Discurso-Assinatura de Convênios para Moradias-20120103

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição do discurso da Assinatura de Convênios para Moradias

Local: Capital - Data: 01/03/2012

MESTRE DE CERIMÔNIA: Ao nosso governador do estado de São Paulo.



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Bom dia, boa tarde já? Quase boa tarde já. Uma alegria estarmos juntos. Saudar o nosso secretário do estado da Habitação, deputado federal Silvio Torres; Coronel Ademir Gervásio, Chefe da Casa Militar; Deputados estaduais, o André do Prado, Sebastião Santos; Dr. Antônio do Amaral Filho, presidente da CDHU; prefeitas, prefeitos aqui presentes. Abraçar a todos cumprimentando o prefeito de Pereira Barreto, o Arnaldo Enomoto; O Max Penido, secretário adjunto da Habitação; Presidente da Federação Sindical dos Trabalhadores Cooperados do Estado de São Paulo; as cooperativas; Secretários municipais; toda equipe da CDHU; amigas e amigos. Uma grande alegria, hoje são 12 convênios, né? E 10 protocolos. 22 municípios, 1.750 casas. Muito emprego, porque cada casa são três empregos, entre empregos diretos e indiretos. Material de construção, engenheiro, motorista, secretária, pedreiro, enfim. São mais de 5.000 empregos, 1.750 casas. Como disse bem o Silvio Torres, parceria, as prefeituras deram terreno. E nós vamos passar o dinheiro, não é? Descentralizar. O Governo local faz mais depressa, faz de maneira mais econômica, a população acompanha bem feito. E agora é correr contra o tempo, não é? Vai ter um período aí que não chove, vamos ganhar tempo pra mandar bala. E eu sou fã de um lote urbanizado. E a população sabe fazer as coisas. O problema é que a população mais pobre não tem dinheiro, não tem dinheiro. Se tivesse dinheiro cada um faz a sua casa. Tem vizinho, compadre, amigos e se vira. O problema é que não tem recurso. Então, um lote urbanizado é uma maravilha, porque vai mais depressa, a gente já passa o dinheiro, já vai cada um fazendo a sua unidade habitacional em áreas que a lei permite a ocupação ordenada do solo, com planejamento urbano e com a infraestrutura. A prefeitura vê onde pode fazer, de acordo com a lei de ocupação e parcelamento do solo. Nós fazemos a infraestrutura e cada um vai fazendo, também, a sua casa. No final do ano passado, teve aqui um colega de vocês, Prefeito de Nova York, Michael Bloomberg e, naquela época, tinha sido pego o Bin Laden, Osama Bin Laden. Aí no encontro com o Embaixador americano, o cônsul aqui de São Paulo, o Prefeito de Nova York, alguém perguntou a ele: “Olha, o senhor acha, Prefeito, que com a prisão e a morte do Osama Bin Laden o Obama vai se reeleger, nos Estados Unidos?”. Aí ele falou: “Não, esquece, esquece isso aí. Isso é bobagem. O que vai decidir a eleição é: emprego e habitação só, emprego e moradia. Esse é o fator mais importante”. Nós estamos cuidando aqui exatamente das duas coisas: emprego, porque a construção civil é o que mais gera emprego; e, moradia para a população. É o que a população mais necessita, não é? A pessoa ter salário, ter renda, ter emprego e ter onde morar. Aluguel é um dinheiro sofrido, não é? Aquele dinheiro que vai e não volta. O grande problema da política habitacional são as famílias até três, quatro e cinco salários e esse é que é o desafio. Porque não falta crédito para quem ganha bem, tem financiamento à vontade. O problema é quem ganha um salário, dois e três salários. São Paulo é o único estado brasileiro, único, dos 27, que põe 1% do orçamento, não é financiamento, é a fundo perdido, do orçamento do estado para viabilizar moradia para quem ganha um salário, dois salários, três, quatro, enfim, famílias de menor renda. Quero aqui agradecer à Assembleia Legislativa, aqui representada pelo André do Prado e pelo Sebastião dos Santos, pela boa parceria com o Poder Legislativo. Agradecer toda a equipe do CDHU, cumprimentando o Dr. Amaral e toda a diretoria.



Agradecer os nossos Prefeitos todos e Prefeitas, cumprimentando o Arnaldo Enomoto. Eu tive pertinho lá, eu tive lá em Ilha Soleira, mas na próxima viagem nós vamos lá na Pereira Barreto. Cumprimentar aqui... Hoje nós vamos ter outros encontros daqui a pouco, não é isso? Uma assinatura de convênio às 15h. Tem um cafezinho para a gente aguentar até lá viu. E agradecer aqui ao Sílvio Torres um entusiasta da habitação, da moradia, fazendo ai um belíssimo trabalho e mãos a obras!



MESTRE DE CERIMÔNIA: Meus agradecimentos a todos.