas, o governo havia dito, no início da pandemia, que São Paulo compraria todas as vacinas possíveis que fossem testadas e comprovadas, a gente também vai receber aqui, em algum momento, a vacina rus sa, que foi anunciada ontem? E em relação ao Detran, a gente tem recebido de telespectadores ainda reclamação de que eles já passaram em todos os testes, tanto teóricos, quanto práticos, mas eles ainda não conseguiram receber a carteira de motorista, porque segundo as autoescolas, essa impressão das carteiras de motorista, as novas, dependeriam de uma empresa terceirizada, que não está trabalhando, isso é verdade? E que projeção a gente pode passar pra essas pessoas?

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Maria Manso. Eu vou responder rapidamente em relação aos contatos que o governador teve. É óbvio que todos nós temos preocupação com a saúde, né, e todos aqueles que já foram informados que o governador João Doria testou positivo e que estiveram com ele nos últimos dias, cumprindo essas exigências, a menos de um metro, por mais de 15 minutos, já estão orientados a fazerem a sua quarentena preventiva, e convidados a fazerem o teste. Nós identificamos que a secretária Patrícia Ellen e o próprio secretário Flávio Amary estiveram com ele nesse período pela manhã, portanto, os dois já estão em isolamento. E será feito agora os testes, e com toda tranquilidade, os secretários e os colaborador es passarão por este teste. Lembro, por exemplo, que algumas pessoas da equipe do governador João Doria já adquiriram o vírus, como por exemplo algumas figuras das redes sociais, enfim, algumas figuras da área de imprensa que, teoricamente, estão imunes, mas essas pessoas também estão dentro desse protocolo orientado aqui pela Secretaria de Saúde. Então, todos com cuidado à saúde, sem pânico, mas cumprindo todos esses protocolos. Ok? Vou pedir para o nosso secretário Jean responder em relação à vacina e depois o nosso presidente do Detran responder em relação as questões formuladas pela Maria Manso. JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO: Maria Manso, em relação à questão das vacinas, é importante nós lembrarmos que São Paulo precisa de uma vacina, seja ela da Sinovac, seja ela de Oxford, nós queremos uma vacina porque é a única forma que nós poderemos voltar para aquela condição de normal. Por enquanto, estamos longe até desse novo normal, isso ainda está distante. Para nós, a vacina vai ser importante, mas é importante nós sempre frisarmos que todas as vacinas devem e deverão seguir todos os preceitos éticos, de segurança e de eficácia e isso é avaliado através de estudos científicos, seguindo a fase 1, a fase 2, a fase 3, para que nós, de forma alguma, estejamos colocando qualquer pessoa em risco ao receber um produto que não tenha a chance la de qualidade e liberada, principalmente, pelos nossos órgãos reguladores, especialmente a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado Dr. Jean. Vamos agora ao Neto para responder objetivamente sobre as questões do Detran.

ERNESTO MASCELLANI NETO, DIRETOR-PRESIDENTE DO DETRAN DE SÃO PAULO: Boa tarde Maria Manso. Olha, a gente, de fato, tem uma empresa terceirizada que faz a impressão da CNHs e esses sites de impressão funcionam dentro dos postos Poupatempo, então, portanto, a impressão dessa CNH não está acontecendo nesse momento. Nós tínhamos um estoque de 65 mil CNHs que estavam em poder do Detran e também dos postos Poupatempo que já foram todas elas postadas pelo Correio. Especificamente, a gente tem também a versão digital da CNH que quando o cidadão solicita, ele recebe em poucas horas, isso acontece hoje no Aplicativo CNH Digital, então, portanto, a gente buscou alternativas para que o cidadão não ficasse desassistido. Especificamente sobre esse caso que você traz, a gente precisaria te mais detalhes até para rastrear qual é o caso, mas pode ter fi cado um número residual entre o fechamento dos postos e o volume que já tinha sido impresso, então, talvez, ali gente a gente tenha um volume residual que não foi impresso, então, portanto, essa CNH não foi entregue. A sugestão é que o cidadão entre no Fale Conosco do Detran, disponibilize os dados para ele, que todas essas dúvidas a gente está encaminhando, então, é importante saber dados desse cidadão para que a gente possa rastrear qual, especificamente, é o problema dele.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado Neto, obrigado Maria Manso. Vamos agora à Carolina Riguengo da Rede TV.

CAROLINA RIGUENGO, JORNALISTA DA REDE TV: Olá, boa tarde a todos. Ainda sobre a questão do teste positivo do governador João Doria, vocês, meus colegas já fizeram essa pergunta duas vezes e eu vou bater nessa pergunta porque agora eu vou mudar um pouquinho. Quando vocês vão poder nos informar, vão saber quais são, quantos são os afastados por causa do teste positivo também e quando é que é a divulgação de quais serão os próximos também a serem testados, positivos? E em que isso vai implicar, também, em mudanças tanto aqui nas coletivas quanto nas medidas todas de prevenção e tudo que vocês têm feito até aqui em relação ao Coronavírus? E também eu tenho uma dúvida sobre a vacina. O Dimas Covas teria concedido uma entrevista ao Piauí dizendo que as últimas an álises seriam em outubro de 2021. Então, como é que a gente pode se sentir seguro ao tomar a vacina em janeiro de 2021 se as análises vão até outubro? Muito obrigada.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado Carolina. O Dr. Jean faz a resposta.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO: Carolina, nós recebemos, com relação a positividade do exame do governador João Doria a poucos minutos da coletiva, por isso que quase ultrapassamos o nosso prazo que religiosamente se inicia às 12h45, deixando a gente um pouco esbaforido. Essa relação de pessoas que são contactantes está sendo feita nesse momento. Nós precisamos rastrear isso, saber a agenda do governador nos últimos dias, lembrando que ele é um portado assintomático, sem sintomas. Isso vai fazer com que nós tenhamos que saber quem são as pessoas que não tiveram aquelas regras seguidas para que, então, sejam testadas. Vão existir, principalmente assessores, pessoas que estão muito mais próximas que também merecerão o mesmo acolhimento e a mesma tratativa no segue a quarent ena. Assim que nós tivermos, não só as pessoas, número, bem como seus resultados, será divulgado a vocês de uma forma muito clara, objetiva e respeitosa, da forma que vocês, realmente, merecem. Com relação a questão da vacina, eu vou lembrar que todos os testes de vacinas, eles pelo menos devem cursar por um ano. Os testes que estão sendo feitos na fase 3, eles... que já se iniciaram nos vários estados, nós temos tanto no Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal, ou seja, essas pessoas serão acompanhadas por um período de um ano. Porém, agora, até outubro de 2020 e não 2021, se nós consagrarmos o confirmarmos que essa vacina, ela é segura, ou seja, se mantém a sua característica de não levar efeitos colaterais. Ela já mostrou nos voluntários lá da Ch ina que ela não trouxe riscos, são pequenos efeitos colaterais de dor no local da aplicação, febre baixa, nada além de qualquer risco de outra vacina. Mas se ela produzir anticorpos e esses anticorpos se mantiverem por um período prolongado. E quando nós dizemos por uma questão da pandemia, se eles se mantiverem altos e mantidos nos próximos três meses, aí sim, nós teremos a possibilidade de pedir de forma emergencial para a Anvisa, para que haja, então, a possibilidade de nós utilizarmos na população. Então, o trabalho de acompanhamento continua. Por que é que nós precisamos saber a sequência, de quanto tempo? Para saber quanto tempo esses anticorpos se mantém ou eles acabam havendo algum descenso, como acontece na vacina da gripe que a cada ano nós precisamos revacinar.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado Dr. Jean e reforçando, Carolina, total transparência nas informações em relação ao teste positivo do governador João Doria, né? O governo sempre traz as informações quando as têm. Como a informação foi muito próxima aqui da nossa coletiva, todo esse levantamento de contato está sendo feito e toda a informação será dada à população de São Paulo e a imprensa, assim que nós tivermos o conjunto dos dados. Não nos precipitamos, né, portanto, o primeiro anúncio foi do próprio governador em redes sociais. A orientação a sua equipe para seguir os protocolos, então, as pessoas que se sentirem que tiveram mais tempo com ele, que tiveram uma proximidade maior já est&atild e;o em auto... sugerimos que façam o seu auto isolamento e o Dr. Jean preparando, agora, um conjunto de testes para a equipe do governador. Porque o governo de São Paulo não relativiza, não nega a gravidade do Coronavírus, portanto, total transparência e também nesse momento aonde o nosso governador testou positivo. Fiquem tranquilos que todas as informações, assim que nós as tivermos, nós vamos informar a população e a imprensa. Vamos agora para a penúltima pergunta do nosso Fábio Diamante, do SBT. Fábio.

FÁBIO DIAMANTE, JORNALISTA DO SBT: Boa tarde, boa tarde a todos. Eu queria fazer duas perguntas. Dr. Jean, ontem em São Paulo teve de novo um número alto de mortos nas últimas 24 horas, hoje esse número já cai, com o é que o senhor faz essa análise? O senhor chegou a falar na outra coletiva que esperava esse aumento pelas internações e que viria uma queda. Essa queda começa hoje ou a gente ainda pode ver esse número oscilar? E uma segunda pergunta para o secretário Vignoli, secretário, Osasco, Barueri, algumas cidades ali da Grande São Paulo que deveriam ter regredido da amarela para a laranja, disseram que não vão regredir, não vão obedecer a orientação do governo. Eu queria saber como é que o senhor vê isso e o quanto isso pode prejudicar o combate, já que as cidades são muito próximas, inclus ive da capital e de toda a Grande São Paulo? Obrigado.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Dr. Jean.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO: Importante, Fábio, que a gente observe que houve uma modificação, inclusive nos índices, tanto na capital, na região metropolitana e no interior, com incremento do número de óbitos. Então, possivelmente, alguma situação de retenção, de represamento desses dados possa ter acontecido. Nós estamos checando essas informações que nos deixou mais atentos. Mas de toda forma, mesmo que elas tivessem tido essa elevação, elas impactam o que aconteceu há duas semanas e não o que vem sendo e acontecendo nesse momento pela dinâmica da epidemia. Como que a gente consegue avaliar isso nesse momento? Número de internações especialmente hospitalares e Unidades de Terapia Intensiva, fazendo, então, com que a gente consiga perceber que mesmo incr ementando o número de casos, nós diminuímos as internações, mostrando que isso possa estar relacionado a pelo menos duas semanas. Mas nós estamos atentos e vigilantes e traremos essas informações.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Vignoli.

MARCO VIGNOLI, SECRETÁRIO ESTADUAL DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL DE SÃO PAULO: Boa tarde Fábio. Nós, sempre aqui mobilizamos, dialogamos, registramos e deixar muito claro que essa é uma situação de um índice da saúde, um índice de saúde pública para poder dar segurança para a população dos municípios. As colocações das prefeituras são fundamentalmente sobre a questão de uma avaliação no município e não uma avaliação regional. Tem outras ponderações, mas essa é a principal. O que não é possível devido a capacidade hospitalar conjunta dos municípios, o modelo de regulação do estado de São Paulo, o tratamento de saúde em torno disso. Então, com isso nós buscamos o convencimento através do diálogo com os prefeitos. No caso de Osasco, especificamente, que ingressou com uma ação, a Procuradoria Geral do Estado entra hoje com o recurso, foi feito um recurso para que possa restabelecer a fase laranja na região e possa dar segurança para a população. Nós esperamos que eles possam seguir, os dados são públicos sobre a evolução da pandemia ao longo deste período e que a gente possa seguir aumentando as restrições quando necessário, conforme é o caso da região Oeste.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado Vignoli, obrigado Fábio. Vamos então à última pergunta do Willian Cury da TV Globo, Globonews.

WILLIAN CURY, JORNALISTA DA TV GLOBO, GLOBONEWS: Boa tarde. Eu gostaria até de ser criativo aqui na última pergunta, mas não tem jeito, eu vou ter que repetir algumas já feitas sobre o contato do governador, né? Hoje é quarta-feira, o exame testou positivo, mas na segunda, provavelmente ele já estivesse infectado e teve essa entrevista coletiva, né, que é o que a gente pode olhar, fora a agenda extensa que ele tem. E aqui nessa entrevista algumas pessoas sempre estão, o secretário Vignoli, o secretário Jean, o Dr. Gabbardo. Mas o Dr. Jean, aqui na segunda-feira, ele estava nessa mesma posição e o governador onde está o vice Rodrigo Garcia. E algumas vezes, naturalmente, havia uma conversa um pouco mais próxima. Eu queria saber, Dr. Jean, se o senhor se coloca como suspeita para realizar o exame ou se já realizou o exame e teve um outro tipo de resultado. E u queria saber de vocês aqui, quem que teve esse contato bem próximo com o governador? Obrigado.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Médico, para responder.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO: Willian, o importante é que toda essa regra, nós estamos num ambiente arejado, ventilado, que existe uma regra de distanciamento, a proximidade foi por período de segundos, sempre com a utilização da máscara. Mas mesmo assim, nós seremos, sim, todos que aqui estão, testados, exatamente para garantir a segurança. Como não existe, a partir desse conceito, não existe uma característica de suspeito, né, por exemplo, no meu caso, como eu estive mantendo as regras de distanciamento, mesmo nas reuniões que aconteceram, mantendo-se com afastamento de posição de cadeiras, uso da máscara, a utilização de álcool gel disponível para todos nas reuniões, então, tudo isso faz com que a chance acaba se diminuindo e se esvaindo ainda mais. Mas, de to da forma, por uma questão protocolar, eu também, assim como os demais, serão testados.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR E SECRETÁRIO DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO: É isso, Willian, a quarentena comportamental que é aquela que todos nós nos impusemos nesses últimos meses, ela tem sido fundamental para evitar a propagação do vírus. Não é uma medida decidida pelo governo, pelas prefeituras, que faz com que também a pandemia seja controlada. A quarentena é individual de cada um, a forma como cada um se comporta e todos nós mudamos as nossas vidas nos últimos anos, a humanidade, nos últimos meses, faz com que a gente diminua muito o risco de adquirir o Coronavírus. Mas volto a reafirmar que o governo de São Paulo dará total transparência nas informações em relação ao nosso governador e em relação a equipe de trabalho que, porventura, seja testado positivo agora nestes testes que ser ão realizados. Portanto, agradecemos muito a presença de todos, oramos que o governador tenha um pronto restabelecimento, que ele continue assintomático e logo, logo possa estar de volta aqui fisicamente no trabalho, lembrando que ele, no seu auto isolamento, continuará trabalhando de casa e passando as orientações aqui para a nossa equipe de governo. Muito boa tarde e muito obrigado a todos.