Coletiva - Visita ao Estande Itália Rio +20 - 20121906

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva na Visita ao Estande Itália Rio +20

Local: Rio de Janeiro - Data: 19/06/2012

REPÓRTER: [ininteligível] uma coisa tão grande. Qual que é a proposta agora de São Paulo dessas novas propostas que estão vindo de uma meta que vai até 2020?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, eu entendo que os estados subnacionais, às vezes, podem ter até mais criatividade, podem ampliar as metas, os objetivos, fazer uma importante ponte entre governos locais e governos nacionais. Então, as regiões, os países, as províncias, os governos estaduais têm um papel muito grande. No caso de São Paulo, nós que já temos uma matriz energética 55% energia renovável, nossa meta para 2020 é 79%. 100% de água tratada, 100% de esgoto coletado, 100% de esgoto tratado, ou seja, universalizar o saneamento básico. Uma meta ambiciosa que é a de redução de 20% dos gases de efeito estufa, especialmente dióxido de carbono até 2020, baseado no inventário de 2005, que não é uma tarefa simples. Ampliação forte de metrô e trem para substituir combustível fóssil por eletricidade. Avanços na recuperação da Mata Atlântica no Estado de São Paulo, na costa, na Serra do Mar. O projeto tem até financiamento do BID. Recuperação e meta de ter 20% de cobertura vegetal no Estado de São Paulo. Enfim, nós estabelecemos grandes objetivos de sustentabilidade e metas bem práticas para atingir.


REPÓRTER: Governador, a gente percebe também que o Estado de São Paulo, um Estado grande, tem várias cidades menores no interior. Não teria que haver aí uma proposta de levar além dessas iniciativas para a capital, a gente levar para essas cidades do interior, que precisam, também o senhor fala em descentralização de poder. Eu concordo. O senhor acha que essas cidades precisam de um incentivo maior do Estado, o senhor não acha isso?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Plenamente. E por isso uma das grandes metas é a erradicação da miséria de famílias que estão abaixo da linha da pobreza. E elas estão concentradas nas cidades pequenas, que tem pouca atividade econômica e na periferia das grandes cidades. Então, nós estamos centrando o nosso trabalho de busca ativa para erradicação da miséria até 2014 nesses municípios menores, fazer um programa de complementação de renda e de geração de receita, de renda para elas, e na periferia das grandes metrópoles, aonde nós temos mais pobreza. E coincidentemente mais problemas de saneamento, problema de poluição. São coisas muito interligadas. Então, esse é o esforço de São Paulo. E acho que no momento de crise econômica mundial e de stress econômico que a economia mundial está passando, os Estados têm um papel que pode fazer a diferença ampliando mais, sendo mais ambicioso nas suas metas.


REPÓRTER: Levando isso aí para as outras cidades, né? E para transformar de fato aí...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Só em São Paulo 645 municípios, quer dizer, uma população maior que a Argentina, no Estado de São Paulo, e que temos objetivos aí de sustentabilidade bastante fortes.


REPÓRTER: Está certo. Obrigada, governador.


REPÓRTER: Governador, pouco antes da palestra foi assinado um termo de participação de ampliação do Estado de São Paulo com o governo italiano sobre energia renovável. Qual que é a importância dessa assinatura e o que o Estado de São Paulo vislumbra para os próximos anos na questão da energia renovável em parceria com a Itália?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, eu vejo que esse protocolo, esse convênio, é muito importante. São Paulo tem uma experiência na questão... O Brasil tem 45% da sua matriz energética, energia renovável. São Paulo tem 55%. A nossa meta é chegar a 79%. Então, nós temos uma boa experiência hidroelétrica, energia solar, agora energia eólica, biomassa, através de termoelétricas, enfim, energia renovável. E acho que até uma das metas [ininteligível] eu tenho certeza de que essa cooperação entre São Paulo e a Itália, a Itália e são Paulo, vai ser muito importante. Nós já temos uma parceria histórica. São Paulo é um Estado de formação italiana. A maior comunidade paulista é a comunidade italiana. Muitas empresas, e agora uma boa parceria na área da sustentabilidade.


REPÓRTER: Que tipo de tecnologia e inovação... Segundo o secretário, ele falou aqui para nos, que tipo de inovação e tecnologia vai ser transferida para Itália, que troca, o que a gente pode esperar desse projeto, que pode ser feita essa troca?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, o que nós temos uma boa experiência em São Paulo? Hidroelétricas e pequenas hidroelétricas, chamadas PCH, biomassa. No caso, como nós somos grandes produtores da cana-de-açúcar, então através de biomassa você gerar energia termoelétrica, eólica, energia solar, enfim, tem aí um espectro grande de possibilidades.


REPÓRTER: Obrigada, governador.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Para nós evitarmos desmatamentos, derrubada de floresta, preservarmos os nossos recursos naturais, é agindo também na ponta, no comércio. Então, a necessidade de madeira certificada nos estados consumidores, como São Paulo, Estado com 42 milhões de habitantes, faz toda a diferença. Então, nós não controlamos especificamente a floresta, mas nós controlamos a entrada da madeira no comércio, através da construção civil. E todo empenho do Estado com a questão da sustentabilidade. São Paulo nós proibimos queimada de cana-de-açúcar, estabelecemos meta de diminuição de dióxido de carbono para questão de mudanças climáticas. Nós fomos o segundo Estado do mundo a estabelecer uma lei bastante ambiciosa. A questão de metrô e trem, ou seja, energia limpa. Aumento de energia renovável da matriz energética. O mundo tem 13% de energia renovável na sua matriz energética, o Brasil tem 45%, São Paulo tem 55%, e a nossa meta é chegar a 69% de energia renovável. Enfim, saneamento básico que é uma questão importantíssima. Erradicação da miséria é uma meta importante. Nós estamos trabalhando fortemente. E parceria com os estados irmãos. Eu vejo que no momento de crise econômica mundial, de stress, que o mundo está vivendo na questão econômica, de repente os estados subnacionais podem avançar mais, ter mais criatividade, podem ampliar mais os objetivos e fazer uma importante ponte entre o Governo Federal e os municípios. Então eu vejo que os estados têm um papel muito importante. E vamos somar esforços com os nossos estados da Federação Brasileira para juntos trabalharmos.


REPÓRTER: [ininteligível] agora da Rio+20, se pudesse mandar uma mensagem para os [ininteligível].


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Uma mensagem de cumprimentos, uma mensagem de entusiasmo, uma mensagem de confiança ao Estado irmão, como é o Acre, um Estado com o compromisso com a sustentabilidade, com o futuro do país. Nossos cumprimentos.