Coletiva - SP atinge 78,8 milhões de doses da vacina do Butantan entregues ao Ministério da Saúde 20212308

De Infogov São Paulo
Revisão de 16h18min de 26 de agosto de 2021 por Fincatibianca (discussão | contribs) (Criou página com ''''Coletiva - SP atinge 78,8 milhões de doses da vacina do Butantan entregues ao Ministério da Saúde 20212308''' '''Local: Capital – Data: [http://infogov.imprensaof...')
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - SP atinge 78,8 milhões de doses da vacina do Butantan entregues ao Ministério da Saúde 20212308

Local: Capital – Data: Agosto 23/08/2021

Soundcloud

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Pessoal, mais uma vez, bom dia, a todos. Hoje estamos entregando mais 4 milhões de doses da vacina do Butantan, agora totalizando 78,850 milhões de doses da vacina do Butantan, para a imunização dos brasileiros. Repetindo, hoje estamos entregando 4 milhões de doses da vacina do Butantan, totalizando 78,850 milhões de doses da vacina do Butantan, da vacina da vida, para o Programa Nacional de Imunizações. E eu volto a repetir, até 31 de agosto estaremos concluindo a totalidade dos 100 milhões de doses da vacina do Butantan para o Programa Nacional de Imunizações, antecipando 30 dias a data limite para entrega dessas 100 milhões de doses da vacina do Butantan. E a partir do dia 1 de setembro nós estaremos atendendo governadores e prefeitos que solicitaram a vacina do Butantan, a Coronavac, para complementação dos seus programas vacinais. Eu destaco a decisão do governador do estado do Ceará, governador Camilo, e o governador adquiriu 3 milhões de doses da vacina do Butantan, ele receberá já agora no início de setembro, assim como os governadores dos estados do Piauí, Wellington Dias, e do Espírito Santo, José Renato Casagrande, cada um solicitou 0,5 milhão de doses da vacina, os contratos estão em elaboração, o do Ceará o contrato já está assinado, tão logo os contratos estejam assinados, também a programação para o início de setembro para entrega de mais 0,5 milhão de doses, aos respectivos estados do Espírito Santo, e do Piauí. Há outras consultas de governadores de outros estados, e também de prefeitos de cidades, tão logo tenhamos essa confirmação definitiva, e o início da elaboração dos contratos, nós poderemos nominar. Quero dizer que aqui ao meu lado estão o Rui Curi, o Renato Sato, o Rui é o presidente da Fundação Butantan, o Sato é o superimportante da Fundação, não precisa explicar quem é quem, é fácil de olhar e ver. O nosso Dimas Covas está em Ribeirão Preto. E aqui ao meu lado também a doutora Regiane de Paula, coordenadora do PEI - Programa Estadual de Imunização, e o Jean Gorinchteyn, nosso secretário da Saúde. Antes do início das perguntas de vocês, nós já temos aqui os quatro jornalistas, eu quero declarar que hoje pela manhã falei com o General Campos, secretário de Segurança Pública do estado de São Paulo, e foi afastado nessa manhã, das suas funções na sua Polícia Militar, o Coronel Aleksander Lacerda, que atuava no comando de uma das unidades da Polícia Militar, por indisciplina. Aqui no estado de São Paulo nós não teremos manifestações de policiais militares na ativa, de ordem política. São Paulo tem a melhor Polícia Militar do país, a mais bem treinada, a mais bem equipada, São Paulo tem orgulho da sua Polícia Militar, dos seus policiais e dos seus colaboradores. E também do seu comando da Polícia Militar, na figura do Coronel Alencar. E nós aqui conjuntamente não admitiremos nenhuma postura de indisciplina como foi feita pelo Coronel Aleksander, e agora ele está afastado da Polícia Militar a partir desta manhã. Vamos agora às perguntas, começando com Bruna Barbosa, da Rádio e TV Bandeirantes. Bruna, bom dia.

BRUNA BARBOSA, REPÓRTER: Bom dia, governador. Bom dia, a todos. Vou puxar essa questão do afastamento do Coronel, para entender um pouquinho mais o que acontece, quanto tempo de afastamento? Quais são as consequências? E, por gentileza, quem assume o cargo nesse período em que o Coronel estará fora? E...

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Bruna, só para... Na primeira questão, a partir de agora quem responde é Coronel Camilo, que interinamente é o secretário de Segurança Pública, porque o General Campos está em férias, está ativo, mas em férias. Então desse tema, o que eu tinha que me pronunciar já está pronunciado. Próxima.

BRUNA BARBOSA, REPÓRTER: Em relação à Coronavac para crianças, na semana passada a ANVISA deu a resposta negativa para o Butantan, dizendo que precisava de mais pesquisas, mais informações. Essas informações elas virão da China, ou o Butantan tem como e já está enviando para a ANVISA? Eu queria saber em que pé que isso ficou desde quarta-feira? É uma solicitação que está parada, e é algo que pode ajudar a avançar, imagino eu, o calendário de vacinação de jovens e adolescentes aqui em São Paulo. Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Bruna, obrigado. Vão responder as perguntas, Jean Gorinchteyn, e a doutora Regiane. Jean.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO DA SAÚDE: Sem dúvida, o fato de haver a liberação da Coronavac para crianças e adolescentes, ajudaria muito o país e o mundo na proteção do Coronavírus. É claro que a própria Agência Nacional de Vigilância Sanitária pediu algumas informações adicionais, para continuar validando esses estudos, essas posições e essas solicitações foram encaminhadas ao presidente Dimas Covas, para que dessa forma possam então ser adicionadas. Lembrando que esses estudos aconteceram na China, portanto, todas as informações adicionais que assim forem necessárias, serão enviadas pela própria China, onde ocorreu esse estudo.

BRUNA BARBOSA, REPÓRTER: Serão envaidas, ainda não foram?

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO DA SAÚDE: Veja bem, foram solicitadas para a China, são feitos dossiês, e a partir do dossiê é mandada de forma plena para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Regiane.

REGIANE, COORDENADORA GERAL DO PROGRAMA DE VACINAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom dia, governador. Bom dia, a todos e todas. Bruna, nós aguardamos então que esses estudos sejam complementados para que a gente possa então ter a vacinação. O estado de São Paulo, sob o comando do governador João Doria, tem nos solicitado que a gente possa fazer de forma rápida, assim que a aprovação estiver para adolescentes e crianças, a gente possa implementar no PEI - Programa Estadual de Imunização. Nesse momento aguardamos a ANVISA, aguardamos os dados do Butantan, e também de quem fez esse estudo na China, para que a gente possa então trabalhar. Continuamos vacinando os adolescentes, adolescentes agora com comorbidades, de 12 a 14 anos, continuamos vacinando e vamos vacinar todos os adolescentes de 12 a 17 anos, no estado de São Paulo. Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Obrigado, Regiane. Vamos agora à Ana Botalo, da Folha de São Paulo. Ana, mais uma vez, bom dia.

ANA BOTALO, REPÓRTER: Bom dia, governador. Bom dia, a todos também. Bom, governador, a gente viu nessa final de semana cenas chocantes, na cidade de São Paulo, mas também no litoral, de aglomerações de pessoas sem máscaras, nos bares aqui de São Paulo, muitas pessoas nas calçadas, sem fazer o distanciamento, sem usar máscaras. Eu gostaria de saber como que pode ser feita a fiscalização, e o controle? Já que apesar da flexibilização que foi feita na semana passada o senhor mesmo disse que o uso de máscaras vai compartilhar sendo obrigatório, e que o distanciamento também vai ser uma medida que vai ser imposta até o final do ano. Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Ana, é a consciência pessoal e a proteção que cada pessoa deve compreender que deve ter para si, para os seus familiares, para os seus amigos, e as pessoas com as quais convive. Evidentemente que não há condição de fazer uma fiscalização em todas as cidades do estado de São Paulo, são 645 municípios, nas praias, nos calçadões, nas praças e nos parques. Eu quero dizer a você, Ana, eu estive nesse final de semana no Rio de Janeiro, como é sabido, estive com o prefeito Eduardo Paez, com lideranças também políticas, e ao passar pelas praias de Copacabana, Ipanema e Leblon, eu vi as praias completamente lotadas, e os calçadões da mesma maneira. Portanto, não é uma questão local, não é uma questão de São Paulo, é um comportamento das pessoas. E é compreensível que as pessoas diante de uma circunstância de 18 meses de confinamento, de distanciamento, das práticas do esporte, do convívio, da praia, do parque, das praças, das pessoas, dos filhos, dos seus animais domésticos queiram sair. É impossível você manter essas pessoas confinadas nas suas casas. O que eu peço é que essas pessoas usem máscaras, ao saírem das suas casas, para a convivência ao ar livre, seja na praia, no parque, nos jardins, no campo ou caminhando ao longo da proximidade da sua casa, com seu animal doméstico, com seus filhos, com seus amigos, usem máscara, é o que eu posso nesse momento recomendar e também é a recomendação dos médicos epidemiologistas e infectologistas. Estabelecer uma relação de cerceamento, de ordem disciplinar, em relação às pessoas que não estão usando máscaras seria um comportamento belicoso neste momento. Nós temos é que apelar para a consciência das pessoas que precisam usar máscaras para se proteger, mesmo aquelas que já foram vacinadas e que já tomaram duas doses da vacina devem continuar usando máscaras. E aqui em São Paulo é obrigatório, para que, até o dia 31 de dezembro, o uso de máscaras seja... é obrigatório, e que seja adotado pelas pessoas, Ana.

ANA BOTALO, REPÓRTER: Desculpa, governador. Eu compreendo completamente a situação ao ar livre, nos parques e nas praças, nas praias. Mas e quanto aos bares? Porque essa fiscalização seria mais simples, é só autuar o dono do bar, por permitir que as pessoas se aglomerem. Isso não está previsto?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Ana, dentro dos bares, evidentemente, eu não fiz essa fiscalização, apenas acompanhei as imagens. Dentro de bares e restaurantes, pessoas que estiverem sentadas, elas podem estar sem máscaras. A lei estabelece esse direito, a pessoa está se alimentando, ou está bebendo, ou está comendo, ou está fazendo os dois. Você não pode tirar alguém de uma mesa de um bar ou de um restaurante, de uma padaria ou de um café, por estar sem máscara. E as pessoas que estão, circunstancialmente, nas calçadas, é a mesma situação dos parques, das praças, dos jardins, das praias, dos calçadões. É a consciência coletiva que deve prevalecer, e aí de novo o meu apelo: por favor, usem máscaras, não importa sua idade, não importa o seu sexo, não importa se você já tomou as duas doses da vacina. O que importa é que você tem que proteger a sua vida. A máscara é necessária. Vamos agora à próxima pergunta, é da Manuella Niclewicz, acertei de novo, da CNN. Com você, Manuela.

MANUELLA NICLEWICZ, REPÓRTER: Bom dia, bom dia a todos. Eu queria falar um pouquinho mais então sobre a Coronavac, queria entender se agora, neste momento, com a chegada do último carregamento de IFA que aconteceu na quarta-feira da semana passada, já temos todas as doses aqui em processamento na fábrica do Instituto Butantan, a serem entregues para o Ministério da Saúde? E se não existe nenhum risco de atraso dessa meta do Instituto Butantan e do governo de São Paulo, de entregar tudo até a próxima terça-feira. Porque terão que ser entregas aí mais robustas, né? Entregas intensas. E aproveitando, eu queria também falar da reunião que aconteceu, da Anvisa, porque eles fizeram a revisão da autorização do uso emergencial, mantiveram isso, mas chegaram a citar na reunião também que o Instituto Butantan está devendo aí alguns dados mais atualizados do uso da Coronavac. Então, quanto a estes dados, eles já começaram a ser compartilhados ou não? Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Manuela, eu vou pedir ao Sato, pelo Instituto Butantan, para responder as duas perguntas que você nos fez. Sato.

REINALDO SATO, SUPERINTENDENTE DA FUNDAÇÃO BUTANTAN: Bom dia a todos. Já temos toda a Coronavac aqui, já uma parte em produção, outra parte já pronta. Todas para serem entregues até o final do mês ao Ministério da Saúde. Estamos todos já em fase final, e tão logo tenhamos já toda a produção, já vai ser entregue para lá, ok?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Obrigado, Sato. Falei Sato, é Reinaldo Sato, mas acho que vocês já tinham anotado o nome. Vamos última pergunta, Daniela Gemniani, TV Globo, GloboNews. Bom dia, Dani. Diga, Manuela.

MANUELLA NICLEWICZ, REPÓRTER: Só deixa eu voltar um pouquinho? Sobre os dados compartilhados com a Anvisa, que eles pediram os dados mais recentes do uso da Coronavac na população aqui no Brasil. Só para a gente finalizar.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Rui Curi?

RUI CURI, DIRETOR-PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO BUTANTAN: Bom dia, bom dia a todos. Esses dados científicos, eles estão sendo... os dados científicos estão sendo organizados para serem entregues. Nós temos um... A nossa equipe de farmacovigilância acompanha regularmente o estado de saúde e acompanhamento dos vacinados. Então, todas essas informações serão, obviamente, transferidas a eles, e também os dados estão sendo organizados em relação a outros dados de imunogenicidade. Então, nós com certeza temos os dados que a Anvisa precisa, é uma questão de encaminhamento. Obrigado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Obrigado, Rui Curi. Manuela, obrigado. Agora, sim, com você, Dani. Bom dia, mais uma vez.

DANIELA GEMNIANI, REPÓRTER: Bom dia a todos, agora sim. Eu queria saber um pouquinho mais da reunião de daqui a pouco, com os outros governadores. Queria saber qual é a expectativa, se São Paulo vai levar alguma nova proposta em relação a quê. Enfim, o que dá para a gente adiantar de spoiler um pouquinho? Sei que é uma reunião fechada, mas o que a gente consegue? Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Obrigado, Daniela. A reunião de governadores, do Fórum de Governadores, acontece daqui a pouco, às 10h da manhã, uma reunião presencial e virtual. Nós temos quatro governadores presencialmente em Brasília, onde é a sede do Fórum de governadores, e 20 governadores que participarão virtualmente, inclusive eu. São três grandes temas dessa reunião. O primeiro tema é a defesa da democracia e da vida, e um pronunciamento dos governadores, que será evidentemente submetido e vamos verificar se teremos a assinatura dos 24 e de quais governadores vão fazer a defesa da democracia e da vida. E entenda-se por defesa da democracia a defesa da Constituição e do Supremo Tribunal Federal, e das ameaças constantes e cada vez mais elevadas à democracia no Brasil. A defesa da vida é a continuidade do respeito do pacto federativo para a entrega de vacinas, o respeito à proporcionalidade federativa, onde a população de cada estado tem a sua proporcionalidade de vacinas. O segundo tema é o tema do meio ambiente, é a proposta para um consórcio nacional de governadores, os que desejarem participar. Este consórcio, ao ser formado, ele estabelece condições e regras para proteção ambiental, para o carbono zero, para a defesa do Acordo de Paris e para o pronunciamento que será feito pelos governadores, e eu serei um deles a fazer isso, em Glasgow, na COP, agora em novembro, que é a cúpula do clima. A iniciativa foi do governador José Renato Casagrande, o governador do estado do Espírito Santo, com quem estive jantando na última sexta-feira, em Vitória, capital do seu estado, e será apresentada por ele. Eu já disse que São Paulo assina e participa, e eu tenho a segurança de que vários outros governadores também assinarão esse pacto pelo meio ambiente, e a composição deste consórcio nacional pelo meio ambiente, que vai ser denominado Brasil Verde. O consórcio, ao ser formado, estará habilitado também a pleitear recursos internacionais de instituições, empresas, fundos, associações, inclusive aquelas que cessaram a sua colaboração com a região amazônica, dado as agressões e a falta de compromisso do Governo Federal na proteção ambiental, especificamente da floresta amazônica. E o último tema é a reforma tributária e a preocupação dos governadores em relação a uma reforma que prejudique frontalmente os estados e dificulte ainda mais a gestão financeira dos estados. Portanto, esses são os três grandes temas desta reunião, e eu finalizo observando que é a reunião com o maior quórum de governadores, desde maio de 2019. São 24 governadores já confirmados, e nós ainda temos a expectativa de que talvez os outros três governadores, que compõem a totalidade dos governos estaduais, possam ainda aderir e participar. Saberemos disso daqui a pouquinho, às 10h da manhã. Daniela, muito obrigado a você, obrigado, Manuela, Ana, Bruna, demais jornalistas que aqui estão. Bom dia para vocês. Estaremos juntos muito em breve, quarta-feira temos mais coletiva de imprensa. Obrigado, obrigado, meus colegas cinegrafistas, fotógrafos também. Obrigado à equipe do Butantan, equipe técnica, que nos dá apoio. Bom dia, boa semana para todos, obrigado.