Discurso - Assinatura de convênios da Casa Civil 20162012

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Assinatura de convênios da Casa Civil

Local: Capital - Data:Dezembro 20/12/2016

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Boa tarde já, não é? Boa tarde a todas e a todos, quero cumprimentar o deputado federal Gilberto Nascimento, secretário de estado da Saúde, professor David Uip, nosso secretário Fabrício Cobra. Samuel está em Brasília acompanhando lá a votação da questão da dívida, não é, dos estados, do acordo da dívida. Esporte, Lazer e Juventude, o Sílvio Garcia Junior, Desenvolvimento Social a Marina Bragante. Nossos deputados estaduais, a deputada Leci Brandão, a deputada Márcia Lia, a deputada Marta Costa, a deputada Rita Passos, os nossos deputados André do Prado, Barros Munhoz, o Coronel Camilo, o deputado Davi Zaia, o Edson Giriboni, o Estevão Galvão, Fernando Cury, o Gil Lancaster, Itamar Borges, Dr. Jorge Rato, Jorge Wilson, xerife do consumidor, o Zezico Prado, o Luís Fernando Machado, prefeito eleito de Jundiaí, o Marcos Martins, Ramalho da Construção, o Rogério Nogueira, o Wellington Moura, Cauê Macris, líder do governo, o Milton Vieira, o meu xará, o Geraldo Cruz, o Ricardo Madalena, falou em nome aqui dos seus colegas. O Ricardo Madalena é um engenheiro, que estou tanto aí a pílula do câncer que está quase médico já, não é, Madalena? O prefeito de Anhembi, o Gil, Borborema, o Batata, Casa Branca, Hildebrando, Cedral, o Pedrão, Cerquilho, Dr. Antônio, Franco da Rocha, o Quico, Guararapes, o Dedê, Iperó, o Vanderlei, Itapira, prefeito em exercício, o Décio, Itu, Tuíze, Jumirim, o Tadeu Favero, Macaubal, o Quico, Macedônia, a Lene Marsola, Mairinque, o Binho, Maracaí, o Tatu, Mendonça, o Sabiá. Então... Tatu, Sabiá, não é? Um dia desse eu fui a Itapeva, [ininteligível] então contam o seguinte, que havia lá um movimento, isso há uns 20 anos atrás, não é, Giriboni? Pessoal queria criar o estado do sudoeste, São Paulo do Sul e tal. Muita crítica, comecinho do governo Mário Covas. Aí o Mário Covas foi a Itapeva, e aquela choradeira, não é? Falta tudo, o Ramal da Fome, aquela... E reclamação, reclamação, o Mário Covas já se irritando, tal. Aí, finalmente, apresentaram a ele um vereador, o vereador chamava Tarzan. Só que o Tarzan era desse tamanho. Aí o Mário Covas falou: “Pô, a coisa deve estar difícil, não é, aqui, porque até o Tarzan está mirradinho.” Então, prefeito de Mendonça, o Sabiá, Mineiros do Tietê, o Zé Vendramini, Nova Europa, o Mosquito. Aí, continua... São José do Barreiro, o Zé Milton, São Pedro Turvo, o Zé Carlos, Suzano, Paulo Tokuzumi, Taboão da Serra, o Fernando Fernandes, Tuiuti, o Nande, Embu Guaçu, Clodoaldo, prefeito eleito de Macaubal, João Tomate. Aí mudou de reino, não é? O Edson Rogatti, presidente da Federação das nossas Santas Casas de Misericórdia, vice-prefeitos, vereadores, secretários, presidentes de entidades da área social, da educação, da saúde, do esporte, amigas e amigos. Nós estamos hoje celebrando mais 53 convênios, todos de emendas parlamentares, totalizando secretarias de educação, desenvolvimento social, esporte, lazer e juventude e, especialmente, saúde, grande parte da área de saúde. Quarenta e um municípios diferentes, com prefeituras, 28 prefeituras e 23 entidades sociais, totalizando R$ 5,6 milhões, e com isso a gente praticamente nos aproxima de R$ 800 milhões para municípios e entidades. Queria destacar aqui, agradecer o trabalho das entidades sociais, que fazem toda a diferença, toda a diferença. Os Estados Unidos, que é o país mais rico do mundo, é o campeão de trabalho voluntário, não é, voluntário. Tolstoi dizia que a maior vocação das pessoas é servir, é servir as pessoas. Então, as entidades são um diferencial importantíssimo, e que, evidentemente que passam por dificuldade em um momento de crise como esse. Então, a gente apoiar, ser parceiro de entidades que prestam serviço, 3º setor, que não têm fim lucrativo, que o objetivo é melhorar a vida da população, seja com as crianças, com os idosos, pessoas com deficiência, saúde, área cultural, esportiva, é superimportante. Então, nosso abraço aqui a todas as entidades. São Thomás de Aquino, quando fala da gratidão, ele diz que, frente a uma grande virtude, nós devemos reconhecer, agradecer e retribuir. Então, nós estamos aqui para reconhecer, agradecer e retribuir esse grande trabalho que é feito pelas nossas entidades aqui do Estado de São Paulo e aqui representadas. Agradecer aos prefeitos, cumpriram aí uma grande jornada, que vários encerram e vão para o melhor clube que existe, não é, Barros? Que é dos ex-prefeitos. Nós estamos mudando agora, não existe ex-bispo, existe bispo emérito. Então agora vai ser, nós vamos para o clube dos eméritos, então prefeitos eméritos. Ninguém mais pede aumento para a gente, você já cumpriu a etapa. Cumprimentá-los aí pelo trabalho, os que estão assumindo o mandato novo, novo governo, negócio de reeleição, começa tudo de novo. Diz que custo é que nem cortar a unha, não é, tem que ser toda semana, não é? Então, ajuste, ajuste, ajuste em momento de dificuldade. Cumprimentá-los. Ontem eu fui ao Paraná, o Paraná fez 163 anos. Nós éramos a mesma província, São Paulo e Paraná, era a mesma província no império. Aí eles emanciparam, então tem uma homenagem, Davi, chama Comenda do Pinheiro, que é o símbolo do Paraná, o pinheiro. Aí fui homenageado lá e lembrei o Richa Pai. O ex-senador, governador José Richa, que dizia assim, o Richa pai: ser prefeito é uma espécie de curso superior da política, dizia ele, quem consegue passar pelo teste de uma prefeitura, pode ser até presidente da República que tira de letra, o prefeito é o único sujeito, que não consegue, mesmo que queira, enganar a a população". Está muito perto, está muito perto, é o governo mais próximo da população, então, nosso abraço muito afetivo aí, a todos os nossos prefeitos, a gente fica feliz de raspar aí o fundo de tacho para poder fazer convênios com os municípios e poder avançar ainda mais. E um abraço muito especial a nossa Assembleia Legislativa de São Paulo, eu sou fã da Assembleia, só fui candidato a deputado federal em razão da Constituinte senão eu não teria sido, eu teria continuado na Assembleia, a assembleia é uma casa de 94 deputados, no meu tempo era 84, portanto, você tem uma participação mais efetiva, muito perto de quem nós representamos, Brasília é muito distante, mandato mais difícil. Tinha um amigo que dizia que deputado federal apanha, porque se está em Brasília, é porque abandonou as bases, é de quatro em quatro anos, que nem Copa do Mundo, se está na base, gazeteiro, plenário vazio, não trabalha, então dizia esse amigo, só santo Antônio de Pádua tinha o dom da ubiquidade, estar em dois lugares simultaneamente, nós não temos esse dom. Então, o mandato estadual permite você ter uma atividade parlamentar, leis diferentes e ao mesmo tempo estar mais perto de quem você representa e por isso erra menos, está mais próximo da comunidade e a gente vê aqui nas emendas o cuidado de cada um procurando, diz que governar é escolher, então, procurando identificar ali quem mais precisa priorizando, fazendo com que o dinheiro público possa atender da melhor maneira a nossa sociedade. Então, agradecer ao parlamento, à Assembleia Legislativa, pelo debate, pelas críticas, pelas ponderações, pelas contribuições e pelas votações, a Legislação é importante que ela avance em um mundo que é muito rápido, o nosso tempo é o tempo da mudança eu da velocidade da mudança, impressionante como as coisas se processam de maneira rápida. Eu fui Constituinte votei favoravelmente a ter medida provisória, porque em um mundo tão rápido, às vezes você não pode esperar tanto tempo, porque foi deturpado a MP, é para casos de extrema relevância e de extrema urgência, enfim virou meio que legislar por medida provisória, mas ela é necessária na democracia moderna, onde às vezes você precisa de mais rapidez nas ações. Me permitam um abraço aqui aos nossos secretários e cumprimentando o professor Davi Uip, hoje a grande, até um paradoxo porque a saúde vai muito bem, se você pegar a mortalidade infantil, ela despencou, São Paulo nós vamos chegar a um dígito que é a Europa, hoje no Brasil, em 1940, de cada mil nascidos vivos, que é o conceito de mortalidade infantil 140 morriam, então era comum uma mamãe dizer, tive cinco filhos, vingaram três, morria muita criança, hoje São Paulo é onze, nós vamos chegar a um dígito, maioria dos municípios já é, aliás 10.7, nossa meta é chegar a 10, menos até de 10, então, essa é a principal avaliação de saúde é a mortalidade infantil, é o principal critério de avaliação. De outro lado a expectativa de vida subindo, no Brasil era, em 1940, 43 anos de idade, expectativa média ao nascer, hoje é 75, São Paulo 77,5, quase 78, as mulheres mais de 80, média, expectativa de vida média e subindo, então, não é raro hoje, a pessoa: ontem eu ia receber aquele Zahran, que é dono da Globo lá no Mato Grosso do Sul, e aí eu fui com a Alexandre Moraes fazer uma operação de combate a roubo de carga lá na Ayrton Senna, na Dutra, acabou atrasando e aí eu pedi para esticar e aí cheguei, ah, e cancelei a audiência. Ah por quê? Não porque o seu Zahran, ele tem 94 anos, então achei que... Você fez muito bem. 94, plena atividade. Aquele Dr. Penteado, você que foi ministro da Agricultura Barros, criador do Maná, ele tem 101 Fernando Penteado Cardoso, 101, senta no computador para fazer artigo sobre agronomia, sobre agricultura, é outro mundo. Agora, de outro dia lado os custos subiram, população idosa, meu pai que era muito gozador dizia que moço sara sozinho, então, população mais idosa você tem custo, aquela medicina de antigamente, o médico era só a maletinha acabou, hoje são complexos de tecnologia, um aparelho de ressonância magnética custa um e meio milhão de dólares, então você tem custos mais elevados, e aí nós precisamos raspar o fundo do tacho aí para poder atender e atender custeio, não adianta fazer prédio se depois não funciona, nós vivemos um paradoxo, vinte mil leitos ociosos, não funciona porque não tem dinheiro para pôr para funcionar e o Ricardo Barros, Ministro da Saúde, diz que ele tem 38 mil construções de prédios no Brasil. De um lado 20 leitos sobrando de outro lado 38 mil obras sendo feitas, nós precisamos priorizar aquilo que a gente já tem, para que possa funcionar e funcionar bem. De outro lado, embora tenhamos fé, mas ninguém tem pressa. Hoje teve aqui o padre Antônio Maria, celebrou a missa e eu brinquei com ele na saída, Dr. Nalini disse que Dom Agnelo Rossi estava muito mal. Aí veio um padre amigo dele de Portugal e na hora de se despedir, falou: Dom Agnelo, nós vamos nos encontrar, ou aqui em São Paulo, ou em Lisboa ou não Pai Eterno. Aí diz que Dom Agnelo falou, Pelé, eu espero que seja nessa ordem não é?