Discurso - Assinatura dos termos de compromisso para obras de mobilidade urbana no estado de São Paulo 20140412

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Assinatura dos termos de compromisso para obras de mobilidade urbana no estado de São Paulo

Local: Capital - Data:Dezembro 04/12/2014

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Para o uso da palavra o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Excelentíssima Dilma Rousseff, presidenta da República Federativa do Brasil; ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante; Gilberto Occhi, ministro do Estado das Cidades; ministro Thomas Traumann; vice-presidente de governo da Caixa, José Carlos Medaglia Filho. Cumprimentando também aqui os diretores do Itaú e do BTG, nosso secretário de Planejamento deputado Júlio Semeghini; de Transporte Metropolitano Jurandir Fernandes; Saneamento e Recursos Hídricos Mauro Arce; presidente da Sabesp Dilma Pena; da CPTM Mário Bandeira; Silvio Leifert, superintendente de gestão de empreendimentos da Sabesp; Roberto Rocha prefeito de Vargem Grande Paulista; amigas e amigos. Dizer da alegria de estarmos hoje aqui dois grandes projetos em 2011, presidenta, nós tivemos em agosto em São Paulo tivemos a honra de recebe-la lançando uma grande parceria para a questão de eliminação e redução da miséria, programa social. Depois se seguiu Minha Casa, Minha Vida com o programa Casa Paulista, assinamos 100 mil unidades e acho que vamos ultrapassar esse número. Depois assinamos também um convenio importante da hidrovia Tietê-Paraná. Obras e derrocamento aprofundamento da ferrovia, da hidrovia sua chegada até Piracicaba. Depois assinamos também a linha 18, o monotrilho para São Bernardo do Campo, uma PTP, contrato já assinado, obra deve se iniciar no comecinho do ano. Depois também o rodoanel, o rodoanel Norte, também estamos com seis frentes de trabalho, seis consórcios trabalhando. E o ferroanel, junto ao rodoanel, também os projetos executivos, o licenciamento ambiental e o início das obras de terraplanagem. E hoje celebramos aqui dois importantíssimos, duas importantíssimas parcerias, uma na área de saneamento básico em São Paulo têm sete sistemas de abastecimento de água o maior que é o Cantareira, Alto Tietê, Guarapiranga, Rio Claro, Rio Grande, Alto e Baixo Cotia. São sete sistemas nós estamos iniciando já o oitavo sistema, nós vamos buscar água lá em Juquitiba na represa do França, no rio São Lourenço que é um afluente da bacia do rio Ribeira, vem 83 km de distância, tubulação de dois metros e dez de diâmetro e passearmos por Juquitiba, Cotia, São Lourenço da Serra, Vargem Grande depois ainda Itapevi, Jandira chegaremos até Barueri com 6,4m³. Cada 1m³ dá 300 mil habitantes, quase 2 milhões de habitantes no oitavo sistema de abastecimento de água. É uma PPP, ela está toda em obra vai subir com uma torre Eiffel, 300 metros de altitude, porque passa a serra de Paranapiacaba e vem até São Paulo. O segundo, também extremamente importante, é a Linha 9 da CPTM, trem para em Grajau e vão ser feita, e já estão sendo feitas mais duas estações: Mendes e Varginha. Aí a gente chega ao extremo Sul de São Paulo e a CPTM transportava, me lembro quando Mário Covas assumiu, 680 mil passageiros dia, hoje transporta 3 milhões de passageiros dia, a CPTM. E o metrô 4,8 milhões, dá 7,8 milhões de passageiros dia. E estamos com seis obras simultâneas de linhas de metrô e muitas delas inclusive com participação do PAC, como é a Linha 18 monotrilho, com o financiamento de órgãos de financiamento Federal e esse recurso da Linha 9 é do orçamento geral da União. Então é extremamente importante. Temos mais dois ainda, um que é o trem que vai para Guarulhos, lá para o aeroporto de Cumbica e o outro que são as reformas das estações. E o financiamento para as desapropriações da Linha 6, que é uma nova linha de metrô que vai lá para zona norte de São Paulo. Para ter uma ideia da importância desses investimentos, só a Linha 5, ela tem hoje nas várias frentes de trabalho 3.800 pessoas trabalhando. Numa linha de metrô que é a linha cinco, 3.800. Trabalho direto fora os empregos indiretos, então uma alavanca importante aí para o desenvolvimento. Na questão da água, eu ouvi uma declaração do professor Benedito Braga, uma das maiores autoridades em água, presidente do Conselho Mundial das Águas dizendo: "Olha, uma seca como essa que o Sudeste, principalmente Noroeste de São Paulo, Sul de Minas atravessaram, a maior do último século, só com sistema, com a força e a engenharia e tecnologia que a Sabesp têm para poder resistir e ultrapassar atendendo 22 milhões de pessoas, que a região metropolitana de São Paulo, mais três milhões da região metropolitana de Campinas e numa altitude elevada e garantindo o abastecimento.". Ontem, essa semana mesmo, terça-feira, iniciamos mais 1 metro cúbico por segundo na ETA Boa Vista, através de membranas ultra filtrantes, com isso 300 mil pessoas passaram a ser atendidas por esse novo sistema, nós estamos a cada mês agregando mais o sistema para poder substituir o Cantareira, mas a nossa palavra é de agradecimento, acho que temos aqui um excelente exemplo de cooperação federativa entre o governo Federal e o governo Estadual e quero aqui destacar os valores e princípios que devem nortear a política. Gandhi disse certa vez de que entre as razões da barbárie estava a riqueza sem trabalho, o conhecimento sem caráter, o comércio sem moralidade, a ciência sem humanidade e, justamente, a política sem princípios. Eu acho que esses princípios do interesse público de servir, de unirmos esforços para fazer mais que nortearam os nossos trabalhos em 2011, eu tenho certeza que esse bom diálogo e esse bom trabalho vai continuar, e quero aqui reconhecer e agradecer o esforço da presidenta Dilma, republicando e louvável na análise desses projetos técnicos extremamente importantes para os brasileiros de São Paulo. Conte conosco, muito obrigado.

[APLAUSOS]. Capital