DR 11 - Araçatuba

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar
Ver também.jpg Ver também: Região de Araçatuba, Região de São José do Rio Preto e Região de Bauru
DR 11
Responsável Carlos Eduardo Sartori Valdiviezo
Telefone da regional (18) 3623.7111 / (18) 3623.2910
Fax (18) 3623.1670
Celular (18) 9726-2240
E-mail cvaldiviezo@sp.gov.br
Endereço R. Ten. Alcides Teodoro dos Santos, 100 – Aviação – Araçatuba


O DR é composto por 50 municípios:

Alto Alegre, Andradina, Araçatuba, Auriflama, Avanhandava, Barbosa, Bento de Abreu, Bilac, Birigui, Braúna, Brejo Alegre, Buritama, Castilho, Clementina, Coroados, Floreal, Gabriel Monteiro, Gastão Vidigal, General Salgado, Glicério, Guaiçara, Guaraçaí, Guararapes, Guzolândia, Ilha Solteira, Itapura, José Bonifácio, Lavínia, Lourdes, Luiziânia, Magda, Mirandópolis, Murutinga do Sul, Nova Castilho, Nova Independência, Nova Luzitânia, Penápolis, Pereira Barreto, Piacatu, Planalto, Promissão, Rubiácea, Santo Antônio do Aracanguá, Santópolis do Aguapeí, São João de Iracema, Sud Menucci, Suzanápolis, Turiúba, Valparaíso, Zacarias

Mobilidade regiões de Rio Preto / Araçatuba

ISSQN

Em 2016, até junho, o ISSQN recolhido foi de:

  • Região de S. J. Rio Preto: R$ 3,7 milhões.
  • Região de Araçatuba: R$ 2,3 milhões.


Canal de Nova Avanhandava

O Liberal Regional publicou (28/06) que a abertura dos envelopes com as propostas comerciais das empresas interessadas na licitação das obras de ampliação do Canal de Nova Avanhandava foi adiada.

  • BOA NOTÍCIA: em 28/07 foram abertos os envelopes com as propostas comerciais das empresas interessadas na licitação das obras de ampliação do Canal de Nova Avanhandava.
  • Foram recebidas sete propostas, sendo 1 de empresa individual e 6 de empresas reunidas em consórcios, para a continuidade do processo.
  • O prazo para apresentação de recurso se encerrou nesta sexta-feira (12/agosto).
  • Caso não haja recurso, a documentação de habilitação das três melhores colocadas na etapa de preços será aberta em sessão marcada para o dia 18 de agosto, às 9h, na sede do DH.
  • As obras estão previstas para terem início em novembro/2016.
  • O valor estimado da obra é R$ 287milhões.
  • DADO INTERNO: o orçamento inicial previsto era de R$ 289 milhões, mas foi para R$ 313 milhões em decorrência dos ajustes técnicos que foram feitos.
  • DADO: Os consórcios e empresa que apresentaram propostas foram as seguintes: consórcio Hidrovia Tietê-Paraná – CHTP (Queiroz Galvão – Cetenco), consórcio Nova Avanhandava (Camargo Correa S.A. - Camargo Correa Infraestrutura S.A.), consórcio Canal Nova Avanhandava (CBPO - Norberto Odebrecht – ETC), consórcio Construcap - Heleno & Fonseca – CONSBEM, consórcio DTO – Avanhandava (DP Barros - TIISA - O'Martin), consórcio Desenvolvimento Hidroviário Paulista (S.A. Paulista – Constran) e empresa OAS Engenharia e Construções.


SP-300 (Rod. Dom Gabriel Paulino Burno Couto / Via Rondon)

OBRAS EM ANDAMENTO – R$ 57,8 milhões.

Murutinga do Sul (Artesp): melhoria do dispositivo do km 624,8. Investimento: R$ 658,47 mil. Início: junho de 2016. Previsão de término: setembro de 2016. Executado: 33,6%.


Mirandópolis (Artesp): melhoria do dispositivo do km 607,8. Investimento: R$ 653 mil. Início: junho de 2016. Previsão de término: setembro de 2016. Executado: 67%.


Guararapes (Artesp): melhoria do dispositivo do km 561,2. Investimento: R$ 723 mil. Início: maio de 2016. Previsão de término: até o final de agosto de 2016. Executado: 43,9%.


Guaraçaí (Artesp): melhoria do dispositivo do km 615,7. Investimento: R$ 2,3 milhões. Início: maio de 2016. Previsão de término: até o final de agosto de 2016. Executado: 55,7%.


Penápolis (Artesp): melhoria do dispositivo do km 492,2. Investimento: R$ 2,3 milhões. Início: maio de 2016. Previsão de término: até o final de agosto de 2016. Executado: 82,8%.


Glicério (Artesp): implantação de dispositivo no km 499,5. Investimento: R$ 6,3 milhões. Início: agosto de 2015. Previsão de término: setembro de 2016. Executado: 65,7%.


Penápolis (Artesp): recuperação de acessos, incluindo pavimentação dos acostamentos (SPA-476/300). Investimento: R$ 12,5 milhões. Início: fevereiro de 2013. Previsão de término: setembro de 2017. Executado: 25,3%.


Birigui (Artesp): recuperação de acessos, incluindo construção de viaduto (SPA-516/300). Investimento: R$ 1,9 milhão. Início: maio de 2013. Previsão de término: maio de 2017. Executado: 58,9%.


Guararapes (Artesp): recuperação de acessos, incluindo pavimentação dos acostamentos, implantação de drenagem e alargamento da ponte (SPA-553/300). Investimento: R$ 4,6 milhões. Início: maio de 2012. Previsão de término: outubro de 2019. Executado: 17%.


Guararapes (Artesp): recuperação de acessos, incluindo pavimentação dos acostamentos, implantação de drenagem e rotatória (SPA-561/300). Investimento: R$ 13,8 milhões. Início: fevereiro de 2013. Previsão de término: novembro de 2019. Executado: 44,7%.


Mirandópolis (Artesp): recuperação de acessos, incluindo duplicação do acesso à Faculdade e implantação de rotatória (SPA-601/300). Investimento: R$ 8,3 milhões. Início: fevereiro de 2016. Previsão de término: novembro de 2017. Executado: 74,5%.


Guaraçaí (Artesp): recuperação de acessos, incluindo construção de rotatória (SPA-615/300). Investimento: R$ 3,8 milhões. Início: maio de 2013. Previsão de término: dezembro de 2019. Executado: 85%.


Obras previstas – R$ 30,7 milhões.

Birigui (Artesp): melhoria do dispositivo do km 519,6. Investimento: R$ 2,1 milhões. Previsão de início: outubro de 2016. Previsão de término: outubro de término: dezembro de 2016.


Valparaíso (Artesp): melhoria do dispositivo do km 585,2. Investimento: R$ 988,85 mil. Previsão de início: novembro de 2016. Previsão de término: agosto de 2017.


Lavínia (Artesp): melhoria do dispositivo do km 591,9. Investimento: R$ 989,97 mil. Previsão de início: novembro de 2016. Previsão de término: setembro de 2017.


Mirandópolis (Artesp): melhoria do dispositivo do km 601,2. Investimento: R$ 656,59 mil. Previsão de início: até o final de agosto de 2016. Previsão de término: outubro de 2016.


Mirandópolis (Artesp): melhoria do dispositivo do km 605,6. Investimento: R$ 767 mil. Previsão de início: novembro de 2016. Previsão de término: julho de 2017.


Guaraçaí (Artesp): melhoria do dispositivo do km 610,9. Investimento: R$ 767,5 mil. Previsão de início: novembro de 2016. Previsão de término: julho de 2017.


Andradina (Artesp): melhoria do dispositivo do km 630. Investimento: R$ 765,55 mil. Previsão de início: outubro de 2016. Previsão de término: junho de 2017.

Avanhandava (Artesp): melhoria do dispositivo do km 476,3. Investimento: R$ 2,9 milhões. Previsão de início: novembro de 2016. Previsão de término: julho de 2017.


Avanhandava (Artesp): implantação de dispositivo no km 471,9. Investimento: R$ 10,1 milhões. Previsão de início: novembro de 2016. Previsão de término: maio de 2018.


Coroados (Artesp): implantação de dispositivo no km 507,5. Investimento: R$ 10,7 milhões. Previsão de início: novembro de 2016. Previsão de término: outubro de 2017.

SP-310 (Rod. Washington Luís / Feliciano Salles da Cunha)

Implantação de marginais/novas faixas

Em agosto/2015 a concessionária Triângulo do Sol foi autorizada a iniciar o desenvolvimento dos estudos de ordenamento de tráfego, desde o km 425 (Trevo de Cedral) até o km 454 (Mirassol), passando por Rio Preto (km 436), onde há interligação com a BR 153 - Transbrasiliana, local de constantes e graves congestionamentos.


STATUS: no início de março, a concessionária apresentou o projeto básico revisado. Em junho, foi entregue o projeto funcional. Técnicos da Artesp solicitaram duas correções e a concessionária já entregou o projeto revisado que agora está em análise pela agência. A previsão é de que a Artesp aprove o projeto em até 30 dias. Após a aprovação do funcional, tem início o projeto executivo (deve levar de 6 a 8 meses para elaboração).


O projeto funcional aprovado pela Artesp prevê implantação de faixas adicionais de Cedral a Rio Preto (Km 425 a 436) e marginais de Rio Preto até Mirassol (436 ao 443) – nesse último trecho prevê ainda 3as faixas, além das marginais. No trevo da BR-153, em Rio Preto (km 436), serão implantados novos viadutos.


É obra de grande valor (somente teremos com a elaboração do executivo) e que pode levar de 24 a 30 meses após aprovada a inclusão no contrato.


Não se trata de obra contratual, pois ficou claramente provado que não é obrigação da concessionária por se tratar exclusivamente de interferência urbana e que deveria ser sanada pelo município com viários locais. Para se ter uma ideia, na região de Rio Preto o tráfego da rodovia sobe de 15.000 veículos para 75.000 em horários de pico.


Obras em andamento

Pereira Barreto e Ilha Solteira (DER): Recapeamento da pista e pavimentação dos acostamentos, dispositivos e implantação de faixas adicionais no trecho do km 621,91 ao km 658,33. Extensão: 36,42 km. Investimento: R$ 42,6 milhões - BID. Início: março de 2015. Previsão de termino: novembro de 2016. Executado: 76,58%.


Obras previstas – R$ 377,4 milhões.

Mirassol a Nhandeara (DER): Recapeamento da pista e pavimentação dos acostamentos e melhorias do km 454,3 ao km 518,4. Investimento: R$ 152,8 milhões. DADO: Inicialmente, o financiamento seria pelo BID, no entanto, em função de adequações nos recursos de financiamento do DER, isso será reavaliado. Aguardando definição de nova fonte de financiamento. O cronograma, portanto, será revisto após definição.


Floreal, Magda e General Salgado (DER): Recapeamento da pista do km 518,4 ao km 565,37. Extensão: 46,9 km. Investimento: R$ 133 milhões. DADO: Inicialmente, o financiamento seria pelo BID, no entanto, em função de adequações nos recursos de financiamento do DER, isso será reavaliado. Aguardando definição de nova fonte de financiamento. O cronograma, portanto, será revisto após definição.


Auriflama, Guzolândia, Sud Mennucci e Pereira Barreto (DER): Recapeamento da pista do km 565,37 ao km 621,91 e implantação de trevo em desnível na SPA-565/310. Extensão: 56,54 km. Investimento: R$ 91,6 milhões. DADO: Inicialmente, o financiamento seria pelo BID, no entanto, em função de adequações nos recursos de financiamento do DER, isso será reavaliado. Aguardando definição de nova fonte de financiamento. O cronograma, portanto, será revisto após definição.


IMPORTANTE: não será possível a substituição de todas as obras do BID para BIRD, em função do valor de financiamento disponível. O DER trabalha para definir quais serão as obras a serem realizadas com o recurso disponível.


Obras concluídas

Nhandeara (DER): Obras para implantação de dispositivo em desnível entre o km 507,3 e o km 510,7. Extensão: 3,4 km. Investimento: R$ 12,6 milhões - TESP. Início: Novembro de 2012. Término: junho de 2016.


Cratera na Washington Luís

As fortes chuvas de janeiro ocasionaram desmoronamento do acostamento e de parte da pista da Rod. Washington Luís, próximo a Taquaritinga. As obras executadas foram complexas porque, além da recuperação da pista, foi necessário instalar aduelas embaixo da rodovia nesse trecho, com o objetivo de melhorar a vazão do córrego que transbordou durante a chuva. Além das aduelas, foram colocadas vigas de sustentação.


Término da obra na pista interditada (pista sul): foi concluído em 14/julho, porém para a liberação do tráfego falta fazer a sinalização, além de estudos de fluxo devido a interdição da pista norte. No dia 21/julho a pista sul foi liberada em apenas uma faixa de tráfego para garantir a segurança dos usuários durante as obras no canteiro central.


Pista norte: após a conclusão do reparo no canteiro central, os trabalhos serão realizados na pista norte. A estimativa é que todas as obras no trecho sejam concluídas até outubro.


SP-320 (Rod. Euclides da Cunha)

Obras previstas – R$ 1,3 milhão.

Tanabi (DER): Implantação de alça de acesso no km 477,6. Investimento: R$ 416 mil – TESP. Status: projeto concluído. Dado interno: Em viabilização orçamentária.


- implantação de um ramal de acesso ao Distrito de Ecatu, km 488,4. Investimento: R$ 918 mil - TESP. Status: projeto concluído. Dado interno: Em viabilização orçamentária.


SP-321 (Rod. Cezário José de Castilho) Trevo do IMES =

O Regional publicou (09/07) que o prefeito Geraldo Vinholi postou em suas redes sociais que em reunião com o DER ficou definido que as obras no trevo do Instituto Municipal de Ensino Superior (IMES) deverão ser retomadas na próxima semana.


Segundo o DER, o trevo integra o pacote de obras para modernização da SP-321, entre Novo Horizonte, Itajobi e Catanduva. Além da implantação e melhorias de dispositivos de acesso são realizadas obras para o recapeamento da pista, acostamentos e sinalização. Os serviços foram iniciados em maio de 2014 e deverão ser concluídos em maio de 2017.


Na verdade, a mencionada reunião foi realizada após fase de adequações no cronograma dos serviços. Desta forma, os trabalhos no trevo questionado pela reportagem e no pacote de obras deverão ser concluídos no prazo previsto.


  • Ficha técnica das obras: Catanduva, Itajobi e Novo Horizonte (DER): recapeamento da pista e melhorias do km 444,2 ao km 491,4. Extensão: 47,23 km. Investimento: R$ 66 milhões – TESP. Início: maio de 2014. Previsão de término: maio de 2017. Executado: 47,34%.


SP-425 (Rod. Assis Chateaubriand / Paulo Borges de Oliveira)

Obras previstas – R$ 22,1 milhões.

Barbosa (DER): Obras de complementação da ampliação do vão de navegação da ponte sobre o rio Tiete. Investimento: R$ 20,9 milhões – TESP. Status: Projeto concluído. DADO INTERNO: Sem definição de financiamento para a obra.'


Penápolis (DER): Reconfiguração geométrica e adequação de dispositivos entre o km 286,5 e o km 287,3. Investimento: R$ 519 mil – TESP. Status: projeto concluído. DADO INTERNO: Sem definição de financiamento para a obra.


Rinópolis e Parapuã (DER): Remodelação de alças de acesso. Investimento: R$ 150 mil – TESP. Status: Projeto concluído. DADO INTERNO: Sem definição de financiamento para a obra.


Santópolis do Aguapeí (DER): Recuperação da ponte sobre o Rio Aguapeí, km 348. Investimento: R$ 596,4 mil - TESP. Status: projeto concluído. DADO INTERNO: Sem definição de financiamento para a obra.


Obras concluídas – R$ 82,23 milhões.

São José do Rio Preto e Guapiaçu (DER): Duplicação da pista, do km 168,5 ao km 180,81, pavimentação da marginal do lado esquerdo do km 178,7 ao km 182 e construção de novo viaduto e readequação geométrica da rotatória no km 183,35. Extensão: 15,61 km. Investimento: R$ 60,9 milhões – TESP. Início: setembro de 2012. Término: outubro de 2015.


Guapiaçu e Olímpia (DER): Obras para o recapeamento da pista, pavimentação dos acostamentos e melhorias do km 157,5 ao km 168,5. Extensão: 11 km. Investimento: R$ 14,9 milhões. Início: abril de 2012. Término: fevereiro de 2014.


São José do Rio Preto (DER): Obras de recuperação e melhorias do km 180,405 ao km 184,705, inclusive elaboração de projeto executivo. Investimento: R$ 5,7 milhões. Início: dezembro de 2012. Término: junho de 2013.


Braúna (DER): Obras emergenciais de reconstrução de galeria existente no km 316,6. Investimento: R$ 730 mil. Início: janeiro de 2013. Término: maio de 2013.


SP-461 (Rod. Gabriel elhado / Dep. Roberto Rolemberg / Dr. Otaviano Cardoso Filho / Péricles Bellini)

Diário de Votuporanga publicou (06/07) que o vereador Walter José dos Santos entregou a GA um requerimento acerca das alças de acesso da Péricles Belini.

Segundo o DER, o edital foi revogado em 2015 por falta de disponibilidade orçamentária para a contratação da obra. Neste momento não está prevista a execução de implantação das alças.


  • Ficha técnica das obras: Votuporanga (DER): implantação de alças de acesso às marginais entre os km 124 e o km 126 da SP 461. Investimento R$ 3,5 milhões. Prazo de execução: 8 meses. Edital revogado em junho de 2015.


Dado interno: segundo o DER, estava em tratativas a inclusão desta obra no pacote do BID, no entanto, isto não deve ocorrer, pois o financiamento deverá ser utilizado para cobrir as obras do Rodoanel.


Obras previstas – R$ 215,5 milhões.

Votuporanga (DER): Conclusão das obras de duplicação. Investimento: R$ 18 milhões – TESP. Status: Projeto concluído. Dado interno: Sem definição de financiamento para a obra.


Nhandeara, Votuporanga, Álvares Florence e Cardoso (DER): Recapeamento da pista e dos acostamentos, dispositivos e implantação de faixas adicionais no trecho entre a divisa com o entroncamento com a SP-310 (km 94,756) e o acesso a Cardoso (km165,316) e na SPA 165/461 trechos do km 94,37 ao km 124 e do km 128 ao 165,32. Extensão: 66,56 km. Investimento: R$ 195,6 milhões DADO: Inicialmente, o financiamento seria pelo BIRD/MIGA, no entanto, em função de adequações nos recursos de financiamento do DER, isso será reavaliado. Aguardando definição de nova fonte de financiamento. O cronograma, portanto, só será revisto após definição.


Birigui (DER): Implantação e prolongamento de via marginal com extensão de 615 metros e construção de viaduto sobre a ferrovia, incluindo projeto executivo. Extensão: 0,62 km. Investimento: R$ 1,9 milhão – TESP. Status: contrato rescindido. Sem previsão. Prazo de execução da obra: 6 meses.


Obras em andamento – R$ 111,4 milhões.

Monções e Nhandeara (DER): Recapeamento da pista e dos acostamentos, dispositivos e implantação de faixas adicionais no trecho entre a divisa coma DR.11 (km 71,98) e o entroncamento coma SP-310 (km 94,756). Extensão: 22,77 km. Investimento: R$ 41,9 milhões – BID. Início: abril de 2015. Previsão de término: outubro de 2016. Executado: 90,04%.


Birigui, Brejo Alegre, Buritama, Turiúba e Monções (DER): Recapeamento da pista e dos acostamentos, dispositivos e implantação de faixas adicionais no trecho entre os km 24 ao km 71,98. Extensão: 47,98 km. Investimento: R$ 69,5 milhões – BID. Início: dezembro de 2015. Previsão de término: dezembro de 2016. Executado: 16,46%.


Obras concluídas

Bilac e Birigui (DER): Recapeamento da pista e dos acostamentos, dispositivos e implantação de faixas adicionais do km 0 ao km 16. Extensão: 16 km. Investimento: R$ 31,2 milhões – BID. Início: março de 2015. Término: junho de 2016.


SP-463 (Rod. Elyser Montenegro Magalhães)

Boa notícia: em 30/07, foi entregue o viaduto de Araçatuba, que integra o pacote de obras da SP-463, que deverá terminar em dezembro de 2016.

As obras sofreram atrasos em função das fortes chuvas que atingiram a região.


  • Ficha técnica das obras: conclusão da duplicação e melhorias do km 37,93 ao km 41,98 e km 45,5 ao km 50,5, implantação de dispositivos em desnível para o acesso e retorno e adequação do projeto executivo. Trecho: Araçatuba. Extensão: 9,05 km. Investimento: R$ 51,3 milhões – TESP. Início: setembro de 2014. Previsão de término: dezembro de 2016. Executado: 72,31%.


Outras obras em andamento

Auriflama, General Salgado, Jales, Pontalinda, Santo Antônio do Aracanguá (DER): Recuperação e manutenção do km 60,9 e km 149. Extensão: 88, 1 km. Investimento: R$ 120,8 milhões – BIRD. Início: maio de 2015. Previsão de término: maio de 2020. Executado: 43,12%.

SP-563 (Rod. Euclides Oliveira Figueiredo/Euphly Jalles)

Obras concluídas

Jales (DER): Construção de novo dispositivo no entroncamento da SP-563 com a avenida Paulo Marcondes e a vicinal Victorio Prandi, incluindo projeto executivo. Investimento: R$ 1,7 milhão – TESP. Início: junho de 2013. Término: fevereiro de 2014.


Aeroportos

  • São José do Rio Preto

Internacionalização: Segundo o DAESP, não há processo ou pedido de internacionalização do aeroporto de S. J. Rio Preto.


Obra concluída

Obra de ampliação do terminal de passageiros e estacionamento de veículos. Investimento: R$ 18,9 milhões – TESP. Início: dez/2013. Entrega: 18/março/2016.

Histórico: Para o aeroporto de Rio Preto além da ampliação do terminal de passageiros, também estavam previstas a implantação da torre de controle, ampliação do pátio de aeronaves e recuperação/alargamento da pista. Estas obras estão em fase de estudos pela SAC, que solicitou avaliação técnica do Daesp. Deste pacote, o Governo do Estado assumiu a obra de ampliação do terminal de passageiros. Esta obra seria executada pelo Governo Federal, por meio do Programa de Investimento e Logística, mas como não ocorreu e em função da alta movimentação e importância deste aeroporto, o Governo do Estado assumiu a execução da obra, mantendo, não só o valor de investimento, quanto os prazos prometidos pelo Governo Federal.

DADO: com a inauguração do novo terminal, o Daesp deu início à reforma do antigo terminal de passageiros, que será adaptado para se tornar a ala voltada ao desembarque.Serão executadas a ampliação da sala de desembarque, do saguão e das áreas comerciais dessa área, como também a modernização do espaço. O investimento nessas intervenções, que foram iniciadas em março e deverão ser concluídas no 1º trimestre de 2017, já estão contemplados no valor da primeira fase da expansão, de R$ 18,9 milhões.


Investimentos realizados (2011 e 2014) – R$ 2,4 milhões.

  • Remoção de borracha da pista de pouso e decolagem. Investimento: R$ 459 mil.
  • Recuperação de calçadas e adequação lado ar para embarque de passageiros. Investimento: R$ 14 mil.
  • Elaboração de projeto executivo da Torre de Controle – TWR. Investimento: R$ 422 mil.
  • Revitalização da sinalização horizontal diurna. Investimento: R$ 144 mil.
  • Instalações de proteção e combate a incêndio do TECA (Terminal de Cargas). Investimento: R$ 14,8 mil.
  • Monitoramento e controle da qualidade da água dos poços tubulares de abastecimento de água. Investimento: R$ 8,8 mil.
  • Adequação física do poço de abastecimento de água. Investimento: R$ 5,6 mil.
  • Contratação dos serviços de regularização da outorga de uso do poço de abastecimento de água. Investimento: R$ 2 mil.
  • Elaboração do Plano Diretor Aeroportuário. Investimento: R$ 330,5 mil.
  • Elaboração de projeto básico, anteprojeto, projeto executivo para ampliação. Investimento: R$ 419,7 mil.
  • Pintura da SCI e revitalização de componentes. Investimento: R$ 94 mil.
  • Reforma da caixa d'água. Investimento: R$ 4 mil.
  • Reforma estrutural do terminal de cargas (TECA). Investimento: R$ 66 mil.
  • Remoção de borracha da pista de pouso e decolagem. Investimento: R$ 419 mil.


Araçatuba

Obras previstas para o aeroporto, que serão executadas pelo Governo Federal:

O governo Federal, por meio da Secretaria de Aviação Civil, anunciou, em 2013, obras de reforma e ampliação terminal de passageiros, alargamento da pista de pouso, ampliação do pátio de estacionamento de aeronaves e Seção Contra Incêndio no aeroporto. As obras, que integram o Programa de Investimento em Logística / Aeroportos – PIL, não foram realizadas até o momento. O ex-ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, em 31 de julho de 2014, anunciou que as obras seriam licitadas até setembro/15, o que não ocorreu até o momento. Os projetos foram executados pelo Daesp e enviados à SAC, em julho de 2013. Não houve andamento do assunto por parte do governo Federal.

Obras concluídas – R$ 4,03 milhões.

Construção de acesso aos hangares do aeroporto, que possui duas unidades em implantação neste momento. Investimento: R$ 137,7 mil. Início: dezembro de 2015. Término: abril de 2016.


Construção do turn around (área de giro na cabeceira), estacionamento de veículos, reconstrução parcial do pátio de concreto e elementos de segurança (alambrado e guaritas). Investimento: R$ 3,9 milhões. Início: Junho de 2014. Término: Dezembro de 2014.


Outros investimentos realizados (2011 a 2014) – R$ 5,04 milhões.

  • Remoção da borracha da pista de pouso. Investimento R$ 271 mil.
  • Serviços Técnicos de engenharia de apoio ao gerenciamento e supervisão de obras. Investimento: R$ 200 mil.
  • Ações ambientais (contratação da elaboração do Relatório de Regularização Ambiental – RRA e Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos – PGRS). Investimento R$ 60,3 mil.
  • Elaboração do Plano Específico de Zoneamento de Ruído. Investimento: R$ 40,2 mil.
  • Elaboração de diagnóstico e levantamento Patrimonial. Investimento: R$ 40 mil.
  • Medição do coeficiente de atrito e macrotextura da pista de pouso e decolagem. Investimento: R$ 15,5 mil.
  • Serviços Técnicos de engenharia de apoio ao gerenciamento e supervisão de obras. Investimento: R$ 100 mil.
  • Adequação das pistas de rolamento e vias de acesso; projeto de sinalização vertical dos sistemas e pistas e pátios. Investimento: R$ 1,9 milhão.
  • Aquisição de um caminhão de Combate a Incêndio. Investimento: R$ 1,57 milhão.
  • Aquisição de equipamento de raio-x para bagagem despachada. Investimento: R$ 342 mil.
  • Elaboração do Plano Diretor. Investimento: R$ 334 mil.
  • Elaboração de projeto básico e executivo para ampliação e reforma do Terminal de Passageiros e urbanização. Investimento: R$ 175,7 mil.


Ver também

Links externos