Coletiva - Vacinação contra gripe começa com estratégias especiais de prevenção ao coronavírus 20202303

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Vacinação contra gripe começa com estratégias especiais de prevenção ao coronavírus

Local: Capital - Data: Março 23/03/2020

Soundcloud

JOSÉ HENRIQUE GERMANN, SECRETÁRIO DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom dia. Então hoje nós estamos iniciando a campanha de vacina junto com as prefeituras municipais de todo o estado, e a prefeitura do município de São Paulo também, aqui só no estado, na cidade de São Paulo são 600 postos de vacinação. Teremos que fazer isso de uma forma que não haja aglomeração, principalmente dos idosos, que são os primeiros que estão sendo vacinados agora junto com os profissionais de saúde, e da Polícia Militar, que estão trabalhando conosco na questão do Coronavírus, enfim, de toda a área de saúde que nós estamos trabalhando junto com a Polícia Militar. Então eles também estão envolvidos nisso, e dá um total aí de um pouco mais de 6 milhões de pessoas nesta fase. Aí depois virão os demais segmentos que devem ser vacinados, para que a gente atinja um percentual de vacinação extremamente importante, com uma cobertura acima de 90%. Todo ano é assim, porque há mudanças no vírus, acho que o Dimas pode explicar isso melhor que eu, e nesse sentido até o ano que vem, quando estaremos aqui novamente, se Deus quiser, para vacinar de novo a questão da Influenza. Tem também, que eu gostaria que ele explicasse a questão, porque nós estamos vacinando a Influenza se n&oac ute;s temos um problema de Coronavírus, né? Por favor, Dimas.

DIMAS COVAS, DIRETOR DO INSTITUTO BUTANTÃ: Bem, o Butantã este ano está entregando ao ministério 75 milhões de doses, nós entregamos até semana passada, 15 milhões, até quinta-feira agora vamos entregar 23 milhões. E isso é absolutamente um recorde, essa é a maior campanha pública de vacinação contra a gripe do mundo, e isso somente foi possível porque o Butantã ágil muito rapidamente e permitiu que a campanha fosse adiantada em quase um mês. Nós estamos já iniciando a temporada de gripe, esse ano no Brasil nós já tivemos 29 mortes, H1N1, e a [Ininteligível] que está circulando este ano, e o H3N2. Então a vacina&cced il;ão contra a gripe protege contra esses três vírus que já estão circulando. E por que nós estamos adiantando? Exatamente para evitar o pico dessa incidência que costuma ser nos meses mais frios do ano, a partir de maio, junho. Adiantando nós vamos proteger a população, esperamos que tenha uma grande adesão, mais de 90% da população deve, esperamos nós, aderir à essa campanha, e com isso essa população se protegerá, e consequentemente nós teremos menor afluxo de pessoas com síndrome gripal nos nossos serviços de saúde, isso é fundamental nesse momento. Vamos deixar o serviço de saúde livre para atender as ocorrências do Coronavírus, esse é um ponto importantíssimo. Segundo aspecto é o seguinte, quem foi vacinado não tem motivo nenhum para ter manifestaç&oti lde;es de gripe, e, portanto, se ele apresentar as manifestações ela pode ser devido à uma outra infecção respiratória, e inclusive ao Coronavírus. Então é importantíssimo. Esse ano houve mudança das três Cepas, em relação ao ano passado, quer dizer, as três mudaram. Então a vacina do ano passado não serve para esse ano, então esse ano nós temos que tomar a vacina deste ano. E como o secretário disse, isso já está nos municípios, os municípios estão adotando estratégias das mais diferentes, para evitar aglomeração, alguns colocando distância regulamentar de 1,5 metro na própria calçada que dá acesso ao centro de vacinação. Alguns municípios inovando, como por exemplo, o município de Santos, que estabeleceu um drive-thru, quer dize r, os idosos vem de carro e ele é vacinado dentro do próprio carro, isso para evitar exatamente a exposição dessa população de idosos, que é a população que tem maior risco neste momento. Então o apelo é esse, um apelo é que as pessoas não deixem de ser vacinadas, grupos de risco, profissionais da saúde, nesse momento é importantíssimo que façam a sua vacinação. A vacina não tem contraindicação. Existe aquela história: "Ah, mas eu tomei vacina o ano passado e aí eu peguei a gripe". Impossível, a vacina é feita com vírus mortos, vírus inativados, então ela não vai transmitir a gripe. Se o indivíduo desenvolveu logo após a vacinação é porque ele já estava infectado anteriormente. Então não tem essa possibi lidade. A única coisa que pode ter é a pessoa ter uma alergia à Albumina, o vírus é cultivado em ovo, a vacina vem do ovo de galinha. Então quem tem essa alergia pode ter lá alguma dificuldade, mas isso pode ser superado com assistência médica adequada. Essas informações estão disponíveis nos sites da secretaria, o próprio Butantã tem uma área específica onde informa todos esses detalhes aí em relação à vacina.

JOSÉ HENRIQUE GERMANN, SECRETÁRIO DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom, todo esse processo de vacinação é feito na secretaria com um time de ouro, que é responsável por todo esse trabalho ano a ano. Então eu gostaria de uma palavrinha aqui da diretora do centro, para que ela possa explicar para vocês mais alguns detalhes da vacinação, por favor.

NÚBIA ARAÚJO, DIRETORA DO PROGRAMA ESTADUAL DE IMUNIZAÇÃO: Queremos trazer a tranquilidade de que os municípios estão montando as suas estratégias de acordo com a sua estrutura. Foi priorizada a vacinação em ambientes com ventilação, como escolas, nos pátios abertos, e outras estratégias também estão sendo montadas para sai o foco da vacinação somente das unidades básicas de saúde, e as unidades básicas de saúde são sim um local de vacinação, mas outras possibilidades estão sendo abertas. Gostaria de tranquilizá-los que a vacinação que começa hoje ela vai sendo estendida aí por três semanas e meia, temos quase um mês inteiro para alcançar os 6 milhões de idosos e profissionais de saúde. Os profissionais de saúde serão vacinados nos seus locais de trabalho, e os idosos tem aí, portanto, muitos dias para organizar a sua ida ao local de vacinação, não necessariamente no dia de hoje ou amanhã, temos três semanas pela frente, para alcançar, como disse o secretário, a meta de cobertura vacinal de 90%. Então individualmente haverá a proteção de quem foi vacinado, mas também coletivamente temos então a redução dos outros vírus respiratórios que estão também circulando já no outono e também no inverno, como os vírus Influenza contidos na composição da vacina desse ano.

REPÓRTER: Qual é a orientação para a pessoa que está com suspeita de ter Coronavírus, ela sai de isolamento e ir até ao posto mesmo assim?

NÚBIA ARAÚJO, DIRETORA DO PROGRAMA ESTADUAL DE IMUNIZAÇÃO: Nós não vacinaremos, adiaremos a vacina de qualquer pessoa que tenha um quadro gripal, essa já é uma orientação do dia a dia do vacinador, no Brasil como um todo e em outros países, se você tem um quadro de febre, qualquer doença aguda, mal-estar geral, febre, qualquer vacina é adiada para um segundo momento, quando esse quadro já tiver passado.

REPÓRTER: Os assintomáticos, não só apenas o...?

NÚBIA ARAÚJO, DIRETORA DO PROGRAMA ESTADUAL DE IMUNIZAÇÃO: Os assintomáticos, por serem assintomáticos não sabem que estão portando a doença, naturalmente serão vacinados porque isso é impossível de ser identificado. A vacina é uma vacina, como disse o doutor Dimas, de vírus morto, além de morto, totalmente fragmentado, ela é extremamente segura e muito bem tolerada pelo organismo.