Coletiva - SP inicia entrega do novo lote de 5 milhões de vacinas do Butantan ao Brasil 20211106

De Infogov São Paulo
Revisão de 15h40min de 14 de junho de 2021 por Fincatibianca (discussão | contribs) (Criou página com ''''Coletiva - SP inicia entrega do novo lote de 5 milhões de vacinas do Butantan ao Brasil 20211106''' '''Local: Capital – Data: [http://infogov.imprensaoficial.com.br...')
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - SP inicia entrega do novo lote de 5 milhões de vacinas do Butantan ao Brasil 20211106

Local: Capital – Data: Junho 11/06/2021

Soundcloud

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Pessoal... Tudo bem, Dani? Bom dia a todos mais uma vez, muito obrigado pela presença nessa manhã fria de sexta-feira. O Instituto Butantan entrega nesse momento mais 800 mil doses da vacina do Butantan para o Programa Nacional de Imunização, e com a entrega que está sendo feita hoje chegamos a 48 milhões de doses da vacina do Butantan. E o Instituto Butantan, aqui representado pelo Dimas Covas, o seu presidente, confirma que, até o final do mês de setembro, nós cumpriremos o nosso projeto, o nosso programa e o nosso contrato de entrega de 100 milhões de doses da vacina do Butantan para o Ministério da Saúde. Repito: Até o presente momento, 48 milhões de doses, vamos seguindo na produção de doses ao longo dos próximos dias e estaremos fazendo uma entrega adicional de mais 5 milhões de doses, começando pelas 800 mil que estão sendo embarcadas neste momento para o Ministério da Saúde. Com esses outros 4 milhões de doses, nós vamos a 52 milhões de doses da vacina do Butantan, até o final da próxima semana, para o braço dos brasileiros.

Aqui ao meu lado também Jean Gorinchteyn, secretário da Saúde do Estado de São Paulo, e igualmente a Regiane de Paula, nossa coordenadora do Programa Estadual de Imunização, e também a coordenadora do PNI, do Programa Nacional de Imunização, aqui no Estado de São Paulo. Todos estarão à disposição para responder perguntas de vocês. Nós vamos começar com a Maria Manso, da TV Cultura. Maria, mais uma vez, bom dia, bem-vinda, sua pergunta, por favor.

MARIA MANSO, REPÓRTER: Bom dia, bom dia a todos. Seja ou não cortina de fumaça, a gente não tem como ignorar o que o presidente da República disse ontem, que ele pediu ao ministro da Saúde para que as pessoas já vacinadas, ou que já tiveram Covid, não precisem mais usar máscara. Queria que vocês comentassem. E o Dr. Jean, como infectologista, que falasse o que ele acha sobre isso, por favor.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Ok. Eu começo a responder, não me furto a responder, ainda mais uma pergunta como essa. É mais um ato de profunda irresponsabilidade do presidente da República, que reafirma a sua condição de negacionista e irresponsável. O presidente Jair Bolsonaro não tem compaixão e não tem nenhum apreço pela vida, principalmente pela vida do povo brasileiro. Jean.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO ESTADUAL DE SAÚDE: Todas as pessoas, mesmo que tiverem tomado a vacina, as duas doses, ou que tenham tido Covid, devem nesse momento, enquanto nós não tivermos uma vacinação em massa, ainda se manterem em uso das máscaras. Isso é absolutamente fundamental. É importante que as pessoas estejam se protegendo. Já em abril, foi colocada pela Organização Mundial de Saúde que se recomendou a todos os países que orientassem aos seus cidadãos a utilização da máscara, como forma de redução da transmissão, uma vez que elas podem albergar o vírus e transmitir a outros, mesmo de forma assintomática. No Estado de São Paulo, isso é lei, por decreto do governador João Doria, desde o dia 4 de maio. Portanto, é importante: continuem usando as máscaras como forma de prevenção, façam distanciamento entre as pessoas e evitem a aglomeração. Nós ainda temos números altos em todo o país e São Paulo também se encontra com números elevados. Por isso, a nossa fase de transição ainda estendida.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Jean Gorinchteyn. Maria, muito obrigado. Vamos agora ao Arthur Rodrigues, da Folha de São Paulo. Arthur, bom dia, obrigado pela sua presença. Sua pergunta, por favor.

ARTHUR RODRIGUES, REPÓRTER: Bom dia, governador, bom dia a todos. Eu gostaria de repercutir com o senhor e com a equipe de saúde aqui sobre a questão da aprovação da Anvisa em relação à vacina da Pfizer para crianças, a partir de 12 anos, que passam a constar na bula. Eu gostaria de saber como isso impacta nosso plano de vacinação aqui e como é que serão os testes em relação à Coronavac e à Butanvac para o público infantil.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Arthur, importante pergunta. Eu começo a resposta, mas, evidentemente, ela será bem completada pelos dois médicos que estão aqui ao nosso lado, o Dr. Jean Gorinchteyn e o Dr. Dimas Covas. Como pai de família, eu saúdo a notícia, é uma ótima notícia, essa, de que a Anvisa aprova a vacina da Pfizer para a vacinação de crianças, como a notícia foi publicada hoje. Na condição de pai e, certamente, como muitos outros pais de filhos pequenos, essa é uma grande notícia para a imunização de crianças de forma segura e dentro dos critérios sanitários, os critérios de saúde. E agora, a complementação será feita por dois especialistas, a começar do médico infectologista Jean Gorinchteyn, que está aqui ao meu lado, e depois do professor Dr. Dimas Covas.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO ESTADUAL DE SAÚDE: Essa é uma grande notícia, uma vez que nós realmente precisamos estender a proteção para outras faixas etárias, de uma forma absolutamente segura. Mas o Estado de São Paulo, assim como todos os outros estados brasileiros, segue a [ininteligível], o norte do Plano Nacional de Imunização. Para que nós possamos inserir esses novos grupos etários, nós precisamos da deliberação do Ministério da Saúde, através do Plano Nacional de Imunização, além do que precisamos receber mais imunizantes, no caso, da própria Pfizer, para poder dar seguimento para essa faixa etária.

DIMAS COVAS, PRESIDENTE DO INSTITUTO BUTANTAN: Nesse mesmo diapasão, a vacina do Butantan, Coronavac, também teve a sua aprovação para uso em crianças a partir de 3 anos, de 3 a 17 anos, na China, e essa documentação está sendo incorporada aqui também à nossa Anvisa. Agora, a questão fundamental é: Quando você protege a população adulta, essa proteção se estende também à população de crianças e adolescentes. Isso foi demonstrado de uma forma muito clara no nosso estudo lá de Serrana, em que o número de casos e o número de manifestações clínicas caiu em todas as faixas etárias. Então, é importante concluirmos a vacinação dos adultos, das pessoas com mais de 18 anos, o mais rapidamente possível, pra trazer esse cinturão de proteção. Essa é a principal mensagem.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Dimas, obrigado, Jean, obrigado, Arthur. Vamos agora à última pergunta, da Adriana Perrone, Adriana, da TV Globo, GloboNews. Bom dia mais uma vez, sua pergunta, por favor.

ADRIANA PERRONE, REPÓRTER: Olá, muito bom dia. Gostaria que os senhores repercutissem esse estudo da USP, que mostra que a Coronavac pode ser, ao ser aplicada em mulheres grávidas, os bebês também estão protegidos, o que é uma ótima notícia. Eu gostaria de saber do senhor se a gente já tem uma data para o dia D2, para chamar o pessoal para tomar a segunda dose. Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Adriana, vou dividir exatamente com Dimas, Jean e Regiane, as duas perguntas. Começando pelo Dimas.

DIMAS COVAS, PRESIDENTE DO INSTITUTO BUTANTAN: Esse estudo feito aqui em São Paulo, no nosso HC da Faculdade de Medicina, mostrou que, no grupo estudado, de mães estudadas, até quatro meses foi detectada a presença de níveis protetores de anticorpos nos bebês. Quer dizer, a mãe foi vacinada e esses anticorpos foram transferidos, através da placenta, para os bebês, e nos bebês permaneceu, no leite permaneceu até por quatro meses. Então, confere a proteção às crianças que amamentam. E isso reforça, isso já é um fato sabido para outras vacinas, isso reforça a importância da amamentação, principalmente nesse momento, nesse momento de desafio pandêmico. Esse estudo é um estudo, um dos poucos estudos no mundo que abordaram essa característica, e isso é muito importante, principalmente por se tratar da nossa vacina. Então, uma boa notícia que apareceu essa semana.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Dimas. Jean.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO ESTADUAL DE SAÚDE: À medida que os estudos vão saindo em outros grupos, especialmente as gestantes, que são o grupo que o Estado de São Paulo, através da liderança do governador João Doria, avaliou, os especialistas em obstetrícia, e viram o risco de se ter uma mulher grávida não vacinada. Nós tivemos o aumento, de 2020 para 2021, de aproximadamente 283% de morte materna, em decorrência ao Covid. É uma doença grave, é uma doença que mata, e a utilização das vacinas como a vacina do Butantan, Coronavac, e a vacina da Pfizer, são vacinas absolutamente seguras para esse público e mostram exatamente a produção dos anticorpos, que também protegem o bebezinho. É importante lembrar que isso já foi visto e é visto especialmente em outras vacinas, como a vacina da Influenza, que protege a mãe das formas graves de doença, a vacina da gripe, e passa para o bebezinho durante a gestação. Desta forma, como a criança só vai poder tomar essa vacina com seis meses, no caso da gripe, ela estará protegida nesse momento. Então, protege a mãe e protege o bebezinho, durante a gestação e nos primeiros seis meses, que ele não pode tomar vacina. Por isso, nós conclamamos e aproveitamos esse momento a conclamar as gestantes para que venham tomar a vacina da gripe. Nós tivemos uma adesão muito baixa, deixando essa população em risco, essa população vulnerável.

REGIANE DE PAULA, COORDENADORA DO PLANO ESTADUAL DE IMUNIZAÇÃO: Sobre o dia D. Na verdade, ontem... Todas as quintas-feiras, às 18h, nós temos uma reunião com o governador João Doria, Dr. Dimas está presente, secretário de Saúde, outros secretários, em que nós conversamos e relatamos tudo aquilo que está sendo feito pelo Programa Estadual de Imunização. Ontem nós tivemos uma conversa e nós pretendemos fazer aí um grande movimento, governador, não só no dia D, mas um movimento diferenciado, o Estado de São Paulo, com 645 municípios, nós não temos a data ainda, mas estamos vendo um grande movimento, um movimento estendido para poder dar esse aporte, não só à segunda dose da vacina, mas também avançar na questão da primeira dose da vacina, uma vez que mais imunizantes estão chegando no Estado de São Paulo. Obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Dimas, Jean, Regiane. Obrigado, Adriana, também, pela sua pergunta. Aliás, vou fazer um comentário aqui completamente fora do contexto da entrevista: estou impressionado com a agilidade da Adriana ao dedilhar o seu celular. Você deve ter feito taquigrafia digital, nunca vi alguém com tanta velocidade... Impressionante. Bom, pessoal, obrigado pela presença de vocês. Estaremos aqui na próxima segunda-feira, neste mesmo horário, temos uma nova entrega de vacinas. Espero que tenham todos um bom final de semana, protegidos e amparados também por Deus. Muito obrigado, bom dia, bom final de semana pra vocês.