Discurso - Assinatura de Decreto da Banda Larga Popular (BLPoP) 20141610

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Assinatura de Decreto da Banda Larga Popular (BLPoP)

Local: Capital - Data:Outubro 16/10/2014

[Aplausos].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Muito bom dia a todos e a todas! Quero cumprimentar o Deputado Federal Julio Semeghini, secretário de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Regional; professor Andrea Calabi, secretário do Estado da Fazenda. Deputados aqui presentes: Carlão Pignatari, o Beto Trícoli, o Feliciano Filho, o Cid Torquato Júnior, secretário-adjunto dos Direitos da Pessoa com Deficiência; os prefeitos que nos alegram aqui com a presença: o prefeito de Tarumã, o Jairão, que falou em nome dos seus colegas; Emilianópolis, o Agamenon; Caiabu, o Dario; Pontalinda, o Elvis; Pongaí, o Adilson; Votuporanga, o Junior Marão; Osvaldo Cruz, o Edmar Mazucato; Timburi, o Luizão; e Cândido Rodrigues, o Falchi; de Ribeirão Bonito, Nenê Forte; de Brotas, o Du Barreto; de Itapeva, o Roberto Comeron; de Amparo, o Jacob; de Iepê, a Rosa; de Guaraçaí, Dói Suttini; de Murutinga do Sul, José Celio; de Neves Paulista, o Tavinho; de Nova Granada, a Celinha; de Rubinéia, Clevoci Cardoso. Quero cumprimentar a doutora Telma da área de Telecomunicação da Secretaria da Coordenação Tributária da Fazenda, da Secretaria da Fazenda. As empresas que participam do programa da Banda Larga Popular, a Net Serviços de Comunicação, o José Félix, seu presidente; o Antônio Carlos, o Mallet, presidente do Grupo Telefônica Brasil; o Vicente Correia, Diretor de Relações Institucionais da Oi Telemar São Paulo; Rodrigo Abreu, presidente da TIM; Célio Bozola, presidente da Prodesp; Jairo Machado, presidente da Codasp. Saudar aqui ao Alcides, prefeito de Paulistânia. Cumprimentar aqui a cada um de vocês, dizer da alegria de nos reunirmos aqui hoje no evento duplamente importante. A antecipação da chegada da telefonia em distritos, de municípios do nosso interior, zona rural, distritos importantes, levando qualidade de vida para a nossa população, como explicitou o Júlio, antecipando de dezembro do próximo ano agora para dezembro deste ano. Então dentro aí de 60 dias, no máximo 90 dias, nós teremos aí uma grande conquista especialmente para o interior do Estado de São Paulo. E a segunda que é na vanguarda novamente de São Paulo, 2009 São Paulo foi vanguarda, estabelecendo a banda larga popular até 1 megabit por segundo, e agora nós somos vanguarda de novo, aumentando para 1,5 e até 2 megabit por segundo, o acesso sem ICMS. Queria destacar dois aspectos aqui: Um, social, porque nós vamos dar acesso mais barato, melhor para a população a banda larga, a ter rapidez na internet. Educação. Aqui foi bem lembrada, a Univesp. Hoje nós temos cursos de licenciatura matemática, física, química, biologia, tudo pela internet. Então, gratuito. Nós temos 38 polos no Estado de São Paulo. Engenharia. Tudo funcionando. Duas engenharias, computação e produção. Pessoa estuda em casa pela internet. Quem quiser hoje entrar, assistir uma aula do MIT, se assiste on-line. Há um estudo que, daqui a 20 anos, metade dos alunos de ensino superior do mundo estudarão pela internet, em casa. É fantástico isso! Então, tem uma grande importância social. Salário e renda. Muita gente trabalha em casa. A internet é um instrumento de renda, de trabalho, educação. Acesso aos serviços públicos, Governo eletrônico. Aliás, o Poupatempo vai ser premiado agora no mês que vem em novembro, ganhou o primeiro prêmio do país na questão de Governo eletrônico. Detran eletrônico, B.O. eletrônico. Então, melhora e permite o acesso rápido a serviços públicos, poupa tempo das pessoas, melhora a qualidade de sua vida. E de outro lado, econômico. O que quê nós estamos fazendo? Tirando imposto. Está certo, Calabi? Estamos zerando o ICMS, que era o mais alto, ele era vinte e... Tem cinco faixas de ICMS (0, 7, 12, 18 e 25). Era o mais alto: 25%. Nós estamos dizendo: Olha, até dois megabit por segundo, o ICMS vai de 25 para 0, reduzindo imposto, diminuído o custo-Brasil, aliviando a carga tributária, estimulando a economia e melhorando a qualidade de vida da nossa população. É uma grande alegria. O Decreto já está assinado. Amanhã estará no Diário Oficial e já valendo. Nós não fazemos guerra fiscal. Então para reduzir imposto, tivemos a aprovação do Confaz. Fomos ao Confaz. O Confaz aprovou, e nós estamos implementando. Eu diria que a comunicação, ao lado da medicina, foram avanços extraordinários para a humanidade, extraordinários. A área da biologia, o antibiótico, né? A Penicilina, Fleming mudou o mundo. Antigamente se morria de gripe, né? Gripe espanhola matou 300 mil brasileiros, só no Brasil, a gripe espanhola. Então o mundo é outro. Antigamente se... A vida, a expectativa de vida média era 43 anos de idade. Média. Expectativa de vida. Hoje é 75, em São Paulo. Quem passa dos 30 é mais de 80. Fernando Henrique diz que a vida começa aos 83, não é?

[Risos].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Tudo isso nós devemos à química, né, às moléculas, à medicina. E a física, a tecnologia, a informação, a comunicação, é um salto impressionante. Eu me lembro, em casa, o telefone da minha avó, minha avó, o telefone [Ininteligível-07:39] era 38. A manivela, você está... Pedia para a telefonista. A telefonista era uma das pessoas mais importantes da cidade. O [ininteligível-07:49] chamava Dona Biluca. Dona Biluca era importantíssima, né? E telefone 38, né? Contam que Dona Biluca casou com Antenorzinho. E Antenorzinho não era muito afeito ao trabalho, né? Aí depois de um ano de casado, tal, ela, com muito jeito, chamava de 'bem', né? Falou: "Bem, você não acha que devia arrumar um servicinho então?". "O que é isso, bem! Você quer matar seu bem, é?"

[Risos].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Mas, o fato é que nós estamos hoje comemorando aqui um grande salto para a vida das pessoas. Parabéns!

[Aplausos].

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Encerramos essa cerimônia novamente... Capital