Discurso - Anúncio da Duplicação de Trecho da Raposo Tavares - 20122604

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição do discurso do Anúncio da Duplicação de Trecho da Raposo Tavares

Local: Maracaí - Data: 26/04/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Estimada prefeita anfitriã, prefeita de Maracaí a Bete – Elizabete de Carvalho Setter; vice-prefeito, o Heber, o Hebinho; vereadora, a Cleonice Bueno de Oliveira, presidente da Câmara, em nome de quem quero saudar os vereadores todos; nossos deputados: o Mauro Bragato e o deputado Ed Thomas; nossos ex-prefeitos aqui da cidade: o Beto, Elifaz Demane, o Antônio Cavalheiro, o [ininteligível] Fetter; cumprimentar o Nardão, o prefeito Palmital, o presidente do CIVAP, que é nosso consórcio intermunicipal do Vale do Paranapanema; o prefeito de Assis, o Ézio Spera; de Regente Feijó, o Fantini; Cruzália, o Alceu Vidotti; de Rancharia, o Iéia; de Florínea, o Rodrigo; de Platina, o Manoel; de Cândido Motta, o Roberto Bueno; de Martinópolis o ‘Baixinho’; Tarumã, o ‘Jairão’; Santo Anastásio, o Roberto Volpi; a Dra. Karla Bertocco, que preside a Artesp, a Agência Reguladora de Transportes; Dr. Fabio Meirelles, presidente da Faesp do Senar, nós estamos chegando de Presidente Venceslau, onde promulgamos a lei para a regularização fundiária dos municípios da 10ª Região Administrativa do Estado. Vai trazer muito desenvolvimento para Região Administrativa de Presidente Prudente, e a Faesp assina conosco o protocolo, com a Secretaria de Justiça e o ETESP para pôr o coroo de advogados para auxiliar os agricultores ao encaminhamento jurídico para a titulação das terras na região, então muito obrigado Dr. Fabio de Salles Meirelles. O Dr. Ricardo Schittini Duarte que dirigi, é o diretor presidente da Cart; Dr. Jorge Morre, diretor do DER; Newton de Calazans; Dr. Newton, o delgado seccional; Major Carlos Alberto Hipólito Ferreira comandante do batalhão, amigas e amigos da comunidade aqui. É uma grande alegria quando a gente pode começar uma obra! E essa é uma grande obra, aqui vão ser R$ 178 milhões, da outra vez que eu fui governador nós duplicamos de Assis até Maracaí, e duplicamos de Presidente Prudente até Regente Feijó até o trevo de Taciba, porque perto das maiores cidades, da área urbana, é onde tem mais acidente, tem mais risco de pessoas acidentarem, então fizemos as duas pontas, ficou faltando aqui o miolo, então hoje nós estamos começando a obra entre aqui Maracaí até Regente Feijó dá 70 km, praticamente. Começam hoje, os primeiros 10 km que já tem a licença ambiental, as máquinas já começam, aproveitar esse tempo agora que não chove para agilizar ao máximo, e esses 10 km dá para fazer em quanto tempo mais ou menos?


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: [ininteligível] da para ficar pronto em setembro.


GERALDO ALCKMIN: Em setembro, então olha cinco meses.


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Se o tempo ajudar.


GERALDO ALCKMIN: É se o tempo ajudar, setembro, outubro, cinco ou seis meses já entregar. E já vão começando os outros trechos, à medida que vai saindo à licença ambiental todos vão sendo executados. O prazo para ficar tudo pronto é março de 2014, mas ficou pronto 10km já começa a usar, vai entregando gradativamente: duplicação, guard rail, separação das pistas, temos marginais, trevos, dispositivos, obras de segurança, sinalização e esperamos que agora em junho já começado outro lado também de Presidente Prudente, ou seja, vai ser lá da barranca do Rio Paraná, Presidente Epitácio até Ourinhos e até Bauru, porque a SP-225 já começou a duplicação, ela já está em obras! Ao todo, nós vamos ter então R$ 384 milhões de investimentos aqui na região, vai gerar muito emprego, trazer muita empresa para cá, porque boa autoestrada, ela puxa investimento para o desenvolvimento da região. Eu estava aqui admirando até com uma pontinha de ciúmes, Dr. Fábio Meirelles, porque eu sou de uma região do Vale do Paraíba que as terras não são... Não tem essa cor vermelha maravilhosa, essa região aqui do Paranapanema é campeã, não é? É impressionante a qualidade do solo e a força do agronegócio. Então, eu não tenho dúvida, nós vamos ter aqui um boom de progresso e de desenvolvimento. E, o mais importante, que é salvar vidas. Uma estrada duplicada, separada, é como uma vacina na saúde pública. Porque a primeira causa de morte é coração, a segunda é câncer, a terceira não é doença, a terceira é causa externa, é acidente. Até dez anos atrás era tiro, era homicídio. Morriam em São Paulo por ano 13 mil pessoas por homicídio, arma de fogo a maioria delas. Isso foi reduzindo, 12, 11, 10, 9, 8, 7, 6, 5, hoje é 4 mil. Nós saímos de 35 homicídios por 100 mil habitantes para dez. O Estado de São Paulo era o quinto mais violento do Brasil, hoje é o vigésimo quinto. Agora, o que passou os homicídios? Acidente rodoviário. Carro, moto, atropelamento, tudo estrada ou ruas de cidades. Mas é acidente. Então, os piores acidentes é choque frontal, porque somam as velocidades. O sujeito está indo a 100, o outro está vindo a 100, você tem um choque gravíssimo. Então, a separação das pistas, você ter duas pistas e ter o guard rail, você só vai ter acidente do seu lado. Bate do lado, acidente menos grave. Não tem mais aqueles acidentes dos choques frontais que são gravíssimos. Então, eu diria que sobre o ponto de vista da saúde pública, nós vamos salvar muitas vidas. Tornar a estrada não só mais confortável, mas mais segura para quem viaja pela rodovia. Uma grande obra e um grande investimento. E como nós já estamos falando de transporte, vindo para cá, a Prefeita Bete, nós autorizamos a reforma e ampliação do terminal rodoviário de Maracaí. Mas a prefeita disse que estava em dificuldade com a contrapartida, então o Estado vai assumir a sua contrapartida, fica liberada aí da contrapartida. Nós temos, também, 30 unidades habitacionais em construção, começa agora em maio. Temos aqui, também, recurso para quadra poliesportiva, R$ 200 mil. Tem para o campo de bocha e malha, mais R$ 80 mil. Tem reforma do ginásio municipal de esportes. E o terminal rodoviário, o Governo vai financiar os 100%. Assinamos aqui o trevão de Ourinhos, ali é o cruzamento da SP-270, Raposo Tavares, com a BR-153, a Transbrasiliana. Então, é uma obra mais federal, mas nós dividimos lá meio a meio. Custa R$ 17 milhões, R$ 8,5 milhões federal e R$ 8,5 milhões estadual, a CART já assinou. Dá pra começar em quanto tempo mais ou menos? Em 30 dias já deve estar começando a nossa parte. Uma parte nós vamos fazer, a outra metade é federal. A nossa parte do Estado em 30 dias começa. E de Ourinhos para Itapetininga, que não é concessionada, nós incluímos no programa do BID, do Banco Interamericano de Desenvolvimento. Tem trechos que serão duplicados, os de maior VDM, e o restante tudo vai ser recapeado, terceira faixa, acostamentos e obras de segurança e obras de arte. Então, nós vamos ter duas ligações da região importantes. Para Bauru tudo duplicado, é concessionado, é CART. Indo para Itapetininga, de Ourinhos a Itapetininga, não é concessionado, incluímos no programa do BID, vai ser toda ela recuperada, modernizada e ampliada. Isso vai beneficiar muito aqui a região. Mas eu quero deixar um abraço. O José Saramago dizia que uma grande obra é fruto de muitas mãos. Então eu queria aqui agradecer. Agradecer os nossos deputados, representantes aqui da região, o deputado Mauro Bragato, que faz um grande trabalho pela região, sério, o deputado Ed Thomas, também aqui da região, tem nos ajudado muito na Assembleia Legislativa de São Paulo. Muito obrigado. Agradecer aos prefeitos aqui da região, todos, cumprimentando a Prefeita Bete. A Bete está afônica. Agora, prefeito não fala muito, mas deputado fala, né? Não é nenhum dos dois, viu? Mas tem um deputado, Doutor Fábio, que gosta tanto de discurso... Não são nenhum dos dois. Que quando ele entra no avião e a aeromoça dá uma instrução de segurança de voo, ele pede a palavra para agradecer, né? Não é nenhum dos dois, viu? Agradecer aqui a Karla Bertocco. A Karla faz um trabalho muito bonito como dirigente da Agência Reguladora, trabalho sério. Essa é uma reforma de Estado no Brasil muito importante. O Governo deixa de ser provedor de tudo, porque ele não tem dinheiro para tudo. Então traz a iniciativa privada, está aqui a CART, que é a nossa concessionária. Deixa de ser executor de tudo, porque ele não é bom executor de tudo. Traz o setor privado pra trazer eficiência, rapidez, agilidade, gerar emprego para poder se desenvolver. Mas tem um grande papel, regulador e fiscalizador. Quando perguntam: “é bom fazer concessão”? Aeroportos, portos, estradas? Depende. Se tiver uma agência reguladora firme, regulando e fiscalizando, para o povo é ótimo. Se não tiver, não é bom. Então o segredo está no papel do Estado, que deixa de ser provedor de tudo e executor, mas que tem um enorme papel regulador e fiscalizador. E podem confiar, podem ter certeza que essa menina é craque, viu? É dura, dura, pra poder fazer o trabalho. Desejar um ótimo trabalho aqui, cumprimentando o Dr. Ricardo Schittini Duarte, a sua equipe aí. Pé na estrada aí nas obras aí, todos os trabalhadores aqui dessa obra, aproveitar esse período que não chove tanto, né? Eu já fui prefeito e tinha um amigo lá em Pinda que dizia assim: “A pior oposição ao prefeito é a chuva. E o melhor engenheiro é o sol.” Então, vamos aproveitar esse período de outono e inverno pra correr com as obras, acelerar as obras que a gente ganha aí mais tempo. E saudar aqui todos vocês aqui da região. Uma região tão bonita como é aqui a do Médio Paranapanema, tão próspera, tão importante. E está autoestrada, ela vai ser o instrumento de desenvolvimento da região e de segurança. Parabéns a todos.


MESTRE DE CERIMÔNIA: Pode aplaudi-lo, pode. Nosso muito obrigado, governador Geraldo. Agora...