Discurso - Anúncio da produção de dois novos medicamentos pela Furp - 20120312

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Anúncio da produção de dois novos medicamentos pela Furp

Local: Capital - Data: 03/12/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Bom dia a todas e a todos. Estimado professor Giovanni Cerri, Secretário de estado da Saúde; Dr. Flávio Vormittag, superintendente da Furp; Dr. Adib Jacob, presidente do grupo Novartis no Brasil; diretores, gerentes da Furp; equipe técnica da Novartis; amigas e amigos. Hoje é um dia importante para a população e para a Furp. Nós hoje estamos comemorando 20 bilhões de unidades de medicamentos do Dose Certa, distribuídos para a nossa população. Ele completa 17 anos, o programa, começou em 1995; e 69 tipos medicamentos, antibióticos, anti‑inflamatórios, analgésicos, enfim, 69 tipos diferentes. O governo comprou da Furp R$ 2,7 bilhões, e distribuídos para 600 municípios do Estado de São Paulo. Então, comemoramos o programa Dose Certa, o remédio gratuito faz parte do SUS, quer dizer, a sexta de medicamentos, ela é importante, faz parte do SUS para a população ter acesso ao medicamento. A farmacologia é umas das grandes responsáveis do nosso espetacular ganho de expectativa de vida média no mundo. Quer dizer, a química, a ação, a eficácia dos nossos fármacos mudou a medicina; O que não aconteceu em milhares de anos, aconteceu nos últimos 50, 60 anos. A descoberta da penicilina mudou o mundo, e mais avanços estão ocorrendo. Eu me lembro que na década de 60, quando começaram os transplantes, logo em seguido parou, por que veio o problema da rejeição. Quer dizer, o transplante dava certo, mas o órgão era rejeitado; e foram com os anti-supressivos, com os medicamentos contra a rejeição, que voltou o transplante. E no caso de rim, por exemplo, é impressionante o ganho de qualidade de vida. A pessoa fazendo a hemodiálise, quando ela consegue fazer o transplante, o ganho qualidade de vida espetacular. O Brasil tem um grande programa de transplantes, está melhorando porque antigamente, no caso do rim, a maioria dos transplantes era doador vivo, hoje já é maioria doador cadáver, nós estamos nos aproximando dos países mais desenvolvidos.

(...) E com um grande benefício para a população. E hoje celebramos aqui uma grande parceira entre a Furp e a Novartis, para produzir dois medicamentos de ponta para evitar rejeição no caso de transplantes de coração, de rim e outros transplantes. A parceria é celebrada, daqui a um ano os medicamentos já devem estar sendo fabricados. Vamos beneficiar quase 30 mil pessoas no Brasil; e uma união entre a maior empresa pública de fabricante de medicamentos do Brasil, uma das maiores da América Latina, que é a Furp; e nós temos todo o empenho em torná-la a mais eficiente das empresas; e a Novartis que é presente em 140 países do mundo, os grandes líderes na área de medicamentos, inovação na ponta do avanço cientifico. Dois craques aí, Coutinho e Pelé. Ou Neymar, se quiser; enfim. Mas dois campeões aí se unindo para fabricar medicamentos de alta qualidade, em benefício da população. Agradecer ao professor Giovanni. E muito obrigado.