Coletiva - Visita às obras da futura Estação Campo Belo, da Linha 5 - Lilás do Metrô 20141009

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Visita às obras da futura Estação Campo Belo, da Linha 5 - Lilás do Metrô

Local: Capital - Data:Setembro 10/09/2014

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Olha, nós estamos aqui numa das principais esquinas Metrópole, Avenida Santo Amaro com a Avenida Roberto Marinho. Então, são grandes obras que estão sendo feitas, eu destacaria primeiro a Linha 5 do Metrô, a Linha 5 do metrô vem aqui embaixo da Av. Santo Amaro, ela começa lá na Capão Redondo, passa por Santo Amaro e vai até Santa Cruz e Chácara Klabin. E aqui na esquina da Santo Amaro com a Roberto Marinho encontram-se as duas Linhas, a Linha 5 do metrô e a Linha 17 de monotrilho que passa sobre a Av. Roberto Marinho e vai ligar o aeroporto de Congonhas com o Morumbi e depois numa segunda etapa com Jabaquara. Então, nessa esquina aqui da Santo Amaro com a Roberto Marinho nós teremos duas grande estações com a estação Campo Belo, a estação Campo Belo da linha 5 e a estação Campo Belo da Linha 17. As duas integradas, integrando o monotrilho da Linha 17 com o metrô da Linha 5. E teremos aqui também dois grandes viadutos que estão incluídos na obra que vamos entregar para a prefeitura, que é aqui na Av. Santo Amaro passando sobre a Roberto Marinho. Então acaba o semáforo, não haverá mais o semáforo da Santo Amaro com a Roberto Marinho, quem vem da Av. Santo Amaro passa direto sobre a Av. Roberto Marinho. Então, eu destacaria aqui três modais integrados: o Metrô, Linha 5, o monotrilho, Linha 17 e o corredor de ônibus da Av. Santo Amaro, o pneu, o monotrilho e o metrô. Os três integrados, facilitando vida da população e melhorando a mobilidade urbana aqui na metrópole. E para o futuro, quero destacar aqui que nós estamos fazendo hoje o maior investimento sobre trilhos da América Latina, seis Linhas de Metrô simultâneas. Para ter uma ideia o que isso representa em termos de emprego, esta Linha 5 tem 5.300 pessoas trabalhando aqui na Linha 5 do Metrô nos seis lotes. Só na Linha 5, 5.300 trabalhadores, sábado, domingo, de noite, nós temos seis Linhas de Metrô simultâneas em obra, duas Linhas de trem, a Linha 9 e a nova Linha 13 para Guarulhos e o VLT em Santos, também todo ele em obra. E duas obras, três obras fora da capital. A Linha 18 que vai para São Caetano, Santo André e São Bernardo, a Linha 13 e a linha 2 que vão para Guarulhos, e VLT na Baixada Santista, ligando Santos, São Vicente, depois Praia Grande e toda a região da Baixada Santista.

REPÓRTER: Governador, a estação Campo Belo da linha 5-Lilás, teve as obras iniciadas ainda em 2010, na antiga gestão do governador José Serra, com promessas de entrega só para 2016. Por que tanto atraso?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Não, a obra 5 não começou em 2010, ela deve ter começado quase em 2012.

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Quase em 2012.

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Ela começou em 2012, ela não começou...

REPÓRTER: Mas teve contrato assinado em 2010.

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Teve, ele foi suspenso. Esse contrato foi suspenso, nós fizemos toda uma análise da licitação do contrato. A obra começou em 2012. Já entregamos a estação Adolfo Pinheiro, porque ela era pelo método NATM, que você vai escavando e pode entregar uma por uma, então ela já foi entregue e já está funcionando. As outras dez estações são por shield, elas são por tatuzão. Nós temos na Linha 5, três tatuzões, um grande que está indo no sentido da Chácara Klabin, que é um mega tatuzão. Então, cabem ali as duas linhas do Metrô e dois menores, indo no sentido da Adolfo Pinheiro, por questão geológica de solo. Então, tem dois, indo para a Adolfo Pinheiro e um grande indo para a Chácara Klabin. A obra está num ritmo forte, nós temos aqui 5.300 pessoas trabalhando. É complexa, e fazendo as integrações. A Linha 17 deve ficar pronta antes, um ano e pouco ela já vai ser entregue, a Linha 17, a maior dificuldade foi o pátio de manobras, porque o pátio fica em cima do piscinão da Roberto Marinho, teve que fazer um novo projeto. Então a Linha 17, ela está bastante adiantada, a gente calcula mais um ano e pouco para entregar as estações e ela começar a operar. E a Linha 5, dois anos de obra. E aqui, três obras eu queria destacar: a estação Campo Belo do metrô, a estação Campo Belo da Linha 17 e o viaduto sobre a Avenida Santo Amaro.

REPÓRTER: Governador, só para ficar claro, então, a linha 17-Ouro será entregue inteira em 2015.

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Oito estações.

REPÓRTER: Oito estações. Tá.

REPÓRTER: O senhor falou em 2016.

REPÓRTER: Não, não, a 17, eu estou falando a 17.

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: 2016.

REPÓRTER: A 17, em 2016?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: A linha 17 está lá. Quais são as oito estações que estão sendo feitas? Uma depois do aeroporto Congonhas, que é estação Jardim Aeroporto, Jardim Aeroporto. A outra, a estação Congonhas, dois; a outra a estação Brooklin Paulista, três; a outra a estação Vereador José Diniz, quatro; a outra essa aqui, Campo Belo, cinco; a outra Vila Cordeiro , seis; a outra Chucri Zaidan, sete; e finalmente a Morumbi, que integra com Linha 9 da CPTM.

REPÓRTER: Da Jardim Aeroporto até Morumbi.

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Exatamente , isso é o que está tudo em obra, são oito em obras.

REPÓRTER: Até 2016.

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Início de 2016.

REPÓRTER: O senhor usou agora o termo adiantado, mas essas obras não estavam para ficarem prontas antes da copa ?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Não, não. Não tem nada a ver com a copa do mundo.

REPÓRTER: Monotrilho não tem, não tinha essa previsão?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Isso aí foi discutido no tempo que ia ser o São Paulo Futebol Clube, o Morumbi ia ser o estádio. Isso foi totalmente retirado da Copa do mundo.

REPÓRTER: Então não está atrasada, governador?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Nós temos aqui, nós temos hoje 78 quilômetros de metrô, com a entrega de 2,9 entregues agora entre Vila Prudente e Oratório. 78. Nós temos em obra, hoje, incluindo Linha 5 e as demais, 73 quilômetros. Nós temos um outro metrô em obra. Vão entrar agora, já está assinado o contrato de 15 quilômetros da Linha 18, que vai para São Caetano, Santo André e São Bernardo; e 15 quilômetros da Linha 2, que sai da Vila Prudente e vai para Guarulhos. Então nós chegaremos a 103 quilômetros, não é que vai fazer, em obra. Hoje em obra, 73, questão de semanas Linha 18, canteiro de obras mais 15 e até o fim do ano linha 2 mais 15. Nós chegaremos a 103 quilômetros. Então, queria destacar o grande esforço que está sendo feito em transportes sobre trilhos , metrô , VLT e monotrilho, CPTM e a integração desses modais. Vai integrando toda a malha, integra o corredor de ônibus da Santo Amaro, integra a Linha 17, que vai chegar ao Morumbi e ao Jabaquara. Integra com a Linha 5 que saí lá da Zona Sul e vai até Santa Cruz e Chácara Klabin, então a população vai tendo um ganho, uma sinergia, fantástica em termos de mobilidade urbana.

REPÓRTER: Governador...

REPÓRTER: Não há atraso , então?

REPÓRTER: ... Que não ficou muito claro. As oito estações da linha 17 do Jardim Aeroporto até Morumbi, início de 2016.

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Isso.

REPÓRTER: Linha 5 de Santo Amaro à Chácara Kablin, quando que é data de entrega?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Final de 2016.

REPÓRTER: Final de 2016.

REPÓRTER: Então nessas linha não há prazo, então ?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Nós temos hoje um trabalho recorde. Nós temos um outro metrô em obra, 73 quilômetros em obra, 15 quilômetros para começar dentro de algumas semanas, que é a Linha 18; e mais 15 quilômetros na linha 2; 103 quilômetros. Não é que vai ser feito, é que já está em obra ou contratada. Só na linha 5, 5.300 trabalhadores, só na Linha 5. Aliás, eu pedi para o Jurandir somar todas as obras do estado hoje, metrô, trem, Rodoanel, nós devemos ter mais de 50 mil pessoas trabalhando só em obras de infraestrutura e logística. E trabalhando sábado, domingo, de noite. Aliás, o pátio lá da Água Espraiada, nós pretendemos até fazer lá uma vistoria a noite para acompanhar lá as obras, então é um ritmo forte.

REPÓRTER: E nos próximos quatro anos sendo eleito, é continuidade ou…

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Qual a nossa proposta? É dar continuidade, acelerar todas essas obras e integrar os vários modais. Então, 103 quilômetros de metrô, de trem, de VLT, fora os corredores de pneu que nós estamos fazendo. Então, compromisso, metrô grande expansão; expansão recorde. São 7 Linhas de metrô. Hoje seis Linhas simultâneas, com a Linha 2 serão 7 Linhas em obra. CPTM, zona sul de São Paulo, Varginha e Guarulhos, Linha 13. VLT, Baixada Santista, corredor de pneu, corredor Noroeste, Campinas até Americana e Santa Bárbara. Guarulhos até São Paulo e Zona Leste até São Paulo. E Itapevi, Jandira, Barueri, Osasco, Carapicuíba até São Paulo. Então, todos os modais.

REPÓRTER: [Ininteligível 00:02:19] a sua campanha pediu para que a propaganda do PT sobre o Cartão Bom fosse retirada do ar?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Porque era mentira. O Cartão Bom, ele já está implantado. Quantas pessoas estão utilizando?

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Na semana passada já deu uma média de 330 mil pessoas por dia.

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: 330 mil pessoas por dia, então o cartão já está funcionando, aliás, não precisa fazer nada. É só passar o cartão. Você tem o desconto de 1,35 na ida e 1,35 na volta, beneficiando os 39 municípios da região metropolitana de São Paulo.

REPÓRTER: A campanha então mentiu do Padilha sobre isso?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Não, já está funcionando, é óbvio. Tanto é que a justiça tirou do ar.

REPÓRTER: Governador, voltando a proposta, além da malha sobre trilhos que já está em obra, o senhor pretende expandir ainda mais isso? Fazer novas estações, novas linhas?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Claro. Nós temos um grande programa de reforma e construção de estações. Algumas já em obra, outras sendo licitadas, outras em projeto. Todas com acessibilidade. E temos projetos, que, evidente que vão ser implementados, mas ainda estão na fase de projeto.

REPÓRTER: O senhor pode citar?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Por exemplo, Capão Redondo/Jardim Ângela. Nós teremos mais três estações, Capão Redondo até Jardim Ângela. Então aí você vai implementando, né? Taboão da Serra já está em obra até Vila Sônia. Nós vamos ter mais três estações saindo de São Paulo indo até Taboão da Serra. E tem um grande projeto da PPP, trem intercidades, Americana, aí vem Santa Bárbara, Sumaré, Hortolândia, Campinas, Valinhos, Vinhedo, Louveira, Jundiaí, vem até São Paulo. Santo André/Santos, Sorocaba, São Roque, Osasco, São Paulo, Guarulhos, São José, Taubaté, até o Vale do Paraíba. Esse trem intercidades está preparadinha a PPP. O que nós dependemos? Do governo Federal. Porque nós precisamos da faixa da rede ferroviária Federal, do governo Federal. Ali cabem cinco linhas. Então você tem duas da CPTM, que é o trem que vai até Jundiaí, ida e volta, duas, tem o trem de carga, três, e cabe mais duas, que nós queremos o trem de média velocidade. Então nós estamos lá... Quantas vezes você já foi lá? Nós estamos lá numa luta. A hora que eles disserem: "Concordamos", nós lançamos o edital da PPP.

REPÓRTER: Na propaganda eleitoral que foi levada ao ar ontem, a presidente Dilma Rousseff reivindicou algumas vitrines eleitorais do senhor, como Rodoanel, como monotrilho. Como o senhor tem visto essa tentativa dela de...?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Olha, eu mesmo destaco. Linha 18, São Caetano, Santo André e São Bernardo, tem recurso da OGU, custam R$ 3,9 bilhões, tem R$ 400 milhões Federal. Está ótimo, ajuda. Rodoanel, o Rodoanel Leste não tem nenhum centavo, nem do governo Federal nem do Estado, porque é concessão. Então aí é todinho feito pela inciativa privada. Mas o Rodoanel Norte é obra pública, então é dois terços do Estado... Acaba sendo mais, porque as desapropriações são nossas, mas da obra mesmo dois terços do Estado, um terço do governo Federal. Do empreendimento: três quartos do Estado, um quarto do governo Federal. Nós não temos nenhum problema. A gente até destaca... Nós queremos mais parcerias. Nós temos dinheiro da OGU, só está faltando o ministro da cidade assinar para três obras importantes. Quando ocorreram as manifestações em junho do ano passado, a presidenta Dilma chamou os governadores e os prefeitos das capitais a Brasília. Nós apresentamos N propostas, foram aprovadas três. O trem para Varginha está incluído no pacote, ainda não recebemos, mas está incluído. Estamos fazendo por nossa conta. O trem para o aeroporto de Cumbica está incluído, também não recebemos, mas já estamos fazendo. E as estações.

REPÓRTER: 19 estações.

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: 19 estações. Os três estão aprovados, só falta o ministro assinar para a gente começar a receber. Ótimo! Tudo que a gente puder fazer de parceria. E o que é que nós queremos no trem de média velocidade? É que o governo Federal venha junto com a gente, então nós faríamos o governo Federal, o governo do Estado e a Iniciativa Privada através de PPP. Começaria por onde? O trecho Campinas/São Paulo, esse seria o primeiro.

REPÓRTER: Governador, quando a PPP ficou pronta? Na campanha, nas propostas da campanha do Padilha, ele também disse que irá fazer um trem entre as cidades.

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Não tem problema. Eu acho que bons projetos, né, nós já estamos trabalhando nisso há quatro anos. Estudo engenharia financeira, consultoria do Banco Mundial, não tem nenhum problema, ótimo. Aliás, o governo Federal precisa nos autorizar, porque isso é que viabiliza o uso da área do terreno. Aliás, queria destacar uma outra obra importante, que é o Ferroanel. O Ferroanel nós conseguimos convencer o governo Federal a fazer ao menos a terraplanagem, a Dersa foi contratada. Então, nós estamos fazendo na Asa Norte de Perus a Manoel Feio, em Itaquaquecetuba, Rodo e Ferroanel, para não perder a terraplanagem, tudo simultâneo. Aí a obra da ferrovia, o governo Federal vai definir se ele vai contratar, se ele vai fazer com que o concessionário ferroviário faça. Aí é uma definição.

REPÓRTER: Governador, hoje o senador Aloysio Nunes disse que as ciclovias são delírio autoritário do prefeito Fernando Haddad. Eu gostaria de saber se o senhor... porque diz que ele esparrama a torto direito as ciclovias pela cidade gerando revolta entre os moradores. O senhor concorda com essa afirmação?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Isso precisa ser analisado caso a caso, né? Então, aí tem que verificar caso a caso, onde é recomendado, onde não é. Está bom?

REPÓRTER: O senhor pretende expandir?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Nós entregamos para a prefeitura quanto?

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Só agora três quilômetros.

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Três quilômetros. Nós fizemos, embaixo do monotrilho da Linha 17, três quilômetros de ciclovia, caprichadíssimo. Está bom? Na CPTM têm 20 e acabamos de entregar à prefeitura três quilômetros, novinha a ciclovia, perfeita, tecnicamente perfeita e sem prejudicar ninguém, porque ela está embaixo do monotrilho, então ela está no canteiro, ela não tirou nenhuma faixa de rolamento da pista.

REPÓRTER: O senhor tem planos de expansão para os próximos anos, tem alguma quilometragem, governador?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Temos. Claro! Só esta, só esta que nós entregamos três, ela terá 24 quilômetros.

REPÓRTER: Governador, uma outra questão, ontem nós anunciamos sobre o déficit de vagas nos presídios e super lotação, principalmente em Pinheiros com 200% e Hortolândia com 66%. Gostaria de saber das suas propostas para tentar minimizar esse problema no estado.

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Olha, a primeira prioridade nossa foi tirar os presos das cadeias. Então nós tínhamos 23 mil presos em cadeias, hoje nós temos três mil e acho que a questão aí de 30, 60 dias, mulher já zera, porque nós vamos ter mais duas penitenciárias em Votorantim, então a gente zera mulher e é questão de meses não teremos mais nenhum preso em cadeia. Isso é o melhor ganho que se pode ter para a Polícia Civil, deixar de tomar conta de preso para fazer o seu trabalho de polícia investigativa e polícia judiciária, isso é uma grande conquista, São Paulo criou o CDP - Centro de Detenção Provisória é aquele preso que está aguardando julgamento, em vez dele aguardar julgamento no distrito, na cadeia que é insalubre e prejudica o trabalho da polícia ele vai aguardar em Centro de Detenção Provisória. Nós entregamos já 16 novas penitenciárias, temos nove em obra, algumas vão ser inauguradas agora, este ano vamos entregar Icém, Mayrink, Mogi Guaçu, Piracicaba, Taquarituba e Votorantim.

REPÓRTER: Quantas novas vagas?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Tudo até o fim do ano. Calcular aí mil cada uma são mais nove mil vagas.

REPÓRTER: O senhor diria que até o final de 2015, zera esse...?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Ah, sim, com certeza, com certeza, só falta três mil agora.

REPÓRTER: Final de 2014 ou 2015?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Checa, liga para o Lourival par mim. Mulher eu acho que com certeza, porque só tinham acho que 800. O problema é que nós prendemos no ano passado, não é que prendeu e ficou, mas prendemos 168 mil, então a polícia trabalha direto. O quê que há necessidade? Fazer mais unidades prisionais, isso é importante, e de outro lado uma parte ser serviço social, aí a Justiça que estabelece quem é semiaberto, quem é sistema fechado, quem é serviço social, que é o judiciário. Agora, tudo isso que eu estou falando é fora o semiaberto, o semiaberto eu não estou contando aqui, o semiaberto é bem maior do que está sendo feito.

REPÓRTER: O senhor viaja para Brasília?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Vou na posse do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal.

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Tem um quilômetro a mais aí. É 104, 1,2. Vamos dar o nome do seu...

REPÓRTER: Qual que é? Dá uma repetida na frase.

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: A linha 15, perdão, a linha 18 é 15,7 quilômetros. E a linha dois, 15,5. Então dá 104,2.

REPÓRTER: Repete a frase inteira agora, governador. Mais uma. Repete a frase toda, para não ficar picado.

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Então recapitulando, são 73 quilômetros em obra, entre metrô, trem e VLT. Linha 18 já contratada, assinada, dada ordem de serviço, agora é instalar canteiro de obras, a que vai para São Bernardo do Campo, 15,7 quilômetros. E a linha dois, que sai de Vila Prudente e vai para Guarulhos, Shopping Internacional, 15,5 quilômetros, que dará 104,2. Na Vila Prudente, nós entregamos até Oratório. E aqui está o pátio, em Oratório. Isso aqui dá três quilômetros, 2,9 de ciclovia. Aí ela vem, São Lucas, ciclovia, Camilo Haddad, tio do prefeito, ciclovia, Vila Tolstói, ciclovia, Vila União, ciclovia, Jardim Planalto, ciclovia, Sapopemba, ciclovia, Fazenda da Juta, ciclovia, São Mateus, ciclovia, Iguatemi e chega até Cidade Tiradentes. Então, embaixo, aqui de toda a Linha 17, você vai ter ciclovia. Entregamos três de um total de 24. Vai fazendo, vai entregando a ciclovia. Como aqui vai fazer o viaduto, já faz a faixa de ônibus.

REPÓRTER: Aqui já está em obra, né, governador? Já está previsto, né?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Isso, já está em obra.

REPÓRTER: Mas, além desses 24 quilômetros já previstos...

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Nós teríamos que somar. Para você ter uma ideia, a ligação de Sorocaba com Itu, toda ela, o DER contratou ciclovia. Vai ter uma ciclovia entre duas cidades. No Vale Histórico, que lá é turismo, a Rodovia dos Tropeiros toda está contratada com ciclovia. Eu vou levantar direitinho, somando tudo isso, fazer um pacote.

REPÓRTER: Está ótimo. Obrigado.

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Está bom?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: ...então, lá em cima, passa a Linha 17, que é o monotrilho, e, aqui embaixo, passa a Linha 5, que é a linha do metrô. Naquela poço, naquele poço ali, vai estar a estação do Metrô, e lá naquele guincho vai estar a estação do monotrilho, e elas se ligam por baixo, aqui, por baixo da pista. Então, duas estações, a estação Campo Belo, da Linha 17, ali naquela esquina, e, aqui embaixo, a estação Campo Belo do metrô, duas estações interligadas, interligando a Linha 17 do monotrilho, que vai para o Aeroporto de Congonhas e para o Morumbi, e a Linha 5 do Metrô. E, além das duas estações, esse viaduto novo, que vai passar embaixo do monotrilho. Ele passa embaixo do monotrilho, dois viadutos, acabando com o semáforo da Roberto Marinho com a Avenida Santo Amaro.

REPÓRTER: O viaduto contemplará o corredor de ônibus?


GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: O viaduto contemplará o corredor de ônibus de Santo Amaro. Então, três grandes obras, a estação da Linha 17, interligada com a estação da Linha 5 do Metrô, e o grande viaduto sobre a Avenida Roberto Marinho.

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: ... 2016, no início do ano, a linha 17, e ao longo do ano, a linha 5 do Metrô, 2016, no início do ano, a linha 17, são 8 estações e o monotrilho, e aqui ao longo do ano, não tem como entregar um por um, as estações, porque aqui é shield, é o “tatuzão”, então entrega tudo ao mesmo tempo.

REPÓRTER: [Ininteligível-00:30] eleições de 2016?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: Exatamente, daqui a um ano e meio, daqui a um ano e meio.

REPÓRTER: O monotrilho então?

GERALDO ALCKMIN, CANDIDATO À REELEIÇÃO AO GOVERNO DE SÃO PAULO: O monotrilho daqui a um ano e meio, e aqui a linha 5, dois anos. Estamos trabalhando sábado, domingo e de noite, aqui são três cinco grandes obras, a estação da linha 5 de Campo Belo, a estação Campo Belo da linha 17, a linha 17, a linha 5 do metrô e o viaduto para prefeitura, que acaba com o semáforo, então vai passar a Santo Amaro por cima da Roberto Marinho, não terá mais semáforo aqui, tudo isso está no conjunto das obras. Capital