Discurso-Apresentação do Plano de Relações Internacionais do Governo do Estado de São Paulo-20120204

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição do discurso da Apresentação do Plano de Relações Internacionais do Governo do Estado de São Paulo

Local: Capital - Data: 02/04/2012

MESTRE DE CERIMÔNIA: Governador do estado de São Paulo.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Boa tarde a todas e a todos. Estimado embaixador Antônio de Aguiar Patriota, ministro de Relações Exteriores; embaixador Afonso Emílio Alencastro Massot, chefe do escritório do Ministério das Relações Exteriores em São Paulo; embaixador Rubens Barbosa; quero saudar aqui todos os secretários; saudando o secretário-chefe da Casa Civil, Sidney Beraldo; cumprimentar o Rodrigo Tavares, nosso assessor especial para Assuntos Internacionais; Alfredo Potaite, secretário municipal de Relações Internacionais, representando o nosso prefeito da capital, Gilberto Kassab; corpo consular, representantes de escritórios comerciais, amigas, amigos. Primeiro, dizer ao nosso chanceler Patriota, que o Mário Covas, ministro, dizia que aparelho de som é igual gerente de banco, quando a gente mais precisa, ele pifa. Mas, dizer da alegria e aqui agradecer a presença de cada um de vocês que dão enorme brilho a esse nosso encontro, ficamos muito honrados com a presença de cada um de vocês. É com grande prazer que recebemos o chanceler ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antônio Patriota. Se sinta em casa aqui em São Paulo, ministro. Hoje é um dia emblemático para a projeção internacional de São Paulo e do Brasil. Depois de vários meses de preparação, de consultas a vários setores da sociedade, concluímos o plano do governo do estado na área internacional. Chamado de “São Paulo no Mundo”, plano de relações internacionais 2012/2014. Plano estabelece três objetivos gerais, que traçam os eixos orientadores das relações internacionais do governo, 16 prioridades setoriais e 54 metas específicas. São Paulo é um dos principais estados federados, e talvez o primeiro a adotar um plano de governo de relações internacionais estudando a atuação de inúmeros entes subnacionais estrangeiros. Primeiro, em nível estadual a adoção desse plano envolve todas as 26 secretarias de estado do governo. No mundo globalizado de hoje, onde a informação e as oportunidades não obedecem fronteiras. Ninguém sobrevive isolando-se. Todas as secretarias do governo vão movimentar-se na esfera internacional para recolher os recursos e as boas práticas que garantam que as suas demandas internas sejam preenchidas. O plano inclui 54 metas específicas que foram definidas. Elas próprias, as secretarias, estabeleceram o seu nível de ambição internacional. Isso não significa, em termos práticos, que o Governo na sua totalidade não tenha também um conjunto de propostas. Com vários secretários aqui presentes, posso mencionar, por exemplo, que nos áreas econômica de Educação e de Segurança Pública, apenas para exemplificar, atrair investimentos nacionais e estrangeiros no setor produtivo da economia de forma a criarmos 1,5 milhões de novos empregos até 2014, promover o ensino de línguas estrangeiras, especificamente, inglês, espanhol, francês, italiano, alemão, japonês, mandarim, através da ampliação da rede dos CEUs do Centro De Estudos de Línguas atingindo 100 mil alunos até 2014. Capacitar países em desenvolvimento no campo do policiamento comunitário, como base da nossa polícia comunitária. Para cumprir, essa meta assinamos na quinta-feira passada, aqui no Palácio dos Bandeirantes, acordo de cooperação com uma instituição ligada à Jica, entidade do Japão. Assim o plano traça uma linha condutora e garante coerência interna à nossa atuação no exterior. Só com uma gestão eficaz o plano trará reais benefícios para a população de São Paulo. Como é do conhecimento de todos, nosso país atravessa uma fase muito positiva em nível internacional, traduzida no aumento do reconhecimento e do interesse econômico pelo nosso país. Nós nos tornamos uma potência global e, por isso, todos nós temos que estar preparados para saber aproveitar e tornar sustentável todo este novo posicionamento. Os governos estaduais, que estão mais próximos da população, tem uma responsabilidade vital neste processo. O plano é a contribuição de São Paulo para a projeção global do Brasil, cada conquista paulista é uma conquista brasileira, o plano serve para agregar e somar. Reitero que as relações internacionais fazem parte do nosso DNA paulista, no século 19 acolhemos milhões de imigrantes, que transformaram radicalmente, a realidade pacata daquela época. Hoje mais de cem nacionalidades estão representadas em nosso estado. Ser paulista é ser libanês, japonês, judeu, italiano, africano, português, coreano, boliviano. Eu próprio tenho ascendência espanhola e alemã, sou de uma das regiões mais cosmopolitas do mundo, depois vieram as grandes empresas, os grandes investimentos e hoje somos a região com a maior concentração de multinacionais em todo o hemisfério sul. Um dos segredos do crescimento econômico de São Paulo reside exatamente nessa permanente interlocução com o mundo. Atuação do governo de São Paulo, também reproduz está realidade. Só o ano passado, recebemos cerca de 400 delegações estrangeiras, reforçamos nossos programas de cooperação com cerca de 30 parceiros estrangeiros, assinamos 20 convênios nos Memorandos de Entendimentos Internacionais, organizamos 21 eventos internacionais aqui no Palácio dos Bandeirantes, reforçamos nossas participações... Nossa participação em 13 redes: fóruns e organismos internacionais, onde participam os governos subnacionais preparamos inúmeras viagens de trabalho ao exterior. Em 2012 deveremos superar todas essas estatísticas estamos reforçando a cultura internacional dentro do governo, a coordenação dessas atividades é feita pela nossa assessoria especial para assuntos internacionais, aliás, quero aqui agradecer ao Rodrigo Tavares pela sua dedicação, pelo seu empenho, pelo seu entusiasmo. E para serem eficazes essas ações precisam se manter alinhada com as diretrizes da política externa brasileira definida pelo Ministério das Relações Exteriores, quero agradecer, senhor ministro, a sua presença, agradecer a enorme cooperação permanente do Itamaraty, representado aqui em São Paulo, nosso plano contou com importante subsídio do Ministério das Relações Exteriores e em todas as outras ações temos recebido apoio do Itamaraty, reciprocamente São Paulo está também toda totalmente disponível para servir aos interesses do Brasil no exterior, muito obrigado!