Discurso - Assinatura de Autorizos para a Secretaria da Habitação e para a de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia 20121412

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Assinatura de Autorizos para a Secretaria da Habitação e para a de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia

Local: Sorocaba - Data: 14/12/2012


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Bom dia a todas e a todos. Estimado prefeito de Sorocaba, Vitor Lippi; o José Aílton, vice-prefeito. Vereador José Francisco Martinez, presidente da Câmara. Saudando todos os vereadores e vereadoras. Deputado federal Silvio Torres, secretário de Estado da Habitação. Deputados estaduais, Maria Lúcia Amary e o Carlos César. Dr. Walter Malieni, vice-presidente do Banco do Brasil. Saudando aqui todos os diretores e dirigentes do Banco do Brasil. Prefeito eleito de Sorocaba, Antônio Carlos Pannunzio. A vice-prefeita eleita, Dra. Edith Di Giorgi. Marcão, prefeito de Iperó para onde nós estamos indo. O Erinaldo Alves da Silva, prefeito eleito de Votorantim. O Dr. Elton Carlos da Costa, diretor do Deinter 7. Cumprimentar o Reinaldo Iapequino, subsecretário da Casa Paulista. Gabriel Veiga, secretário executivo do programa Cidade Legal. Major Sérgio Ricardo, comandante interino aqui do DPMI 7. Ricardo Valadares Gontijo, presidente da Direcional Engenharia. José Carlos Barbosa Júnior do Eplan. De Carlos, da CDHU. Carlos Alberto Costa, presidente da Empresa Municipal do Parque Tecnológico; amigas e amigos. Primeiro uma alegria voltar a Sorocaba, dizer ao Carlos César, que espero que domingão o Corinthians vingue o Santos. Depois o padre Rosalvino, é italiano, Ele é palmeirense. Aí nós fomos a Itaquera semana passada. Ele falou agora todos nós somos Corinthians lá no Japão. Eu falei: padre Rosalvino é pecado mentir, hein, padre... Mas, olha, dizer da alegria de estarmos juntos aqui. Primeiro uma boa notícia para a região. Nós estamos indo a Iperó, o Brasil tem medicina nuclear muito avançada, mas não produz radioisótopos só produz radio fármaco através do Ipem. O Ipem é uma empresa do Estado, nós temos convênio com o [ininteligível] E produzimos 97% dos radio fármacos para o Brasil inteiro, clínicas, hospitais. Mas não fabricamos os radioisótopos. Argentina fábrica desde a década de 70, há 40 anos. Nós compramos do Canadá, deu um problema lá no reator canadense, passamos um apuro aqui de repente não ter rádio terapia para câncer ou para cardiologia, enfim, medicina nuclear cresce muito. Então, o Brasil decidiu ter o seu reator multipropósito, investimento de mais de R$ 0,5 bilhão. Disputavam aí Minas, Rio, São Paulo e outros estados. E nós nos comprometemos a comprar a área para construção do reator multipropósito em Iperó. Então nós estamos indo agora lá. Vamos comprar a fazenda ao lado lá da Marinha. E nós teremos um investimento aqui superior a R$ 0,5 bilhão. E o reator multipropósito. E isso é um grande ganho em termos de ciência, em termos de energia nuclear e em termos de medicina nuclear. Que é o caminho. Você cada vez vai operar menos, Imagine próstata. Você ao invés de ter que fazer uma cirurgia grande, às vezes sangra muito, risco cirúrgico, pós-operatório, sempre põe uma sementinha lá, dá uns tirinhos ambulatoriamente e você vai resolvendo muito dos problemas. A outra alegria de estarmos aqui na região é o parque tecnológico, então assinamos aí dois convênios para dar mais um empurrão aí no Parque Tecnológico, que beneficia também toda a região. Depois o museu aqui de Sorocaba. Então estamos liberando aí os dois milhões, raspamos lá o fundo do taxo para poder ter o museu de Arte Contemporânea. E o principal: A casa. Um investimento vultoso são R$ 226 milhões. 179,2 milhões do Banco do Brasil. Uma parceria extremamente importante. E 47,1 milhões através da Casa Paulista. Nós assinamos com a presidenta Dilma lá no palácio, 100.000 unidades. Nós estamos cumprindo hoje aqui 2,5% porque de 100.000, já 2.560, estamos assinando aqui em Sorocaba. A gente imaginar quatro pessoas cada família, estamos falando de uma cidade de mais de 10.000 pessoas. E nós colocamos a nossa parte a fundo perdido, não é empréstimo, é fundo perdido, dá perto de 18.000... R$ 18.400 por unidade, por família. E queria destacar o seguinte, quem tem dinheiro, gente rica é fácil. A gente abre o jornal, o sujeito comprou uma casa, 5 milhões; o outro comprou um apartamento, 10 milhões. O problema é quem ganha um salário mínimo. Essas 2.560 unidades é para atender quem ganha até três salários mínimos. É quem mais precisa, quem mais precisa, então nós estamos proporcionando com esta ação emprego porque construção civil é emprego na veia, a indústria da construção civil gera muito emprego, engenheiro, pedreiro, servente, eletricista, encanador, motorista, secretária, comércio, movimenta a economia. E de outro lado permite realizar o sonho da casa própria para famílias de menor renda. Estamos muito felizes, temos certeza de que dentro de quanto tempo? 15 meses, olha aí, 15 meses já vão estar com a chave aí entregue. Temos em Tabolado aqui mais 804, não é isso? E essa região aqui cresce muito, Dr. Walter. Eu diria que São Paulo, nós tivemos lá na década de 50 o eixo da Dutra Rio-São Paulo. Depois tivemos a Bandeirantes, Anhanguera-Bandeirantes, Campinas. Hoje é impressionante a quantidade de empresas e investimentos no eixo da Castelo Branco e da Raposo e especialmente da castelo Branco. É uma do lado da outra, Então há uma necessidade habitacional muito grande e nós vamos estar atendendo aqui uma demanda muito forte aqui da região. Eu queria aqui cumprimentar o Pannunzio, desejando a ele um ótimo trabalho. Não é o Pannunzio não viu. Um dia desses encontrei um prefeito da minha região, lá do Vale do Paraíba, não tomou posse ainda, já cheio de pedido e tal. Eu falei: Calma, tem tempo. Ele falou: “Não, não, eu prometi de mais, eu exagerei”. Mas é lá do Vale do Paraíba. Mas desejar aí, um grande trabalho ao Pannunzio e o Cidade Legal, também, que é um projeto importantíssimo, que nós vamos fazer também lá em Sorocaba e Iperó, que é o Cidade Legal, que é dar a documentação. Mas cumprimentar muito ao Pannunzio, conte com a gente aí, agradecer aos nossos deputados, a Maria Lúcia e o Carlos César, que estão lá na assembleia, batalhando, trabalhando em benefício da população. Cumprimentar a Câmara, o Matinez, agradecer aqui ao Dr. Walter, todo o Banco do Brasil, o Brasil tem ícones, Banco do Brasil, Correios, aqui em São Paulo, Metrô, Poupatempo, são ícones de qualidade, de excelência, a gente fica feliz com essa parceria, aliás, nós tivemos como reduzir muito a dívida do Estado de São Paulo, caiu muito o endividamento, era 2,3%, hoje é 1,4%. Então, o Governo Federal nos deu espaço fiscal grande e nós fizemos um balanço, o campeão em rapidez na assinatura dos contratos de financiamento, é o Banco do Brasil. É o campeão na velocidade desse trabalho. Agradecer ao Sílvio Torres, Secretário da Habitação, toda a equipe, ao Vitor Lippi. Dizem que os médicos são bons administradores, e a minha tese, viu Pannunzio, é o seguinte, se a coisa complicar, chama o anestesista. Um grande abraço a todos.