Coletiva - SP anuncia que Delegacia Eletrônica fará atendimento virtual de violência doméstica 20200304

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - SP anuncia que Delegacia Eletrônica fará atendimento virtual de violência doméstica

Local: Capital - Data: Abril 03/04/2020

Soundcloud

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Boa tarde. Nós vamos dar início a mais uma coletiva de imprensa aqui no Palácio dos Bandeirantes em São Paulo, com a presença do Bruno Covas, prefeito da capital de São Paulo. Rossieli Soares, secretário da Educação da cidade de São Paulo, assim como Jos&ea cute; Henrique Germann, secretário da Saúde, e Dimas Covas, presidente do Instituto Butantã. Quero justificar, hoje começamos 13h30min, ao invés de 12h30min, que é o horário tradicional das nossas coletivas, porque tínhamos a informação de que a Organização Mundial de Saúde estaria fazendo às 12h30min uma comunicação de imprensa, e alteramos. A Organização Mundial de Saúde alterou o horário da sua coletiva de imprensa. Então as nossas desculpas, nosso objetivo era favorecer a informação de todos, a opinião pública, e principalmente a disponibilidade dos jornalistas de acompanharem as duas coletivas. Nas mensagens iniciais eu queria começar registrando mais uma vez a solidariedade aos familiares das vítimas do Coronavírus, lamentavelmente nós estamos no mês mais duro, ma is agudo, mais difícil da crise do Coronavírus, será um mês de notícias tristes para os brasileiros, nós temos que ter consciência disso, e a capacidade de reconhecer que este será o mês mais difícil da nossa crise. O embasamento para isso é científico, é dado pelos médicos e pelos especialistas do nosso comitê do centro de contingência do Coronavírus. Então nós estamos aqui mais uma vez nos solidarizando com aqueles que perderam seus familiares, não apenas em São Paulo, como em qualquer parte do Brasil. Quero também aqui deixar uma mensagem de solidariedade ao ministro da Saúde, o ministro Luiz Henrique Mandetta. O ministro tem sido dedicado, correto, fluído nas informações com os estados, todos eles, eu sou testemunha disso, e especialmente aqui com a área da saúde do governo do estado de São Paulo, e com o centro de contingência do COVID-19. Não só o ministro, como também os secretários executivos do Ministério da Saúde, tem sido corretos, exemplares na sua conduta, seguindo o protocolo e as orientações da Organização Mundial de Saúde. Então transmito ao ministro a nossa solidariedade, a certeza de que o seu esforço, ministro, é reconhecido por todos, pelo mundo da ciência, pelo mundo da medicina, pelo governador de São Paulo, sei que também outros governadores tem mantido através das suas Secretarias de Saúde, uma relação correta, altiva, republicana, distanciada de visão política, distanciada de ideologismo, de partidarismo, e uma visão técnica e científica. Esperamos, ministro, que o senhor continue cumprindo o seu papel, apesar de todo o esforço, sacrif ício, e resista, ministro, aos despreparados, a sua resistência como ministro da Saúde do Brasil está ajudando a salvar vidas de milhares de brasileiros, e os brasileiros estarão ao seu lado, e reconhecendo que o seu esforço ajuda a salvar vidas. Queria agora fazer os informes de hoje, do governo do estado de São Paulo, e também da Prefeitura de São Paulo, com o prefeito Bruno Covas. O governo do estado de São Paulo lança o ensino pela TV e pelo celular, com a internet gratuita para 3,5 milhões de alunos. Essa é a razão que justifica aqui a presença do secretário da Educação, e ex-ministro da Educação, Rossieli Soares, que está aqui ao nosso lado, e vai falar daqui a pouco a esse respeito. Esse centro de mídias da educação de São Paulo, através de plataforma digital, e através da TV Cultura vai permitir que os alunos da rede pública tenham acesso ao ensino, o ensino de qualidade, com professores, mestres, especialistas da Secretaria de Educação do estado de São Paulo. Os detalhes deste programa de educação à distância, repito, que vai atender 3,5 milhões de alunos, será dado na sequência pelo nosso secretário da Educação, Rossieli Soares. Queria também mencionar no dia de hoje, que deputados estaduais da Assembleia Legislativa de São Paulo, todos que fazem parte da bancada estadual, independentemente de partido, eu queria registrar isso de maneira muito enfática, cumprimentando os parlamentares da Assembleia Legislativa, através do seu Presidente, deputado Cauê Macris, através também do deputado Carlos Pignatari, todos os parlamentares transferiram as suas emendas para a saúde através do governo do estado de São Paulo, através da sua Secretaria de Saúde. São no total R$ 325 milhões em emendas, e o governo do estado de São Paulo respeita e paga as emendas dos parlamentares, que serão destinados à saúde, e as ações preventivas e de cura do Coronavírus. Já deste total, R$ 243 milhões serão liberados no máximo em dez dias, para o atendimento às pessoas que estão infectadas, as ações preventivas, o apoio aos municípios, como temos feito, desde o início desta crise, e as ações também de atendimento geral da saúde no estado de São Paulo. Os parlamentares da Assembleia Legislativa dão um exemplo, como deram os parlamentares federais, e nós anunciamos isso aqui na última quarta-feira, de uma visão correta, de um problema grave, que afeta o Brasil e o mundo, que é a crise do Coronavírus, uma crise de saúde e uma crise econômica. Abriram mão das suas visões partidárias, ideológicas, para em um gesto de humanidade estarem unidos em torno de uma mesma causa, salvar vidas em São Paulo. Portanto, quero cumprimentar deputadas e deputados da Assembleia Legislativa de São Paulo, que, repito, indistintamente dos seus partidos, tomaram a decisão de destinar integralmente as suas emendas para a saúde pública. Um gesto registrado para a história. Eu agora vou pedir a intervenção do nosso secretário da Educação, aliás, antes, porém, vou pedir licença a você, Rossieli, para uma outra informação. Hoje pela manhã acompanhando a transmissão de uma rede de televisão de um telejornal, fiquei preocupado porque vi uma matéria sobre delegacias de polícia aqui no estado de São Paulo, e especialmente em relação às mulheres, nós temos tido aqui em São Paulo uma posição de defesa intransigente das mulheres que são vítimas de agressões, ou de ameaças, aonde quer que seja. Vi a matéria com preocupação, liguei para o secretário da Secretaria de Segurança Pública do estado de São Paulo, General Campos, que está aqui acompanhando a nossa coletiva aqui ao lado, para orientar que todas as delegacias de polícia do estado de São Paulo, da Polícia Civil, possam estar funcionando, e em especial as DDMs - Delegacias da Mulher, nos seus horários de funcionamento, incluindo as delegacias que operam 24 horas por dia, sete dias por semana, 30 dias, ou 31 dias por mês, aqui no estado de São Paulo. As DDMs - Delegacias da Mulher estão funcionando normalmente, e acre scentamos também para todas as delegacias, sejam as Delegacias da Mulher, sejam as delegacias que atendem a todos, indistintamente, a possibilidade do registro de Boletim de Ocorrência de forma eletrônica. Mas isso não implica no não funcionamento e a operação das delegacias de polícia do estado de São Paulo. A orientação dada pelo secretário de Secretaria de Segurança Pública, ao delegado geral, doutor Ruy Ferraz de Campos, é para que as delegacias funcionem exatamente nos horários, e no formato com que sempre funcionaram, acrescido desta possibilidade do registro eletrônico que se faz através do www.delegaciaeletronica.policiacivil.sp.gov.br. Esse serviço já começou a funcionar desde o dia 2 de abril, mas eu quero voltar a registrar que ele opera 24 horas por dia, www.delegaciaeltronica.policiacivil.sp.gov.br. Nós temos em S ão Paulo 134 Delegacias da Mulher, é o estado brasileiro com o maior número de Delegacias da Mulher em todo o país, e dado o aumento do isolamento social, nós estamos atentos para a proteção das mulheres dentro das suas casas, dentro dos seus lares. Se precisarem depois de mais informações, na coletiva, ou após o término da mesma, o nosso secretário de Secretaria de Segurança Pública, General João Campos, estará à disposição. E agora sim voltamos ao tema da educação, passo a palavra ao ex-ministro da Educação, e secretário da Educação do estado de São Paulo, Rossieli Soares, que fará o uso da tela para a exposição deste programa. Rossieli.

ROSSIELI SOARES, SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, governador. Cumprimentar o governador e o nosso prefeito Bruno Covas, salientando, inclusive, governador, a parceria que a gente tem construído, nosso secretário municipal de Educação, Bruno Covas Caetano, que também está aqui. Estamos buscando cada vez mais, né, Bruno? Trabalhar em conjunto, a equipe que também tá aqui, a [ininteligível], quero agradecer muito, prefeito, todo suporte que a gente também tem recebido na prefeitura. A ideia do cent ro de mídias, ela já estava sendo trabalhada na secretaria, tem grandes experiências, cada vez mais o uso da tecnologia para apoiar, suportar, ser algo a mais para a educação, nunca a substituição de, mas, neste momento, ela tem, uma característica diferenciada por conta da pandemia. Então, pode passar, por favor, o que é o centro de mídias? Muito resumidamente. Então, os alunos poderão assistir aulas ao vivo e participar, interagir tanto pela televisão, quanto pelo celular, ou seja, vão assistir as aulas em mais de um mecanismo, e vão interagir, especialmente pelo aplicativo, é um ensino mediado por tecnologia, a ideia é que cada vez mais o professor, que é sempre a chave de tudo que a gente precisa, seja, continue sendo, mas mediado, chegando aos alunos por meio da tecnologia, nesse momento. Professor tem esse papel fundamental, e o aprendizad o deve acontecer em qualquer lugar, isso não é só agora, no momento da pandemia, é em qualquer momento, qualquer ambiente deve ser um ambiente de aprendizado para as nossas crianças. Pode passar, por favor. O que o aplicativo, então, aqui tem uma primeira telinha do aplicativo, ali, por exemplo, é a cara inicial, depois que a pessoa loga, vai ver, por exemplo, o nome de cada um dos canais que poderão estar transmitindo, pode ser canais de filosofia, de matemática, de língua portuguesa, de inovação e tecnologia, entre outros temas. Aqui no meio, a figura central é uma professora, por exemplo, dando uma aula com o chat acontecendo, esse chat é controlado também pelo professor, pode suspender, pode permitir, pode o aluno interagir ao vivo com o celular. Então, sempre aulas ao vivo, preferencialmente, teremos, logicamente, repositórios dos recursos, diversos can ais com conteúdos, alunos sempre poderão entrar, quando permitidos pelo professor, e transmitir também, o chat, para tirar dúvidas, e baixar materiais, a gente vai poder enviar materiais também, via aplicativo, para todos os estudantes. Pode passar, por favor, aqui é só um exemplo, ali à esquerda, por exemplo, a gente poderá ter grupos, por exemplo, dedicados a biologia, dedicados a matemática, dedicados a português, ou seja, ele é customizado pra aquilo que a educação necessitar. E dentro do grupo, logicamente, os debates focados dentro daquele objetivo. É importante ter, cada vez mais, mecanismos de interatividade, trocas de experiências, interação com os professores e isso é um dos grandes objetivos que nós temos. Pode passar, por favor. Uma outra coisa importante é que nós estamos, governador, fechando, então, uma parceria com a TV Cultura, que é uma televisão muito importante do nosso estado, ela tem o canal 2.1, que transmite a televisão cultura, o 2.2 com a [ininteligível] e o 2.3 passará a ser a TV Cultura e educação, para este momento e para momentos a seguir, nós vamos estar utilizando este espaço também para transmissão ao vivo, de conteúdos direcionados para educação. Então, já a partir de segunda-feira, nós já teremos a transmissão de aulas ao vivo, com, inclusive, negociando, trabalhando em conjunto com a prefeitura, para que tenhamos, inclusive, conteúdo pra educação infantil, primeiro ao quinto ano, que seja um ambiente que a gente consiga levar a todos os [ininteligível] do nosso estado. Todas as funcionalidades do aplicativo estarão disponíveis, o professor dá aula ao vivo na TV Cultura e o a luno pode interagir no aplicativo, porque um dos canais também estará conectado com quem estiver lá no estúdio, na TV. E nosso objetivo é chegar até dez horas de programação diária ao vivo, com conteúdos, certo? Lembrando que a rede estadual, neste momento, está em recesso escolar, nosso recesso termina no dia 20 de abril, então, aulas, calendário escolar só serão discutidos após essa data. Mas isso não significa que nós não tenhamos que dar oportunidade de aprendizado aos nossos estudantes, pode passar. Algo muito importante, que é a equidade, então, depois de um bom e amplo processo de discussão, nós conseguimos garantir a internet gratuita pros nossos estudantes, então, sempre que ele logar neste aplicativo, ele não pagará, mesmo que ele seja um pré-pago, ele não pagará da sua internet, nós estaremos, o governo, investindo na educação em qualquer ambiente. Isso é uma inovação e somente São Paulo está saindo na frente com esse serviço, governador, no Brasil inteiro. Então, nós teremos oportunidades iguais aos nossos estudantes, as pessoas [ininteligível] e tem aparelho, os estudos mostram que nós temos mais aparelhos, smartphones, do que pessoas no Brasil e no próprio Estado de São Paulo. Então, lógico que o grande desafio é a internet. Então, ele não precisa de wifi, ele vai usar 3G, 4G, a internet disponibilizada pela [ininteligível], todas elas firmaram acordo conosco e a secretaria de educação vai patrocinar, então, vai pagar por este serviço. Todos os alunos, então, terão acesso gratuito. Pode passar. Agora, aqui, eu queria mostrar, governador, est&aacu te; acontecendo, pode até aumentar o volume um pouquinho, essa aula teste está acontecendo ao vivo, esta é a [ininteligível], ela é uma das dez finalistas do concurso de melhores professores do mundo, e esta professora, que é da rede municipal, que hoje está nos ajudando, né, [ininteligível] nos ajudaram muito com isso, ela vai poder dar aula para milhares e milhares de estudantes, esta aula está ao vivo, neste momento, ela vai dar esta aula em todo sistema aberto, na segunda-feira às dez horas, que é a aula inaugural no aplicativo, governador. E esta é só uma demonstração do que está por vir. Pode... Pode retirar já do ar. Concluindo, governador, nós teremos todas as programações no site da secretaria de saúde, no site do centro de mídias de São Paulo, e muito trabalho em parceria tanto com as prefeituras, qu anto outras instituições, só pra se ter uma ideia, governador, nós temos uma série de apoiadores que estão doando muitas coisas pra que a gente conseguisse colocar isso no tempo, né, como a empresa IPTV, que nos ajuda com o software, a [ininteligível], que está doando seis milhões e meio de reais em armazenamento, pra que a gente possa fazer o processamento, a Fundação Roberto Marinho, a Secretaria de Educação do Estado do Amazonas, que tem muitos conteúdos, Descomplica, o Sebrae, a TV Cultura, logicamente, a Secretaria da Cultura, que é uma parceira muito importante, o Instituto Palavra Aberta, entre outros tantos que estão nos ajudando neste momento, com doações de conteúdos, de serviços, de produtos, que possam apoiar a educação neste momento importante, governador. É isso, agradeço a todos e um bom dia.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, secretário de educação, Rossieli Soares, antes de passar ao Bruno Covas, prefeito da capital de São Paulo, eu queria transmitir as minhas desculpas ao secretário Bruno Caetano, eu não tinha feito a menção a sua presença aqui, o Bruno é o secretário da educação da cidade de São Paulo, tem sido um grande parceiro do estado em várias iniciativas. Inclusive nessa. Bruno Covas.

BRUNO COVAS, PREFEITO DA CIDADE DE SÃO PAULO: Boa tarde a todos, aproveitando aqui o tema educação, além toda parceria que nós temos com o Governo do Estado, já mencionado aqui pelo secretário Rossieli, nós também teremos uma plataforma digital específica para os professores da rede municipal de ensino, pra eles se comunicarem com os alunos da rede municipal, a plataforma doado pela Google, a quem agradeço, mais uma vez, por essa doação. Também teremos um aplicativo específico pra trocas de experiências da fam&ia cute;lia, com os professores, dúvidas relacionadas aos cartões alimentação que foram enviados, aos uniformes, que estão sendo licitados pelo secretário Bruno Caetano. E também vamos enviar, a partir do dia 13, porque, no caso do município de São Paulo, o recesso termina no dia nove, quinta-feira da semana que vem, como dia dez é sexta-feira santa, é feriado, as aulas, então, retornam a partir do dia 13, segunda-feira, nós vamos enviar pra todos os um milhão, mais de um milhão de alunos que nós temos na rede municipal de ensino, um caderno de atividades, que foi elaborado pelos professores da rede municipal de ensino. São dois cadernos para o ensino infantil, um pras crianças que estão nas creches, outro pras crianças que estão nas [ininteligível], são nove cadernos pros alunos do ensino fundamental, um pra cada ano d o ensino fundamental, e um caderno pros alunos do ensino médio. Eles receberão pelos Correios esse material, é um material dirigido, em primeiro lugar, aos pais, pra que possam ajudar os filhos a se organizarem dentro de casa, e depois a todas as crianças, aos nossos mais de um milhão de alunos, que vão receber. Esse material, né, elaborado a custo zero, porque foi elaborado pelos professores da rede, está disponibilizado no site da Secretaria Municipal de Educação, pra que cada município, pra cada prefeito que queira fazer o download e disponibilizar também pros seus alunos da rede municipal, possa fazer, já com a autorização da prefeitura municipal de São Paulo. Foi publicado também no Diário Oficial do dia de hoje, um decreto municipal que estabelece alguns pontos pra tentar reduzir o impacto social e econômico por conta da crise do coronav&i acute;rus. Ele estabelece a prorrogação por 90 dias das validades das certidões conjuntas negativas de débito e certidões conjuntas positivas com efeito de negativa, emitidas pela Secretaria da Fazenda, ele suspende por 60 dias do envio de débitos inscritos na dívida ativa ao tabelionato de protestos e letras e títulos, ele suspende por 30 dias a inscrição em dívida ativa de débitos perante o município de São Paulo, ele suspende por 90 dias a inclusão de pendências no Cadin. Ele suspende por 30 dias os prazos de apresentação de impugnação e recursos tributários, e ele concede três meses de carência para o pagamento da retribuição mensal de locação dos imóveis de programas habitacionais do município, o que beneficia mais de 30 mil famílias aqui na cidade de São Paul o. No dia de ontem nós refizemos os cálculos, a Secretaria de Fazenda refez os cálculos em relação à expectativa que o município tem de perda de arrecadação por conta da crise do Coronavírus. Nós tínhamos mencionado dias atrás que a expectativa que a prefeitura trabalhava era de uma perda de arrecadação de R$ 1,700 bilhão, e agora nós já trabalhamos com uma expectativa de perda de arrecadação de R$ 3,600 bilhões. Apesar dessa expectativa, o município foi favorável à decisão do conselho gestor do Simples Nacional, que estabeleceu um prazo de carência de três meses em relação ao pagamento dos tributos municipais no Simples Nacional. Isso vai beneficiar só aqui na cidade de São Paulo 760 mil MEIs, 496 mil microempresários, que tem faturamento até R$ 360 mil por ano, e 75 empresas de pequeno porte, que tem faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 3,600 milhões. Ou seja, é um diferimento que impacta as contas aqui do município em R$ 500 milhões, mas vai beneficiar 1,331 milhão de pessoas jurídicas entre MEIs, empresas de pequeno porte, e micro empresas na cidade de São Paulo. Era isso, governador. Muito obrigado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, prefeito Bruno Covas. Vamos aos informes da saúde, antes de iniciarmos as perguntas dos veículos de comunicação que estão aqui, presencialmente, os que estão online, secretário da Saúde, José Henrique Germann.

JOSÉ HENRIQUE GERMANN, SECRETÁRIO DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO: Muito boa tarde. Estamos aqui para os dados de hoje, por favor, isso. Nós temos a incidência de casos no Brasil de 7.910, e uma mortalidade de 299 pacientes, e o que equivale um pouco menos que 5%. No estado de São Paulo nós estamos com 3.506 casos confirmados, e 214 óbitos, o que dá um pouco acima de 5%. Na questão relacionada às internações, ao censo, nós temos 395 pacientes em regime de tratamento intensivo, e 489 em regime de enfermaria. Gostar&iacut e;amos também de informar a respeito das análises que foram feitas de ontem para hoje, relacionadas aos óbitos, as análises de confirmação, e nós tivemos uma positividade de 26 casos positivos em 180 casos, aproximadamente. Então nós estamos trabalhando aí com a expectativa de um pouco menos de 20%. Tem 19 amostras ainda em fase final de análise, eu acredito que a gente tenha uma modificação muito importante a respeito dessa positividade. Acho que era o que nós tínhamos para comentar, e eu gostaria, por favor, que o Dimas Covas complementasse a questão das análises.

DIMAS COVAS, PRESIDENTE DO INSTITUTO BUTANTÃ: Boa tarde. Em primeiro lugar, isso é efeito já do mutirão, os funcionários do Adolfo Lutz, eu acho que tem que ser parabenizados nesse momento, em paralelo com as outras ações para resolver os casos que tinham armazenados, nos 16 mil casos. Houve a habilitação de mais três laboratórios, o Hospital de Clínicas da Unicamp, o Hemocentro de Botucatu, e o próprio Instituto Butantã. E além disso, mais três laboratórios privados de grande porte, se colocaram à i nteira disposição, o Fleury, o Dasa, e o Einstein. Fechamos também ontem a importação de 1,300 milhão testes RTPR com a Coreia, e agora nós já estamos discutindo como é que esse material vai chegar aqui até o dia 15 de abril, existe aí uma dificuldade de transporte, mas nós estamos avaliando várias alternativas. E a rede está, de fato, agora se organizando e aguardando a chegada dos insumos para começar a operar e resolver os exames parados, e aí não ter mais acúmulo de material. A prioridade nesse momento são os pacientes graves e internados, os profissionais de saúde, isso é importante, e os óbitos, esperamos que isso seja rapidamente equacionado.

JOSÉ HENRIQUE GERMANN, SECRETÁRIO DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO: Senhor governador, só um minutinho. Eu gostaria de aproveitar, hoje nós tivemos, nós fizemos uma análise aqui da vacinação que foi feita, e temos um recorde de pessoas vacinadas, 84% dos idosos já foram vacinados, nós começamos a vacinação no dia 23, como vocês se lembra, 56% dos profissionais de saúde, ou seja, dando um total aí de 4,8 milhões de pessoas vacinadas. É um resultado bastante significativo, fruto do empenh o das unidades de saúde e das prefeituras do interior, para que isso ocorresse. Estamos indo em um bom caminho, e com relação também à questão da vacinação. E lembrar a todos o fique em casa, nós temos esse jeito para falar, do fique em casa, porque, de fato, é o que nós precisamos fazer como prevenção a respeito de novos casos do COVID-19. Além disso, um cuidado extremamente especial, muito cuidadosos com os nossos idosos, que são a parte frágil dessa segmentação aí dos casos que são atingidos pela virose. Muito obrigado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, doutor Germann, secretário da Saúde do estado de São Paulo. Registro que aqui também estão presentes, e se necessário para atendimento à imprensa, a Célia Parnes, que é a nossa secretária de Desenvolvimento Social, na área de proteção social e atendimento às comunidades em todo o estado de São Paulo. Fernando Capes, que é o diretor geral do Procon. E também a Helena Sato, que é a nossa Controladoria do centro de co ntingência do COVID-19. Vamos então iniciar as perguntas, nós temos oito veículos de comunicação inscritos, é sempre este o número, vamos intercalar com presencial e online. E começamos com a jornalista Maria Manso, da TV Cultura. Boa tarde, e sua pergunta, por favor.

MARIA MANSO, REPÓRTER: Boa tarde, a todos. Minha pergunta é para o secretário Rossieli, eu tomei a liberdade de conversar com algumas escolas parlamentares que começaram as aulas online antes da rede pública, e eles notaram dois ajustes que foram necessários, e eu queria saber se a rede pública também vai fazer isso? Eles notaram que para um maior conforto, os alunos precisavam manter uma rotina, quer dizer, nos mesmos horários que eles faziam as aulas presenciais, eles se colocavam para receber as aulas online, e com a própria turma deles, com os mesmo s professores, e com os mesmos colegas ali naquele esquema de dividir a tela, e eles conseguirem se ver para manter esse contato social. E eles também notaram que os alunos levavam, de preferência, para os professores que eles confiavam e tinham mais intimidade, as angústias desse período de isolamento, faziam muitas perguntas sobre essa crise, sobre a pandemia, e também pergunta sobre o futuro. Então eu queria se os nossos professores da rede pública também vão estar preparados para receber essas angústias dos alunos? Obrigada.

ROSSIELI SOARES, SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Maria, obrigado pela pergunta. Sempre que possível manter a rotina é importante no processo educacional, seja na escola, seja também dentro de casa. Logicamente é muito diferente uma escola particular, de uma rede como a rede estadual, ou como a rede municipal de educação. Nós estamos também preparando as orientações dessas rotinas. Em dois momentos, nós estamos chamando de fase este período de recesso, por exemplo, então as atividades que a gente vai fornecer agora elas não contarão como calendário, atividades que contarão como calendário somente após dia 21 de abril, que é aquilo que o prefeito Bruno Covas explicou aqui em relação à prefeitura, a partir do dia 13 de abril, em tese, seria a retomada por conta do recesso. Esse tempo do estado tem uma pequena diferença, o nosso seria a partir disso. A partir disso, na fase dois, nós teremos rotinas novas estabelecidas com horários, por etapa, por séries, e teremos canais também, onde os professores poderão interagir com os seus alunos. Mas não será uma transmissão de cada aula, de cada um, porque a gente está falando de até 3,5 milhões de alunos. Desculpa, governador, esqueci, desculpa, Maria. Em relação às angústias, olha, o canal ele prevê uma série de possibilidades, e eu queria destacar inclusive as iniciativas já feitas, que já foram feitas pelas nossas escolas e pelos nossos professores, desde a semana do dia 16, quando a gente anunciou no dia 13, nós lançamos orientações aos nossos professores que eles já começassem com orientações, e começassem a criar canais de comunicação com os seus estudantes, muitas escolas estão com páginas próprias, com materiais próprios, coisa que a gente incentiva, e é muito importante que aconteça. Então nós estamos dando um suporte muito importante, e é algo a mais para além da própria rotina. Os nossos professores estão preparados dentro daquilo que é possível, estamos tendo formação, vamos ofertar mais informações p ara esse tema, mas todos nós também estamos vivendo essa novidade, o aluno também tem angústias assim como o professor também as tem, esse é o momento de compartilhar as soluções e o mecanismo poderá ajudar muito nisso.

BRUNO COVAS, PREFEITO DA CIDADE DE SÃO PAULO: Queria só aproveitar, pegar um gancho aqui e em primeiro lugar esclarecer que também nesse material impresso enviado aos pais e alunos um dos itens iniciais é exatamente ajudar os alunos a formar uma grade horária semanal para que eles possam se organizar como é o caso que a rede privada aprendeu a fazer com os alunos da rede privada, mas apenas para deixar claro, porque eu acho que não fui claro quando falei inicialmente, esse material que chega, das aulas a partir do dia 13, ainda dentro de casa, as escolas não voltam, por enquanto não está programada a volta das escolas seja no município, seja no estado, o material, esse caderno é para dois meses, caso a suspensão do fechamento das escolas se dê nesse período esse material pode continuar ser trabalhado dentro da escola mas de qualquer forma ele já tem um material para trabalhar pelos próximos dois meses e deixar claro que isso não significa que as portas das escolas voltam a abrir a partir do dia 13.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado Bruno, obrigado secretário, nós vamos agora, obrigado Maria Manso, nós vamos agora ao Diário do Grande ABC, com Aline Melo, eu não sei se ela estará em tela ou senão a Flávia Soares está. Aline Melo, do Jornal o Diário do Grande ABC, boa tarde, sua pergunta, por favor.

ALINE MELO, JORNALISTA DO JORNAL O DIÁRIO DO GRANDE ABC: Boa tarde a todos. Eu queria que o secretário de educação destacasse, detalhasse como que vai ser esse acesso para os alunos que não têm crédito no celular que não têm como acessar internet e se houve alguma iniciativa de melhoria de rede em locais onde o sinal é ruim, por exemplo, aqui na região do grande ABC, as regiões pós-balsa em São Bernardo os celulares funcionam muito mal como que vai ser essa questão para os alunos que moram lá. Obrigada.

ROSSIELI SOARES, SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom, vamos lá, o acesso ao aplicativo, ele é por senha ele já está disponível tanto para Android como para IOS os alunos da rede estadual já podem baixar, os professores já estão começando a acessar para conhecer, a medida que ele loga, automaticamente a internet passa a ser paga pelo estado, Aline, pela secretaria de educação, então, existe um controle para cada coisa, cada movimento porque a gente vai pagar por mega consumido por aluno e aí mesmo que ele tenha um pré-pago, ele isso vai ser pago porque a empresa não vai cobrar nem , de nenhum tipo de acesso dentro desse aplicativo. Em relação a estrutura das telefonias, existem uma série de fatores desde a regulação federal até regulações de cada município sobre poder ter mais antenas e não poder ter mais antenas, não é um tema que a educação consiga resolver, nós sabemos que existem uma série de desafios em relação à estrutura, à logística nós sabemos que vai ter sim dificuldade de conexão em algum lugar mas nós sabemos também que vamos sim conseguir atender absoluta maioria dos nossos estudantes e para aqueles que nós não conseguimos por ventura, apoiar por aprendido nesse momento, Aline, nós teremos que fazer um grande esforço de recupera&ccedil ;ão acompanhamento para esses alunos quando retornarmos às aulas seja qual for a data.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, secretário Rossieli, obrigado jornalista Aline Melo, vamos agora à pergunta presencial, a jornalista Marcela da CNN. Marcela Hahal, boa tarde, sua pergunta, por favor.

MARCELA RAHAL, JORNALISTA CNN: Olá, boa tarde, boa tarde a todos. Bom, a pergunta é para o secretário Rossieli ainda sobre essa questão das aulas online, como está com a minha colega aqui, tem uma dificuldade acontecendo na própria rede particular de ensino, dos pais que não conseguem acessar de que a internet cai, quantas horas esses alunos vão ter que ficar na frente do celular, ou da TV, essa aula vai contar como uma aula no período letivo, vai ter prova, como que é que vai ser feito isso? E se essa medida está sendo implementada quer dizer qu e a quarentena também vai continuar? Obrigada.

ROSSIELI SOARES, SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Marcela, vamos lá. Fase 1 é o momento que nós estamos chamando de engajamento, de preparação de conhecer a ferramenta de trazer diversos, eu vou dar um exemplo, Ministério da Educação essa semana anunciou o ENEM, então nós vamos ter aulas preparatórias para o ENEM, não vai contar presença vai contar nota nesse momento mas se o aluno que quer fazer o vestibular, que quer fazer o ENEM no final do ano ele vai ter o canal para que ele p ossa tirar dúvidas, para que ele possa ter conteúdos, por exemplo, quando chegarmos lá próximo do retorno do calendário, ou seja, passado o recesso dos alunos, as férias dos professores que começam as férias oficiais dos professores do estado começam do dia 6 até o dia 20, ou seja, nós não teremos atividades com os professores das escolas, a não ser aqueles convocados especificamente que estarão em estúdio, por opção que a gente fez um processo de seleção por adesão dos nossos professores nós aí sim estaremos estabelecendo grade horária, como é que vai funcionar e o que servirá e o que não servirá, isso nós só vamos estabelecer lá próximo do dia 15 ou 16 de abril. Por quê? Primeiro nós estamos decidindo sobre retorno ou não retorno isso &eacu te; questão de saúde não é questão da educação, enquanto forem vidas a serem salvas, a prioridade quem vai determinar assim como foi a suspensão, foi através de uma determinação da área de saúde, também será o retorno quando tivermos segurança nós estamos trabalhando juntos com planos A, B, C, D, se tiver que voltar em abril, estaremos preparados, se tivermos que voltarmos em maio estabeleceremos preparados ou seja qual for esse prazo desde que a gente garanta que estamos trabalhando para salvar a vida das pessoas.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, secretário, Rossieli Soares, obrigado jornalista Marcela Hahal, CNN, vamos agora à jornalista Silva Amorim do Jornal O Globo, ela já está em link conosco em tela, boa tarde, Sílvia, sua pergunta, por favor.

SILVA AMORIM, JORNALISTA JORNAL O GLOBO: Boa tarde. Governador, minha pergunta é para o senhor, eu vou continuar no campo da educação, mas com uma abordagem um pouquinho diferente, pais de alunos de escolas particulares começaram a receber avisos de retorno das aulas já para essa segunda-feira dia 6, aulas presenciais, eu queria saber se há algum impedimento para isso no decreto de quarentena que foi decretado pelo senhor e qual é a recomendação que o governo do estado faz hoje à escolas da rede privada que tenham em mente o retorno das atividades escol ares agora para segunda-feira portanto, antes do fim do decreto de quarentena.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Sílvia, obrigado pela pergunta, importante e significativa, sobretudo para esclarecimento não só a professores e gestores de escolas como também pais de alunos, tanto de escolas privadas quanto pública, eu desconheço quais as escolas não é o caso de fazer menção, mas eu quero voltar a recomendar clara e objetivamente, as aulas não podem ser retomadas sem prévia e expressa autorização do governo do estado de São Paulo, portanto se alguma escola p rivada orientou, comunicou seus alunos, professores, e colaboradores para voltar às aulas no dia 6, errou, ela deve aguardar orientação do governo do estado de São Paulo, nesse momento a quarentena impede a realização de aulas seja no campo público ou privado em todos os níveis de educação. Portanto, Sílvia, muito obrigado pela pergunta, feito o esclarecimento, vamos agora a uma pergunta aqui presencial, da jornalista Beatriz Manfredini, da Rádio, Jovem Pan, Beatriz, boa tarde, sua pergunta, por favor.

BEATRIZ MANFREDINI, JORNALISTA RÁDIO JOVEM PAN: Boa tarde a todos, minha pergunta vai fugir um pouquinho educação, vai para o prefeito Bruno Covas, prefeito, ontem circulou uma imagem, foi até parar no jornal Washington Post de covas sendo abertas no cemitério da Vila Formosa e na entrevista já Jovem Pan ontem o presidente Jair Bolsonaro questionou até a veracidade dessa imagem e disse que isso não era medida de prevenção e sim de sensacionalismo, de terrorismo, enfim, queria um comentário seu sobre isso. Obrigada.

BRUNO COVAS, PREFEITO DA CIDADE DE SÃO PAULO: Obrigado, agradeço a pergunta. A imagem primeiro lugar é real, mas é importante esclarecer que ela não tem nenhuma relação com o momento que nós passamos, todo ano ao final do período das chuvas, isso é feito nos cemitérios municipais para preparar o cemitério para o ano todo, então, portanto não há nenhuma novidade no que foi feito em 2019, 2018, 2017, essa imagem ela pode ser feita todos os anos nos cemitérios municipais, não foi feita excepcionalmente por c onta do Coronavírus e ela é feita sempre nesse período quando termina o período de chuvas.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado prefeito Bruno Covas, obrigado Bia pela sua pergunta. Vamos agora à uma outra pergunta online, do Jornal O Vale aqui de São José dos Campos, jornalista Chandu Alves, Chandu, você já está em tela, boa tarde. Sua pergunta, por favor.

CHANDU ALVES, JORNALISTA JORNAL O VALE: Boa tarde a todos, boa tarde, governador, o Dr. Davi Uip disse em entrevistas anteriores que o pico da doença no estado poderia ocorrer a partir do meio e no final do mês de abril, portanto a contaminação desse grande contingente ele deve ocorrer já nos próximos dias, nas próximas duas semanas, que medidas tomará o governador para frear essa contaminação nesse período critico?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado Chandu pela pergunta, eu vou dividir obviamente com o Dr. José Henrique Germann, que é o nosso secretário de saúdem, mas vou antecipar que estamos tomando as medida necessária e a melhor medida além das ações preventiva de saúde, preparação do sistema hospitalar, do sistema de atendimento, de equipamento de proteção individual de compra e aquisição de respiradores, mobilização de prefeituras municipais, como tem feito o Br uno Covas aqui na capital de São Paulo, é fique em casa. Para mais informações, secretário José Henrique Germann.

JOSÉ HENRIQUE GERMANN, SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO: Exatamente, como disse o governador, este é o principal elemento de prevenção a respeito da questão do enfrentamento da virose, é o fique em casa e o cuidado especial com os idosos. Paralelamente, a gente tomou outras atitudes, como, por exemplo, a que eu citei agora a pouco, a vacinação contra a gripe, a vacinação contra a gripe foi no sentido de que a gente tirasse, via biologicamente, as pessoas que pudessem estar com gripe, tem uma sintomatologia parecida com o c oronavírus. Então, isto são medidas, outras também, do ponto de vista de ter os estoques de EPI em ordem, estamos com a rede preparada também para atendimento. Hoje nós temos 200 e... Quase 300 pessoas em terapia intensiva e, enfim, tudo isso faz no sentido de prevenir a incidência da doença, proteger aqueles que estão positivos e evitar a morte.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Reparando na pergunta do jornalista [ininteligível], a vacinação contra a gripe prossegue em todo Estado de São Paulo, pedir ao secretário que informe até que data a vacinação está sendo feita aqui no Estado de São Paulo, a vacinação contra a gripe, pra que você, que está em casa nos acompanhando, neste momento, saiba que ainda pode e deve ser vacinado contra a gripe. Secretário.

JOSÉ HENRIQUE GERMANN, SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO: Vai até maio, então, nós teremos a vacinação durante esses meses todos, parte de março, abril e maio, no sentido de que a gente possa atingir todos os segmentos, o próximo segmento também seria, então, pras crianças, e assim sucessivamente, para que a gente possa colocar num programa de vacinação todo nosso objetivo a respeito de prevenção de doenças que são cobertas por vacinação.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, secretário. Vamos a uma nova pergunta presencial, da TV Globo e Globo News, jornalista William Cury, William, boa tarde, sua pergunta, por favor.

WILLIAM CURY, REPÓRTER: Boa tarde, tudo bem? Um estudo sobre transparência das ações do coronavírus coloca São Paulo em décimo lugar aqui no país, entre os problemas apontados nós temos a falta de informações sobre a epidemia, a quantidade de testes disponíveis, número de leitos ocupados com doentes de corona, em relação ao total, e também sobre data de mortes, né? Eu queria saber porque o governo não tem divulgado a data dessas mortes, que são divulgadas diariamente, que a gente sabe que n&a tilde;o é mortes que ocorreu ontem, né, são mortes que vêm ocorrendo, por que o governo prefere não divulgar a data dessas mortes? E ainda sobre aquela, as 201 mortes que foram apuradas pelo Instituto Adolfo Lutz, reveladas hoje, tem aquele índice de mortes de casos que não puderam ser analisados, que as amostras tinham algum problema, isso não é preocupante pra apuração dos fatos?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: William, vamos dividir a pergunta com os profissionais da saúde, começando com o Dr. Dimas Covas, que é o diretor-geral do Instituto Butantan, mas eu queria desde já esclarecer que a orientação do Governo do Estado de São Paulo é transparência absoluta, todas as informações disponíveis e acessáveis, não apenas aos jornalistas, a imprensa, mas a opinião pública, os nossos sites e o Dr. Dimas pode se referir a isso também, abrem todas as informações, não há nenhuma informação omitida, escondida ou deliberadamente retardada a opinião pública, eu, desde o início das nossas coletivas, e essa é a 25ª coletiva que nós estamos participando, disse que nós temos aqui uma guerra de saúde, uma guerra econômica e uma guerra de informação, e vencer a guerra de informação é oferecer informações corretas, precisas e transparentes aos meios de comunicação e a população. Dr. Dimas Covas, diretor-geral do Instituto Butantan.

DIMAS COVAS, DIRETOR-GERAL DO INSTITUTO BUTANTAN: William, toda estatística, ela olha pro dia de ontem, né, ela não olha pro dia de hoje, quer dizes, esses dados, eles são coletados em toda rede de saúde do Estado de São Paulo, pública e privada, então, quando eles chegam, eles são disponibilizados imediatamente. Na questão dos testes, né, nós vamos colocar isso online, a ideia é que fez o teste, ele já caia direto na rede, né? E um outro ponto importante, nós temos que olhar pras projeções, quer d izer, nós estamos olhando no retrovisor, nós temos que olhar pro visor dianteiro do carro e ver o que tem na nossa frente, e a questão que vem pela frente, neste momento, é importantíssima, quer dizer, mais duas ou três semanas, nós vamos conhecer exatamente o tamanho dessa epidemia, nós estamos no começo dela, e vamos saber se vamos encontrar um Everest pela frente ou um monte mais suave, eu acho que essa é a questão fundamental.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Dr. Dimas. Obrigado, William Cury, pela pergunta. Vamos a última pergunta, são 14 horas e 19 minutos, que é presencial também, da jornalista Livia Raick, do SBT, Livia, boa tarde, obrigado pela sua presença, sua pergunta, por favor.

LIVIA RAICK, REPÓRTER: Boa tarde. Na verdade, eu queria, antes, um detalhamento dos números, mas isso já foi dado, então, minha pergunta vai ser pro prefeito, eu queria saber, hoje a gente flagrou ainda muitos comerciantes abrindo as portas, camelôs, mesmo ainda na exigência da quarentena, eu queria saber um pouco sobre essa vigilância, sobre essa fiscalização.

BRUNO COVAS, PREFEITO DA CIDADE DE SÃO PAULO: Nós temos dois mil fiscais das subprefeituras que estão nas ruas, qualquer tipo de denúncia pode ser feita no 156, então, por favor, encaminhar ao 156 qualquer denúncia em relação a comércio de serviço ou de bem não essencial, que esteja aberto. E, mais uma vez, pedir a colaboração da população, né, enfim, essa não é questão de responsabilidade exclusiva do Poder Público, embora a gente não abra mão da nossa responsabilidade, mas é também de toda população, a gente sabe que as pessoas, às vezes, vão ficando cansadas de ficar dentro de casa, vão falando, ah, tudo bem, não tem problema se eu pegar, só que sair de casa não é só arriscar a própria vida, é arriscar a vida dos seus pais, dos seus avós, dos seus filhos, dos seus netos, dos seus amigos, dos seus parentes, dos seus vizinhos, enfim, é um ato humanitário poder respeitar esta quarentena. Então, a gente tem dois mil fiscais na rua, a orientação é fechar o estabelecimento, em caso de reabertura fechar e caçar o alvará de funcionamento, e sempre encaminhar o caso à Polícia Civil pra apurar a prática de crime, previsto na legislação federal.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, prefeito Bruno Covas. Obrigado, Livia Raick, do SBT. Eu queria endossar, já ao final aqui da nossa coletiva, a observação feita pelo prefeito Bruno Covas, além das determinações das autoridades estaduais e municipais, aqui destacadamente na capital de São Paulo do Bruno Covas, a orientação é que as pessoas exerçam a sua cidadania, obviamente se protejam e sejam responsáveis, pessoas que agem irresponsavelmente, saindo às ruas, participando de aglome rações ou promovendo, ou estimulando, além de poderem ser devidamente advertidas ou até mesmo punidas pela legislação, estão colocando em risco as suas vidas e as vidas de outras pessoas, seus familiares, seus amigos, seus vizinhos e outras pessoas, portanto, nós temos que enfrentar esta guerra com responsabilidade, e se você tem responsabilidade, fique em casa, não saia, exceto em casos de extrema urgência, ou se você faz parte daquele grupo de pessoas que tem que servir a comunidade na área de saúde, na área de segurança, na área de serviços essenciais, ou abastecimento, fora disso, fique em casa, cultive novos hábitos dentro da sua casa, faça aquilo que você não fez ao longo dos últimos anos, dialogue, converse, faça a leitura de um livro, assista com os seus familiares os noticiários, as informaç ões que o seu canal preferido, no streaming, ou na televisão aberta, televisão fechada, vai informar você corretamente. Abra as páginas dos veículos de comunicação de mídia impressa no plano eletrônico e os sites, para se informar corretamente e dialogue com a sua família, vamos também voltar ao hábito do passado, onde não tínhamos circunstâncias de pressões, como o mundo moderno, onde as pessoas dialogavam em casa, conversavam, pais com os filhos, filhos com seus pais, então, retomem esse exercício, e façam também coisas simples, para jogar, para compartilhar jogos, coisas que, no tempo da minha juventude, eu fazia, depois deixamos de fazer, o mundo mudou, durante esse período da crise vai exigir que você também saiba se adaptar, saiba ter consciência do seu valor, da sua vida e da vida das outras pessoas. E, mais uma vez, a recomendação das autoridades devem ser seguidas por aquelas pessoas que sabem quais são as autoridades que orientam corretamente a população, siga as orientações do Ministério da Saúde, as orientações da Secretaria da Saúde do estado ou do seu município, as orientações do Governo do Estado de São Paulo e a orientação mais importante, fique em casa. Muito obrigado, uma boa tarde, bom final de semana, voltaremos aqui na próxima segunda-feira, às 12 horas e 30 minutos com uma nova coletiva. Obrigado, bom final de semana a todos.