Discurso - Assinatura do contrato de PPP do Sistema Produtor São Lourenço 20132108

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Assinatura do contrato de PPP do Sistema Produtor São Lourenço

Local: Capital - Data:21/08/2013

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom dia! Bom dia a todas e a todos! Saudar os nossos secretários de estado: secretário Edson Aparecido, secretário Edson Giribone, secretário Júlio Semeghini; deputado Mauro Bragatto; Dra. Dilma Pena, presidente da SABESP, Dr. Roberto Deutsch, presidente da Sociedade de Propósito Específico do Sistema Produtor São Lourenço, Dr. Dalton dos Santos Avancini, presidente do Grupo Camargo Correa; Dr. Anuar Caram, presidente da Andrade Gutierrez; Dr. Alceu Segamarchi Junior, superintendente do DAEE; prefeitos aqui presentes: de Juquitiba, Francisco Junior; de Ibiúna, o professor Eduardo, de Itapecerica da Serra; o Chuvisco, de São Lourenço da Serra; o Fernandão, de Vargem Grande Paulista; o Roberto Rocha, de Santana de Parnaíba; o César, de Embu-Guaçú; o Clodoaldo e de Gália, o Nilton Freire. Saudar aqui o Engenheiro Silvio Leifert. Quantos anos de SABESP?

SÍLVIO LEIFERT, ENGENHEIRO DA SABESP: 35.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO:35 anos engenheiro da SABESP. Um “sabespiano” extremamente inteligente, torcedor do Peixe!

[RISOS]

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Diretores da Camargo Correa; da Andrade Gutierrez; diretores de toda a nossa equipe da SABESP; das instituições financeiras; amigas e amigos! É uma grande alegria e um dia extremamente importante. Nós vivemos sob stress aqui em São Paulo com a questão da água. Me lembro que há 10 anos atrás, não choveu nas nossas represas e aí começou a baixar o nível e uma pressão enorme por racionamento. E, geralmente - aprendi com meu pai, nós morávamos a vida inteira na zona rural, onde as estações do ano, a gente sente muito a mudança da estação do ano, da natureza - que chove em mês com R. Então setembro, outubro, novembro, dezembro, janeiro, fevereiro, março, até abril. Mês com R. Então agora agosto, é o auge da seca, que nós estamos. Mês das queimadas. Em setembro começa a chover. Março, abril para de chover. É de Olavo Bilac: “Foi em março, ao findar das chuvas, logo a entrada do outono...”. Então tem um ciclo. Neste ano, acho que foi 2004, deveria começar a chover agora, em setembro. A primeira chuva foi no Carnaval. Aquilo foi um estresse total, nós chegamos até a fazer uma campanha que quem economizasse 20% de água, nós dávamos 20% de prêmio. Então a conta caía 40%. E a gente ia, eu me lembro, na Zona Norte, em casas para medir o reloginho, então deu 20%, tocava uma corneta, acordava lá a pessoa: “Parabéns, tal”, ganhava uma camiseta da SABESP. E “Olha, você vai ter o desconto de 40%”. Um dia uma senhora olhou para mim, falou: “Olha, Dr. Geraldo, eu percebi que ia passar um pouquinho, eu fechei o registro”. Aí fizemos uma campanha porque a maioria do desperdício da água é no banheiro. Aliás, o Marco Maciel conta que um candidato a governador em Pernambuco, que eles apoiaram - isso há muito tempo - perdeu a eleição, e aí um dia ele encontrou um prefeito. E o prefeito falou: “Ah, mas fulano tinha que ter perdido mesmo a eleição”, falou: “Por quê?”, “Ele dormiu na minha casa, lá no interior, lá em Caruaru e no outro dia, ele fez a barba com a torneira aberta. Quem faz a barba com a torneira aberta não pode ser governador de Pernambuco, obviamente, não é?”. Então nós fizemos uma grande campanha para evitar desperdício. Olha, chuveiro, feche, fazer a barba, fecha. Enfim, todas as dicas. Então o Tom Cavalcante me imitava na televisão e dizia: “Olha, faça como o governador Geraldo Alckmin: escove o dente e engula a água para economizar!”

[RISOS]

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Mas nós vivemos sob stress. Não há a menor hipótese do Sistema Cantareira diminuir os 31 metros cúbicos por segundo. Nosso problema é o futuro. Não há região no mundo com 22 milhões de pessoas, terceira metrópole do mundo, com 700m de altura. As grandes metrópoles do mundo estão todas perto do mar. Só a Cidade do México e nós. Então não tem água. É muita gente e não existe água! E temos que aumentar quase 0,8 metros cúbicos por segundo por ano. Por ano! Uma das questões importantes da PPP, ela estar pronta em quatro anos. Nós vivemos aqui numa situação... A cidade de São Paulo não cresce mais tanto, do ponto de vista demográfico, mas as 38 cidades que envolvem São Paulo crescem numa... Vertiginosamente. Aumenta 200 mil pessoas por ano. Então nós temos que correr atrás. Cantareira vai buscar água em Minas Gerais. A primeira PPP nessa área de abastecimento de água, de recursos hídricos, nós fizemos. Há 10 anos atrás, o Sistema Alto Tietê. Que é um sucesso. Agora estamos fazendo a segunda, o São Lourenço: Tem que dar certo porque o diretor é Papa, o sistema é São Lourenço, não é? Mais protegido é impossível!

[RISOS E APLAUSOS]

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: E um grande investimento. Água é vida! No corpo humano, dois terços é água. Uma criança quando nasce, um bebê, 80% é água. Nós vamos ficando mais velhos, vamos ficando mais enxutos. Mas mesmo assim, quase 70% é água, água de qualidade! Asfaltar rua é administrar para automóvel. Administrar para o Ser Humano é água e esgoto; é oferecer água de qualidade, poder abrir a torneira e beber água. Até porque grande parte das doenças do sistema digestivo são contraídas por água contaminada. Água da SABESP é abrir a torneira e beber. Aliás, nós nos esquecemos de tomar água, precisa tomar 2 litros de água todo dia. Já curei muita cefaléia, dor de cabeça, mandando beber água. A pessoa esquece de tomar água. Então, água de qualidade, água potável, abrir a torneira e tomar a água. Nós temos aqui uma sequencia de tarefas, a primeira é redução de perdas. Nós estamos num trabalho incessante, já conseguimos poupar água numa cidade do tamanho de São José dos Campos, 700 mil habitantes, só com redução de perda e temos um grande desafio pela frente; a segunda, é o uso racional da água. Há um consumo exagerado, é possível reduzir o consumo per capita mantendo boa qualidade de vida. Com educação, com uma campanha, com trabalho; a terceira é água de reuso. Muito da água nós podemos substituí-la por água de reuso; E a outra, são novos sistemas para dar mais segurança... porque às vezes chove num lugar e não chove no outro. Então quanto mais alternativas nós tivermos e quanto mais integrado estiver o sistema, mais segurança nós temos; A outra é prever o futuro, porque a região metropolitana cresce, o mundo moderno é urbano... Hoje, pela primeira vez, mais das pessoas do mundo vivem nas cidades, o mundo moderno é metropolitano. Isso é uma tendência mundial em grandes metrópoles. Grande Tókio: 30 milhões de pessoas; Nova Deli: 24 milhões; São Paulo: 22 milhões; Mumbai, na Índia: 20 milhões... Isso é uma tendência mundial. Então nós temos que nos prepararmos para o futuro para trazermos segurança na questão dos recursos hídricos, da água que é vida. ]A PPP foi um trabalho muito bem feito, um ano e meio de questão do EIA/RIMA e dos cuidados ambientais. São 83km porque ela está desviando das áreas de preservação ambiental, foi extremamente bem feito com inúmeras audiências públicas; nos municípios pelas quais passa, vão ser investidos R$ 210 milhões pelo concessionário em obras, inclusive um parque novo em Vargem Grande Paulista e obras de saneamento nas cidades porque passa a adutora e as novas estações... Enfim, um grande ganho para a vida, para a qualidade de vida da região metropolitana de São Paulo. Quero aqui agradecer a todo o time aí do governo: o Júlio, que dirige aí as PPPs... Aliás, hoje, nós estamos assinando às duas e meia da tarde - fiquei até bravo com eles aí, porque foi duas no mesmo dia, uma compete com a outra aí - vamos assinar a primeira concessão do Centro de Exposições Imigrantes, primeira concessão. E lá vai ter hotel, dobra, triplica o centro de eventos, feiras, exposições... A Secretaria da Agricultura já mudou para o centro de São Paulo, onde era o prédio da Votorantim, o hotel... Como é que chamava o hotel lá?

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Esplanada.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Esplanada. Hotel Esplanada, atrás do Teatro Municipal. Já mudou a Secretaria de Cultura, no sentido de recuperar o centro de São Paulo, nós estamos levando os órgãos para a região central, e toda área da Secretaria da Agricultura já fará parte do novo centro de eventos lá da Imigrantes. E ainda nesta semana vamos assinar a primeira PPP na área de medicamentos, a nova fábrica da Furp em Américo Brasiliense... A segunda fábrica, a primeira é em Guarulhos, do estado, e a segunda vai ser operada pela iniciativa privada, lá em Américo Brasiliense. Mas hoje é a mais importante porque é aquela que trata de recursos hídricos, agradecer ao Edson Giriboni, a Dilma, a diretoria, a equipe toda da Sabesp, ao consórcio responsável por esta grande obra! Vamos ao trabalho! Capital