Corredor Noroeste

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Corredor Metropolitano Vereador Biléo Soares - 2ª fase - Em Obras

Atualizado em: 11 de dezembro de 2014
Mudança de nome O governador Geraldo Alckmin aprovou a lei que altera o nome do Corredor Metropolitano Noroeste, que agora passa a se chamar "Corredor Metropolitano Vereador Biléo Soares". O homenageado que morreu em 2011, vítima de câncer, foi um dos fundadores do PSDB campineiro e recebeu a distinção pelo projeto apresentado pela deputada Célia leão.
Obras previstas 2ª fase A extensão total desta segunda fase é de 24,5 km de corredor. Mais 4,7 km de obras remanescentes da primeira fase. A previsão de demanda é de 45 mil passageiros por dia no novo trecho, ligando Nova Odessa a Santa Bárbara D’Oeste.

As obras previstas incluem a implantação de ligação de Nova Odessa a Santa Bárbara D´Oeste - passando por Americana -, três novos terminais (Sumaré, Americana e Santa Bárbara), reforma do terminal de Nova Odessa, implantação de pontos de parada, ponte de transposição Ribeirão dos Toledos em Santa Bárbara e alargamento de via de transposição sob a rodovia Luiz de Queiroz em Americana.

Obras remanescentes no trecho Hortolândia-Campinas (1ª fase do corredor) obras de transposição (Hortolândia – Av. Santana); duplicação da Av. Emancipação (Hortolândia) – 2 km; Instalação das paradas 2 e 3 da Av. Lix da Cunha (Campinas).
Benefícios A estimativa é que passem pelo Corredor 2,7 milhões de passageiros mensalmente, após a sua conclusão. Os sete municípios que compõem a Bacia Noroeste são responsáveis por 75% das 140 mil pessoas que chegam diariamente a Campinas. O grande benefício da obra será racionalizar a rede de transporte, ampliando a oferta de viagens, principalmente na hora de pico, e assim reduzir o tempo de deslocamento de passageiros em 15%.
Redução na quilometragem percorrida As empresas de ônibus percorrem hoje cerca de 34 milhões de km anualmente. Quando o corredor metropolitano estiver totalmente implantado e os serviços de transporte reorganizados, haverá redução de 31% na quilometragem percorrida por esses veículos. Essa economia também representará uma redução na emissão de 13 toneladas de dióxido de carbono por ano.
Investimento
Previsão de investimento total nas obras R$ 239,3 milhões.
Projeto apresentado em Brasília O governador Geraldo Alckmin se reuniu no dia 8 de julho de 2013, com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, e o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, em Brasília, para mostrar o projeto de mobilidade urbana. O projeto contempla a 2ª Fase do Corredor Noroeste que liga Santa Bárbara e Americana até a região de Sumaré. Porém, no dia 31 de julho de 2013, a presidente Dilma em São Paulo, não liberou o repasse para a obra.
Edital de Pré-qualificação Edital de pré-qualificação: o edital das empresas interessadas em participar da licitação de obras foi publicado em 10/08/2012, mas a licitação ficou suspensa de dezembro de 2012 a fevereiro de 2013 por decisão judicial. A entrega das propostas foi realizada em março de 2013 e a classificação das empresas foi publicada no DOE em maio/2013. A homologação das empresas classificadas foi publicada no DOE em 29/06/2013.
Trecho Nova Odessa, Americana e Santa Bárbara D’Oeste
Características
  • Extensão: 24,3 km
  • Demanda: 35 mil passageiros por dia
Investimento previsto R$ 145 milhões
Obras previstas:
Projetos: Elaboração dos Projetos: em dezembro de 2011 foi contratada, por meio de licitação pública, empresa para a desenvolvimento dos seguintes projetos:
  • Projeto Funcional do trecho Sumaré – Santa Bárbara D’Oeste: já concluído.
  • Projeto Básico e Executivo: consolidação dos projetos Funcional, Básico e Executivo em março de 2013.
Licenças:
  • Protocolo Pedido DUP: protocolado em março de 2013.
  • Publicação DUP: publicado no dia 08 de junho de 2013 (é condição para protocolar o pedido de LP – Licença Prévia).
Licenciamento ambiental:
  • Protocolo Licença Prévia: protocolado o RAP na Cetesb em 25 de fevereiro de 2013.
  • Emissão Licença Prévia: emitida em 16/08/2013
  • Emissão Licença de Instalação: 27/12/2013
  • Licença de Operação: julho de 2014.
Obras concluídas 5,7km de viário e 2 estações de embarque em Nova Odessa.
Cronograma da obras:
  • Início das obras: 06 de janeiro de 2014
  • Previsão de conclusão de obras:
Janeiro 2015
  • Nova Odessa – uma Estação de Transferência (Nova Odessa), 3 estações de embarque (de seis previstas), ciclovia e reforma do Terminal Rodoviário. Sta. Barbara D’Oeste – Terminal Rodoviário
Abril de 2015
  • Duas estações de Transferência (Amizade e São Paulo) e sete estações de embarque nos municípios de Americana e Sta. Barbara. Viário com 7,9km de faixa exclusiva entre Americana e Sta. Barbara. Compactação de rede aérea da CPFL
Setembro 2015
  • 10,7 km, sendo 5,4 km em Americana e 5,3 km em Sta Bárbara. Além do novo Terminal de Americana e pontos de parada no município
Trecho Campinas - Sumaré
Características 4,7 km de extensão e uma demanda diária prevista de 60 mil passageiros
Investimento R$ 94,3 milhões (A ser equacionado orçamentária e financeiramente)
Obras previstas
  • Extensão da Av. Olívio Franceschini - Hortolândia
  • Estação de Transferência Km 110 da Rod. Anhanguera - Sumaré
  • Parada III da Av. Lix da Cunha – Campinas
  • Terminal Metropolitano Rosolém – Hortolândia
  • Estação Transferência Peron – Hortolândia
Projetos:
  • Projetos Funcional, Básico e Executivo: edital publicado em 29 de dezembro de 2012.
  • Habilitação e homologação: em 02 de julho de 2013.
  • Assinatura do contrato: julho 2013 (escolhida a empresa ENCIBRA-SISTRAN conforme comunicado publicado em 25/07 no DOE)
  • Início da elaboração dos projetos: julho 2013
  • Conclusão dos projetos: abril 2014
Licenciamento ambiental Licença de Instalação e Operação em vigência.
Cronograma:
  • Publicação de Edital de Preço: 10 de agosto de 2012
  • Publicação da habilitação e homologação das empresas classificadas para participar do edital de licitação de obras em 29/06/2013 (encerrada).
  • Publicação do edital obras: 22 de maio de 2014
  • Sessão pública: previsão para o dia 25 de junho de 2014
  • Assinatura do contrato e emissão da Ordem de Inicio (OI) da obra em novembro de 2014 com prazo de 16 meses para execução.
  • Status: serviços preliminares de terraplenagem em execução na estação de Transferência dos Pinheiros, em Hortolândia Conclusão da obra: previsão para o 1º semestre de 2016.
Obras complementares II (variante Sumaré-Hortolândia)
Características com 5,5 km de extensão, contribuirá para redistribuir 60% da demanda de veículos do eixo da Via Anhanguera, aliviando o tráfego na região; revitalização da Av. Rebouças, incluindo nova iluminação e implantação de ciclovia
Obras previstas Ligação das avenidas Rebouças e Olívio Franceschini; sete pontes; viaduto estaiado sobre a linha férrea e o Ribeirão Quilombo
  • Status: Execução de obras depende da aprovação do projeto pelo CONDEPHAAT, que indeferiu dois estudos elaborados pela EMTU/SP com aval da Prefeitura de Sumaré.
Gráfico
Corredorno.jpg


Corredor Noroeste - 1ª Fase - Em Operação

O que é: corredor de ônibus que liga a região Noroeste da Região Metropolitana de Campinas. Sistema que faz a ligação entre as cidades de Campinas, Hortolândia, Sumaré, Nova Odessa e Americana.

Investimento realizado: R$ 150 milhões.

Extensão: trata-se de trecho de 32,7 km de extensão que liga os municípios de Campinas a Sumaré. Dez quilômetros são de faixas exclusivas para a operação de ônibus.

Dados Gerais do Corredor:

  • Extensão: 32,7 Km
  • Pontos de Parada: 28 (propostos e existentes)
  • Estações de Transferência: 3
  • Terminais: 3 (Sumaré, Americana e Santa Bárbara)
  • Estimativa de demanda média diária com início de operação do trecho Nova Odessa, Americana e Santa Bárbara D’Oeste (2ª fase): 45 mil passageiros/dia (ano 2014).
  • Modelo operacional: porta à esquerda e porta à direita
  • OAE (Obras de Arte Especiais): transposição 2 córregos (Ribeirão dos Toledos e Córrego Mollon)

Cronologia:

  • Em 2008, o primeiro trecho do Corredor Metropolitano Noroeste, gerenciado pela EMTU, foi inaugurado ligando Campinas a Hortolândia. Inclui obras importantes como o Terminal Metropolitano Prefeito Magalhães Teixeira, a Estação de Transferência Anhanguera e o Terminal de Hortolândia.
  • O Terminal Metropolitano de Americana está em operação desde agosto de 2009.
  • Em outubro de 2009, foi inaugurado o trecho Sumaré. O pacote de obras englobou melhorias em 8 km de viário e construção de um viaduto de 35 m de extensão sobre a linha férrea, entre outras ações.
  • Em março de 2010 foram concluídas as obras na Av. Lix da Cunha (Campinas) e a passagem de pedestres subterrânea, que liga o Terminal Metropolitano Pref. Magalhães Teixeira ao centro de Campinas.
  • Em Americana serão executados calçadões de acesso ao terminal. Um deles terá 120 m de extensão, a partir do mercado municipal. O outro, com 200 m de extensão, fará a ligação com o Terminal Urbano.
Campinas.jpg

Ver também

Links externos