Discurso - Assinatura de contrato de financiamento entre Sabesp e BNDES 20131503

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Assinatura de contrato de financiamento entre Sabesp e BNDES

Local: Capital - Data: 15/03/2013

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: ... a todas e a todos! Quer cumprimentar o dr Luciano Coutinho, presidente do BNDES; deputado Edson Giriboni, secretário de Estado de Saneamento e Recursos Hídricos; deputado Júlio Semeghini, secretario de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Regional; dra Dilma Pena, presidente da Sabesp, Ricardo Borsari, presidente da EMAE; o José Manuel Coelho, o Manu, prefeito de Tatuí; vereador Mário Covas Neto, vereador da capital; dirigentes e colaboradores da Sabesp, do BNDES; empresários do setor do saneamento, da construção. Nossa palavra é de agradecimento, Luciano Coutinho. Uma importante parceria, esse recurso vem em boa hora para o Projeto Tietê III, completando aí o fundo do financiamento. Uma obra de grande importância em termos de esgoto, coleta e tratamento de esgotos. Eu até estava vendo o mapa ali e eu pedí à presidenta Dilma para nos fazer um cronograma. Porque a gente olha o Tietê e fica desanimado, não é? Então, para a gente ter ânimo, esperança, nós precisamos acompanhar a volta da mancha. Ela estava em Barra Bonita, ela retrocedeu 160km, hoje está em Salto. A pergunta é: Onde estará em 2014? Onde estará em 2015? 2016? 2017? Então, qual é a próxima etapa? É chegar em Cabreúva, depois Pirapora do Bom Jesus, Santana do Parnaíba, Barueri. Para a gente ir acompanhando, eu dizia ao Luciano Coutinho que é uma tarefa muito mais difícil do que foi a despoluição do Tâmisa, em Londres, ou do Sena, em Paris, que são rios de foz, perto do mar, muita água. Aqui é muito pouca água. É rio de cabeceira, 700 metros de altura! O Tietê quando passa aqui por São Paulo é um corregozinho, não é? Porque a maior parte é poluição, não é água. No inverno então, como é que você dilui? Quando chega no rio Paranazão, aí sím: aí o baixo Tietê recebe muitos afluentes e aí vai limpando tudo. Então é uma tarefa muito mais difícil. E a 700 metros de altura, nós temos aqui 22 milhões de pessoas. A terceira metrópole do mundo, só atrás da grade Tóquio e da grande Nova Déli. Maior que Nova Iorque, Cidade do México, Mumbai, na Índia, Xangai, na China. Então o desafio é muito maior e por isso um esforço redobrado aí da Sabesp. Aqui foi mencionado uma coisa importante, que às vezes se faz um investimento muito grande, mas hoje, onde que tem menos saneamento? Na periferia. E as famílias tem menor renda e não tem dinheiro para pagar a ligação. Então você investe bilhões em estação, interceptor, grandes bombeamentos, mas a pessoa não tem R$ 1.800 para fazer a ligação, então se liga na rede, vai indo casa por casa, aí se a pessoa ganhar até 3 salários, faz a ligação gratuita. 80% o estado paga e 20% a Sabesp. Um investimento importantíssimo em ponto de vista econômico, injeta na economia 1 bilhão e 350 milhões de reais. Construção civil que é um emprego na veia, emprego direto no setor de construção, saneamento básico, que é saúde. Eu já fiz anestesia na Santa Casa de Pinda em criança com obstrução intestinal por bolo de áscaris, tem tanta lombriga e ascaris lumbricoides que vai embolando que nem um novelo de lá e fecha o intestino. Então se opera, pega um monte de minhoca, de bolo de áscaris, então o [ininteligível] sai pelo nariz, pelo ouvido, enfim, é impressionante. Então, isso já melhorou muito, mas eram as verminosas questões graves. Porque criança, é direto, põe a mão no chão e põe a mão na boca, põe a mão no chão e põe a mão na boca, então afastar o esgoto de perto de casa e tratar o esgoto é fundamental. E a outra é limpar os rios. As cidades nasceram em torno dos rios e depois acabaram tendo que esconder os rios porque os rios ficaram fétidos, poluídos, nós precisamos agora recuperar as nossas bacias hidrográficas até, porque eu ainda tenho esperança, de que este é o ano do peixe, do Santos Futebol Clube. Mas queria agradecer, Luciano Coutinho, aquela grande parceria do Governo de São Paulo com o BNDES, muito obrigado a toda sua equipe pela eficiência competência, seriedade do BNDES. Agradecer ao Júlio Semeghini, aos nossos secretários, o Edson Giriboni, a Dilma que preside uma grande empresa, uma das maiores do mundo que é a Sabesp, que foi a primeira empresa estatal a entrar no novo mercado que exige governância coorporativa, transparência, respeito aos minoritários e principalmente a população de São Paulo porque vai ser a maior beneficiária desse trabalho, colocar água é a prioridade absoluta. São Paulo tinha rodízio de água há poucos anos atrás, já tá resolvido. Agora a tarefa é coletar e tratar esgoto. Parabéns a equipe!