Coletiva - SP entrega ao Brasil mais 2 milhões de doses da vacina do Butantan 20211005

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - SP entrega ao Brasil mais 2 milhões de doses da vacina do Butantan 20211005

Local: Capital – Data: Maio 10/05/2021

Soundcloud

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Pessoal, bom dia, mais uma vez. Boa semana a todos. Aqui ao lado do Dimas Covas, presidente do Instituto Butantan; Do Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde do estado de São Paulo; E também da Regiane de Paula, que é a coordenadora do PEI - Programa Estadual de Imunização, e que coordena também o Programa Nacional de Imunizações em todo o estado de São Paulo. Hoje nós estamos entregando nesse momento, com os caminhões que vocês estão vendo aqui atrás, 2 milhões de novas doses da vacina do Butantan, são 2 milhões de vacinas da vida, vacinas de São Paulo, para todo o Brasil. Na próxima quarta-feira, vamos liberar mais 1 milhão de doses da vacina do Butantan, e assim concluir o contrato inicial de 46 milhões de doses da vacina. Com a entrega de hoje, especificamente, nós temos 45,112 milhões de doses. Repetindo, com a entrega de hoje, essa que está nos caminhões aqui atrás, nós concluímos 45,112 milhões. Na próxima quarta-feira, com mais 1 milhão, vamos para 46,112 milhões, e já concluindo, plenamente o primeiro contrato com o Ministério da Saúde. E agora vamos para a segunda etapa com mais 54 milhões de doses da vacina do Butantan, contra à COVID-19. Mas ainda nos preocupa, e o Doutor Dimas falará a esse respeito, à não liberação dos insumos por parte do governo da China para o embarque para o Brasil, precisamos que esses insumos sejam embarcados para que o Butantan possa processar dentro do prazo normal que faz, trabalhando 24 horas por dia, são quatro turnos de seis horas, para mais vacinas. Essas são as informações básicas, vamos agora às perguntas, doutor Dimas, obviamente, estará à disposição para esclarecimentos necessários. E vamos começar com a TV Globo, Globo News, com a Isabela Leite, depois CNN, Folha de São Paulo e CBN, peço se possível, uma pergunta por cada jornalista, daqui a pouquinho temos reunião de secretariado, que aliás, acaba de começar nesse minuto. Isabela, bom dia. Sua pergunta, por favor.

ISABELA LEITE, REPÓRTER: Bom dia, a todos. Bom, claro, a minha pergunta é em relação então, à situação de momento, das negociações do IFA, na quinta-feira o governo de São Paulo fez duras críticas às declarações do Governo Federal, e o quanto isso estava impactando na negociação com a China. A gente teve algumas projeções, até feitas pelo doutor Dimas Covas, de 2 mil litros, depois 4 mil litros de IFA, até o dia 15 de maio, até o dia 18 de maio. Então a situação atual é qual? E também eu queria saber se houve algum avanço de quinta-feira para cá, na diplomacia com a China por parte, enfim, do governo do estado? Até foram enviadas cartas do Congresso, de outros governadores, para tentar melhorar essa relação. O que a gente evoluiu de lá para cá? E qual que é a previsão de momento para a gente? Com o que a gente está trabalhando?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Isabela, primeiro celebrar que estamos entregando hoje mais 2 milhões de doses da vacina, vamos começar pela notícia positiva, são mais 2 milhões de pessoas que poderão receber a vacina do Butantan, contra à COVID-19 em todo o Brasil. Essa é a boa notícia, notícia real e concreta. As vacinas estão aqui atrás. Em relação às novas expectativas, responderá Dimas Covas, presidente de Instituto Butantan. Dimas.

DIMAS COVAS, PRESIDENTE DO INSTITUTO BUTANTAN: Isabela, a situação ainda é a mesma da semana passada, nós não temos definição da liberação do insumo na China. Existe a expectativa de 4 mil litros sim, e esperamos que até na quarta-feira dia 13, nós possamos ter uma notícia positiva. Temos trabalhado intensamente, tanto com a Sinovac, como com a embaixada aqui no Brasil, mas a situação ela nesse momento ainda não teve nenhuma alteração, é a mesma situação da sexta-feira da semana passada. Aguarmos autorização para embarque, e, portanto, a chegada, se isso acontecer, até o dia 18.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Apenas para complementar, Isabela, é muito claro que há uma limitação determinada pelo governo da China, dadas as circunstâncias das constantes manifestações inapropriadas, inadequadas e absolutamente inoportunas, do governo brasileiro através das suas autoridades, excluindo o ministro das Relações Exteriores, que reconheço que está tentando fazer um esforço diplomático para viabilizar a liberação dos insumos para o embarque em Pequim, desses 4 mil, ou talvez até um pouco mais litros de insumos, mas o fato é que a cada esforço que faz o Ministério das Relações Exteriores, e o seu ministro Carlos França, há um esforço contrário em manifestações conduzidas e lideradas pelo próprio Presidente da República, o que torna tudo mais difícil. Vamos agora à Bruna Macedo, da CNN. Bruna, bom dia. Sua pergunta.

BRUNA MACEDO, REPÓRTER: Bom dia, governador. Bom dia, a todos. Com relação às doses de vacina que nós ainda temos aqui em São Paulo, elas são suficientes para mais quanto tempo? a gente corre o risco de ter a imunização paralisada aqui no estado? E com relação aos insumos, governador, se o senhor me permite, eu queria saber se existe algo contratual com a Sinovac, que possa impedir o atraso desses insumos? Ou se a gente sempre vai precisar ficar nessa preocupação na iminência de acontecer novos atrasos? Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Bem, vamos por partes, começando com a doutora Regiane, e depois Dimas Covas, a sua segunda pergunta. Regiane.

REGIANE, COORDENADORA GERAL DO PROGRAMA DE VACINAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigada, governador. Bom dia, a todos. Como o coordenador acabou de falar, vamos às notícias boas. E a notícia boa é que nós estamos recebendo 450 mil doses da vacina do Butantan no estado de São Paulo hoje. Há uma previsão de chegada de Pfizer, e também AstraZeneca. Então o estado de São Paulo não irá paralisar as suas vacinações, ou seja, tudo aquilo que já foi anunciado, e que mais será anunciado na quarta-feira, temos condições e vamos fazer a vacinação para todos os paulistas. Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Muito bem, agora obrigado, Regiane. Dimas.

DIMAS COVAS, PRESIDENTE DO INSTITUTO BUTANTAN: Bruna, com relação ao contrato, não há problema nenhum, o contrato já deveria ter sido cumprido na sua primeira fase, com relação aos envios da Sinovac. O que acontece é que não ocorre a liberação, a autorização para exportação desse produto por parte do governo da China, e isso que causou o atraso. Com relação ao contrato, não há nenhum problema, e nem com a produção da matéria-prima lá em Beijing, na Sinovac.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Peço para complementar, Bruna, o governo do estado de São Paulo tem um escritório em Xangai, na China, e também um diretor, José Mário, que nesse período ele está residindo em Pequim, exatamente para acompanhar a entrega, a produção e a entrega dos insumos da vacina do Butantan para o Brasil. E a informação que temos é de que já existem 10 mil litros de insumos prontos, na Sinovac, aguardando a autorização do governo da China para embarque. E cada vez, repito, que manifestações são feitas aqui, de forma desairosa, desrespeitosa em relação à China, isso cria dificuldades claramente, para a autorização do governo chinês, para o embarque desses insumos para o Brasil. O mesmo Laboratório Sinovac disponibiliza insumos para um país vizinho, aqui o Chile, que não agride a China, que não tem o seu Presidente falando mal do governo chinês, do povo chinês, da China, e nem da sua vacina. E o fluxo é normal de entrega desses insumos para o Chile, porque não é para o Brasil, razões de ordem diplomática, e, sobretudo, infelizmente volto a repetir, as formas desastrosas de manifestações que são feitas em relação ao governo da China. Esperamos que a ação do chanceler brasileiro, o ministro França, possam ter sucesso e se sobrepor às manifestações negativas de outros membros do governo Bolsonaro. Vamos agora à Ana Botalo, da Folha de São Paulo. Ana, bom dia. Bem-vinda, sua pergunta, por favor.

ANA BOTALO, REPÓRTER: Bom dia, governador. Bom dia, Dimas. Doutor Jean. A previsão então de entregar essas doses no mês de maio, ela está dependendo da chegada do IFA. Há uma possibilidade então de haver uma alteração no cronograma para entrega de 100 milhões de doses até setembro? E existe um novo acordo com o Ministério da Saúde para mais 30 milhões de doses após à conclusão dessas 100 milhões de doses iniciais. E esse novo acordo ele foi firmado, ele também pode depender dessa chegada do IFA? Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Ana, eu começo a responder, e na sequência, obviamente, Dimas Covas, como presidente do Instituto Butantan. Nós temos acesso, evidentemente, à todas as informações. Nós temos um comitê denominado comitê Butantan, ele se reúne todas às quintas-feiras, às 17h, no Palácio dos Bandeirantes, sem contar manifestações diárias, troca de informações diárias. Mas esse comitê que é composto por vários secretários, e pelo doutor Dimas Covas, e pela Cíntia Lutz, ambos, presidente e diretora do Instituto Butantan, nos dão as informações atualizadas. Quero antecipar que não há contrato adicional com o Ministério da Saúde firmado, há sim para os 100 milhões, e sobre isso vai se referir Dimas Covas.

DIMAS COVAS, PRESIDENTE DO INSTITUTO BUTANTAN: Ana, exatamente, quer dizer, nós temos a previsão de entrega dos 100 milhões até setembro, tínhamos feito um adiantamento dessa previsão para até agosto, mas nesse momento tudo fica em interrogação. Para maio temos a entrega dessa semana, 2 milhões no dia de hoje, mais 1 milhão na quarta-feira, 1,100 milhão na sexta-feira. E a partir daí não teremos mais vacinas, porque não recebemos o IFA. Então aguardamos essa chegada de material, para que isso possa ser processado. A situação parecida com essa também é enfrentada pela Fiocruz, que a informação que eu tenho é que também não teve o seu IFA liberado. Então preocupa, preocupa muito, sem dúvida nenhuma, que o cronograma de vacinação, não nesse momento, mas a partir de junho, poderá sofrer algum impacto.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Obrigado, Dimas. Obrigado, Ana. Eu fico muito triste como brasileiro, de ver o empenho do Presidente da República para comprar mais Cloroquina e não comprar a vacina. E vejo o Presidente da República quase que diariamente defendendo Cloroquina e não defendendo a vacina. Ele mesmo não se vacinou, embora pudesse ter feito, e assim dado um bom exemplo de que atitude de vacinar é correta, é boa e salva vidas, ele prefere desdenhar e não se vacinar. E ao contrário, prefere promover a Cloroquina. Vamos agora ao Vinícius Passareli, da Rádio CBN. Vinícius, bom dia, mais uma vez, sua pergunta.

VINÍCIUS PASSARELI, REPÓRTER: Bom dia, governador. Bom dia, a todos. Queria que o doutor Dimas, principalmente, detalhasse um pouco qual é a real situação dos processos envolvendo a Butanvac, em relação à ANVISA, e também ao soro anti-COVID-19 do Butantan?

DIMAS COVAS, PRESIDENTE DO INSTITUTO BUTANTAN: Com relação inicialmente, Vinícius, à Butanvac, nesse momento nós já inauguramos 3 milhões de ovos, portanto, está em processamento a produção. Com relação à ANVISA, na última quinta-feira houve um grande avanço, nós entregamos a resposta a todos os 40 itens relacionados à produção e qualidade. E ainda temos uma pendência, quer dizer, estamos aguardando a resposta da ANVISA à essa documentação entregue. E temos uma pendência aí por parte do Butantan, de uma pequena mudança em relação ao estudo clínico. Mas houve um grande avanço na quinta-feira, e prosseguimos essa semana nessas conversas. Com relação ao soro, também nós estamos muito próximos do início do estudo clínico, estamos contratando já os centros que vão realizar esse estudo clínico. E ainda tem aí algumas questões também, que foram levantadas na quinta-feira em relação ao próprio estudo, pela ANVISA. Então estamos caminhando, e esperamos que essa semana seja decisiva em relação a todos os dois processos.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Obrigado, Dimas. Vinícius, obrigado. Antes de concluir, quero convidar vocês hoje, às 15h30min, nós vamos iniciar a vacinação das pessoas com Síndrome de Down aqui no estado de São Paulo. Eu estarei presente em um dos postos de vacinação, a Letícia vai comunicar a vocês qual é esse posto, às 15h30min. E a vacinação que começa hoje em todo o estado de São Paulo, para pessoas portadoras de Síndrome de Down, com idade acima de 18 anos. Então o fato importante, aos que puderem estar presentes, agradeço, e lá estaremos recebendo vocês mais uma vez. Muito obrigado, boa semana a todos. Se protejam, e tenham um ótimo dia.