Coletiva - Visita à Obra do "Encontro Leve Estruturado" no Trecho Leste do Rodoanel Mario Covas - 20121907

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva de Visita à Obra do "Encontro Leve Estruturado" no Trecho Leste do Rodoanel Mario Covas

Local: Suzano - Data: 19/07/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Bom dia! Olha, hoje é um dia importante na obra da Asa Leste do Rodoanel Metropolitano de São Paulo. O Rodoanel Metropolitano são 43 km praticamente, e nesta área aqui de várzeas, o que nós estamos fazendo para preservar o meio ambiente e para ganhar tempo? Estamos evitando dois Maracanãs de terra serem transferidos para cá tendo grande impacto na questão ambiental e nas várzeas. Então a pista passa sobre a várzea. São 8 km de encontro leve estruturado, são colocadas essas estacas. São 2,8 mil estacas que são cravadas, são quatro máquinas, o cantitravel... Quatro máquinas de cantitravel, as vigas são colocadas, são 2,8 mil estacas, isso dá 52 km de estaca. E depois, sobre as estacas, são colocadas as vigas, 8.640 vigas, dá para ir de São Paulo a Campinas de viga. Então não tem quase impacto ambiental, porque não mexe no solo, não mexe na várzea, não mexe na micro e macro drenagem, ela vai sobre a várzea. 8,8km de encontro leve estruturado, 2km de viadutos no entroncamento com a SP 66 e 1,2km de viaduto no entroncamento com a Ayrton Senna. Nós estamos falando de 12 km de via suspensa, sem impactar o solo e as várzeas, e também ganhando tempo. São duas Torre Eiffel de aço que está sendo utilizado. E tudo sendo fabricado aqui, as vigas, os pilares, as estacas, e o Brasil, tendo um grande ganho em termos de engenharia. O cantitravel era muito usado nos portos para cravar as estacas no mar, agora está sendo usado em rodovia. É a primeira vez no país que está sendo usado o cantitravel para rodovia. 12 km de via suspensa, é quase a Ponte Rio/Niterói. A Ponte Rio/Niterói tem 13 km, nós vamos ter mais de 12km aqui de via suspensa, duas pistas aqui no Rodoanel.



REPÓRTER: Em termos de custo, esse método é compensador?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Esse método, ele ganha tempo, você evita muita questão ambiental, compensações ambientais, movimentação de terra. Então você tem um ganho de custo, de tecnologia, e, principalmente, de preservação ambiental, em termos de sustentabilidade. Esses 43 km do Rodoanel na Asa Leste está caminhando dentro do cronograma. O nosso prazo é março de 2014, ligando Ribeirão Pires/Mauá/Avenida Papa João XXIII, passando por Suzano, por Poá, por Itaquaquecetuba, chegando até a divisa de Arujá com Guarulhos, passa pela SP 66, Ayrton Senna, e vai até a Dutra. E nesse momento nós estamos terminando a licitação do trecho Norte, cuja a previsão é começar em setembro ou outubro. Contrato assinado, agora em setembro, outubro.


REPÓRTER: E as obras do trecho Norte?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: As obras, setembro, outubro. Nós vamos começar a obra do trecho Norte agora no segundo semestre. Nós vamos ter duas obras simultâneas, o trecho Leste e o Norte. O trecho Leste feito pela concessionária, a SP Mar, e o trecho Norte obra pública, pelo Estado. Assinamos o mês passado em junho, em Washington, o financiamento com o BID, o Banco Interamericano de Desenvolvimento. Aí nós fechamos os 180km do Rodoanel, tirando o trânsito de passagem de São Paulo, melhorando a logística, muitas empresas virão para as regiões trazendo emprego, desenvolvimento, ligando o maior aeroporto do país, que é Cumbica, com o maior porto do país, que é Santos, e as dez auto estradas, Bandeirantes, Anhanguera, Castelo, Raposo, Régis Bittencourt, Imigrantes, Anchieta, Ayrton Senna, Dutra e Fernão Dias. Todas as dez autoestradas interligadas no Rodoanel Metropolitano.



REPÓRTER: Da Norte, tem previsão?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Previsão do Norte 36 meses. Então, se iniciar agora no segundo semestre, você conta 36 meses... Agosto de 2015 é o prazo.



REPÓRTER: Podemos dizer então que em 2015 teremos o Rodoanel pronto?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Exatamente.



REPÓRTER: Governador, sobre estradas ainda, a gente tem um projeto aqui que envolve o Tietê da perimetral da Copa, né, que é até para pegar um pouquinho de carona aí na questão do Rodoanel. O que é que a gente tem de novidade sobre isso? Tem alguma...



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós temos a obra em Ferraz de Vasconcelos, que é uma obra importante da perimetral da Copa; teremos também Mogi, já assinamos o convênio da Av. Guilherme George, e vamos interligando aqui toda a região. Então, isso vai facilitar o acesso ao Rodoanel e vai facilitar o acesso a São Paulo, à zona leste de São Paulo, inclusive ao estádio, ao Itaquerão.



REPÓRTER: [ininteligível] a Guilherme George, quando sai?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eu posso, depois, lhe passar o cronograma detalhado, mas já foi assinado o convênio já.



REPÓRTER: Vai pegar uma faixa da CPTM mesmo, o projeto da perimetral da Copa pega uma faixa da CPTM?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Tem trecho que é do lado da CPTM e tem trecho que se distancia da CPTM.



REPÓRTER: E serão várias licitações, então, cada trecho uma licitação?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Exatamente.



REPÓRTER: [ininteligível], governador.



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Como?



REPÓRTER: O senhor mesmo disse que a sua obra tem um grande comprometimento com a questão socioambiental. O senhor poderia dizer que essa é uma marca da sua gestão?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não há dúvida. Eu acho que nós temos aqui duas grandes obras latino-americanas, obra de grande impacto, em termos de tecnologia e engenharia, é o túnel Santos-Guarujá, que está, nesse momento, sendo executado o projeto. Uma das grandes obras do mundo, ligando, a ligação seca entre Santos até Guarujá, e esse trecho aqui do Rodoanel, que tem um grande avanço, sob o ponto de vista tecnológico. Você vai ter 12 km de via suspensa, é mais do que na Imigrantes nova. E com grande ganho de natureza ambiental. Já imaginou um movimento de terra, você fazer um aterro aqui de dois Maracanãs, o que isso ia causar de problema de drenagem, de alagamentos, de “encharcamento”, de problemas nas chácaras, nas propriedades rurais, nas cidades, propriamente ditas? Então, eu diria que é um grande exemplo de sustentabilidade, de avanço da tecnologia e da engenharia a serviço das pessoas e do meio ambiente.



REPÓRTER: Governador, sobre as pessoas, sobre os moradores aqui, tanto de Suzano, como de Poá, que estão reclamando porque estão recebendo, ofereceram muito abaixo o imóvel deles do que deveria. Por exemplo...



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós temos uma boa experiência nesse trabalho. Fizemos o Rodoanel oeste, fizemos o Rodoanel sul e agora o leste. As famílias serão indenizadas; quem tiver a propriedade pela terra e pelo imóvel; quem não tiver, pelo imóvel, ou pelas benfeitorias; e quem tiver comércio, até pelo fundo de comércio. Então, A Dersa, ela tem uma experiência grande, e o setor privado também. A Karla Bertocco e o Dr. Saulo podem detalhar.



REPÓRTER: E tudo judicial. O que o juiz disse vai ser pago.



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: E nós não pagamos um centavo a menos pra ninguém; o que a justiça determinar será rigorosamente cumprido.



REPÓRTER: Em relação às contrapartidas que as cidades estavam pedindo para tentar reduzir o impacto de veículos?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Isso tá tudo previsto na licitação. Quando foi aprovado o [ininteligível], e nós tivemos as licenças ambientais, nós tivemos ali todas as compensações ambientais. Então, isso faz parte do escopo da obra.



REPÓRTER: Mas não são as ambientais, são as compensações que as prefeituras estão pedindo...



REPÓRTER: Arquitetônicas, aquelas viárias que elas pediram...



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: É, o que tiver previsto...



REPÓRTER: Porque a [ininteligível] fala que não está no contrato.



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O que tiver previsto, nós vamos executar. Novos pleitos, nós vamos avaliar, sem nenhum problema.



REPÓRTER: Pedágio, o trecho leste...



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Terá e será um dos menores pedágios do país: R$ 0,04 por quilômetro.



REPÓRTER: Os moradores da região vão ter desconto?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Aqui isso é um dado importante. Aqui iria ser R$ 1,90, é R$ 0,04...




REPÓRTER: Governador, sistema Ponto a Ponto. Queria sua opinião da cobrança em trechos urbanos nas rodovias. E quando que se chega na via Anchieta e na Imigrantes na grande ABC?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Isso ainda está sendo estudado, por enquanto só estão definidas três estradas: Itatiba-Jundiaí, que já foi Jundiaí-Itatiba, que já foi implantada com 94% de ótimo e bom. Aprovação total. Santos Dumont, Sorocaba, Campinas que está sendo implantada. Para ter uma ideia, quem sai de Indaiatuba para Campinas que pagava R$ 12,00. Perdão. R$ 10,50. Pagava R$ 10,50 para ir e R$ 10,50 para voltar vai reduzir pra R$ 4,20. Reduzi praticamente 60%. E a terceira estrada é Jaguariúna. A ligação de Jaguariúna, Pedreira e Amparo.


REPÓRTER: Governador, e aquele assunto aqui de Suzano que ainda continua causando polêmica. O senhor já falou algumas vezes aquela questão do hospital. Eu queria saber se o senhor já tem uma previsão, informação sobre prazo...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Suzano tem vários investimentos aqui previstos. Então Bom Prato, inaugura em agosto. Está sendo comprado o mobiliário, em agosto inaugura o Bom Prato. Poupatempo, em 15 dias assina o contrato. A gente imagina quatro, cinco meses está inaugurado o Poupatempo. O erguimento da Rodovia da Índio Tibiriçá, já está em obra. O hospital de Suzano são duas obras. Uma obra é recuperar e reformar o hospital de retaguarda, o hospital antigo que vai aumentar o número de leitos. E a outra do lado o hospital novo. Nós imaginamos 90, 100 dias para está com o projeto concluído para licitar a obra já.


REPÓRTER: As duas obras?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: As duas obras simultâneas, a reforma e o hospital novo.


REPÓRTER: Previsão de investimento do hospital de Suzano. A previsão de investimento nas duas unidades.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O valor exato nós vamos ter quando terminar o projeto executivo. Mas você pode falar em torno aí de R$ 7 milhões a reforma e quase R$ 30 milhões o hospital novo.


REPÓRTER: É para inaugurar em 2013, governador, esse hospital de Suzano?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não.


REPÓRTER: Para 2014? Qual a previsão?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: A hora que ficar pronta inaugura e está funcionando.


REPÓRTER: Aumentam quanto o número de leitos?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Aumentam, acho que são 120 leitos o hospital novo e mais... 30 leitos a mais no hospital auxiliar de Suzano e 120 no novo. Vai dar 151 leitos a mais para exame.


REPÓRTER: E a questão de falta de médicos no Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos que continua de maio, governador.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O que é que nós estamos fazendo? Nós já autorizamos contratar mais 150 médicos. Só lá para Ferraz de Vasconcelos, 37 médicos já devem... É só entregar o documento já estão contratos. Nós aumentamos o valor do plantão. Então o plantão ele varia agora, ele era em torno de 500 e poucos reais. Ele vai de R$ 800,00 até R$ 1.180 mil o plantão de 12 horas de acordo com a dificuldade de conseguir médico. É mais fácil conseguir no centro de São Paulo. É mais difícil conseguir mais distante. Então nós temos três tabelas de plantão médico. Você tem a tabela aí? A tabelinha está aqui. O decreto será publicado amanhã. Olha, o menor valor de plantão, R$ 785, 12 horas. O local B, R$ 942. E o local C, R$ 1.130 , não é R$ 1.180 .


REPÓRTER: Esse valor está atraindo profissionais?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Atrai. Agora, o que é que nós vamos fazer além do plantão? Em agosto nós concluímos o nosso projeto do plano de cargos e salários para médico. Nós queremos ter médico em tempo integral e dedicação exclusiva. Só trabalhando para o Governo, só trabalhando para o SUS. Então nós vamos remunerar bem e dar um plano de carreira pra eles.


REPÓRTER: Vocês querem pegar o acervo?


REPÓRTER: Referente ao Rodoanel. As pessoas que moram aqui terão desconto mais ou menos similar do Ponto a Ponto que você vai ver em outras estradas.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, o pedágio aqui é 0,4 por quilometro percorrido, então você faz a conta. É o menor pedágio do país. Para você ter uma ideia, o desconto aqui foi de quanto por cento? Foi 62% mais barato.