Discurso -Entrega da modernização do Centro Odontológico “Dr. Virgilio Ceribelli Pacca” 20161009

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Entrega da modernização do Centro Odontológico “Dr. Virgilio Ceribelli Pacca”

Local: [[]] - Data:Setembro 10/09/2016

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Boa tarde a todas e a todos. Quero cumprimentar o nosso prefeito, João Andrade, a sua esposa, a Sandra, presidente do Fundo Social de Solidariedade. O vice-prefeito, Enizio Prado dos Reis. Sua esposa, Nilce. Deputado Roberto Engler. O Dr. Nanão, prefeito de Alpinópolis, presidente do Coman. Tenente coronel Jean. O Luiz Eduardo Garcia, da Casa Civil. O Ronaldo Capelli, da Saúde. A Francine Oliveira Toledo, secretária municipal de Saúde. A Sueli Bimbato Bettoni. Sueli está aí? Está aqui conosco, que é a diretora de saúde bucal. O João Paca, sobrinho do Dr. Virgílio Ceribelli Paca, que dá nome a esse centro odontológico. O Marcelo Pereira da Fonseca; também quero saudar aqui todos os maçons. O Paulo Sack, presidente do instituto Innovare. Colegas da área da saúde, profissionais todos da área da saúde, amigas e amigos. Nós estamos vindo de Pontal, onde entregamos lá a duplicação da rodovia Maurílio Biagi, entre Sertãozinho até Pontal. Quase 10 quilômetros de duplicação, três trevos, uma obra superimportante para evitar acidente e promover o desenvolvimento da região. E agora uma alegria aqui com João Andrade, nosso prefeito que fez aqui uma importante prestação de contas nos seus dois mandatos, marcados por inúmeras realizações em beneficio da população, e responsabilidade no trato do dinheiro público. E estamos na área da saúde, nós já tínhamos feito aqui uma reforma da UBS, né? Aqui no município, foram R$ 500 mil para a reforma da UBS no Jardim Santa Vitória. Também tivemos aqui auxilio pra nossa Santa Casa de Misericórdia. Tivemos também recursos, como ele citou, caminhão pipa, caminhão basculante. É o bairro do Jardim Veneza, distrito de Ibitiuva, caminhão coleta seletiva de lixos. E temos a questão do esgoto. O município não é Sabesp, ele é município com serviço autônomo de água e esgoto. Em razão da crise nós estamos terminando o que está em obra. Então já terminamos uma parte grande das estações de tratamento de esgoto para aí, iniciarmos aquelas que estão ainda no zero pra poder começar. Então o João Andrade veio falando comigo na viagem, de lá de Pontal até aqui. Nós vamos sim, João, priorizar a estação de tratamento de esgotos aqui do município. Para nós podermos... Saúde para a população, saúde para a população... e limpar os rios. Até porque diz que tem muito torcedor do peixe aqui, né? Mais ou menos, né? Tem dois aí, já tá bom. Mais um, três. Mas aqui a bacia é o rio Mogi Guaçu, é zero. Qual é o rio que... Mogi Guaçu. Mogi Guaçu. Então vai limpar o Mogi Guaçu. Aí, com isso, limpa o rio Pardo. Aí, com isso, limpa o Rio Grande. Com isso limpa o Rio Paraná. E aí que se une ao Paraguai, forma a bacia do Prata, e nós chegamos no Uruguai onde o Santos venceu e foi campeão da Libertadores, né? E o Roberto Engler falou da Santa Casa, mas eu estava perguntando, eu acho que não custa tão caro o raio x. Porque eu acho que não é tão caro. O nosso diretor checa direitinho, dependendo é o tipo do raio x, mas você poderia verificar, Luiz Eduardo... Não, é o Ronaldo. Viu Ronaldo? O Ronaldo Capelli, verifica o valor direitinho, que talvez o valor não seja tão alto e a gente raspa lá o fundo do tacho para tentar ajudar aí o município. E vamos entregar também o centro odontológico. Só quem não teve dor de dente não dá valor, né, para o centro odontológico. Odontologia é emergência. Me disse a secretária municipal, João, que começa a funcionar segunda-feira, depois de amanhã, as 7h da manhã, é isso? Então 7h da manhã já começa a funcionar o centro odontológico. É importante, né, para a saúde da população. E não só para a saúde bucal, mas às vezes... Um fato interessante... Nós colocamos Engler, agora parte odontológica em todos os nossos hospitais de terapia intensiva. Vai dizer: “Mas o que tem que ver UTI com odontologia?” Porque o risco do paciente em UTI é ele pegar uma infecção, principalmente paciente mais idoso. E às vezes o dente é um dos principais causadores de infecção. Então paciente grave, UTI, ele tem o serviço odontológico especial para não ter risco de infecção. Então a odontologia é extremamente importante. A saúde bucal extremamente também relevante, faz parte do conjunto da saúde. João Andrade falou de outros benefícios aqui pra cidade, mas nós vamos procurar concentra na questão do esgoto, do saneamento básico. Porque a saúde para a população, para o meio ambiente. Não é uma obra barate, né, R$ 18 milhões. Nós estamos, inclusive, tentando viabilizar um financiamento para a gente poder implementá-lo. Os municípios operados pela Sabesp, nós fechamos esse ano todos 300%, 100% de água tratada, 100% de esgoto coletado e 100% de esgoto tratado, todos. Está universalizado o saneamento básico no interior de São Paulo. O Brasil deve fazê-lo em 2138. Então quem tiver vivo até lá vai poder participar. No litoral de São Paulo 2018. Litoral é mais caro, porque cada praia é um tratamento diferente. E a região metropolitana é 2020. Aliás, cumprimentar o Engler, porque um dos melhores serviços do Brasil é Franca, que é Sabesp. O município de Franca está entre os 10 melhores do país. Cumprimentar o João Andrade pelo seu trabalho, em especial aqui toda equipe do centro odontológico, colegas da área de saúde, né? A gente só dá valor para a saúde quando... Perde! Tinha um professor que dizia: “A gente quando está com saúde, dá bola pra um monte de bobagem, coisa pequena, perde tempo, esquenta a cabeça. A gente só tem uma escala de valores correta na vida quando tá doente, aí sim. Aí aquilo que é importante é importante. O que não é, não é importante”. E graças a Deus a saúde está melhorando. Claro que sempre falta dinheiro, mas é inegável que está melhorando. Em 1940 a expectativa de vida dos brasileiros aqui em São Paulo era de 42 anos de idade. Expectativa de vida média, 42 anos. Hoje é 77 anos de idade. Mulheres 80 anos de idade. Expectativa de vida média. Média. Quem passa dos 30, como nós, aí é muito mais, porque sai da vulnerabilidade juvenil. Por que mulher vive mais do que o homem? Por quê? Qual a razão das mulheres, em média... Se cuidam mais. Eu fui um dia desse na Vila Prudente, em São Paulo, em um centro da terceira idade. A média de idade ali era 85, só mulheres, os homens tinham morrido todos, só mulher. O clube chamava “As Sapecas”. Por que a mulher vive mais? Qual é a primeira causa de mortalidade no Brasil e no mundo? A primeira é coração e grandes vasos. Coração. Os hormônios femininos, ovarianos, estrógenos e progesterona, protegem o sistema cardiovascular. Então se você for agora no Incor em São Paulo, de cada 10 leitos de unidade coronariana, sete são homens. Depois da menopausa essa proteção cai um pouco, mas ainda se mantem por muito tempo. A segunda causa de morte qual é? Primeira coração, segunda câncer. Essa não tem distinção, só tem o tipo de órgão. No caso dos homens a primeira é próstata. Segunda é... Se for fumante, pulmão. Se não for fumante, tubo digestivo. E a primeira geral de tudo é pele. Ao sol. É pele. Só que a maioria dos canceres de pele são carcinomas, elas não dão metástase, então é aquela pinta. O melanoma é que é mais complicado. Então o ponto de vista epidemiológico é próstata, pulmão e tubo digestivo. Mulher é... Era no passado colo de útero. Com o Papanicolau isso foi lá pra trás. Hoje é mama. Depois é, igual o homem, se for fumante, pulmão, depois tubo digestivo. Eu fui tomar um cafezinho um dia desses em São Paulo, gosto de tomar um cafezinho. Fui lá no bar aí fui pagar o café. A mocinha no caixa, e uma parede de cigarro, né, de maço de cigarros. Aí eu olhei o maço de cigarros, a cinza caindo assim, aí diz assim: “Cigarro dá impotência”. Aí a outra, uma caveira, aí escrito: “Cigarro mata”. Aí eu perguntei pra mocinha: “Mas o pessoal lê isso aqui e compra o cigarro?”. “O doutor, compra, mas todos querem que mata, né?”. E a terceira causa qual é? Coração, câncer, terceira? Externa. Não é doença, é carro, moto, tiro, droga, acidente de trabalho, é causa externa. Quem está mais sujeito a causa externa? Os homens. Quem morre fim de semana é rapaz. Sábado, domingo, motocicleta. Nós temos 240 mil presos no Estado de São Paulo, 240 mil, devia ser meio a meio, né? Tem 5% de mulheres no sistema penitenciário, e 95% de homens. E esse 5% é a má companhia dos homens, tá? Se não fosse a má companhia dos homens seria zero, né? As mulheres nem aplaudiram, olha aí. Mas feita essa homenagem às mulheres, a nossa meta agora é chegar a 100 anos, e as mulheres não morrerem mais. Parabéns! [[]]