Discurso - Anúncio de construção de 381 moradias rurais 20132708

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Anúncio de construção de 381 moradias rurais

Local: Capital - Data:27/08/2013

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Boa tarde a todas e a todos! Estimado Sílvio Torres, nosso deputado federal, secretário do estado da Habitação; deputado Edson Giriboni, secretário de Saneamento e Recursos Hídricos; deputado federal Guilherme Mussi; deputado estadual, Dr. Ulysses Tassinari; Marco Antônio Pimentel, presidente da Cooperativa, a Cooperhaf, Cooperativa de Habitação da Agricultura Familiar do Estado de São Paulo; Dr. Paulo José Galli, superintendente regional da Caixa Econômica Federal; Reinaldo Iapequino, subsecretário da Casa Paulista; Marco Pilla, diretor do Itesp; prefeita de Itararé, Maria Cristina Ghizzi; prefeito de Guadra, o Carlão; prefeito de Taquarivaí, o Edson; prefeito de Riversul, o Vicentão; prefeito de Itapeva, o Roberto Comeron; prefeito de Cunha, o Felipinho; prefeito de Borebi, Mané; prefeito de Ribeira, o Jonas; prefeito de Itaberá, o José Caetano; prefeito de Nova Campina, o Niltinho; prefeito de Itaporanga, José do Nute; e Dr. Isaías, prefeito de São Simão. Beneficiários, as famílias que vão receber aqui as casas, estamos muito felizes aqui em recebê-las, a todos vocês; os gerentes da nossa Caixa Econômica Federal; os dirigentes dos sindicatos, das associações. Hoje é um dia formidável, um dia espetacular, um dia inesquecível! Nós estamos, de um lado, proporcionando moradia para quem ainda não tem moradia, 56 metros quadrados de área construída, maior até do que as nossas unidades urbanas. Depois, fortalecendo a fixação das famílias no campo, porque quanto mais casa a gente faz na cidade, mais você está tirando pessoas da área rural e inchando aí as cidades. Então, proporcionando moradia na área rural. Depois, fazendo-as através da cooperativa, nós estamos fortalecendo o cooperativismo, o que é extremamente importante, fortalecer o sistema cooperativista; fortalecendo a agricultura familiar, dando condições melhor de vida para os agricultores familiares, os pequenos agricultores; gerando emprego, porque a cooperativa vai contratar muita gente, construção civil é mão de obra intensiva, então muito emprego na construção civil. A gente fica muito feliz, uma bela parceria do governo federal, do governo estadual e dos governos municipais com a sociedade civil organizada e com o sistema cooperativista. Quando os entes federativos se unem, o Brasil cresce, a população se beneficia, as coisas andam melhor! Só hoje são 381 moradias, nós estamos colocando R$ 3,8 milhões e a nossa parte não precisa pagar, a nossa parte é o que se chama de fundo perdido, e o nosso compromisso são de quatro mil moradias rurais, vai dar aí R$ 40 milhões de investimento, e esse é o melhor programa que nós podemos fazer. Então, se nós tivermos, Sílvio, mais demanda, mais parcerias, vamos fazê-lo, vamos estar proporcionando casa para quem precisa! O Marco Antônio Pimentel, presidente da cooperativa, colocou bem: não é só fazer o prédio, não é só erguer as paredes, mas é proporcionar condições de vida com qualidade para a nossa população. Então, eu diria que, começando pelo pomar, o Sílvio vai conversar com a secretária da Agricultura e nós vamos se viabilizar para que todas as moradias já sejam entregues com as mudas lá para o pomar da família. Nós lançamos o programa através do Itesp, está aí o Marco Pilla, chamado PPAIS, de compra direta da agricultura familiar, porque um dos problemas da agricultura familiar é renda, como é que a gente melhora a renda do agricultor. Então, nós temos cinco mil escolas, temos mais de 200 unidades prisionais, temos mais de cem hospitais, então nós compramos diretamente da agricultura familiar, através do PPAIS, compramos frutas, compramos leite, compramos grãos, compramos verduras, enfim, as compras diretas. A gente lança edital e a agricultura familiar vende diretamente e aí a gente consegue pagar um preço melhor e melhorar a renda da agricultura. A questão das escolas rurais também, nós estaremos inaugurando agora, no mês que vem, uma Etec, uma escola técnica, uma Etec no Quilombo, lá em Eldorado, o Quilombo, eu acho que é André Lopes, no Quilombo André Lopes, lá em Eldorado, no Vale do Ribeira, a primeira escola técnica na área rural, dentro lá da área do Quilombo. Então, escola; a questão da saúde, a rede primária, o atendimento nas UBSs, postos de saúde, saúde da família, é mais prefeitura, mas a retaguarda é nossa, então liberamos essa semana R$ 6,5 milhões lá para Itapeva, para um grande centro de tratamento oncológico para a região. Queria também dizer que o Itesp, Pimentel, Marco Antônio, ele vai, via regularização fundiária, administrativa, nós vamos acelerar o mais que nós pudermos, e há também uma sugestão de mudança da legislação federal para a gente poder ganhar mais tempo nessa questão da regularização fundiária. Mas enfim, acho que nós temos o transporte de estudantes, através dos ônibus escolares; melhorar a estrada rural, através do Programa Melhor Caminho, crédito através do FEAP. Nós tínhamos um número de agricultores que estavam inadimplentes, então não podiam ter financiamento, mandamos uma lei para a Assembleia Legislativa, a Assembleia aprovou e possibilita agora a regularização, então, não terá nenhum agricultor que não possa ter acesso ao crédito, através do FEAP, e esse crédito é aberto para toda Agricultura Familiar, a Pequena Agricultura. Queria também aqui cumprimentar a Cecé, a nossa ex-prefeita de Taquarivaí, uma amiga muito querida; o Tarzan, lá de Itapeva, também que sempre que ele se encontrava comigo, cobrava essa questão da habitação na área rural. E quem tem a propriedade, ainda vai se virando, agora quem não tem, quem, por exemplo, é empregado, o dia em que sai do sítio, da fazenda tem um problemão, aonde é que vai morar? O meu pai, nós morávamos na fazenda, onde ele trabalhava, o meu pai era veterinário, então fomos ficando lá, aí de repente ele aposentou! Quando aposentou, não tinha casa, fomos morar na casa da sogra, na casa da minha avó, porque não tinha casa, você mora na casa do dono da fazenda e vai ficando. Então, proporcionar casa para quem vive na área rural, dá segurança para pessoa no futuro, eu já tenho aqui a casa, você ter a casa para quem não tem casa, fixar o homem e a mulher no campo, melhorar a qualidade de vida para quem vive no campo, e disse bem o Marco Antônio Pimentel, o desafio de melhorar a renda! Esse é o desafio, porque se não a pessoa desiste, acaba desanimando e vai para a cidade, então ela precisa ter uma renda melhor. Agregar valor, então nós temos um programa de Microbacias II, que é só para agregar valor, e aí a cooperativa, a associação de agricultores é fundamental! Ao invés de vender o leite, vende o queijo, vende o doce; ao invés de vender a fruta, vende o doce; vários programas, onde você agrega valor, você... O mel, então você trabalhar o mel, e já vender o mel, então você agrega algum valor: a caixa, o produto, a embalagem, tudo isso o estado pode ajudar com recursos da Microbacias II, a fundo perdido uma parte, não precisa pagar, e a outra parte, nós financiamos com juros subsidiado. E aí, melhorando a renda, a gente vai melhorando a qualidade de vida da população. Mas quero, aqui, agradecer ao Sílvio Torres, que está fazendo um trabalho na área da habitação, e São Paulo nós temos sido parceiro do Governo Federal, porque aqui o valor da casa é mais caro, então poderia não viabilizar em São Paulo, então nós estamos complementando a Minha Casa, Minha Vida através do Casa Paulista, e aqui também o Programa Rural para poder expandir esse programa, a nossa meta é fazer quatro mil: duas mil em parceria com a Caixa Econômica Federal, duas mil com o Banco do Brasil, e tendo demanda, nós podemos até ampliar esse programa. Agradecer ao Giriboni também, aqui temos vários prefeitos e prefeitas, nós temos o Água é Vida, então a gente pode ajudar os municípios a fazer o poço, ou levar a água, ou fazer as foças, enfim, para a gente ajudar na questão do Saneamento Básico dos municípios. Agradecer o deputado federal Guilherme Lucci, que é deputado pela região sudoeste, também do nosso estado; o Dr. Ulisses Tassinari, que é deputado estadual, grande lutador pela saúde. Agradecer também o Iapequino, da Casa Paulista; o Marco Pila, da Nossa Caixa Federal, mas principalmente trazer um abraço aqui para o Marco Antônio Pimentel, vamos fortalecer o cooperativismo e o associativismo, quer dizer, fortalecer cooperativa é extremamente importante! Porque cada um, sozinho, tem mais dificuldade, mas todo mundo junto tem muito mais força, então a cooperativa é o grande instrumento de trabalho no mundo moderno! No mundo moderno, é preciso ter escala, o sujeito produz pouquinho, o custo dele é muito alto, e se ele produz bastante, ele reduz? Custo! Então, vamos dar um exemplo de comercio exterior: o Brasil é o terceiro maior produtor de sapato do mundo, produz oitocentos milhões de pares de sapato por ano; o segundo maior produtor do mundo é a Índia, produz oitocentos e cinquenta milhões de pares de sapato por ano; o primeiro do mundo é a China, produz onze e meio bilhões, aí o custo dela cai! Como é que a gente pode aumentar? É cooperativa, porque unindo o que um produz e o que outro produz, e o que produz, então você tem escala, reduz custo e consegue ter mercado melhor. Então, eu diria que fortalecer o cooperativismo, fortalecer o associativismo e nós podemos, inclusive, apoiar as associações, cooperativas no sentido de agregar valor e de ter mais renda. Mas, especialmente, dizer da alegria de recebê-los aqui hoje, a sede aqui do governo está em festas com a presença de vocês!

Muito obrigado! Capital