Conversa com o Governador - Cartão Recomeço 20131405

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

VINHETA DO PROGRAMA: “Conversa com o Governador”

RONI, ÂNCORA: Começa agora mais uma edição do programa Conversa com o Governador, o nosso encontro de todas as semanas com o governador Geraldo Alckmin. Governador, está tudo bem com o senhor? Passou bem a semana?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Bem, graças a Deus!

RONI, ÂNCORA: Governador, o governo do estado de São Paulo acaba de lançar o Cartão Recomeço. Conte para os nossos ouvintes o que é esse programa, por favor.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha: O crack hoje é uma epidemia que não tem fronteiras. Atinge o pobre, o rico, tem consequências terríveis não só para os dependentes, mas para as mães, para os pais, para os filhos... Enfim, para toda a família. Mais de 90% dos municípios do Brasil têm problema de concentração de dependentes químicos. É preciso agir e agir rápido.

E nós lançamos, então, o Cartão Recomeço, que é um passo muito importante no sentido de curar as pessoas, de resolver esse grande drama que as famílias vivem. O que é que o cartão? Para a pessoa internada, vamos dar um exemplo: fica 45, 60 dias internada, estabiliza, desintoxica, mas se ela sai e não tem um acompanhamento, ela acaba voltando para a droga, perde todo esse tratamento. E o pior: ela não se recupera. Então, o que nós estamos possibilitando é que a pessoa quando sai do hospital, sai da internação, ela possa ir para uma comunidade terapêutica, ficando mais alguns meses na comunidade terapêutica ou casa de abrigamento para poder completar esse tratamento, aí não mais em hospital. Poder ter uma profissão, se qualificar, voltar ao mercado de trabalho. Então, ter uma visão holística, mais do conjunto, e ter melhores resultados nesse trabalho.

RONI, ÂNCORA:Como é que ele funciona, na prática?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha, o Cartão Recomeço não é o cartão nem para o dependente químico, para o doente, nem para a família. O cartão é para a entidade que vai assisti-lo. Nós estamos abrindo um edital para contratar entidades, credenciar entidades que têm expertise, conhecimento, experiência na área de dependentes químicos em todo o estado de São Paulo. Então, se o paciente foi internado lá em Ribeirão Preto, saiu e precisa ter a continuidade em uma comunidade terapêutica, esta comunidade terapêutica lá de Ribeirão Preto, de Rio Preto, de Campinas e São José dos Campos, enfim, do estado inteiro, ela vai atendê-lo. E o cartão, nós vamos pagar essa entidade. Nós pagamos R$ 1.350,00 por mês. Então, o cartão não é para o doente, ele não recebe nenhum centavo, nem a família, mas é o pagamento da entidade especializada no seu atendimento. Entidades sérias, entidades que serão credenciadas pelo governo. O trabalho que vai ser acompanhado. E nós imaginamos que com isso, poderemos ter um resultado bem melhor.

RONI, ÂNCORA: O senhor já mencionou sobre o uso do Cartão Recomeço, mas a Gisele Pio, a Juliana Café e o Andrea Santis, que moram aqui em São Paulo e seguem o senhor no Twitter, têm dúvida sobre a destinação do dinheiro do Cartão Recomeço. Governador, existe algum controle sobre o uso correto desse dinheiro, dessa verba?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha: É total controle e é importante deixar claro que o cartão não vai ser entregue ao dependente, nem à família. Esse cartão é repassado diretamente para as entidades terapêuticas, que são nossas parceiras nesse trabalho de recuperação. Então, o que nós estamos fazendo é o pagamento das entidades terapêuticas que farão o acompanhamento. São dois tipos de trabalho: há casos onde o paciente vai para o CAPS, chamado CAPS AD, que é o ambulatório, o Centro de Atendimento Psicossocial, o Ambulatório de Saúde Mental, mas não há necessidade de internar. Mas é preciso tirá-lo da rua, é preciso ir para um abrigamento ou para uma comunidade terapêutica; O outro caso, ele é internado, vai para um hospital, ele fica um período mínimo de 45 dias, enfim, essa é uma decisão médica para desintoxicar, estabilizar. E depois então, ele, pode ser em alguns casos, que ele vá diretamente para a sua casa, mas outros casos há necessidade de manter mais um tempo numa comunidade terapêutica. É exatamente esse trabalho que entra o Cartão Recomeço. Quer dizer, é reinseri-lo no novo plano de vida. Ele ter um trabalho, se qualificar, arrumar um emprego para poder não voltar para as drogas.

RONI, ÂNCORA: E o programa, Governador, o benefício já está valendo para todo o estado de São Paulo?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Ele vai valer para as 11 regiões administrativas do estado. Ou seja, vai desde o litoral, desde a Baixada Santista, passando aqui pela região metropolitana, até a região oeste do estado. Nós pretendemos cobrir todo o estado de São Paulo, esse é o objetivo.

RONI, ÂNCORA: Governador, o Programa Recomeço tem parcerias com outras instituições?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Quanto mais parceiros nós tivermos nesse trabalho, melhor. Então, quero destacar aqui, lá no CRATOD, há a parceria com o Poder Judiciário, com o Ministério Público, com a OAB - que colocou advogados gratuitamente sem cobrar nada, a OAB tem nos ajudado muito - os defensores públicos e os profissionais todos da área de saúde. Esse é um trabalho de equipe multiprofissional, é uma verdadeira força-tarefa, no sentido de atender os pacientes, quando necessário emitir o laudo, atestado, para que todo processo de internação seja resolvido mais rapidamente possível. Então, o CRATOD tem sido o Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas, tem tido muito sucesso nesse trabalho. Nós já internamos mais de 600 dependentes químicos, saíram das ruas para o tratamento hospitalar e 3.600 para abrigamento. E 95% voluntariamente! Um trabalho muito bonito, temos entidades também da sociedade civil, a Cristolândia, a Missão Belém, que são ex-drogados inclusive, que vão para as ruas junto com uma coordenação, sentam na calçada, conversam, abordam, põe na perua e leva, tira da rua e leva para as casas de abrigo.

RONI, ÂNCORA: A edição desta semana do programa Conversa com o Governador chega ao final. Mostramos o quanto o estado de São Paulo avança no enfrentamento a essa epidemia das drogas e principalmente, do crack. Governador, boa semana para o senhor! Bom trabalho e até a semana que vem!

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Muito obrigado! Boa semana a todos!

Conversa com o Governador
201120122013201420152016201720182019

Ver também[editar]

Links externos[editar]