Coletiva - SP firma parceria para oferecer R$ 25 mi em crédito a micro e pequenos empreendedores 20210807

De Infogov São Paulo
Revisão de 19h18min de 20 de julho de 2021 por Fincatibianca (discussão | contribs)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - SP firma parceria para oferecer R$ 25 mi em crédito a micro e pequenos empreendedores 20210807

Local: Capital – Data: Julho 08/07/2021

Soundcloud

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Nós temos quatro jornalistas credenciados para fazer pergunta, primeiro, a Gabriela Rangel, da CBN.

GABRIELA RANGEL, REPÓRTER: Olá, boa tarde a todos. Minha primeira dúvida é sobre quem pode pegar esse empréstimo, porque no material de divulgação que eu recebi fala que pra ter acesso às linhas de crédito é necessário ter realizado um dos cursos do programa Empreenda Rápido. Então a dúvida é: Quem não fez esse curso, tem interesse, dá tempo ainda de fazer, pegar o empréstimo? Ou isso acaba sendo um filtro mesmo? E a outra questão é sobre esse momento do anúncio, se não poderia ter sido feito antes esse esforço, até no momento em que as atividades estavam com maiores restrições, as atividades econômicas, e até de maiores incertezas em relação à vacinação antes, já que agora a gente já vê aí uma previsão de finalizar todo o calendário.

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Eu respondo a primeira parte da pergunta e a secretária Patrícia a segunda parte, já que nós fazemos um jogral aqui, essas duas mulheres e esses dois homens. Primeiro o seguinte, esses R$ 25 milhões, eles são divididos em vários formatos de públicos, e várias condições, inclusive, como o prefeito Ricardo Nunes anunciou, podendo ter taxas diferentes, que chegam a 0%, dependendo da situação do empreendedor, 35%, ou até 55%, dependendo das condições. De fato, existe uma recomendação que os empreendedores passem por uma qualificação. Umas das linhas, uma das linhas obriga, as outras recomendam, mas o diferencial, e talvez esse seja um dos principais pontos a ressaltar desta parceria com a AdeSampa, é que a AdeSampa, por ter uma capacidade de atendimento grande, ela pretende, sim, qualificar todos os empreendedores, não só nos temas de gestão de empreendedorismo, mas também em educação financeira. Porque nós acreditamos que o crédito é importante, mas o crédito com qualificação vai gerar muito mais resultado. Na verdade, essas qualificações ainda podem ser feitas, não é obrigatório que o cidadão ou a cidadã já tenha sido feito, pelo contrário, nós estamos com os nossos canais de atendimento recebendo essas demandas, e vamos encaminhar esses empreendedores. E acreditamos que, assim, a eficiência e a eficácia desse dinheiro na mão desse microempreendedor vai ser maior.

PATRÍCIA ELLEN, SECRETARIA ESTADUAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO: Complementando aqui, Gabriela, eu acho que esse ponto da secretária Aline é muito importante. Até comentei na minha fala inicial que o nosso objetivo é transformar o empreendedorismo de necessidade em oportunidade. Pra isso, o curso é muito importante. O segredo aqui não é somente dar o recurso, a juro zero ou a juro baixo, mas é trazer a capacidade de prosperar para esse empreendedor ou empreendedora. E quem faz o curso, estava até comentando aqui com o presidente Tirso, que ele tem a chance de 30% a 40% maior do seu negócio crescer, e se manter no negócio, porque senão a falência, ela cresce, esse empreendedor não tem condição de pagar. A gente está inclusive criando uma linha nova para ajudar quem está com o nome sujo no mercado. Então exatamente porque não teve acesso a esse trabalho. É o conceito do microcrédito orientado, mas quem não tem o curso pode entrar, sim, com o pedido da linha, e durante o processo do pedido faz o curso. É super-rápido, são 12 horas o curso, que é o curso obrigatório de empreendedorismo. E os cursos técnicos são recomendados, e é uma série de cursos. Mas todos os empreendedores acabam optando por fazer o curso, porque é gratuito, é muito bom, sai com um diploma a mais e você aprende a fazer gestão de fluxo de caixa, melhorar o seu negócio. Então, a nossa recomendação é sempre fazer os cursos. Sobre o aporte, eu queria lembrar que, nos últimos 12 meses, o governador João Doria foi o governador, na história de São Paulo, que mais aportou recursos no Banco do Povo. Em um ano, nós aportamos R$ 264 milhões, somente em microcrédito. Então, esse aporte sozinho foi maior que todo o aporte feito em mais de 20 anos. Eu acabei de... Estamos finalizando uma autorização da Secretaria de Orçamento para ter um aporte complementar ainda esse ano, exatamente porque a demanda na pandemia cresceu muito. Então, com esse recurso e o da Desenvolve SP, foram R$ 2,3 bilhões de crédito para micro e pequeno empreendedor. E só em microcrédito, esses R$ 264 milhões, atenderam 19 mil empreendedores, em 12 meses. Só que a demanda da capital é muito alta, e nós não tínhamos capilaridade pra fazer todo o trabalho sozinhos. Por isso que essa parceria com a secretária Aline, com a AdeSampa é tão importante. Esse aporte adicional de R$ 25 milhões, a nossa meta é que pelo menos 70% seja entregue pras pessoas ainda esse ano, exatamente por essa urgência que você colocou, e que todos nós a conhecemos.

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Só um complemento. Na verdade, a parceria entre a prefeitura e o Banco do Povo já existe desde o início da pandemia. Nós, inclusive, tínhamos uma equipe de 50 atendentes, e passamos para 140, por conta das nossas parcerias de atendimento ao empreendedor, entre elas essa. Só que a diferença, Gabriela, é que quando um empreendedor fazia um pedido, ele caía numa fila do estado inteiro. E obviamente, o estado inteiro tem demanda, então a capital não tinha, vamos dizer assim, a agilidade que a pujança da cidade exige. Agora, esses R$ 25 milhões vão ter uma espécie de um guichê próprio, de uma fila própria. Isso vai dar mais agilidade ao atendimento do empreendedor paulistano, num momento tão importante, que o nosso prefeito tem estimulado tanto. A pandemia acabando, a vacinação chegando, a retomada então agora dá um novo ânimo. Então não é que a parceria começa agora, é que ela toma um novo dinamismo.

MANUELA, REPÓRTER: Bom dia, prefeito, governador, secretárias, bom dia a todos. Eu sou Manuela [ininteligível], da CNN Brasil. Vou pedir licença pra gente falar de um outro assunto, do assunto que não é da pauta, mas acho que a gente tem que aproveitar a presença dos dois pra falar sobre outros assuntos importantes também. Então, eu queria perguntar sobre a variante delta. Queria primeiro entender se a gente já pode falar em circulação da variante delta no estado, na cidade, se a gente pode falar que está tendo a transmissão comunitária aqui. Acho que essa é uma dúvida que ficou, principalmente depois da coletiva do governador de ontem. E aproveitando que os dois estão juntos, pra gente entender como que está funcionando esse acompanhamento, esse monitoramento, na parceria entre governo do estado, entre a gestão municipal, como que as pessoas que tiveram contato com essa família estão sendo monitoradas e quais são os planos pra tentar evitar que essa variante realmente comece a ganhar mais força por aqui, que é uma variante que a gente vê que, em outros países, mesmo com a vacinação mais avançada, estão tendo problemas com ela, né? Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Manuela, obrigado pela oportunidade para inclusive esclarecer esse tema, que foi abordado ontem na nossa coletiva de imprensa, e é objeto, evidentemente, de monitoramento, não só da Secretaria de Saúde do estado de São Paulo, mas também da Secretaria Municipal de Saúde, da capital de São Paulo, até porque a variante delta, o primeiro caso da variante delta surgiu na capital paulista. Esse monitoramento está sendo muito benfeito pela Secretaria Municipal, sob comando do secretário Edson Aparecido, e em conjunto com a Secretaria de Saúde do estado de São Paulo e o Instituto Adolfo Lutz, também do complexo do Hospital das Clínicas. Todos aqueles que tiveram contato com esta pessoa, que foi testada positivamente com a variante delta estão sendo monitoradas, além do próprio paciente, com monitoramento 24 horas por dia, e os reportes que são feitos pelos médicos que o atendem, a cada 2 horas, para o Centro de Contingência do Covid-19 do estado de São Paulo. Essa boa parceria da prefeitura, na área de saúde, com o governo do estado, vem desde o início, vem desde março do ano passado, então nós estamos muito tranquilos, do ponto de vista do controle, seja dessa variante, seja de outras variantes que já surgiram ao longo da pandemia. A recomendação do Centro de Contingência é acelerar o processo de vacinação, quanto mais pessoas vacinadas, menor o risco de contaminação, inclusive com as variantes, seja qual for a variante. Não há ainda detalhes sobre essa variante, no âmbito da plenitude do conhecimento dos efeitos que ela pode provocar. Isso está sendo estudado exatamente pelo Instituto Adolfo Lutz, para uma manifestação que será feita muito em breve. O Instituto Butantan também acompanha, com os seus cientistas, esta variante, conforme aliás mencionou ontem na coletiva também Dimas Covas, presidente do Instituto Butantan. Mas quero, ao enfatizar aqui, antes de passar a palavra ao prefeito, de que a melhor forma de evitarmos variantes é vacinar, vacinar e vacinar. A imunização da população em São Paulo evita, limita e coloca esta população numa condição de proteção, inclusive às variantes, ainda que os estudos não estejam concluídos sobre essa variante delta. Prefeito. Está dito, então tá bom.

MANUELA, REPÓRTER: Posso só confirmar? Não podemos cravar que existe circulação dessa variante? Que existe transmissão comunitária então, ainda?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não, não. Nesse caso, pode usar a sua expressão: pode cravar, porque não há, até o presente momento. Obrigado, Manuela.

LUCAS JOSINO, REPÓRTER: Boa tarde, boa tarde a todos. Lucas Josino da Rádio Bandeirantes. Também desculpa por fugir um pouco do assunto da pauta de hoje, mas não poderia deixar de perguntar sobre vacinação. Hoje o governo do estado e a prefeitura anteciparam o calendário, 38 e 37 anos, e essa antecipação tem sido frequente. Queria saber se vai haver doses para todo mundo. E a prefeitura de São Paulo, de certa forma, fala em antecipar a vacinação pra quem tem mais de 18 anos, até o dia 3 de agosto, todo mundo vacinado com a primeira dose. Queria saber se o governo do estado também pretende antecipar esse dia D, todo mundo com mais de 18 anos vacinado, e se a prefeitura confirma mesmo 3 de agosto.

RICARDO NUNES, PREFEITO DA CIDADE DE SÃO PAULO: Só dar uma... Já te passo. Não é que a gente cravou, como disse a jornalista anterior. Se o ritmo continuar do jeito que está, é possível que até o dia 6 de agosto chegue a vacinação de 18 anos. Se continuar nesse ritmo.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, prefeito. Lucas, aliás, Lucas e Manuela, se vocês não perguntassem sobre vacina, eu ia mandar tirar a temperatura de vocês aqui, porque alguma coisa estranha estaria acontecendo aqui. Então, é normal isso. Em relação à vacinação, ela segue acelerada, e nós teremos uma coletiva de imprensa, estou aproveitando para anunciar isso em primeira mão pra vocês aqui, meus colegas jornalistas, neste domingo, às 13h, no Palácio dos Bandeirantes, exatamente para anunciar a nova etapa do programa de vacinação no estado de São Paulo e na capital de São Paulo. O Centro de Contingência e o comitê responsável pelo programa de vacinação aqui no estado de São Paulo se reunirá hoje às 19h, lembrando que, do Centro de Contingência, o secretário Edson Aparecido faz parte, ele é um dos integrantes do Centro de Contingência, e, fruto da reunião de hoje, a elaboração do programa de vacinação de forma mais acelerada será consolidada amanhã e anunciada no domingo, às 13h, em coletiva de imprensa, no Palácio dos Bandeirantes. Aí sim nós teremos a informação certa e precisa, com a cautela, como mencionou o prefeito Ricardo Nunes, de em que tempo poderemos acelerar. Mas é certo que o faremos, ou seja, hoje nós já garantimos que a vacinação em São Paulo será feita pra todos que têm mais de 18 anos e que podem ser vacinados, e quando falo estado de São Paulo, obviamente eu incluo a sua principal cidade, seu principal centro, que é a capital de São Paulo, até 15 de setembro. Mas é certo e é seguro que nós vamos antecipar essa data, pela chegada de mais vacinas, não apenas aquelas do PNI, do Programa Nacional de Imunização, mas também do PEI, o Programa Estadual de Imunização. Ontem, nós recebemos 2,7 milhões de doses da vacina Coronavac, que foram adquiridas pelo governo do estado de São Paulo, pagas pelo governo do estado de São Paulo, e serão aplicadas aqui aos paulistas e aos brasileiros que vivem em São Paulo. E vamos receber também mais 1,7 milhão de doses no próximo dia 25 de julho, igualmente adquiridas com recursos do Tesouro de São Paulo, para a população de São Paulo. Quero também aproveitar, Lucas, e registrar o que já falamos ontem, mas não custa relembrar, que conseguimos também antecipar, prefeito Ricardo Nunes, em 30 dias o prazo de entrega das 100 milhões de doses da vacina do Butantan, originalmente e contratualmente previsto para 30 de setembro, até 30 de agosto, já teremos entregue 100 milhões de doses da vacina para o Programa Nacional de Imunização, para que o Ministério da Saúde possa também acelerar a vacinação em todo o país, com apoio, obviamente, dos governos estaduais. [ininteligível] Obrigado, Lucas, pela pergunta, agora passo de volta aqui para o time da prefeitura.

ALFREDO, REPÓRTER: Bom dia, boa tarde já, né? Eu sou Alfredo, do Jornal Agora, do Grupo Folha. Eu vou ser um pouco tautológico também, eu vou estar batendo na tecla da questão da vacinação. Eu vou dirigir a pergunta ao governador e também ao prefeito, tá? Primeiramente para o prefeito, que até ontem foi conversado na coletiva de imprensa, lá na zona sul, vocês iam fazer o cruzamento genético da esposa desse senhor que está com a variante delta, e a perspectiva é que o resultado desse cruzamento saísse entre hoje e amanhã. Eu queria saber qual é a expectativa para esse resultado, além de um outro resultado de exame das pessoas que conviveram com essa senhora, pra gente poder saber se, de fato, houve essa contaminação local por pessoas que conviveram com essa família. Seria essa questão para o prefeito. E para o governador, vou ter que bater um pouquinho na mesma tecla, governador, com relação a essa reunião de hoje. O senhor antecipou que vai fazer o anúncio no domingo, mas são três coisinhas, que têm tudo a ver, uma com a outra. São três perguntas em uma, mas têm tudo a ver uma com a outra. A questão da antecipação dessa segunda dose, para evitar a variante delta, se porventura constatar que está no local, é bom já evitar, pecar pelo excesso, né? Eu queria saber qual é o ideal de doses para poder garantir essa imunização total, e poder garantir essa disseminação eventual da variante delta, e se o governo do estado pretende fazer algum tipo de pedido para que venham mais doses pra cá, pra direcionarem mais a São Paulo, justamente por ter a variante delta aqui? É isso.

RICARDO NUNES, PREFEITO DA CIDADE DE SÃO PAULO: Esse caso desse senhor, de 45 anos, que foi identificada a variante delta, só fazer uma introdução que é muito importante, dizer que a prefeitura de São Paulo sempre fez aquela situação de pegar testes confirmados de Covid e pedir pra fazer o sequenciamento genético, distribuído por toda a cidade, e assim a gente poder monitorar essa questão de novas variantes, aqui na cidade de São Paulo. Uma vez identificado, ele, a mulher e os dois filhos do casal passaram a serem monitorados. Nossa equipe da Vigilância Sanitária fazer a investigação e o monitoramento, a esposa foi enviado a solicitação para fazer o sequenciamento genético, não está pronto ainda, deve sair hoje ou amanhã, assim que sair nós vamos comunicar, mas está muito sob controle. Fazer um parêntesis aqui dessa questão toda, que naturalmente assustou muita gente, mas os casos que aconteceram no Brasil, com relação à identificação dessa variante, não houve... Já tem mais de 30 dias, não houve nenhuma situação que complicasse mais, a nível de contaminação ao redor. Foi um caso isolado lá em Campos de Goytacazes, se não me engano... Então, os casos isolados, ficou restrito lá, e o que nós estamos fazendo aqui é monitorar, a família está sendo monitorada. Não existe nenhuma situação de uma preocupação maior no momento. Está sendo monitorado pela nossa equipe, acho que está sob controle. Lembrando que a prefeitura iniciou, logo que surgiu a variante da Índia lá no Maranhão, com as nossas barreiras sanitárias, no aeroporto, nos terminais de carga, nos terminais de ônibus, qualquer um que descer agora no Aeroporto de Congonhas, por exemplo, vai ser abordado, será medido temperatura, será orientado, se tiver algum sintoma naquele exato momento já será conduzido a um local apropriado para fazer o exame. Portanto, tenho muito orgulho da nossa equipe da Secretaria de Saúde aqui do município, que tem feito um trabalho fantástico, sempre na frente e buscando dar segurança para a população. Não nos causa, no presente momento, nenhuma preocupação maior com relação a esse caso. E queria deixar mais uma vez claro: Não se pode falar, não existe no momento nenhuma situação de contaminação comunitária.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Alfredo, primeiro, concordando e assinando a declaração do prefeito, de que a situação está absolutamente sob controle, sendo bem monitorada, e endosso as colocações também do prefeito, face ao bom trabalho que a Secretaria de Saúde e a Vigilância Sanitária da prefeitura vêm realizando. Em relação às duas perguntas que você formulou adicionalmente, a antecipação da segunda dose, é preciso ter autorização da Anvisa, e obviamente do Ministério da Saúde, para que isso possa ser feito, principalmente no que tange às vacinas AstraZeneca e Pfizer, que têm um período longo entre a primeira e a segunda dose, são 90 dias. A Coronavac, a vacina do Butantan, são 28 dias, então é um prazo mais curto, praticamente permite um processo mais ágil de vacinação. Mas, pra fazer isso, se tivermos que realizar, precisaremos ter a deliberação do Ministério da Saúde, mediante autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa. Pedidos extras de vacina: Por enquanto, nesse momento, não há necessidade. Se houver, as nossas relações institucionais cotidianas com o Ministério da Saúde permitem que isso seja feito, se for necessário. Neste momento nós não formulamos nenhuma solicitação extra de vacinas, nem 'intencionamos' fazê-lo, até o presente momento. É isso, Alfredo, obrigado.

DANIELA GEMNIANI, REPÓRTER: Boa tarde a todos, governador, prefeito. Daniela Gemniani, da GloboNews. Vou perguntar de vacina, não tem jeito, o assunto de hoje, principalmente por conta da antecipação. Eu queria entender um pouco melhor esse alinhamento e essa logística dos anúncios de antecipação, entre o governo do estado e prefeitura, porque houve um desconforto e ainda está tendo uma confusão. Principalmente, o que a gente está vendo das pessoas falando: Mas eu não sei se é hoje que eu vacino, se não é, o anúncio foi feito de antecipação às 8h da manhã, aí a prefeitura não antecipa... Entender exatamente esse desencontro e como é feita essa logística, até para que isso não confunda ainda mais a população, ao invés de ajudar, apesar de, vacina, quanto antes, melhor. E entender, até pedir um spoiler. Eu sei que a coletiva sobre isso é no domingo, mas se o governo estadual considera a possibilidade de colocar um dia para cada idade, como a prefeitura tem adotado, principalmente recentemente. Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Eu vou começar. Daniela, primeiro, boa tarde, obrigado de você estar aqui também, ao lado de outros colegas jornalistas. Mas primeiro eu quero dizer a você: Não há nenhum desencontro entre a saúde do estado e do município. As ações são integradas e são feitas conjuntamente, volto a repetir. O secretário de Saúde no município de São Paulo, Edson Aparecido, que tem sido diligente e operoso, à frente da Secretaria de Saúde municipal, na cidade de São Paulo, ele integra o Centro de Contingência. Portanto, todas as informações que são deliberadas, ele participa, ajuda na deliberação e executa. E me perdoe, neste caso, discordar de você. Não há nenhum tipo de desinformação para quem busca a informação. Evidentemente, as pessoas têm que pegar o seu celular, o seu laptop, o seu computador e acessar os sites da prefeitura e do governo do estado, para saber qual a idade e onde a vacinação está sendo realizada. Feito isso, não há nenhum desencontro, nenhum problema, nem sequer espera. As pessoas hoje acessam pelo celular e sabem o posto de saúde da capital de São Paulo, se ele tem ou não fila, e se tem fila qual é a expectativa de tempo de atendimento, se é 20 minutos, se é 30 minutos, se é 15 minutos. Então, o sistema inteligente da prefeitura de São Paulo e do governo do estado vem funcionando bastante bem, aliás objeto de muitos elogios das pessoas, de forma geral. O que não contribui para a informação é a fake news, é a mentira, é notícia veiculada por pessoas ou instituições que tenham interesse em prejudicar a vacinação e desinformar as pessoas, com o objetivo maldoso de prejudicar um processo acelerado de vacinação, que temos tanto na capital de São Paulo como nas outras 644 cidades do estado de São Paulo. E eu convido você, que já é a Sra. Vacina, Daniela participa de todas as coletivas sobre vacinação, se puder estar lá no domingo, às 13h, nós apresentaremos todas as etapas, as condições, de maneira detalhada. Mas nós estamos respeitando o PEI, o Programa Estadual de Imunização, repito, cuja reunião será hoje, às 19h, como acontece todas as quintas-feiras. Amanhã os resultados são consolidados, são validados com o Centro de Contingência do Covid-19, pra que o anúncio seja feito no domingo, para os nossos colegas jornalistas e também para a opinião pública. Todos sabendo que nenhuma medida será alterada até o domingo, e sim a partir da próxima segunda-feira. Ok?

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: E encerrando as perguntas--

RICARDO NUNES, PREFEITO DA CIDADE DE SÃO PAULO: Deixa eu só fazer uma complementação, Daniela? Rapidinho. É importante. Só observar: Nós já aplicamos 7,5 milhões de doses, já receberam a primeira dose na cidade de São Paulo 5.680.000 pessoas, com 63% da população eletiva já vacinada. Olha o volume que é, que a gente está vacinando de pessoas, e naturalmente a cidade de São Paulo tem uma dinâmica diferente dos municípios, pela dinâmica, pelo tamanho. Hoje eu fiz a primeira agenda, governador, o Edson Aparecido estava junto, nós anunciamos 35 novas obras na área da saúde, entre construções de UBS e UPAs, e eu, no carro, já fiz uma alteração positiva, porque no carro já estava de novo com o Edson Aparecido, fazendo o [ininteligível], junto com o secretário de estado da Saúde, onde a gente recebeu vacina. E aí o que a gente já pôde fazer? Antecipar a vacinação. Quando o estado falou: Olha, está chegando a vacina... Nós estamos com uma equipe muito motivada para chegar a vacina, já distribuir, a logística muito benfeita. Então, por exemplo, a gente ia fazer 38 anos na segunda, já mudamos, 38 vai ser amanhã e 37 na segunda. Então, o estado comunicou: Está chegando a vacina. A gente já comunica as datas. Então, num sentido de muita agilidade para vacinar o quanto antes. Um dia é muito para uma vacinação--

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Um dia são vidas que se salvam, e está certa a prefeitura. Quanto mais puder acelerar, melhor pra vacinar.

RICARDO NUNES, PREFEITO DA CIDADE DE SÃO PAULO: É isso. Obrigado, Daniela.

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Encerrando a coletiva, agradecemos mais uma vez a presença de todos, está encerrada. Boa tarde.