Discurso - Anúncio da gratuidade para idosos em ônibus intermunicipais rodoviários do Estado 20132307

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Anúncio da gratuidade para idosos em ônibus intermunicipais rodoviários do Estado

Local: Capital - Data:23/07/2013

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom dia a todas e a todos! Quero saudar os nossos secretários de estado, o Rogério Haman, Secretário de Desenvolvimento Social; o Carlos Ortiz, que, aliás, presidiu o Sindicato dos Aposentados o Secretário de Emprego e Relações do Trabalho; Cláudio Valverde, Secretário de Turismo; Dr. João Carlos Meireles, nosso Secretário de Assuntos Estratégicos; Deputado Federal Constituinte, Arnaldo Faria de Sá; Deputado Estadual Gilmaci Santos; Deputado Ricardo Montoro, que coordena o nosso programa Município Verde Azul; temos a alegria de ter aqui três prefeitos conosco, o prefeito de Estrela D’Oeste, o Pedro Koyanagi; de Santana de Ponte Pênsil, Zeca de Melo; e o de Santa Saleste, Valderez Molina. A Karla Bertocco, a nossa mamãe. Karla está para ter neném, dirige a ARTESP, mas fez questão de vir aqui para participar. Ela dirige a Agência Reguladora de Transportes do Estado; a Marli Cortês, que preside o nosso Conselho Estadual do Idoso, em nome de quem quero saudar aqui todos os conselheiros; o Antonio Alves da Silva, que preside a Federação das Associações de Departamentos de Aposentados, Pensionistas e Idosos do Estado de São Paulo; o José Aureliano Ribeiro de Vasconcelos, o Ribeiro, que preside a União dos Aposentados do Transporte Coletivo e Cargas do Estado, e vice-presidente da COBAP; os representantes de associações, confederações, líderes, amigas e amigos. É um dia hoje de grande alegria! Poderia acrescentar ao Papa, Cláudio Valverde, o Papa falou da experiência e da sabedoria. E nós também podíamos falar da inquietude da terceira idade, porque o pessoal é agitado. Mas é uma grande alegria estarmos juntos aqui. São Paulo é um estado amigo do idoso. Então, nós reunimos 11 secretarias em um grupo de trabalho para políticas públicas para a melhor idade. E quero também trazer uma outra boa notícia, nós estamos implantando, Dr. Meireles está nos ajudando, a Univesp, a Universidade Virtual do Estado de São Paulo. Então, umas aulas são presenciais, mas grande parte é ensino à distância. Então, muitas pessoas vão poder fazer a faculdade, ou curso técnico, ou curso superior, pela Universidade Virtual do Estado de São Paulo. Então vai ser um outro grande... De graça! Outro grande acesso à educação e ao ensino também, que vai facilitar muito as pessoas. A saúde, o Arnaldo citou aqui os CRIs. Nós estamos comprando o terreno do lado, em São Miguel Paulista, para ampliar o CRI lá de São Miguel Paulista. Temos aqui na zona norte também, está a todo vapor lá o Mandacri. E estamos levando para a região metropolitana, para o ABC, nós vamos ter o CRI no ABC, Campinas, Baixada Santista e Ribeirão Preto. E vamos verificar também a hipótese aqui do sul e oeste, a gente poder ampliar essa atividade do CRI. Também algumas Santas Casas passam por dificuldade, então nós iniciamos um projeto, quem precisa periodicamente ficar um pouco ali no estaleiro, nós fizemos ali em duas cidades, uma na região de Franca, Ipuã, e Pedregulho. Nós transformamos em... Mais do que um Centro de Referência do Idoso, porque ali é quem precisa realmente ser internado, poder ser internado, receber todos os cuidados até recuperar sua saúde e voltar para a ativa. Depois em turismo, programa Melhor Viagem. Quantos já foram, Cláudio, 11 mil? 11.170. A gente faz um programa na baixa temporada. Então, nós ficamos responsáveis pelo alojamento, pela hospedagem e pela alimentação. E a prefeitura se responsabiliza pelo transporte. E, com isso, a gente leva na baixa temporada, que o valor é menor, a gente consegue ocupar a rede hoteleira, enfim, e levar os idosos para várias regiões do estado. O quarto item, no esporte, temos o JORI, que é um sucesso total. E agora estamos fazendo, com o Dr. Auriquio, um trabalho de um cartãozinho para que o idoso possa fazer academia de ginástica, que ele possa ter acesso também, chama Melhor Idade Ativa. O quinto é a Vila Dignidade. Nós temos nos programas habitacionais nossos, nós temos um percentual para a melhor idade. Então, todo programa habitacional tem um percentual de casas, de apartamentos, para pessoas da terceira idade. E temos em muitas cidades, junto com a prefeitura, um conjunto, pequeno, não é grande, mas com toda a infraestrutura para atender a melhor idade. Temos também pela Secretaria de Desenvolvimento Social... Nós teremos os 645 municípios do Estado de São Paulo com o Centro de Convivência dos Idosos. Os municípios acima de 50 mil habitantes é o Centro Dia, é R$ 500 mil para a prefeitura. Então, é um centro que o idoso chega cedo e vai para casa de noite, se ele quiser. Tem almoço, tem café da manhã, salão de jogos, televisão, programas de geração de renda, salão de festa, de baile, o que quiser. E as cidades menores, o Centro de Convivência do Idoso, o CCI. Aí a gente passa R$ 250 mil. E as prefeituras, nós estamos dando o selo Amigo do Idoso, desde que elas tenham políticas públicas para a melhor idade. Temos também na capital o programa do leite, um programa especial. E temos uma rede de Bom Prato, que nós estamos ampliando fortemente, que não é para o idoso, mas muitas das pessoas da terceira idade, também facilita a vida, R$ 1 você já almoça, enfim, já facilita a vida também. E hoje estamos lançando o nosso programa do transporte interestadual, é o Passe Livre do Idoso, acima de 60 anos de idade, e intermunicipal. Perdão, intermunicipal. Então, o risco é todo mundo querer ir para Pindamonhangaba! Mas, o que acontecia? Você, de uma cidade para outra, não tinha o passe, a gratuidade, então agora são 670 linhas de ônibus, tem ônibus para Campos do Jordão, Santos, Ribeirão Preto, Pindamonhangaba, Águas de Lindóia, todo o estado, 2.800 ônibus. O que nós estamos fazendo pela lei? Dois assentos, duas reservas em todos os ônibus, todos, a única... E dois, porque pode ir com amigo, amiga, namorado, namorada, vizinho, pessoa da família, quem quiser, então dois. Única exigência é 24 horas antes. E não precisa ter carteirinha nenhuma, é só identidade. E 60 anos para todo mundo. Eu tentei, viu, o Ribeiro, eu tentei para que nós homens fosse 55, mas não consegui, viu, então é 60 para todo mundo. Só apresentar lá a carteirinha, duas vagas em todos os ônibus, única exigência, 24 horas antes, não tem negócio de renda, é só idade. E aí, eu acho que nós vamos ter um grande beneficio, porque primeiro você conhecer uma outra cidade faz um bem para a gente, você conhecer outras coisas, faz bem para o espírito. Eu me lembro que a poetisa Cora Coralina, eu fiquei muito amigo dela porque eu era estudante de Medicina e fui fazer em Goiás o projeto Rondon, eu fiquei m uma cidade de Goiás um mês, chamada Itauçu, morava no porão da prefeitura. E atendia lá a população de Itauçu, isso na década de... No comecinho da década de 80. E aí, a Cora Coralina morava na antiga capital de Goiás, que é Goiás Velho, morava na cabeceira do Rio Vermelho. Então nós pegamos uma carona em um caminhão de boi, desses que transporta boi, e fomos para Goiás Velho de carona, e lá em Goiás Velho fomos visitar, nós éramos quatro estudantes, fomos visitar Cora Coralina, cabeceira do Rio Vermelho. Eu me lembro que ela disse: “Olha, todos nós estamos matriculados na escola da vida, onde o professor é o tempo!”, e como o tempo nos ensina, nós estamos todos os dias aprendendo, aprendendo, todo dia. Um dia eu fui assistir uma missa do Monsenhor Jonas Abibi e ele falou na prética, falou: “pegue na mão de quem está do teu lado, fale para ele: 'me desculpe, me desculpe, estamos em construção',” todos nós, estamos em construção, todo dia você está cometendo um erro, procurando se corrigir, procurando melhorar. Aí passado muitos anos, eu era deputado estadual, Gilmacir, e a Cora Coralina, a poetisa, foi receber um prêmio em Taubaté. Aí eu fiquei sabendo, ela já era bastante idosa e tal, liguei e falei: “olha, eu faço questão de ir buscá-la no aeroporto e levá-la para Taubaté para receber lá o prêmio”, e fui. Depois de ela dormir em Taubaté, no outro dia cedo, o motorista foi levá-la para o aeroporto e eu não fui, aí ele me contou, o motorista: “olha, Dr. Geraldo, ela queria entrar em tudo quanto é cidade, ela saiu bem antes e falou: “oh, da uma entradinha em Caçapava”, aí deu uma olhada na praça lá, deu uma volta, “São José dos Campos”, ela dava uma olhada, dá uma entrada San Josefa, veja a vivacidade, pessoa... Então a viagem, ela é extremamente importante. E envelhecimento, todos nós envelhecemos, aliás, a partir dos 25 já começou a perder umas celulazinhas, não é doença, doença é desequilíbrio, desequilíbrio, você pode ser jovem e está doente, e pode ter mais idade... Só tem limitações da idade, você não faz a mesma coisa que o outro fazia, mas é totalmente natural, normal! E o tempo mudou, o Brasil é outro hoje, impressionante, o conceito é outro, e isso tem uma grande influência econômica, turismo. Um dia desses, eu vi uma matéria no O Globo: “as poderosas das vans”, dizia: “olha, se a melhor idade não gostar de uma peça de teatro, tira, porque são eles que aguentam o teatro lá, que dão”... Então é outro mundo que nós estamos vivendo, isso é um fenômeno mundial. O Brasil, que era um país jovem, muitos jovens, hoje é um país maduro e caminha para ser um país idoso, que é ótimo, Fernando Henrique disse que a vida começa aos 82, então... Platão dizia que, Platão dizia que o homem ou a mulher só sai das cavernas depois do 50, sabedoria só começa depois dos 50. Antigamente, você via os romances, uma pessoa de 40 anos era chamada de balzaquiana, a mulher madura, hoje 40 anos é um brotinho, então mudou tudo, não é verdade? Mas o fato é que nós temos que ter politicas públicas, e São Paulo é um estado amigo do idoso, então nós vamos mandar o projeto de lei com urgência, o deputado Gilmacir vai apressar lá na Assembleia Legislativa, e vocês já estão convidados para daqui a algumas semanas a gente tomar um outro café aqui comemorando a promulgação da lei, e a Karla Bertocco já vai ganhando tempo providenciando as resoluções, as medidas, portarias e tal, para quando a gente sancionar a lei, já entrar imediatamente em vigor a nova medida. Um abraço a todos!