Discurso - Assinatura de convênio do programa Água Limpa em Serrana 20131208

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Assinatura de convênio do programa Água Limpa em Serrana

Local: Serrana - Data:12/08/2013

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Vamos ouvir com muita alegria neste momento palavras do governador do nosso estado de São Paulo, Geraldo Alckmin.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Boa tarde a todas e a todos! Estimado prefeito de Serrana, prefeito anfitrião, o Tonhão; a Ana Maria, presidente do Fundo Social de Solidariedade; o Vinícius, o vice-prefeito. O vereador Dênis Bomba, presidente da câmara; deputado federal, Duarte Nogueira; deputado estadual, Rafael Silva; e quero fazer uma saudação afetiva aqui a sua esposa, a Clara, que hoje é aniversariante. Quero saudar aqui o deputado Edson Giriboni, secretário de saneamento; prefeito de Sertãozinho, Zezinho Gimenez; de Santo Antônio da Alegria, o Ricardo Sobrinho; de Altinópolis, Dr. Nanão; de Santa Rosa do Viterbo, o Cassinho e de Cravinhos, o Boi. Nós vamos mudar o apelido dele para peixe, precisa ser torcedor do Santos, né? Os ex-prefeitos, o Valério Galante, o Paturi; tenente coronel Renato Armando Alves; o presidente da associação comercial industrial, o Guinaldo José Cavaleiro; a Florence Garniê, coordenadora da nossa, administrativa da Santa Casa. O Luiz Carlos do Vale, secretários do município, dirigentes de associações de bairro, lideranças aqui da comunidade. Dizer da alegria de vir aqui a Serrana, eu é que estou feliz, viu Tonhão, de ter essa oportunidade de trabalhar, de servir aqui a população de Serrana; se tiver um apartamentinho aí você reserva aí para passar o fim de semana. Olha, uma boa notícia, nós... O hospital, o prazo é maio, e não é 80, nós estamos aumentando, o hospital passou para 91 leitos e terá também um hospital cirúrgico. Nós vamos ter uma importante referência na área não só clinica, mas também cirúrgica para a região. O prazo é maio, mas nós vamos tentar antecipar pra março a entrega aqui do hospital. Depois a prefeitura já adentrou no creche escola, não é isso Tonhão?

TONHÃO, PREFEITO DE SERRANA: Isso mesmo, duas creche escola.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Duas creche escola. Então as mamães, nós estamos com o programa de mil creches no estado de São Paulo; o governo paga tudo, prefeitura só entra com o terreno, e depois vai fazer... ela que opera a creche. Então são mil creches no estado, aqui duas creches, creches que variam de 80 até 150 crianças, e a gente entrega até mobiliada. Entregamos a primeira há duas semanas atrás em Lençóis Paulista, e agora começa acelerar a entrega. A prefeitura vai receber também uma van para transporte de paciente, nova, 0 km, um caminhão basculante novinho, R$220 mil reais; um micro-ônibus para transporte escolar também para o município. Nós teremos... Aqui a reforma já foi feita da Escola Estadual Deputado José Costa, aqui no Jardim das Rosas. Nós teremos aqui a duplicação da Abrão Assed até Serra Azul, e depois terceira faixa até Cajuru, em Santa Cruz; uma obra de R$105 milhões. Já era para ter começado, só que há uma briga entre empresas, o que acabou atrasando. Então falei agora com o secretário de transportes, ele acha que uma semana o edital está liberado. Aí nós concluímos a licitação, assinamos o contrato e vamos por as máquinas aí na pista, o que vai gerar muito emprego também na região, porque construção civil gera bastante emprego. E estamos aqui para assinar o convênio, um dos maiores convênio do Água Limpa, Tonhão. Nós estamos saindo agora de Guatapará, lá foi R$6,8 milhões, geralmente varia aí R$10 milhões, chega Capivari R$15 milhões, e aqui passou de R$22 milhões, que nós estamos prevendo já o crescimento da cidade. Então já está prevendo o crescimento de Serrana para os próximos 30 anos. Estação de tratamento de esgoto, estação elevatória, 2 km de linha de recalque e 8 km de emissário de esgoto bruto. Nós vamos tirar, a estação vai tirar 70 toneladas de carga orgânica proveniente de esgoto doméstico do rio Pardo, 70 toneladas/mês; então é uma contribuição importante para o saneamento básico da região. A obra, hoje nós assinamos o convênio, que aqui não é SABESP e a gente não pode chegar e fazer. O estado é que vai licitar a obra, o DAEE, que nós vamos licitar; hoje é dia 12? Em duas semanas ela vai estar licitada a obra; então em até duas semanas está publicada a licitação, terminada já começa a obra. Não precisa passar para a SABESP, não é empréstimo, os R$22 milhões é a fundo perdido, e a nossa meta é universalizar o saneamento básico no interior de São Paulo até o final de 2014. Eu vi um dia desses o Globo Ecologia dizendo que o Brasil, no ritmo que vai, vai universalizar o saneamento em 2197, só as mulheres vão chegar até lá, né, 2197. São Paulo vai universalizar o saneamento... o que quê é universalizar? São cidades 300%, 100% de água tratada, 100% de esgoto coletado e 100% de esgoto coletado tratado; cidade saudável, 300%. O que Serrana vai ser, né, uma cidade 300%. Nós vamos universalizar onde é SABESP até o ano que vem; o litoral de São Paulo até 2016, e a região metropolitana de São Paulo até 2018. E estamos ajudando as prefeituras dizendo: “olha, nós fazemos a parte da estação de tratamento de esgoto e depois incorpora ao patrimônio”, aqui é serviço autônomo? Como que chama, é SAE? É um departamento, é DAE, é DAE, né. Então, incorpora ao próprio departamento da prefeitura. Asfaltar rua é bom, já fui prefeito, quem que não gosta de um asfaltinho, né? Agora administrar para o ser humano é água, água de qualidade, abrir a torneira e poder tomar a água, água de qualidade; esgoto coletado, coletado, não ter fossa, se tirar o esgoto; e tratar o esgoto para despoluir a bacia aqui do rio Pardo. Aliás, o rio Mogi Guaçu lá de Guatapará desemboca no Pardo, então lá nós estamos limpando o Mogi Guaçu, lá é o Pardo. E vamos ajudar os mineiros, que vai tudo para o rio Grande, né? E depois deságua no rio Paranazão, então uma obra importante de saneamento. A Santa Casa, eu já verifiquei, ela não pode receber o recurso diretamente que tem um problema de cadim, mas não tem importância. Nós vamos passar o dinheiro pra prefeitura e a prefeitura não tem o problema, e passa para a Santa Casa. Todas as Santas Casas, a começar pela Santa Casa de São Paulo, São Paulo, estão com dificuldade e devendo, por que? Porque a tabela do SUS, ela cobre praticamente metade do custo do procedimento, então quanto mais você atende paciente mais você vai acumulando dívida. Então nós estamos ajudando todas as Santas Casas no programa chamado Pró Santa Casa, mas precisa o governo federal corrigir a tabela do SUS, que não é corrigida há quase 10 anos. Todo ano tem dissidio, aumenta salário, a inflação é 6% ao ano, não é pequena, aumenta alimento, remédio, oxigênio, limpeza, segurança, as despesas. Então precisa corrigir a tabela do SUS, enquanto não corrigi, a gente vai ajudando como pode. Então nós vamos passar, além dos deputados, além dos deputados, o Rafael Silva disse que vai por uma emenda, o deputado, o Gasparini também disse lá em Ribeirão Preto que ia ajudar, além dos parlamentares nós vamos mandar mais R$500 mil reais para a prefeitura que passa para a Santa Casa. A Santa Casa é um modelo de Portugal, essa é uma boa herança portuguesa. A primeira Santa Casa do Brasil é a Santa Casa de Santos, ela é de 1543, isso é Braz Cubas, e vai fazer cinco séculos. E ela foi concebida em Portugal, o hospital beneficente de Santa Casa, como o hospital da comunidade; quem é o dono da Santa Casa? É o povo, a comunidade. E não visa lucro, essa casa não da lucro para ninguém, ela presta um serviço. Não é estatal, não é nem da prefeitura, nem do governo do estado, nem do governo federal, é da comunidade, a comunidade que vai gerindo para servir a população. E foi uma das grandes entusiastas, foi uma rainha de Portugal, chamada Rainha Leonor de Avis. Na época do século XV das grandes navegações era a mulher mais rica da Europa, e ela dizia que quando morresse queria ser enterrada no local de passagem para que todos pisassem sobre a sua campa pra lembrar a pequenez das coisas materiais frente a grandeza da eternidade, né, a grandeza da eternidade. Isso foi que nasceu a Santa Casa. A Santa Casa e ao lado da igreja, da escola o ponto cardeal da cidade, começa e termina a existência, e nós vamos fazer aqui um outro hospital para ser parceiro da Santa Casa pra trabalhar de forma integrada. Não é pra competir, é pra ter um complexo hospitalar, né, unindo os dois hospitais a serviço aqui da população de Serrana e da região. E a saúde gera muito emprego, é como educação, o setor de serviço hoje gera muito emprego, o que é muito bom, né, que você quanto mais amplia serviço, escolas, creches, escola de ensino fundamental, ETEC. Ribeirão Preto vai ter agora a FATEC que vai atender a região, faculdade de tecnologia gratuita, e vai abrindo também postos de trabalho. Mas queria agradecer aos nossos parlamentares, ao Rafael Silva... o Rafael na outra vez do governador ele foi pra tribuna e anunciou que ia fazer um discursos sobre o governo peripatético de Geraldo Alckmin, aí o pessoal falou: “olha, vai ser um discurso muito duro, vai atacar o governo e tal, o governo peripatético”. E aí o Rafael Silva foi a tribuna e falou que Aristóteles assinava, ensinava caminhando, ele caminhava e ensinava, peripatos do Grego, né?

RAFAEL SILVA: (ininteligível) caminhar.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Caminhar a passos, né, ensinando, então dizia que nós governávamos caminhando, né, andando pelo estado, foi um elogio, mas até eu fiquei preocupado “o que será esse governo peripatético”, né? Nós não somos nem do tempo do grego nem do latino, né? Mas agradecer ao Rafael, a Clara, sua esposa; a Clara é tão presente na assembleia que um dia contaram ela para efeito de quórum lá, né? Valia dois votos, né, Rafael. Mas agradecer ao Nogueira, vocês têm um dos melhores deputados federais do Brasil, viu, que é o Duarte Nogueira. Grande líder. Agradecer ao Edson Giriboni, engenheiro da Poli, fazendo aí um belíssimo trabalho de saneamento. Esse negócio de rede de esgoto ninguém gosta de investir, né, porque fica enterrado, desaparece, ninguém vê, diferentemente de asfalto, mas é superimportante para a população. Queria deixar um grande abraço para o Tonhão, dizer que o Antônio depois desse convênio já virou Tonhão, né? Parabéns! Conte com a gente. E nós vamos liberar R$400 mil reais para a ponte do córrego. Ponte sobre o córrego serrinha, em homenagem a cidade porque Serrana antes era Serrinha, então está liberado aí os R$400 mil da sua ponte. E deixar um abraço muito carinhoso aqui para vocês, nesse fim de tarde, dia de trabalho ou de estar em casa com a família nos deram a alegria da sua presença, um beijo no coração de cada um. Beijando aqui a querida Giovanna, que está aqui, que já estudou braile e que está aqui com a gente. Em abração a todos.

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Palavras do nosso governador Geraldo Alckmin, encerrando pronunciamentos...