Coletiva - SP supera 80% de doses a serem entregues ao Brasil até o fim de abril 20210504

De Infogov São Paulo
Revisão de 10h49min de 20 de abril de 2021 por Fincatibianca (discussão | contribs) (Criou página com ''''Coletiva - SP supera 80% de doses a serem entregues ao Brasil até o fim de abril 20210504''' '''Local: Capital – Data: [http://infogov.imprensaoficial.com.br/index....')
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - SP supera 80% de doses a serem entregues ao Brasil até o fim de abril 20210504

Local: Capital – Data: Abril 05/04/2021

Soundcloud

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Pessoal, bom dia mais uma vez. Muito obrigado pela presença de todos aqui nessa manhã de segunda-feira, dia 5 de abril. O Instituto Butantan, do governo de São Paulo estão entregando hoje mais um milhão de doses da vacina, da vacina do Butantan, a vacina da vida para o Ministério da Saúde. Daqui a pouco os caminhões que estão aqui atrás farão a entrega de um milhão de doses no depósito central aqui em São Paulo do Ministério da Saúde que por sua vez fará a distribuição em todo o Brasil. Agora, com a entrega de mais um milhão de doses o Governo do estado de São Paulo e o Butantan entregam 37,2 milhões de doses da vacina do Butantan. Repito, 37,2 milhões de doses da vacina do Butantan. Este é o total de vacinas entregues para a vacinação, a imunização de brasileiros. Até 30 de abril serão 46 milhões de doses da vacina do Butantan, portanto, até o final desse mês nós estaremos completando 46 milhões de doses da vacina do Butantan. E repito também a informação já dada anteriormente que até 30 de agosto, cem milhões de doses da vacina do Butantan serão entregues ao Ministério da Saúde. Com o montante de hoje, nós já entregamos um pouco mais de 80% do primeiro contrato firmado com o Ministério da Saúde que estabelecia exatamente a entrega de 46 milhões de doses da vacina do Butantan. Hoje, com essa entrega, continuamos performando de maneira que de cada dez brasileiros, nove, praticamente nove estão recebendo a vacina do Butantan. Mas eu aproveito aqui a oportunidade com os meus colegas jornalistas para clamar ao Governo Federal mais vacinas, nós precisamos de mais vacinas urgentemente. Menos discussão, menos projeção e mais vacinação. Precisamos de mais vacinas pra que mais brasileiros possam ser imunizados. Quanto mais rápido for a imunização mais vidas serão salvas e mais rapidamente voltaremos ao normal. Aqui ao meu lado, Jean Gorinchteyn, secretário da saúde do estado de São Paulo e o Reinado Sato que é o superintendente da Fundação Butantan. O nosso Dimas Covas, presidente do Instituto Butantan está em Ribeirão Preto, voltando hoje na hora do almoço, razão pela qual não participa da coletiva de hoje. Nós temos quatro jornalistas já inscritos, vamos começar com o Lucas Josino da Rádio TV Bandeirantes. Lucas, mais uma vez, bom dia. Sua pergunta, por favor.

LUCAS, REPÓRTER: Bom dia, governador, secretário. Bom dia a todos. Governador, segundo as prefeituras aqui no estado de São Paulo mais de 500 pessoas já morreram à espera de algum leito de UTI. Queria saber se alguma ordem estadual, já existe um plano pra ajudar essas prefeituras com mais leitos, ou de alguma outra forma também. E sobre a questão dos sedativos. Alguns hospitais estaduais já sentem a falta de sedativos, queria saber se também existe um plano pra isso.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Vou pedir, ambas as perguntas, Lucas, serão respondidas pelo nosso secretário da saúde, Jean Gorinchteyn. Jean.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO DE SAÚDE DE SÃO PAULO: É importante nós deixarmos muito claro que o fato das pessoas estarem ainda aguardando unidades mais complexas de assistências UTIs não quer dizer que elas estejam desassistidas. Muitas estão entubadas nas unidades e acompanhadas, monitoradas e tomando as medicações específicas. O que nós fizemos ao longo de todo o mês de março, estamos continuando agora no mês de abril, ampliando o número de leitos, resguardando a oferta de oxigênio, e também fazendo aquisições através da dissipação de atas, compras emergenciais de medicações do kit intubação. Mas importante, nós precisamos ter o apoio do Ministério da Saúde no sentido de também estar fazendo a sua parte, nos ajudando a adquirir mais medicamentos. O montante que nós recebemos na semana passada do ministério foi muito pequeno, capaz apenas de fomentar 48h de ação. Nós temos um estoque ainda para alguns dias e estamos apoiando os municípios pra que não haja escassez desses produtos.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Jean. Obrigado, Lucas. Vamos agora para a Marian Cohn (F) da TV [ininteligível] da França. Marian (F).

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Bom dia, governador. Uma pergunta só. Diante a ausência do presidente Jair Bolsonaro, qual é o papel de você como governador de São Paulo no Plano Nacional de Vacinação.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Marian (F), muito obrigado por estar aqui, você e a sua equipe. O papel de todos os governadores, nós temos sido os defensores da ciência, da saúde e da vida. Exatamente o papel oposto que lamentavelmente cumpre o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. Um notório negacionista, aliás, tratado como tal pela imprensa mundial e como negacionista tem sido responsável por esta falta de vacinas que temos hoje no Brasil. Poderíamos ter comprado vacinas desde a metade do ano passado, desde julho do ano passado, isso não foi feito, hoje o Brasil enfrenta uma escassez de vacinas, uma escassez de insumos e muita dificuldade para salvar e proteger o seu povo. Eu lamento que tenhamos um líder tão distante das necessidades do país e tão assumidamente negacionista. São os governadores dos estados brasileiros que desde o início da pandemia vêm tomando decisões impopulares, mas absolutamente necessárias para a proteção à vida dos brasileiros. Protege com a recomendação do distanciamento entre as pessoas. Protege orientando e determinando inclusive por lei a obrigatoriedade do uso de máscaras. Protege seguindo os protocolos sanitários e a orientação da ciência e da saúde. E no caso de São Paulo, protege fornecendo a vacina. Hoje a vacina que imuniza nove em cada dez brasileiros sai daqui de onde nós estamos do Instituto Butantan. Poderíamos ter muito mais vacinas do que apenas duas vacinas nesse momento, a vacina do Butantan e a vacina da Fiocruz que é a Astrazeneca. Poderíamos estar com cinco ou seis opções de vacinas, e essas vacinas já estariam sendo aplicadas no braço dos brasileiros se não houvesse um negacionismo e o distanciamento dessa trágica realidade que estamos enfrentando por parte do presidente Jair Bolsonaro.

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Muito obrigada.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Muito obrigado, Marian (F). Vamos agora, Gabriela Bridi, TV Globo, Globo News. Tá aqui desse lado. desculpe.

GABRIELA BRIDI, REPÓRTER: Imagina.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Desculpa, Gabriela. Perdão.

GABRIELA BRIDI, REPÓRTER: Bom dia. Queria saber como é que fica a produção da Coronavac nesse mês de abril com a vacina da gripe, se vai ter algum impacto na produção da Coronavac?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Gabriela, muito obrigado. Eu vou pedir ao nosso Sato que possa responder na qualidade de diretor do Instituto e da Fundação Butantan.

REINALDO SATO, SUPERINTENDENTE DA FUNDAÇÃO BUTANTAN: Boa tarde. Boa tarde não, bom dia. Não vai haver nada, toda a produção da Coronavac está com a Influenza nas duas áreas de envase, estão todas a todo o vapor e vamos entregar conforme o programado.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Sato. Obrigado, Gabriela. Vamos agora ao Vinícius Passarelli da Rádio CBN. Mais uma vez, bom dia, Vinícius.

VINÍCIUS PASSARELLI, REPÓRTER: Bom dia, governador, secretário. Bom dia a todos. Governador, no dia 15 de março o governo anunciou a criação de um novo hospital de campanha no centro da cidade em Santa Cecília. Ele ainda não está funcionando, eu queria saber o que falta pra esse hospital começar a operar, se essa questão das faltas de gás, de insumos. E se me permite uma segunda pergunta, governador, eu queria uma avaliação do senhor em relação à antecipação dos feriados aqui na capital, terminou ontem, né, esses dez dias seguidos sem dia útil. Surtiu o efeito esperado? E também se o senhor considera, estuda antecipar também o feriado de 9 de julho. Obrigado.

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Com relação ao Hospital de Santa Cecília, nós tivemos que fazer algumas reprogramações e adequações do ponto de vista de gases medicinais, especialmente as estruturas relacionadas aos gases medicinais, fato pelo qual acabou atrasando a nossa obra que estaria prevista pra ser entregue agora. Nós, muito possivelmente, faremos a entrega no sábado com a possibilidade de nos antecipar, talvez até sexta. Vamos correr pra que essa estrutura esteja montada pra que dessa forma possa... possamos acolher a nossa população. Quando nós falamos da antecipação dos feriados, nós tivemos uma taxa de mobilidade menor, isso reduziu a circulação de pessoas e colaborou também para as estatísticas tanto de número de casos, número de internações e desacelerou inclusive o número de óbitos. Então, dessa maneira, a nossa visão frente ao que ocorreu diminuindo a circulação de pessoas, diminuindo com elas a circulação do vírus, acabou tendo um impacto bastante positivo.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Jean. Vinícius, muito obrigado. Nós vamos concluir a nossa coletiva. Daqui a pouco, não sei se vocês conseguirão, mas poderemos nos reencontrar lá na Academia do Barro Branco onde nós estaremos iniciando a vacinação para os policiais militares, Polícia Civil, policiais federais, Corpo de Bombeiros, Polícia Científica de todo o estado de São Paulo. Hoje começa a vacinação de mais de 120 mil profissionais de segurança pública no estado de São Paulo e eu estarei lá na Academia do Barro Branco fazendo a abertura desse programa de vacinação. Muito obrigado a todos. Se protejam. Tenham uma ótima semana. Muito obrigado.