Discurso - Abertura da Agrishow 2013 20132904

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Abertura da Agrishow

Local: Ribeirão Preto - Data:29/04/2013

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom dia! Bom dia a todas e a todos! Estimado Maurílio Biagi Filho, presidente da Agrishow; sua esposa, Vera Biagi; Sra. sua mãe, dona Edilah Biagi; ministro do Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Estado, Antônio Andrade; ministro do Desenvolvimento Agrário, o ministro Pepe Vargas; prefeita anfitriã, prefeita de Ribeirão Preto, Darcy Vera; deputados federais, estaduais, secretários; autoridades aqui nominadas. Uma alegria vir com a minha esposa, a Lu, ao Agrishow. E nesta data tão especial, não é Maurílio? 20 anos! Parece que foi ontem! E se transformou em uma das maiores feira de Tecnologia Agrícola do mundo, aproximando agricultores com a Indústria, pesquisa, prova de campo, ministro Paulinelli. Quer dizer, preparando máquinas de acordo com as necessidades da agricultura brasileira.

Se existe orgulho justo, este é um orgulho justo, não é? Dos brasileiros, dos paulistas e dos ribeirão-pretanos. E a gente fica muito feliz de estar aqui e eu queria trazer duas palavras. A primeira, do compromisso de São Paulo com o agronegócio no nosso estado, agregando valor, distribuindo renda. É a base da nossa economia, que no momento de perda, de competitividade do Brasil, de preocupação macroeconômica, é a agricultura que, de novo, faz toda a diferença. Então, nós estamos assinando hoje aqui o Seguro Rural, que já é uma tradição em São Paulo, pagando metade do valor do prêmio e estamos expandindo neste ano, com a dra. Mônika, nós já vamos assinar o decreto depois, para suínos e aves, além do que nós já tínhamos aqui. E também o outro decreto, do Contrato de Opção, que é importante para garantir a renda do nosso agricultor. Também, aumentamos o Pró Trator, que é o financiamento até 6 anos, 3 anos de carência, zero de juros, zero de correção monetária, desde pequenos tratores, até tratores cabinados. E também, o Pró Implemento, e também o Pró Implemento para financiar aqui, as máquinas; também o financiamento do FEAP e aqui do lado, nós estamos inaugurando a biofábrica de mudas de cana-de-açúcar. Vai ser muito importante, eu queria destacar a importância da agroenergia: Nós reduzimos o ICMS do etanol, há 10 anos, de 25 para 12%.

O Brasil é um exemplo para o mundo, de energia limpa, energia renovável. E a gente fica feliz de ver o álcool também sendo... Passando para 25% na composição da gasolina. Está para ser inaugurada a dutovia entre Ribeirão Preto até Paulínia e nós já assinamos, retirando o ICMS do lastro do etanol dentro deste duto aí, de centenas de quilômetros, que vai melhorar a logística, reduzir custos na área também, do setor sucroalcooleiro. Também o microbacias II, com financiamento do BID, a Mônica já está correndo, aí, para a gente assinar os projetos, é acesso a mercado, para apoiar e melhorar a renda do nosso agricultor. E o museu, a outra vez, no ano passado, o Roberto Rodrigues, Maurinho, falou aqui do Museu da Agricultura, Museu da Tecnologia, veio conosco o Sérgio Tiezzi, e ele implantou o Museu Cata-vento em São Paulo, Maurinho, que é um sucesso. Aliás, nós temos os museus mais visitados do país: o Museu do Futebol; o Museu da Língua Portuguesa, que é um dos mais visitados; o Museu do Cata-vento, de tecnologia; eu tenho certeza que será também um dos mais visitados, Dr. Fábio Meirelles, o Museu da Agricultura. Já trouxemos a maquete, já contratamos o projeto e eu acho que em 120 dias a gente faz a parte física do museu e quero, aqui, destacar o trabalho do José Ribeiro de Mendonça, que tem uma coleção de máquinas e tratores, uma coisa maravilhosa, né? Espetacular e que, inclusive, trouxe alguns tratores para cá. E, 30 anos aqui para a Agrishow e quero agradecer ao Barros Munhoz, ex-ministro da Agricultura, ex-presidente da Assembleia, líder do governo; ao deputado Itamar Borges; Welson Gasparini; Baleia Rossi; o Dilador Borges, que aprovaram a lei e aí acaba aquele monta-desmonta todo ano do Agrishow para termos aqui ótimos investimentos, empreendimentos, dando perspectiva de 30 anos e que eu tenho certeza, vai ser prolongado “n” vezes, tendo em vista a importância da Agrishow, que dever ter negócio esse ano de R$ 2,5 bilhões. Se a gente pegar a cadeia produtiva, o que isso gera de emprego e aí isso que faz a agricultura brasileira ser a mais competitiva agricultura dos trópicos.

Quero deixar um grande abraço, cumprimentar aqui o ministro Pecly Vargas. Conte conosco no apoio a agricultura familiar, importantíssima sobre o ponto de vista social e econômico. Ao ministro Antonio Andrade, grande ministro da Agricultura, produtor da segunda raça melhor do país, que é o Gir Leiteiro, só perde para o Jersey, né? Meu pai era veterinário, eu tenho um sitinho em Pinda de 14 hectares, lá, e o meu vizinho, Maurinho, criava gado holandês, transplante de embrião, trouxe cilhado importado e o tourinho meu, Jersey, pulou a cerca e cobriu uma vaca daquelas milionárias, lá. Aí, ele ficou muito bravo, era meu compadre, ele falou: “Oh, compadre, esse negócio de criar Jersey é quem não tem competência de criar holandês, tem vergonha de criar cabrito, né?”. Mas o fato é que o Jersey é campeão. Mas eu quero abraçar aqui o Maurílio Biagi, abraçando a Abmaq, Abag, a ANDA, a Sociedade Rural Brasileira.

Uma nação não é feita de estado, estado é um braço político. Uma nação é feita de empreendedores, gente que arrisca, sua a camisa, gera emprego. O governo não gera emprego, o governo apoia, cria condições para que a atividade empreendedora possa caminhar e a gente vê aqui no Agrishow a força da capacidade de trabalho e de empreendimento dos brasileiros. Esse é um orgulho justo. Parabéns Agrishow!