Conversa com o Governador - Cratod - 20132301

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

REPÓRTER: Começa agora mais uma edição do programa Conversa com o Governador, o nosso encontro de todas as semanas com o governador Geraldo Alckmin. Governador passou bem a semana? Tudo bem com o senhor?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Tudo bem, graças a Deus!

APRESENTADOR: Que bom. Para começar a edição deste programa, gostaríamos de ouvir o seu comentário sobre o plantão do judiciário dentro do Cratod para ajudar os dependentes químicos. Por favor.

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, uma boa notícia que começou agora a ser implantada no dia 21 de janeiro, o atendimento à saúde para pessoas que já não têm condições de procurar socorro, ela é um dever do estado. Então, nós temos uma força-tarefa lá no Cratod, no Bom Retiro, Rua Prates, 165, que, além dos 10 leitos de observação, médicos, psiquiatras, psicólogos, enfermagem, todas as equipes de saúde, nós temos agora o juiz de direito, o promotor público, o advogado e a Defensoria, todos no mesmo local. Então, casos mais graves, nós temos casos até, de uma filha que levou o pai que estava morando na rua, dependente químico, muitos casos de mães procurando, desesperadas, pedindo atendimento também aos seus filhos, então, nós temos ali, no mesmo local, a ação do advogado, do promotor, do juiz de direito, se for o caso, já determina a internação; as equipes de saúde que escolhem o tipo de tratamento e já providencial a vaga, ou seja, oferecem o tratamento para quem precisa. Dependência química, ela é doença, como é apendicite, como é pneumonia, e precisa de tratamento. E, às vezes, é difícil, é demorado, a pessoa nem sempre quer o tratamento, mas o esforço é importante, de convencimento, as pessoas acabam morrendo nas ruas, em razão do crack, que é hoje uma questão de saúde pública. O Brasil hoje é o maior consumidor de crack do mundo, então, um problema hoje em todo o país, e nós estamos trabalhando firmemente, e vamos fazer a diferença, porque muitas pessoas vão se recuperar. E é fantástica a adesão das mães. A mãe não abandona o filho, ela não desiste, então, é impressionante o carinho, o amor das mães, a sua dedicação, e nós estamos com a equipe toda no Cratod, 24 horas, de segunda a segunda-feira, e no período da manhã, com a presença do poder judiciário, do Ministério Público, e da defensoria, para poder oferecer o que há de melhor. É dever do Estado ajudar quem precisa e quem já não tem mais capacidade de reagir, é o aspecto humanitário de solidariedade, de amor às pessoas, e também de igualdade. Quem é rico não falta leito, tem muito leito e trata nas melhores clínicas. Agora, quem não tem recurso, é um sofrimento, e nós temos, acreditamos firmemente na possibilidade de recuperação. E para dar conta dessa tarefa, nós estamos trabalhando firmemente para ampliar a oferta de leitos públicos para internação. Hoje, nós contamos com quase 700 leitos públicos no estado de São Paulo para dependentes químicos de álcool e drogas, e estamos aumentando, vamos ter mais 488 leitos, que já estão sendo implantados. Então, até o final de 2014, nós teremos 1.200 leitos no estado de São Paulo. E é preciso destacar que a internação voluntária, ela continua e é absolutamente prioritária, e com bom resultado. A Missão Belém, por exemplo, que é nossa parceira lá na Nova Luz, foram já quase 400 dependentes que deixaram as ruas, moravam ali na região do centro antigo ali da Nova Luz, e estão indo para as casas de transição, casa transitória, e lá então, verifica se é tratamento ambulatorial, nos CAPS, nos ambulatórios AD, CAPS AD, que é de álcool e droga, que são das prefeituras municipais, ou comunidades terapêuticas, ou na rede hospitalar do estado.

APRESENTADOR: Perfeito! Agora, governador, vamos mudar um pouquinho o tema, vamos falar de habitação. O senhor levou, recentemente, boas notícias para a região do alto Tietê, não é verdade?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Exatamente. Nós tivemos a semana passada em Poá, na estância hidromineral de Poá, aliás, uma cidade muito bonita aqui, às margens de São Paulo, na beira do rio Tietê, na grande São Paulo, a região do alto Tietê, e lá autorizamos a construção de 2.096 casas pela agência Casa Paulista, uma boa associação entre o governo do estado e o governo federal. O governo federal, através do Minha Casa, Minha Vida, e nós colocamos R$ 20.000,00 a mais por unidade para atender principalmente famílias de menor renda, possibilitando casa própria para essas famílias. Além de Poá, também Mogi das Cruzes e Suzano, serão beneficiadas, 2.096 apartamentos para a região do alto Tietê, Mogi das Cruzes, 1.200, Suzano 600, e 296 para Poá. As obras começam já agora, em fevereiro, e ficam prontas em 14 meses. A principal vantagem é que, com essa parceria do nosso programa Casa Paulista com o Minha Casa, Minha Vida, através da Caixa Econômica Federal, nós estamos ampliando os programas aqui em São Paulo e podendo atender famílias também de menor renda. Nossa meta são 100 mil unidades, que nós assinamos em janeiro do ano passado com a presidenta Dilma. Já chegamos com essas 2.096 a 30.000 unidades contratadas, a maior parte delas já em obras. Então, é uma boa notícia para a região. E Poá, inclusive, uma forte atuação do programa Cidade Legal, que promove a regularização fundiária das propriedades, somente em Poá, 625 pessoas foram beneficiadas pelo programa Cidade Legal, portanto, boas notícias para a área de habitação na região do Alto Tietê.

APRESENTADOR: Governador, ainda dentro da parceria Casa Paulista e Governo Federal, quais as novidades para a região do Vale do Paraíba? Por favor.

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: No Vale do Paraíba mais de 2.000 mil casas e apartamentos, 1.404 em São José dos Campos, e 500 em Caraguatatuba; 1.904 moradias beneficiando as famílias que não tem casa, dando prioridade as famílias de menor renda, um salário mínimo, dois salários, três salários mínimos, também podendo realizar o sonho da casa própria. E muito emprego, porque 2.000 praticamente moradias, nós estamos falando de quase 6.000 empregos, para cada apartamento ou casa nós geramos três empregos. A construção civil tem mão-de-obra intensiva, emprego para pedreiro, carpinteiro, eletricista, motorista, secretária, engenheiro, comércio, serviços, é muito emprego. Então, o programa nosso Casa Paulista, ele tem a vantagem de possibilitar casa para quem precisa, e de outro lado aumentar a oferta de emprego no estado de São Paulo.

APRESENTADOR: Governador, o senhor esteve em Guarulhos levando boas notícias para os amigos e amigas lá de Guarulhos, não é verdade?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Exatamente. Também na área de habitação nós já tínhamos assinado, em Guarulhos, 2.240 apartamentos. Dessa vez assinamos com a Caixa Econômica Federal, mais 2.140 apartamentos, ou seja, 4.380 apartamentos. Se a gente imaginar cinco pessoas em cada família, é uma cidade de 20 mil pessoas, todo mundo com casa própria, saindo do aluguel, indo para uma casa novinha, com qualidade, em um conjunto residencial com toda infraestrutura, documentação legalizada, enfim, uma bela conquista para população. Outro anúncio foi a entrega, nós entregamos já a obra do Trevo dos Pimentas, uma grande obra, aquela Ferradura ali no KM 25 da Rodovia Ayrton Senna, e entregamos com quatro meses de antecedência. Ela estava prevista para ser entregue no mês de abril, e já entregamos agora em janeiro. Então, nós temos mais um viaduto para o bairro dos Pimentas, o viaduto antigo era mão dupla, ali tem muita fábrica, muita empresa de logística, distribuidora, toda a parte de distribuição de combustível para o Aeroporto de Cumbica... Então, o viaduto do bairro dos Pimentas ficava totalmente congestionado, fim da tarde era uma fila na Rodovia Ayrton Senna. Agora, com esse novo viaduto e mais dois quilômetros de Marginais de cada lado, nós montamos ali um binário onde cada viaduto é mão única agora, acaba praticamente com o congestionamento. Então, melhora muito o trânsito para Guarulhos, para região lá do bairro dos Pimentas, para a Zona Leste de São Paulo, e ajuda todo mundo que utiliza a Rodovia Ayrton Senna. Uma obra muito importante para o desenvolvimento da região metropolitana de São Paulo, uma grande obra para o trânsito de São Paulo.

APRESENTADOR: Perfeito. Governador Alckmin, nessa época de chuvas as pessoas ficam apreensivas com enchentes e alagamentos, infelizmente, não é? Agora, qual a mais recente medida contra essas situações que o senhor já pode adiantar para os ouvintes do programa?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós começamos, esta semana, a construção de mais um piscinão, o trigésimo piscinão do estado de São Paulo, piscinão do estado, piscinão Guamiranga. Será o maior piscinão do nosso estado, ele será na Vila Prudente, aqui na capital, 850.000 m³ de capacidade, ele ocupa ali uma área de 70.000 m², ou seja, sete hectares de área na beira do Rio Tamanduateí. Ele chegará a ter, em alguns pontos, 30 metros de profundidade, então, ele vai ajudar muito a combater a enchente na Vila Prudente, na Mooca, na região do Mercadão, e o próprio Tamanduateí. Então, o piscinão, ele fica na beira do rio, quando o rio sobe muito, ao invés de ele transbordar e alagar, inundar toda a região, ele vai para dentro do piscinão, do reservatório, e, quando passa a tempestade, a água por gravidade mesmo volta para o rio, e a outra parte volta por bombeamento. Então, um sistema que funciona perfeitamente. Eu sempre tenho dito que o piscinão é a várzea moderna, porque a várzea pertence ao rio, todo mundo sabe que no verão vai chover muito, o rio vai subir e vai ocupar a várzea, então, a várzea pertence ao rio. Infelizmente as várzeas foram todas concretadas, asfaltadas, ocupadas, e o rio ficou ali apertado, aí, quando chove demais, ele transborda e causa um grande problema para a população. Só quem não viveu enchente não sabe a gravidade que é os riscos de vida e prejuízos que acarretam. Essa obra de R$ 113,7 milhões de reais vai beneficiar toda aquela região ali próxima do Rio Tamanduateí, e nós estamos construindo outros sete piscinões, em Franco da Rocha são quatro piscinões, dois aqui em São Paulo, piscinões naturais no Parque Ecológico do Tietê, na chamada área de circunvalação, e um em Olaria, na Bacia do Pirajuçara, região aqui de Campo Limpo, na capital.

APRESENTADOR: Governador, o programa está chegando ao final, mas dá para gente ainda falar sobre educação. O senhor anunciou melhorias na área da educação, quais as melhorias, governador?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: As aulas começam agora, dia primeiro de fevereiro, então, nós aproveitamos o mês de janeiro para fazer o “trato na escola”. O que é o “trato na escola”? Mais de 4 mil escolas do estado de São Paulo, nós liberamos R$ 7,9 mil para a APM, para a Associação de Pais e Mestres. Então, nesse mês de janeiro, o Trato na Escola. A escola é pintada, troca o reator de lâmpada, arruma o banheiro, conserta porta, tira vazamento, melhora o paisagismo, conserta torneira, enfim, você deixa a escola zero quilômetro, arrumadinha para receber os alunos no dia primeiro. As reformas maiores já foram feitas, são feitas pela FDE, mas essa pequena, os pequenos reparos nós liberamos R$ 7,9 mil por escola, e para a APM, é dinheiro descentralizado. Eu visitei a Escola Estadual Nagasaki, aqui na Zona Norte de São Paulo, ela estava sendo pintada, limpa, arrumada, uma beleza. Então, os alunos vão voltar paras aulas dia primeiro em uma escola arrumadíssima. Limpeza de caixa d’água, pequenas reformas, pintura, acabamento, jardinamento, as escolas vão estar preparadinhas para o dia primeiro de fevereiro.

APRESENTADOR: Ótimo! Governador, último detalhe do programa, sua homenagem para os 459 anos da nossa querida cidade de São Paulo, que é agora na sexta-feira, não é verdade?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, na próxima sexta-feira, São Paulo, que é hoje a terceira maior megalópole do mundo, só a cidade de São Paulo mais de 11 milhões de pessoas, e deixando aqui os meus parabéns a São Paulo, cumprimentando, abraçando todos os paulistanos de nascimento, ou por adoção como eu. Em São Paulo tem gente do Brasil inteiro, do interior, do Norte, Nordeste, do Sul, do Centro-Oeste, do mundo inteiro... Aqui é uma terra cosmopolita, essa é a característica de São Paulo, essa miscigenação de raças, todo mundo se dá bem, é um coração grande que sempre cabe mais um. E a maioria das pessoas vieram para cá para poder trabalhar, em razão do trabalho, para se manter, para constituir família, para poder ter a sua subsistência. Então, uma colmeia de trabalho que trabalha pelo Brasil, ajuda a desenvolver o nosso país, grande centro de formação educacional, universitária, pesquisa científica, o maior Parque Industrial, de serviços do país, turismo de negócios, com a abertura da Copa do Mundo agora em 2014... E para comemorar o aniversário da cidade de São Paulo, nada melhor do que trabalhando com ela, então, nós tivemos uma reunião com o prefeito Fernando Haddad, liberamos R$ 45 milhões para construção de creches, serão mais 20 creches, quatro mil crianças que vão poder ter a sua creche, o corredor da Zona Leste ligando o terminal de São Mateus até o terminal Cecap, por toda a Av. Jacu Pêssego, vai melhorar muito o trânsito, ajudar quem precisa do transporte coletivo. Liberamos recurso para mais de 2.400 unidades habitacionais, a parte de piscinões, de macrodrenagem integrada com o município. Na Segurança Pública também, bons avanços através da chamada Operação Delegada, que nos permite ter mais policiamento nas ruas, enfim. Celebramos uma boa parceria com o prefeito da capital, e São Paulo conte conosco, trabalhando juntos aí para melhorar a vida da nossa população.

APRESENTADOR: A edição desta semana do programa Conversa com o Governador chegou ao final. Governador, boa semana, bom trabalho, e até semana que vem!

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Muito obrigado! Boa semana a todos!


Conversa com o Governador
201120122013201420152016201720182019

Ver também

Links externos