Discurso - Abertura do 2º Fórum Regional de Campinas 20131008

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Abertura do 2º Fórum Regional de Campinas

Local: Campinas - Data:10/08/2013

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom dia a todas e a todos! Vou seguir rigorosamente as instruções aqui, do João Dória de poucas citações. Mas agradecer ao João Dória; o prefeito Jonas Donizete e a Sandra; o Queiroz e a Silvia. Dizer da alegria de vir aqui com a Lu. E dizer, João, tem uma história boa, de um prefeito no interior, que ele fazia muitas citações: "O senhor governador, senador fulano, deputado, presidente, diretor, delegado, comandante..." O governador com pressa, Silvino, falou para ele: "Prefeito, economia processual. Você sempre só faça duas citações. Você vai em uma escola: professores e alunos. Vai em um hospital: profissionais de saúde e pacientes. Vai em um local com muita gente: senhoras e senhores. Olha, sempre duas só, vamos ganhar tempo." Aí, passado uns meses, houve uma solenidade no município, no cemitério municipal, e a secretária veio com aquele pacote de fichas para ele citar. Aí ele guardou as fichas, pensou, pensou. "Meus conterrâneos e meus subterrâneos..." Amigas e amigos, foi uma palavra breve. Mas deu para sintetizar e ganhar tempo aqui, preparei meia dúzia de telas aqui, que eu vou... Me permito passar aqui. Aqui dá um pouquinho a ideia de... Nós temos o estado, São Paulo, no tamanho de país. Então, São Paulo tem 42 milhões habitantes no estado de São Paulo. H&aacu te; 20 anos atrás, São Paulo tinha o mesmo PIB da Argentina. A gente brincava que São Paulo tinha o mesmo tamanho da Argentina, mas tinha uma vantagem, que tava dentro do Brasil! Hoje, o PIB de São Paulo é o dobro da Argentina. Vinte anos depois é praticamente o dobro. Aqui, renda per capita, R$ 18 mil per capita/ano. Campinas, Jonas Donizete, quanto é? R$ 34 mil per capita/ano. Impressionante essa região! Aliás, com PIB, a região metropolitana é maior do que o Chile. Aqui, São Paulo, se fosse um país, a 18ª maior economia do mundo. Aqui, uma grande... Um grande esforço fiscal, os impostos só foram reduzidos. E nós recuperamos capacidade de investimento. Então, o estado que investe em quatro anos R$ 93,6 bilhões. A dívida do estado de São Paulo era 2,2 vezes a receita de corrente líquida, a lei de responsabilidade fiscal diz que não pode passar de duas vezes. Uma receita de 150 bilhões a dívida não pode passar 300. Ela foi reduzida 1,8, 1,7, 1,6, 1,5, 1,4, fechamos o mês passado 1,3, nós estamos quase a metade do que a lei estabelece. Com isso, melhorou muito o espaço fiscal para novos financiamentos e contra a prestação de PPPs, então temos uma carteira de 50 bilhões de PPP já assinado de saneamento básico, a SABESP, o novo sistema de São Lourenço trazendo água para a região metropolitana de São Paulo, a concessão da Imigrantes, centro de eventos Imigrantes, que vai ter hotéis, vai ter novos centros de eventos, uma concessão importantíssima. A nova fábrica da FUR, a MS aqui da região, venceu a licitação, vai operar fábrica de Américo Brasiliense, na região de Araraquara, três linhas de metr ô, estão saindo as PPPs, o Jurandi Fernandes vai poder explicitar, quatro hospitais. Por fim, um conjunto de investimentos, a nova Tamoios para descer para porto de São Sebastião e Caraguatatuba, no programa de PPPs. Aqui, na região metropolitana de Campinas, o anel viário, o corredor noroeste, a primeira fase está praticamente pronta de Campinas até Sumaré, e agora vamos fazer a segunda fase do corredor Sumaré, Nova Odessa, Americana até Santa Bárbara do Oeste. O anel viário de Campinas, o anel viário Magalhães Teixeira, nós já estamos em obra a ligação da Anhanguera com a Bandeirantes, então a continuação do anel viário Magalhães Teixeira, nós deveremos ter a obra concluída, ela começou em julho, já estamos com dois meses de obra, deve ser concluída em 24 meses. Sistema Anha nguera/Bandeirantes, quando o Paulo Egídio, há 25 anos atrás, fez a Bandeirantes, ele deixou um canteiro gigantesco entre as pistas, aí alguém falou: "mas porque tão grande o canteiro?" ele falou: "não! Um dia vai ter que ampliar", "imagina, a Bandeirantes é a rodovia mais moderna do país". Estamos usando o canteiro do Paulo Egídio para instalar a quinta faixa, única rodovia do país com cinco faixas, quinta faixa da Bandeirantes entre São Paulo até Jundiaí, 31 km, fica pronto em abril do ano que vem. A Anhanguera, estamos desde Jundiaí até Americana, passando por Campinas, fazendo a implantação de marginais e também a ampliação do sistema Anhanguera. As marginais da Dom Pedro estão todas em obra, são 32km de vias marginais nos dois sentidos e devem ser entregues até o final do ano que vem. Duplica&ccedi l;ão da SP-360, Jundiaí até Itatiba, toda ela duplicada. Instalamos o pedágio ponto a ponto, que tinham cidades ou bairros que utilizavam um trecho pequeno da rodovia e pagavam a tarifa cheia. Então, nós implantamos o ponto a ponto, pedágio eletrônico. Quebramos o monopólio do Sem Parar. Hoje, já tem três empresas disputando o pedágio eletrônico, oferecendo: um não cobra o chip, outra não cobra a manutenção. Disputando mercado, as três empresas. Vai entrar uma quarta empresa agora, também. E já implantamos o ponto a ponto na Santos Dumont, SP-75, de Indaiatuba, na SP-360, que é de Jundiaí a Itatiba, na SP-340, que é de Jaguariúna, e na SP-332, que é a Zeferino Vaz. Um apoio de 83% dos motoristas tiveram redução de despesa. Aqui, mostra o caso de Jaguariúna. Eles pagavam R$ 9,50, passara m a pagar R$ 4,75. E esse conceito do pedágio sendo pago por trecho percorrido, nós vamos ampliar para todo o nosso sistema de rodovias. Aqui, o rodoanel, está pronto o rodoanel oeste de São Paulo, ligando Bandeirantes, Anhanguera, Castelo Branco, Raposo Tavares até a Regis Bittencourt, o trecho sul chegando à Anchieta-Imigrantes, aqui no Porto de Santos. O leste, vamos entregar em abril do ano que vem já, daqui a oito meses, chegando na Ayrton Senna, na Dutra até Guarulhos. E o norte, estamos com oito frentes de trabalho simultâneas, vai levar mais 36 meses. E ele fecha, então, aqui está o Aeroporto de Cumbica, tem uma ligação de 3,8 km para o aeroporto, Fernão Dias e chega de novo na Estrada Velha de Campinas e na Bandeirantes. Aqui, o trecho norte, mostrando melhor os 44 km. Grande parte dele, tudo em túnel. Aqui, o ferroanel, porque hoje o trem passa por dentro da Esta ção da Luz. Então, nós estamos, junto com o governo federal, procurando resolver para fazer o ferroanel norte junto com o rodoanel. O governo federal vai economizar R$ 1,5 bilhão nesta sinergia de fazer junto, ao lado do rodoanel, que já está em obras. Sairia aqui de Jundiaí, Campo Limpo, chegando aqui, Manoel Feio, Itaquaquecetuba. Aqui, o grande projeto de PPP. Vai ser um dos maiores projetos do país! Nós estamos terminando o edital para fazer uma PPP de trens que sai de Santa Bárbara do Oeste, Americana - trem de média velocidade -, Americana, Campinas, Jundiaí, São Paulo, ABC, Santo André, Santos. É uma cruz. Então, no trecho norte-sul, vai da região de Campinas, Santa Bárbara, Americana, Campinas, São Paulo até o litoral. O sistema Anchieta-Imigrantes já está esgotado. Então, a ideia é ter uma liga ção ferroviária. E no trecho oeste-leste, sai de Sorocaba, São Roque, São Paulo, Guarulhos, São José dos Campos até Taubaté, no Vale do Paraíba. Uma PPP só sendo implantada. E para ganhar tempo, já estamos licitando, por nossa conta, São Paulo-Jundiaí, em 25 minutos o trem, que já é uma contrapartida dessa PPP. Então, o projeto executivo já está sendo feito, ficando pronto, vamos licitar. Sai da Água Branca, aqui em São Paulo, chega em Jundiaí em 25 minutos. Isso já faz parte do trem Campinas-Americana-Santa Bárbara que depois vem para o ABC e para o litoral. Não tem nenhuma disputa com TAV. Estamos sempre com o Bernardo Figueiredo, com o governo federal. O TAV, o trem bala, é alta velocidade. Campinas, São Paulo, Guarulhos, São José, uma parada e Rio de Janeiro, totalmente d iferente. Esse é um trem de média velocidade para poder atender o conjunto das cidades. Aqui, os aeroportos, Viracopos é um espetáculo, aqui foi bem colocado. É o segundo aeroporto que mais cresceu no mundo em número de passageiros. Vai poder ter segunda pista, terceira pista, quarta pista. Enfim, é o aeroporto com maior potencial. Nós temos sido um grande parceiro porque acreditamos muito aqui em Viracopos. O prefeito colocou bem, já estamos estudando, além do anel viário Magalhães Teixeira, duplicar a Miguel Melhado, as marginais da Santos Dumont e, depois, a duplicação da Lix da Cunha. Ou seja, de ele ter o melhor acesso a esse grande aeroporto, que é o aeroporto de Viracopos. E nós temos 28 aeroportos estaduais. Então, nós estamos terminando a concessão para cinco aeroportos executivos. Vamos licitar Ubatuba, Itanhanhém - aqui s&atil de;o as bases do pré-sal -, Jundiaí, Campo dos Amarais, em Campinas, e Bragança Paulista. Então, esses cinco aeroportos não são de transporte regional, são de aviação executiva e devem ir agora para concessão para o setor privado para ter um forte investimento e ampliação. Aqui na área de pesquisa, São Paulo é o único estado do Brasil que investe 1% do ICMS em pesquisa, desenvolvimento e inovação e a Fapesp é uma referência para o Brasil em amparo à pesquisa. Isso dá quase R$ 1 bilhão por ano e Campinas é o grande centro de pesquisa e desenvolvimento. Aqui, os parques tecnológicos, está aqui o reitor dessa belíssima universidade, que é a Unicamp, nós já assinamos o decreto de utilidade pública. A Unicamp tem 1,8 milhão metros quadrados. A nova área pode ter 1,4 milhão metros quadrados, praticamente, uma nova Unicamp. E a grande vocação de trazer para esse parque tecnológico centros de pesquisa, desenvolvimento e inovação das empresas, seu grande cérebro, para trazer empresas voltadas à pesquisa e à inovação. Aqui, o projeto Sírios, que é a aceleração de elétrons. O grande laboratório Luz Sincrotron, isso é um projeto do governo federal e nós nos incumbimos, então, de comprar o terreno e doar para ser implantado esse grande laboratório, investimento de R$ 423 milhões na conta do desenvolvimento, importantíssimo, vai desde medicamento contra o câncer até desenvolvimento de materiais para a indústria do petróleo. Aqui, segurança, nós vamos instalar aqui na região de Campinas a Segunda Seccional, com quatro delegacias . Delegacia da Mulher, atendendo também a região de Viracopos, que é importante. Aqui, as unidades habitacionais. Estamos junto com o programa Casa Paulista, vão ser oito mil unidades aqui na região. Na área de saúde, a Unicamp tem o Hospital das Clínicas aqui em Campinas, opera o Hospital Regional do Sumaré, vai, se Deus quiser, operar o nosso hospital de Jundiaí novo, o nosso hospital novo de Piracicaba. E estamos estudando uma grande parceria aqui com o prefeito Jonas para a instalação do Lucy Montoro, da AME também, aqui em Campinas. O atendimento às pessoas, principalmente os jovens com dependência química, o programa Recomeço, nós temos um belo trabalho em Campinas, do padre Aroldo. E tamos ampliando muitos convênios com o Bairral, em Itapira. Campinas terá uma nova Fatec, a região já tem sete Fatecs, será a oita va Fatec, Campinas ainda não tem uma faculdade de tecnologia, e as novas Etecs. Mas eu quero cumprir rigorosamente o horário e agradecer. Muito obrigado!