Discurso - Anúncio da reforma da Ponte Pênsil e da ponte sobre o canal do Barreiro e de investimentos na área de infraestrutura 20131306

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Anúncio da reforma da Ponte Pênsil e da ponte sobre o canal do Barreiro e de investimentos na área de infraestrutura

Local: São Vicente - Data:13/06/2013

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Boa tarde... Boa tarde a todas e a todos! Estimado Bili, prefeito de São Vicente; João da Silva, vice-prefeito; vereador Rafael Barreto, abraçando todos os vereadores; deputado Luciano Batista. Dr. Saulo de Castro Abreu Filho, Secretário de Logística e Transporte; Edmur Mesquita, Secretário de Desenvolvimento Metropolitano; Alberto Mourão, prefeito de Praia Grande; Moacir Rossetti, Secretário Adjunto de Logística e Transporte; Rogério Barreto, que é aqui da cidade, nosso secretário adjunto de gestão pública. Max Penido, secretário em exercício da habitação; professora Laura Laganá, Superintendente do Centro Paula Souza; Laurence Casagrande, presidente da Dersa; tenente coronel Marcelo Gomes, comandante do 39º Batalhão da Polícia Militar; engenheiro Orlando Morgado Júnior, diretor do DR 5; Luiz Carlos Rachid, gerente da CDHU. Professora Kelly Renata Mariano, diretora da ETEC Ruth Cardoso aqui de São Vicente; Dr. Daniel da Silva Oliveira, presidente da OAB; Zefinha, fundadora do projeto Oficina de Talentos de São Vicente; Jessé Teixeira, presidente da associação brasileira dos ciclistas; Júnior Bozella, quero abraçar aqui todos os partidos. Alunas e alunos da nossa ETEC, professores, lideranças aqui da comunidade, nós tivemos aqui há duas semanas iniciando o VLT, em 12 meses tem que estar rodando o trem. Um dos trens mais modernos que existe, o veículo leve sobre trilhos, cada trem 400 pessoas, ar condicionado, silencioso, elétrico, ligando São Vicente a Santos, e depois nós vamos estendê-lo a Praia Grande. E vamos até Guarujá também, porque o túnel ligando o Santos a Guarujá já prevê a passagem também do trem. E hoje, Bili, ficamos felizes de voltar aqui a São Vicente, até brinquei que ia alugar um apartamento aqui porque estou vindo toda semana, né? Aqui... Gonzaguinha...

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Biquinha!

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Biquinha, ficamos muito felizes de... Eu estava lembrando aqui que é feita a encenação, não é isso? Eu vim aqui, Mourão, há uns anos atrás assistir a encenação, a hora que entrou a Bartira ninguém mais olhou para o Martin Afonso, viu? Acabou com o Martin Afonso. Mas é uma grande alegria. E hoje nós estamos vindo aqui para começar uma grande obra. O mundo tem nos países as cidades o cartão postal, né? São Francisco é a Golden Gate, Nova York é o Central Park, a minha cidade, Pindamonhangaba, é o Bosque da Princesa, toda cidade tem o seu cartão. E eu diria que o cartão aqui é a ponte pênsil, que vai completar o ano que vem 100 anos, 1914. Então nós estamos contratando a empresa, hoje já é dada a ordem de serviço, ela tem que entregar a obra em 12 meses. Então até junho do ano que vem, não adianta dizer que o cabo é importado, né, em junho do ano que vem tem que estar pronta, a construtora é a Concrejato serviços de engenharia, uma obra de 24,8 milhões, então vamos deixar com uma restauração completa da ponte pênsil. Depois estamos vindo aqui também para começar uma outra obra logística, que é a duplicação da ponte sob o canal do barreiro e mais 3,5 km ali na Imigrante, entre São Vicente e Cubatão. A obra começa hoje, ela ficará pronta em 18 meses, e são 53,5 milhões que vão ser investidos. Só nessas duas obras são 300 empregos diretos, fora os empregos indiretos. No caso aqui... No canal do barreiro, canal do barreiro é a Construtora Ferreira Guedes, e nós vamos... É a ligação, atende Cubatão, toda São Vicente e toda região que utiliza aqui a Imigrantes. E sexta-feira que vem será a aprovação da licença de instalação, que o Brasil é a terra das licenças, né, você tem que ter LP, licença prévia, ou tem que ter LI, licença de instalação, depois LO, licença de operação, depois ninguém sabe por que tem área invadida, né? Que é tanta formalidade, mas tanto cartório que acaba a informalidade crescendo, mas enfim, grande parte disso é legislação federal e nós temos que cumprir. Mas sexta-feira sai a LI, e nós, no dia seguinte, então na segunda-feira, nós vamos começar aqui duas grandes obras, que 94 milhões para tirar os semáforos aqui em São Vicente. Então são... Essas são 400 empregos diretos nessas grandes obras que beneficiam São Vicente, Praia Grande, vamos chegar mais depressa, Mongaguá, Itanhaém, Peruíbe, toda a região. Depois também estamos aqui já autorizando o novo prédio, porque o prédio aqui é alugado, né, Bili? Então o novo prédio para ter no mesmo lugar, prédio próprio, prefeitura nos doou o terreno na área continental, lá no Jardim Rio Branco, então nós vamos fazer um prédio novo que terá o PAT, programa de atendimento ao trabalhador, toda parte de emprego e de atendimento ao trabalhador, e o Banco do Povo, para o pequeno empreendedor. O Banco do Povo nós completamos um bilhão de financiamento, e não é financiar para a pessoa gastar, consumir, é pra gerar renda. Então você financia pra montar um salão de beleza, você financia para o capital de giro pra comprar um produto e vender, você financia para montar uma oficina, você financia para ter um carrinho de lanches, você financia pra corte e costura, financia juros de 0,5% que dá 6% ao ano, é menos que a inflação, é juros negativo, um bilhão. Inadimplência 2%. Mário Covas dizia o seguinte: “Rico quando deve vai pra Paris, pessoas mais simples quando devem não dormem de noite”, né? Paga a conta. Então, nós vamos repassar para prefeitura de São Vicente R$ 800 mil, e ela constrói aí o prédio do novo Banco do Povo, e o novo PAT lá na área continental. Já temos uma ETEC, a ETEC Ruth Cardoso tem Ensino Médio e tem três cursos técnicos, só o que falta no mercado, o que mais falta, hoje, no mercado? Construção Civil, falta tudo na construção civil! Um curso nosso é? Construção Civil! O que falta no mercado? Informática! Falta tudo na área de informática, um outro curso é informática! O que falta, hoje? Profissional de saúde, Enfermagem! Enfermagem. O outro curso é? Enfermagem. Então os três cursos, nós não fazemos curso, quando não tem emprego, nós só fazemos curso para aquilo que tem mercado, então os três cursos de São Vicente: Informática, Construção Civil e Enfermagem. E já faz o aluno, os jovens aqui, eu perguntei para os jovens, eles fazem Ensino Médio e o Técnico, sai com dois diplomas. Eles estão ganhando um ano e meio, já sai com diploma do Ensino Médio, já sai com o Técnico, já consegue um bom emprego e pode continuar estudando, né, e pode continuar com os seus estudos, fazendo FATEC, universidade, tem desde FATECs na região até a USP, a Poli está aqui do lado, a UNESP. Aliás, hoje, a maioria dos jovens estuda e trabalha, hoje é normal isso, eu estudei e trabalhava, até pra pagar a faculdade, porque a faculdade não era de graça, era paga. O meu pai não tinha como pagar, então estudava e trabalhava. E quero cumprimentar aqui, os alunos, os professores, porque está ETEC de São Vicente é vigésima... Nós temos duzentas e onze ETECs, essa é a vigésima melhor ETEC do Estado de São Paulo, e a primeira da Baixada Santista. Ela é a melhor da Baixada e a vigésima melhor no Enem, no Enem. O Enem mede as melhores escolas de Ensino Médio do estado de São Paulo, feito pelo Governo Federal pelo MEC. Então o Enem mede, aliás, das cinquenta melhores escolas de Ensino Médio do Brasil, das cinquenta, quantos são? Trinta e sete são nossas, de São Paulo, das cinquenta melhores do país, trinta e sete ETEC no Enem. E nós vamos então fazer aqui, uma segunda ETEC, vai continuar a ETEC Ruth Cardoso, só que nós vamos uma outra para ter mais cursos, já temos hoje mil alunos? Mil alunos, nós já temos aqui em São Vicente, vamos poder aumentar muito. E ETEC, a cada cinco, quatro já sai empregado, é impressionante a necessidade hoje, no mercado de trabalho. Queria trazer um cumprimento especial a Laura Laganá, a Laura é craque, viu! Acho que ela é da Vila Belmiro! Não, que isso Laura? Corintiana, vê se pode isso. Como que é fala, aqui? Você pode falar!

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Ele não quer falar! Ela tinha que ter um defeito!

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Nós estávamos muito abalados com a ida do Neymar, embora a gente só tenha emprestado, é um empréstimo aí para uns meses, mas já agora... Isso é uma escola a Vila Belmiro, né, o Cícero ontem, já estreou, né, marcou gol de fora da área, né? Então parece o Pepe, impressionante! Mas, eu quero agradecer a Laura, todo time, a nossa diretora, cumprimentar os nossos jovens, quantos alunos estão indo estudar fora, Laura? Quinhentos alunos todo ano. Nós temos duzentos e onze ETECs, e cinquentas e seis FATECs, duzentas e sessenta, pega os melhores alunos num semestre e os melhores do outro, os melhores alunos, dá quinhentos alunos, mais cem professores, e eles vão estudar inglês, um mês fora. Então uma turma vai para os Estados Unidos, Boston, São Francisco, Havaí; uma turma vai Inglaterra, Londres; uma turma vai para Nova Zelândia, Aukcland, tudo pago um mês estudando, inclusive o curso de inglês lá é pago, e eles ainda recebem US$ 400 para quem quiser fazer um gastosinho lá a mais, pode fazer, o melhor aluno de cada escola! Então a gente capricha mesmo, para poder fazer o máximo aí, pelos nossos estudantes, e como é importante, hoje, saber inglês ou aprender um novo idioma. Tem uma historinha que eu gosto muito, alguns aqui já ouviram, de que um ratinho, ele já falou aqui, um ratinho! Um ratinho está correndo, e o gato grandão vai comer o ratinho, o ratinho no canto, não tem escapatória, ele não tem como correr, mas o gato vai devorá-lo, o que faz o ratinho? Começa a latir, na hora que ele começa a latir, o gato? Foge! Moral da história, se ele não soubesse uma segunda língua, estava ó, preto! Então, os nossos jovens vão ter um estimulo a mais para estudar aí, uma segunda língua, aliás, inglês, espanhol, enfim, várias línguas. Mas é uma grande alegria estarmos juntos. Nós estamos saindo Guarujá, entremos mais um hospital para região, o melhor hospital de moléstias infectocontagiosas é o Hospital Emílio Ribas, aquele prédio enorme ali na Avenida Paulista, ali no espigão, ali na Dr. Arnaldo. Eu, quando fiz medicina, o sonho de todo estudante era fazer moléstia infecciosa (MI) lá no Emílio Ribas é top do top, [ininteligível] professor David Uip! Pela primeira vez o Emílio Ribas está vindo... Saindo de São Paulo, é o Emílio Ribas II. Acabamos de inaugurar no Guarujá o prédio lá, brilhante, é impressionante a qualidade! Só de UTI dezessete leitos, só UTI! Referência em tudo que é moléstia infecciosa: leptospirose, salmonela, todas as doenças parasitarias: Hepatite, meningite, todos os tipos de gripe, todos os H, N. E o Porto, o ano passado recebeu um milhão e cem pessoas, vem gente do mundo inteiro, que traz vírus, né, dengue, tuberculose, AIDS, impressionante, e às vezes junto, não é um doença só, existe uma coisa chamada comorbidade. O que comorbidade? Quem tem mais de uma doença. Você pega o caso de dependência química, que é doença; crack. O jovem viciado em crack, às vezes ele tem além da dependência química, ele tem esquizofrenia, ele tem psicose, ele tem uma outra doença associada, chamada comorbidade. Então, um belíssimo hospital, tudo de graça, então lá em... E é pra atender a região, entender os nove municípios, todos os casos de moléstia infectocontagiosa e de graça. E disse ao Bili que nós vamos fazer esse trabalho de apoio aos municípios em todas as cidades. Eu estou saindo daqui agora para a Santa Casa de Santos, que é a primeira do Brasil, Brás Cubas, 1543, nós vamos fazer mais uma UTI agora na área de cirurgia cardíaca, mais uma UTI. Vamos liberar agora R$ 2 milhões lá pra Santa Casa. E aqui do lado, porque é a mesma ilha, nós vamos inaugurar agora no segundo semestre a rede Luci Montoro, que é o melhor serviço para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, fisiatria, fisioterapia, reabilitação, todo um serviço. O serviço que nós vamos trazer é o da Rua Diderot de São Paulo. Tem um aparelho de robótica que a pessoa é tetraplégica, ela não movimenta nenhum membro, tetraplégica, o robô faz ela movimentar os quatro membros é uma coisa fascinante, que a robótica está ajudando a Medicina e ajudando as pessoas. Então não é só a ponte que vai fazer 100 anos, agora com esses avanços da ciência todos nós vamos poder fazer 100 anos, não só as pontes, com ou sem silicone, viu, deputado? Nós chegaremos nos 100 e as mulheres não morrerão mais. Um grande abraço a todos.