Discurso - Apresentação do projeto da ciclopassarela 20121312

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Apresentação do projeto da ciclopassarela

Local: Capital - Data: 13/12/2012


MESTRE DE CERIMÔNIA: Governador do estado de São Paulo Geraldo Alckmin.

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Bom dia a todas e a todos, uma alegria cumprimentar o nosso reitor professor doutor João Grandino Rodas, magnífico reitor da universidade de São Paulo, estamos na sua casa, na nossa casa, essa restauração maravilhosa aqui desse prédio, cumprimentar o deputado Edson Aparecido, secretário de Desenvolvimento Metropolitano, Rubens Rizek, secretário adjunto do Meio Ambiente, o José [ininteligível], Vereador por São Paulo, Floriano Pesaro, vereador por São Paulo, reeleito, o Andrea Matarazzo, vereador eleito pela capital, Marcelo Bruni, subprefeito de Pinheiros, o presidente do Cepan, deputado Lobbe Neto, o Rodolfo Costa e Silva e o Milton Flavio nossos parlamentares, Carlão Camargo prefeito de Cotia, o Boris Utria, Coordenador-geral de operações do Banco Mundial, Ricardo Borsari, presidente de EMAE, Widerson Anzelotti, secretário executivo do FUMEF, o Bruno [ininteligível] arquiteto, autor do projeto da ciclopassarela, projeto belíssimo, pró-reitores, professores, amigas, amigos. Hoje estamos dando um passo aí importante para integrar mais os nossos rios, o Pinheiros e o Tietê, a cidade e região metropolitana. Primeiro é o trabalho do Banco Mundial para requalificação tanto de Pinheiros quanto do Tietê, projeto mais, amplo, projeto maior e a gente vai fazendo em etapas, mas um grande projeto, terá inclusive com a participação da ex- vice-prefeita de Washington; onde houve um trabalho muito bonito com a integração de rio Potomac, lá em Washington. Segundo, a ciclopassarela então, uma grande obra, ela sai aqui da USP, então uma área de sete e meio milhões de metros quadrados e termina dentro do Parque Villa Lobos, então, integra as duas áreas importantes da cidade, terá passarela para pedestres, para bicicleta, será toda ela iluminada, terá dois mirantes, passa sobre as pistas locais, aliás, passa sobre a água a raia da USP, passa sobre a raia da USP, sobre a marginal, sobre o rio Pinheiros, sobre a CPTM, sobre as marginais, sobre a pista local e chega no Parque Villa Lobos. Nós... O projeto tá pronto. Pretendemos licitá-lo agora em janeiro e depois de contratada o obra em um prazo aí de 10 a 12 meses entregar toda esta obra que vem acompanhada de um conjunto de intervenções importantes. E quero aqui agradecer ao reitor da USP, professor Grandino Rodas, tem sido um grande parceiro no sentido também da integração com a área da USP, tem 2,3 km de muro, então a hora em que tiver minha grade e todo esse paisagismo à cidade vai ter ali uma beleza de uma área muito integrada. Esse trabalho, ele vem sendo gradativo. Eu me lembro que quando o governador Mário Covas era governador, começou aqui o projeto Pomar, em Pinheiros. Então, as margens do Pinheiros foram sendo recuperadas. Todos se lembram que no Tietê, as margens do tietê tinham aquelas montanhas de lama e de pneu na beira do rio, porque fazia desassoreamento no rio, acumulavam ali as dragas, aquele material assoreado, muito pneu, muita lama e de madrugava tirava pela marginal por caminhão. Nós fizemos uma eclusa aqui no Cebolão com a eclusa, se ganhou uma hidrovia e hoje todo desassoreamento é feito por barcaças. E aquela área, aqueles poucos metros ali entre o rio e a marginal fizemos um jardim, que vai desde o Cebolão até a barragem da Penha, todo ele feito ali um jardim e todo desassoreamento por barcaças, eclusagem lá no Cebolão, e vai e desce o Rio Tietê. Então é um trabalho que está sendo feito permanentemente, o outro é de evitar enchentes, nós retiramos entre o Tietê, o Pinheiros e os Afluentes, 7,1 milhões de metros cúbicos de material assoreado. Voltamos o Tietê para batimetria original do fim do rebaixamento da carga do rio. Todas as bermas também estão sendo limpas, estamos refazendo o jardim ali entre a pista da Marginal e Rio Tietê, as verdelhas, as floreiras, algumas árvores que morreram, recompondo toda aquela área. E a grande obra do esgoto, que é o tratamento do esgoto. Nós temos a maior região, terceira maior metrópole do mundo, pouquíssima água. O Sena, o Tâmisa, esses rios todos são rios perto do mar, muita água. Nós somos rio de cabeceira a 700 metros de altitude, nasce aqui em Salesópolis, em São Paulo, se situasse lá em Panorama não tinha poluição, diluía tudo, mas o fato é que aqui não tem água, nós vamos buscar água em Minas Gerais, então é mais demorado. Mas a mancha de poluição que estava em Barra Bonita retrocedeu 110 quilômetros e o Projeto Tietê 3, é um grande projeto de coleta de tratamento de esgoto que nós vamos recuperando o rio até chegar aqui em São Paulo. E vamos entregar antes do Natal o Jardim Metropolitano que começa, professor, na barragem da Penha, lá na Estação Ecológica do Tietê e vai até a entrada do Aeroporto de Cumbica. Oito quilômetros de cada lado. O projeto é trabalho do Rui Ohtake. Então a cidade vai ganhar um jardim de cada lado. Quem sair de São Paulo e quem entrar em São Paulo pela Rodovia Ayrton Senna vai ter um jardim profundo, um jardim amplo de cada lado, iluminado à noite, e nós vamos entregá-lo agora antes do Natal. E queria também destacar que o segundo, o primeiro da ciclopassarela já está quase pronto para ser licitado e a segunda intervenção que nós queremos é uma área do Governo, uma área da EMAE, é no Cebolão. Então, um entroncamento ali do Tietê com o Pinheiros e pode fazer uma excelente requalificação numa intervenção importante é fazendo com que a cidade vai tendo mais áreas verdes, mais áreas de uso comum. Como é o Parque Villa-Lobos, como é a própria USP. Toda cidade tem essas área de Ibirapuera, você tem o Central Park em Nova Iorque, o Bosque da Princesa em Pindamonhangaba, toda cidade tem seu point, não é? Mas é uma alegria, quer aqui cumprimentar os nossos vereadores em especial Andrea Matarazzo que é um lutador aqui pela cidade, pelo verde, pelas... Vereador do meu bairro, José Rolim, meu vizinho, vereador Floriano Pesaro, os nossos deputados, o Nilton Flávio, Rodolfo Costa e Silva que é responsável pela Secretaria de Energia e já está trabalhando, ele e o Milton, nós vamos fazer uma grande ciclovia lá perto da área da Bayer, ali na ponte do canal do Guarapiranga fazer uma outra grande ciclovia. Então se vai... E com o Banco Mundial, e quero aqui agradecer o Banco Mundial, ter o plano diretor, tem um projeto completo de requalificação que vai sendo implementado gradualmente, mas dentro de uma concepção mais ampla. Agradecer o Edson Aparecido... Aliás, o Edson foi tão bem, que está indo para a Secretaria da Casa Civil, que não é uma área fácil. Eu não quero desanimá-lo, mas um dia, sexta-feira, Dr. Grandino, 11h30 da noite, o Beraldo, que é o atual chefe da Casa Civil falou pra mim: “Olha, estou arrasado. Hoje foi um dia duríssimo. 11h30 da noite, sexta-feira, recebei aqui 12 deputados. Nada contra os deputados. Aí eu falei: Ô, Beraldo, na vida a gente faz opções, não dá para querer se chefe da Casa Civil e ser feliz, Tem que escolher. Mas agradecer muito aqui ao Edson Aparecido. Agradecer ao Bruno Covas através do Rizek. Pessoal do meio ambiente não é fácil, não é? Então, o Bruno Covas eu cumprimento, peço licença, peço licença. Porque tudo não tiver licença ambiental [ininteligível] cumprimento e peço licença. Então é pedindo licença pra ganhar tempo, Mas especialmente agradecer ao nosso reitor, João Grandino Rodas. Esta universidade é um orgulho de São Paulo e dos brasileiros. Um orgulho, São Paulo se orgulha. Orgulho justo. Esse não é um orgulho errado, esse é um orgulho justo. A melhor universidade brasileira, a melhor universidade da América Latina, a primeira da América Latina. E entre as mais conceituadas universidades do mundo, nós paulistas temos muitos orgulhos, mas poucos tão justos como a construção desta grande universidade que tanto tem contribuído para que São Paulo e para com o nosso país. Parabéns a todos.