Coletiva - SP anuncia produção de 58 novos trens e geração de 700 empregos em Taubaté 20210510

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - SP anuncia produção de 58 novos trens e geração de 700 empregos em Taubaté 20210510

Local: São José dos Campos – Data: Outubro 05/10/2021

Soundcloud

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Agradecer a atenção de todos. Nós vamos aqui tentar dez minutos de silêncio, em respeito aos jornalistas que aqui estão, e também às perguntas que serão feitas, e obviamente às gravações que serão realizadas. Queria avisar o nosso pessoal de televisão, que ao término da coletiva, poderão também escolher as pessoas que aqui estão para formularem as suas perguntas individualmente, às vezes, pode ter a necessidade de falar aqui com o Michael de Keroullé, está aqui ao meu lado, CEO da Alstom, aqui no Brasil, também para América Latina. O Alexandre Baldy, que está aqui. Ou o Ortiz. Ou qualquer um daqueles que estavam aqui já apresentados a vocês. Nós vamos começar então com [Ininteligível], da TV Band Vale, está aqui conosco. [Ininteligível] Cadê você? Aqui, desculpa, agora já sei que o microfone está desse lado. Boa tarde, obrigado por estar aqui conosco. Sua pergunta, por favor.

REPÓRTER: Boa tarde, governador. Boa tarde a todos. Governador, pensando no futuro da indústria aqui na região, o que esse anúncio da Alstom representa, pensando principalmente nesse ano, tanto LG, tanto a FORD, anunciaram aí o fechamento das unidades aqui em Taubaté?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bem, [Ininteligível], o mundo da economia privada é um mundo dinâmico, é um mundo onde você tem situações que avançam, situações que regridem, isso faz parte da livre iniciativa. Aliás, a livre iniciativa é bela porque ela é competitiva, há aqueles que por circunstâncias reduzem as suas operações, ou até encerram as suas operações, e há empresas que multiplicam a suas operações. A Alstom é um exemplo disso, e não é o único exemplo nessa região. O ex-prefeito Ortiz Júnior, está aqui ao meu lado, ele vai poder falar também, de investimentos que estão sendo realizados aqui, novos investimentos como esse, que está sendo feito pela Alstom, que vai gerar somente aqui, 700 novos empregos, isso estamos falando agora, ou seja, até o final deste ano, como lhe disse, vai entregar em dia as unidades que estão sendo produzidas aqui. Para fazer isso tem que contratar de imediato, aqui, até o final deste ano, todas as contratações consolidadas, e a produção possa ser auferida. E são vários outros investimentos que estão sendo programados para essa região, alguns que já foram anunciados, novos investimentos, e outros que serão anunciados ao longo desses próximos quatro meses, ou seja, outubro, novembro, dezembro e janeiro, fora os investimentos públicos do governo do estado de São Paulo. Estamos realizando aqui o maior investimento de infraestrutura rodoviária da história do Vale do Paraíba, nas rodovias vicinais, nas recuperação das rodovias estaduais, sem contar a nova Dutra, embora seja uma concessão federal, tem aqui na CCR, por acaso temos um executivo da CCR, embora de outra área, mas que também essa é uma inovação de contrato, para gerar milhares de novos empregos em toda a região do Vale do Paraíba, e na extensão, seja em direção à fronteira do Rio de Janeiro, seja até à capital de São Paulo. Eu vejo muito otimismo na geração de empregos aqui no Vale do Paraíba, nós teremos um impulso extraordinário, maior impulso, aliás, nos últimos dez anos, será agora neste período, que já se iniciou em 2021, e que vai até 2022. Graças às obras públicas, e graças também ao investimento privado. Eu vou pedir que o Michael possa falar especificamente sobre investimentos, depois vou tomar a liberdade também de pedir ao Ortiz que possa também, na condição de secretário executivo do governo do estado de São Paulo, falar um pouco, profundo conhecedor, ele reside aqui, embora trabalhe em São Paulo, como que essa panorâmica de novas obras e novos investimentos, nacionais e multinacionais.

MICHAEL KEROULLÉ, CEO DA ALSTOM AMÉRICAS: Obrigado, governador. Sim, como eu falei na minha apresentação, nós temos hoje cinco contratos em execução, então nós temos trabalho nessa fábrica até 2028. Para isso nós estamos investindo em torno de R$ 90 milhões, para capacitar essa fábrica a fabricar carros [Ininteligível], e obviamente com essa visibilidade até 2028, de a gente [Ininteligível]. Desde que assinamos com o governo carioca em 2014, nós vamos buscar outros contratos para ser ainda mais competitivo. A Alstom, essa fábrica [Ininteligível], ela está incluída na rede mundial de fábricas de [Ininteligível] da Alstom, com três países, com o custo competitivo, que só a Índia, o México e o Brasil. Então esse investimento da Alstom em Taubaté é um investimento de longo prazo, e para nós realmente procurou outros contratos para ficar ainda mais competitiva em Taubaté.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Michel. Agora, Ortiz.

ORTIZ JÚNIOR, SUBSECRETÁRIO DE RELACIONAMENTO COM OS MUNICÍPIOS DA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL: Bom, nós temos aqui e na região do Vale do Paraíba um grande investimento, a partir de um programa que o governo do estado tem modelado sob a supervisão do governador, que é um modelo de desenvolvimento das regiões onde o IDH das regiões do estado de São Paulo, essas regiões, especificamente, é inferior à média do IDH do estado de São Paulo. Então nós temos aqui na região do Vale do Paraíba, 17 municípios do Vale da Fé, no Vale Histórico, que recebe nesse momento, R$ 400 milhões de investimento. São mais de 500 empregos diretos e indiretos, gerados nessas 17 cidades, incluindo aí empregos na área de educação, nós temos uma escola técnica profissionalizante sendo inaugurada no princípio do ano que vem, em Lorena. E nós temos empregos na área de serviço, o estado vai abrir três unidades novas do Poupa Tempo, Caçapava, Cruzeiro e Lorena. E nós temos, governador, um investimento importante em um tripé de assistência hospitalar na região, que é um hospital novo em Cruzeiro, que deve gerar 500 novos empregos diretos, e nós temos investimento importante ainda na Santa Casa de Lorena, e Santa Casa de Guaratinguetá. Aqui em Taubaté, especificamente, nós teremos a partir de janeiro do ano que vem, com a abertura do AME, mais 800 novos empregos diretos. E não são só empregos para médicos, médicos, enfermeiros, auxiliar de enfermagem, são pessoas que são cuidar da limpeza da unidade, na parte administrativa, pessoas que vão trabalhar, por exemplo, na área de recursos humanos. Então, desses 800 empregos gerados, nós teremos uma grande quantidade de empregos para essas pessoas que eventualmente estavam trabalhando nas áreas administrativas [Ininteligível], e que podem postular esses empregos. Há ainda um investimento grande do estado, governador, em São José dos Campos, com R$ 30 milhões, na participação da formação daquele novo modal de transportes em São José dos Campos, que custa R$ 55 milhões, mais de 50% dessa obra é custeada pelo governo do estado, e nós temos a geração de 250 empregos diretos. Além disso, duas novas obras grandes programadas para Taubaté, e novo acesso viário ao distrito industrial Sul, que é o distrito industrial, Alexandre, dali onde nós temos as empresas todas daquele distrito industrial, aí de empreendimentos, do shopping center que gera mil empregos, e não tem acesso para a Dutra, diretamente a esse distrito [Ininteligível], e essa [Ininteligível]. O governo do estado vai investir R$ 8 milhões, são mais 150 empregos diretos e indiretos para essa obra. Se a gente somar todo o investimento do governo do estado nessa região do Vale do Paraíba, nós teremos [Ininteligível] R$ 600 milhões, com todo o investimento que vai ser realizado. E, governador, eu sou testemunha, eu fui prefeito oito anos em Taubaté, e acompanhei outras administrações, nunca houve um investimento tão grande em um curto espaço de tempo, nós já tivemos outros investimentos, diluídos ao longo de espaço de tempo maior. Mas um grande investimento como esse, em um curto espaço de tempo, nunca aconteceu na história do nosso Vale do Paraíba.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Ortiz. [Ininteligível], muito obrigado. Cadê o [Ininteligível] que estava ali? Aqui. Obrigado, [Ininteligível]. Vamos agora à Francine Padilha, da TV Record. Obrigada, por estar aqui conosco mais uma vez. Boa tarde, sua pergunta, por favor.

FRANCINE PADILHA, REPÓRTER: Boa tarde, a todos. Primeiro, governador, eu gostaria de saber quais são, nesse momento, os principais desafios para a geração de empregos na indústria? Além disso, o senhor citou aí que São Paulo está também nesse momento bem posicionado para o crescimento do PIB, não em relação só ao Brasil, mas ao mundo. E como isso favorece a corrida à uma possível candidatura em 2022.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Francine. Você fez um três em um, como toda boa mulher, já fazendo um bom questionário. Primeiro, os desafios da indústria em São Paulo, São Paulo é um estado industrializado, é o estado mais industrializado do país. E segue avançando no seu processo industrial, a indústria não parou em São Paulo ao longo do período da pandemia, nós mantivemos todas as indústrias abertas em São Paulo, nenhuma indústria fechou, e fizemos isso em acordo com as indústrias, ou seja, permitindo que elas seguindo o protocolo, mantivessem as suas operações, mantivessem os seus funcionários protegidos. Não só com testagem, São Paulo também foi o estado que mais testou no Brasil, como também fornecimento de álcool em gel, máscaras, incluindo para as famílias dos funcionários. E praticamente todos os setores industriais seguiram esse protocolo, mas eu tenho agradecimento enorme a esses industriais e às suas entidades, que seguiram essa referência. E São Paulo, com os escritórios internacionais, demonstrou que é um estado que tem, primeiro, estabilidade política, estabilidade política é muito importante para investimentos de longo prazo, seja francês, seja alemão, seja inglês, seja chinês, seja japonês. O segundo aspecto, marcos jurídicos claros também, muito importante que os marcos jurídicos sejam obedecidos, São Paulo tem uma tradição histórica de obedecer aos marcos jurídicos, não mudar regras, depois das regras estabelecidas. Terceiro aspecto, e esse foi um ganho muito grande para o nosso governo, está aqui a Patricia Iglecias, as aprovações ambientais aqui são rápidas agora, chegavam a demorar quatro anos, Francine, antes de assumirmos, hoje é no limite máximo de quatro meses. O projeto mais complexo de aprovação ambiental hoje, tem quatro meses do prazo limite. Isso também faz a diferença, porque o capital tempo pressa, o capital aplicado sem poder retornar o seu investimento, ele perde dinheiro, o capital que tem o seu investimento viabilizado no menor prazo possível, ele ganha dinheiro, e quem ganha dinheiro gera mais empregos, paga mais impostos, gera riqueza, e a roda gira de maneira mais positiva. Então esse é um ganho... Ah, já tá? Até diminuiu já, esse prazo já está no limite de 60 dias, e sem quebrar protocolos, aqui nós respeitamos o meio ambiente. São Paulo está, aliás, assinamos aqui o [Ininteligível], eu vou agora à COP - Cúpula do Clima, agora em novembro, em Glasgow, na Escócia, serei o único conferencista como governador brasileiro, na Cúpula do Clima, porque respeitamos o meio ambiente. Então é um tema importante também. A Alstom tem Código de Ética na área ambiental, é obrigada pelos acionistas a seguir protocolos rigorosíssimos aqui na área ambiental. E muitos investidores só investem em regiões onde há o respeito com a redução da emissão de carbono. Então São Paulo está na vanguarda nesse ponto. E o outro também é boa gestão da economia, a Patricia Ellen, que é a nossa secretária, que você conhece, de Desenvolvimento Econômico, ela tem a responsabilidade sobre o Centro Paula Souza, muito do que faz o Senai, que aliás, faz bem, diga-se de passagem. O Centro Paula Souza é o maior centro de ensino técnico da América Latina, é de São Paulo, as Fatecs e Etecs, temos várias, aliás, aqui no Vale do Paraíba. Isso significa também um facilitador, assim como faz o Senai, para que as empresas, as indústrias e outros setores também tenham formação profissional, você viu o destaque que deu o presidente da Alstom, à qualificação profissional, ele quis assinar aqui, inclusive, o acordo na frente de vocês. Isso é fundamental, porque traz eficiência, qualidade de um produto final, agilidade, evita erros, e dá estabilidade também funcional, para os trabalhadores. E São Paulo conseguiu atração de investimentos, ao longo deste período, e fez as concessões também, é o estado que mais privatizou foi São Paulo, nós reduzimos cinco estatais em São Paulo. Qual é o estado brasileiro que eliminou cinco estatais? Só São Paulo, eliminamos cinco estatais, estamos pagando, evidentemente, os funcionários, com todo respeito, mas hoje São Paulo tem um estado mais enxuto e mais economicamente viável. E por isso, R$ 22 bilhões de investimentos esse ano, e R$ 28 bilhões no ano que vem. Em respeito à referência internacional, quem tem o Meirelles tem tudo, o Henrique Meirelles tem uma referência internacional, foi presidente mundial do Banco Boston, foi ministro da Fazenda do Brasil, foi Presidente do Banco Central, mais longevo Presidente do Banco Central, isso traz também confiança dos investidores internacionais. Fomos às duas últimas edições do World Economic Fórum, em Davos, vamos agora novamente em janeiro, Meirelles, Patricia Ellen e eu. Temos duas conferências já programadas em Davos, em janeiro. Dali nasceram vários investimentos poderosos para o Brasil, um deles aqui em Lençóis Paulista, da Bracel, 7 mil empregos serão gerados na maior fábrica de celulose líquida do mundo, não é do Brasil e da América Latina, é do mundo, está sendo construída aqui em Lençóis Paulista, primeira etapa já concluída, agora em fevereiro iniciando a sua operação. E sabe como nasceu isso, Francine? Em uma reunião em Davos, em janeiro de 2019, nós estamos em 2021, a fábrica já está lá, e agora em fevereiro começa a operar a sua primeira etapa para ser a maior fábrica de celulose líquida do mundo. Confiança, qualidade, equipe, eficiência, e compromisso liberal, por isso que respeita capital privado. Se isso vai nos ajudar em 22? Provavelmente sim, porque nós ao invés de prometermos, nós vamos dizer o que fizemos. São Paulo é o Brasil que dá certo, dá certo na educação, dá certo na saúde, dá certo nos investimentos internacionais, dá certo nas relações institucionais, dá certo no apoio ao setor privado, dá certo porque desestatizou, dá certo porque respeita os Poderes, respeita a Assembleia Legislativa, respeita o Tribunal de Contas, respeita o Tribunal de Justiça, respeita o Ministério Público. Porque respeitamos a imprensa, não emparedamos jornalistas, não intimidamos jornalistas, não ameaçamos veículos de imprensa, respeitamos a liberdade como princípio basilar da democracia. E isso nós estamos fazendo. Portanto, sim, isso vai nos ajudar em 2022, São Paulo é um estado que tem a mostrar aquilo que pode ser feito no Brasil, a começar da saúde, passando pela educação, respeito ambiental, programas de proteção aos mais pobres, e o mais amplo programa de proteção aos mais pobres está sendo idealizado aqui em São Paulo. Bolsa Família, Alimento Solidário, Vale Gás, Dignidade Íntima, São Paulo Acolhe, programas múltiplos para atender a camada mais vulnerável da população de São Paulo. Sim, São Paulo tem vulnerabilidade, 2 milhões de brasileiros em São Paulo vivem em situação de pobreza, Francine, no maior estado e mais poderoso do país, imagine em outros estados. O exemplo de São Paulo aqui para a região Sul do estado, Vale do Ribeira, agora Vale do Futuro, Vale do Paranapanema, Projeto Vale 2030, aqui mesmo para o Vale do Paraíba, o Ortiz mencionou, a riqueza deste vale, há uma parcela do vale que infelizmente abaixo do IDH médio do estado de São Paulo, temos também um programa que está iniciado aqui, só aqui você viu, são mais de R$ 200 milhões de investimentos já assegurados para essa região. Portanto, essa será a nossa bandeira para 2022. Obrigado, Francine. Agora vamos para a Stefani Couti, da Rádio Metropolitana. Oi, obrigado, pela paciência. Boa tarde. Sua pergunta, por favor.

STEFANI COUTI, REPÓRTER: Boa tarde, governador. Boa tarde, a todos. Hoje o senhor anunciou então o investimento para a área industrial aqui para a cidade de Taubaté, mas se a gente fosse falar de projeções futuras, qual vai ser o investimento aqui para a nossa região, para as cidades da nossa região?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Stefani. De certa maneira, o Ortiz já fez essa menção, já está respondida, mas quero voltar a renovar que nós temos investimentos aqui em infraestrutura, rodovias vicinais, nas rodovias das SPs, todas as SPs que passam aqui pelo Vale, todas, sem exceção, serão ou ampliadas ou reformadas, ou recapeadas, ou recapeadas, duplicadas em algumas áreas, sinalizadas e colocadas em condições adequadas, ou até expandidas, todas, sem exceção. Nós temos aqui dezenas de estradas vicinais nessa região... R$ 80 milhões já licitadas, de quantas? De 11 rodovias vicinais, obrigado, Ortiz, até pela precisão. Serão 30 no total, 11 já foram licitadas, e obras iniciadas. E temos ainda mais 19 rodovias vicinais que serão aqui implementadas no recape, na ampliação, na sinalização. Sem contar a área de saúde, o Ortiz também se referiu a isso, sem contar a área de educação, o governo do estado de São Paulo é o governo que mais investe em educação, aliás, um bom momento para falar também à Francine, R$ 7 bilhões é o nosso investimento na rede pública de ensino, não é custeio, é rede pública de ensino. Nós tínhamos aqui, Michael, [Ininteligível] na educação, [Ininteligível], eu estudei no seu país, eu sei o que é a educação pública na França, e estudei aqui em uma escola pública também, estadual, em São Paulo. Portanto, eu sou filho da rede pública de ensino. Nós aqui tínhamos 363 escolas de tempo integral, sabe quantas temos hoje? 1.878 mil escolas de tempo integral, cinco vezes mais em dois anos e meio de governo, 16 anos fizeram 363 escolas de tempo integral, em dois anos e meio nós elevamos esse nível para 1.878 mil. Inclusive aqui no Vale do Paraíba, escolas de tempo integral foram todas elas reformadas na sua estrutura, na sua área de cozinha, todos os seus banheiros, nas salas de aula, em tecnologia, minha gente, todas estas escolas operam com tecnologia, com wi-fi, com internet acelerada, com tablets. Desses R$ 7 bilhões, R$ 1 milhão foi só compra de computadores e tablets, as crianças aprendem com tablets. E as crianças do ensino completo, não apenas nos dois últimos anos aprendem inglês, no Programa Inglês Para Todos. Eu sei, porque isso fez a diferença para mim, quando eu pude aprender inglês, e eu aprendi inglês fora da rede pública, porque na rede pública eu tive o básico do básico. Agora não, os jovens de São Paulo têm o ensino completo, desde o primeiro ano, no ensino fundamental, até o seu último ano, e sai falando inglês, e os melhores alunos serão premiados com viagens aos Estados Unidos, [Ininteligível]. Isso é transformador, é isso que muda São Paulo, isso cria esperança, isso que traz a paz. Os Papas, todos eles, desde o Papa João Paulo, dizem, que a paz está no emprego, na oportunidade para as pessoas terem trabalho e terem comida, quando não tem comida, quando não tem trabalho não há paz. Esse é o melhor sentido da paz, esse é o melhor sentido de que nós estamos construindo aqui um estado de respeito, um estado de trabalho, um estado de eficiência, e um estado que olha e atua para as pessoas mais pobres e mais vulneráveis. Então aqui o Vale do Paraíba está muito contemplado, vocês ainda terão muitas oportunidades em coletivas de imprensa, na área de educação, na área de saúde, na área de ensino técnico, na área de infraestrutura, na área de saneamento, na área de proteção ambiental, na área da cultura, na área do esporte, e obviamente investimentos privados, nós ainda estaremos até o final do programa algumas vez aqui, ou eu, ou o Rodrigo Garcia, como vice-governador, além dos nossos secretários e secretárias. Então, Stefani, muito obrigado. Com isso nós encerramos a nossa coletiva. Muito obrigado, a todos. Obrigado, aos que puderam estar ainda, que não tenham tido a chance de fazer as suas perguntas. Obrigado, aos nossos amigos aqui também, do Vale, do Jornal Vale Paraibana, que eu tenho enorme respeito, família Salerno. Também os meus colegas da TV Vanguarda, do meu amigo [Ininteligível]. E a todos vocês, as demais emissoras também, muitíssimo obrigado. O pessoal do SBT, que está aqui, muito obrigado. Às emissoras de rádio também. Tenham um bom dia, se protejam, sejam felizes. Obrigado, pessoal.