Discurso - Aula magna aos alunos da área da saúde da Uninove - Campus Vergueiro 20160909

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Aula magna aos alunos da área da saúde da Uninove - Campus Vergueiro

Local: [[]] - Data:Setembro 09/09/2016

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Muito bom dia a todas e a todos, eu quero cumprimentar o nosso magnífico reitor da Uninove, Eduardo Storópoli, a professora doutora, Maria Cristina, pró-reitora; o Dr. Marcelo Ribeiro, diretor técnico do nosso Cratod; os diretores, professores, alunos, aqui da universidade. Agradecer o convite, para mim, muito honroso, trazer uma palavra despretensiosa, aqui, sobre um tema muito interessante, um livro do trabalho do professor David Servan-Schreiber, sobre estresse, ansiedade e depressão, que é hoje o grande desafio do mundo moderno. Eu preparei aqui meia dúzia de telas, para a gente poder conversar um pouquinho. Aqui eu já vou adiantando um pouco, isso nós temos o estresse. O que é o estresse? É a primeira questão. Estresse é a ruptura da chamada homeostase, eu estou em homeostase, ou seja, total equilíbrio, frequencia cardíaca, 80, pressão arterial, normal, com absoluta homeostase. E o estresse, ele rompe a chamada homeostase, então se eu tiver uma má notícia, atendi ao telefone e tenho uma má notícia, eu entro em estresse, rompeu a homeostase, a saúde mental. Se eu der uma martelada no dedo, eu entro em estresse, rompeu o equilíbrio. Se eu pegar uma infecção bacteriana, uma amigdalite estreptocócica, tiver 40 graus de febre, eu entro em estresse, rompeu a homeostase. Eu tenho o estresse bom, estresse de fadiga, de resistência, e estresse de exaustão. O que é o estresse bom? Estou dirigindo, uma criança entra na frente e, imediatamente, freio o carro. Você tem um alerta, aquele alerta bom. Por coisas boas, vai viajar, no fim de semana, fica estressado, uma festa, um encontro com a namorada, com o namorado, é um estresse bom, é uma pequena descarga de adrenalina, de corticoide, fica mais atento, pupila dilata, sangue para o sistema cardíaco muscular. Você entra e sai várias vezes ao dia, o estresse bom e estresse de alerta. Depois você tem o estresse de fadiga, você já entra e tem dificuldade de sair, aí começa a ficar com a mão suada, taquicardia, tenso, dificuldade para dormir, você já começa a ter alguns problemas de saúde. E, finalmente, o estresse de exaustão, ele chega ali, que ele pifa, e aí começa a ter doenças psicossomáticas. Por que um pega hepatite e o outro não? Por que um tem câncer e o outro não? Por que um pega meningite e o outro não? Porque caiu o sistema imunológico, o sistema de defesa. E uma das razões de queda do sistema imunológico é estresse de exaustão, ou seja, a pessoa é tão insuportável aquilo, tão doloroso, que ela diminui as suas defesas e acaba ficando doente. Então, estresse, ansiedade. E o futuro, e a competição, e o salário, e o emprego, e os problemas da família, e o trânsito. E, finalmente, especialmente, na população mais idosa, depressão. Tem, também, uma queda do sistema imunológico, e o ápice da depressão, inclusive, fobias, então, você tem fobia de avião tem fobia de altura, desenvolve uma série de fobias. Esse professor, o David Servan-Schreiber, ele então estabeleceu um conjunto de medidas, para você combater estresse, ansiedade, e depressão, por isso que acho interessante, isso é o Alckmin, porque não é uma conversa só de médicos, não envolve remédio nem envolve psicanalise, são métodos naturais. Então, quais seriam esses métodos naturais para você enfrentar um dos principais desafios do mundo moderno, que é a redução de estresse e ansiedade e depressão. Então, o primeiro deles, luz solar. Há um estudo que mostra que os primeiros raios de sol da manhã, os primeiros raios de sol da manhã, chamado aurora matinal, tem um efeito sobre a retina e sobre o cérebro emocional, então, acordar cedo e abrir cortina, caminhar logo pela manhã. Houve uma, há, hoje, uma tendência de todo mundo escapar do sol. Como o principal tipo de câncer nos países tropicais e subtropicais é câncer de pele, então todo mundo ficou com essa história de que não pode tomar sol. O sol bem pela manhã, ele e extremamente necessário. Então luz solar... Eu vou voltar aqui, porque eu queria mostrar, só para vocês, antes desse tema, mostrar esse fato que é importante. Vejam a extraordinária mudança, extraordinária mudança democrática que o Brasil passou, em 1940 a expectativa de vida do Brasil, de vida média, quem nasceu em 1940, a expectativa de vida média era 45 anos de idade. Por que era tão baixa essa expectativa de vida média, porque morria muita criança, o conceito de mortalidade infantil é o número de crianças que morrem no primeiro ano de vida para cada mil nascidos vivos, então nós tínhamos 140, o índice de mortalidade infantil. Hoje, em São Paulo, é 11. Para cada mil crianças que nascem, morrem em média 11, no primeiro ano de vida, que é o conceito de mortalidade infantil. O que é que levou a essa mudança espetacular de expectativa de vida no Brasil? Primeiro, a água tratada, água limpa. A água era um dos principais veículos de doença. Então, água tratada. Segundo, vacinas. Em 1918, morreram 300 mil brasileiros, de gripe espanhola, inclusive, o presidente da República, o presidente Rodrigues Alves, morreu em 1918, era o presidente eleito, de gripe espanhola. E a terceira é farmácia, é química, é antibiótico. Água tratada, vacina, e antibiótico, isso foi o que mudou o mundo, inclusive, o Brasil. Então a expectativa de vida no Brasil, já e hoje de 75 anos de idade. Quando mais rico, mais dinheiro, mais saúde, então, quando nós falamos 75 anos, no Nordeste, é 72, 73, em São Paulo é 77. Há uma relação direta entre as condições de vida e saúde. Quem vive mais? Homem ou mulher? Mulher. Por que é que as mulheres vivem mais? Qual a razão?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Olha a diferença. Quais são as três grandes causas de morbimortalidade? A primeira causa de doença e de morte, morbimortalidade, é coração e grandes vasos. Quem tem mais enfarte, homem ou mulher? Durante até a menopausa, os hormônios femininos, estrógenos e progesterona, protegem o sistema cardiovascular. Então se você for agora no Incor, na unidade coronariana, tem muito mais homem do que mulher. Depois da menopausa, com a queda dos hormônios ovarianos, essa proteção diminui e isso tende a se igualar, mas no começo as mulheres são mais protegidas. A segunda causa de doença e morte é câncer, independe de sexo. A terceira não é doença, a terceira é causa externa. Então é tiro, carro, moto, afogamento, é causa externa. Quem está mais sujeito a causa externa, homem ou mulher? Homem. Quem morre nos fins de semana são os jovens de moto, rapazes, droga, motocicleta, tiro. Nós temos no estado de São Paulo, 232 mil presos, nós temos 22% da população brasileira e 38% da população carcerária. Desses 232 mil presos devia ser meio a meio, não é? Noventa e cinco e meio por cento é homem, só te 4,5% de mulher presa. E ainda é a má companhia dos homens. Veja então, as mulheres, 78, em São Paulo as mulheres já chegam a 88 anos de idade, de expectativa de vida média. E quem passa dos 30 é muito mais porque sai da chamada vulnerabilidade juvenil, então você sai da vulnerabilidade juvenil. Vejam a diferença pros homens, olha, 71. Então, homem 71, mulher, 77. Essa diferença ela está diminuindo, porque como está caindo a causa externa, morriam no estado de São Paulo 13 mil pessoas assassinadas por ano, reduzimos para 12, 11, dez, nove, oito, sete, seis, cinco, quatro, o ano passado foram 3.962. Quem que morria assassinado? O jovem do sexo masculino. Então em São Paulo essa diferença entre homem e mulher é menor. Estou colocando isso porque é uma mudança demográfica que vai interferir em todas as políticas públicas e em todas as profissões. O Brasil que é um país jovem, hoje é um país maduro e caminha para ser um país idoso, que é muito bom. Os países desenvolvidos são países com população mais idosa. Aqui vejo uma primeira causa de morte e doença, óbitos para o grupo de causa, coração e grandes vasos, aparelho circulatório. A segunda é câncer. O câncer passou de 14 para 17%, e há estudos que 30, 40 anos, o câncer vai ser a primeira causa de morte no mundo. Por que é que o câncer vai aumentar? Todo mundo tem alguém na família mais idoso com problema. Por que é que ele vai aumentar? Porque ele é ligado diretamente à idade. Câncer é uma doença dos idosos, quanto maior a expectativa de vida, maior a incidência da doença. Se nós homens chegássemos a 120 anos de idade, praticamente todos teremos câncer de próstata. Você tem uma relação direta com a idade. Como o Brasil está ficando um país mais idoso, como é o mundo todo, ele tende a ter uma incidência maior de neoplasia dos tumores. A terceira causa é causa externa, não é doença. Então aqui entra motocicleta, carro, tiro, as chamadas causas externas, depois aparelho circulatório, digestivo e vai caminhando. Aqui aquilo que eu me referi, não é, agora vamos entrar na chamada medicina das emoções. Então nós temos o estresse, a fase de alerta, a fase de resistência e a fase de exaustão. A fase de alerta entra com frequência e sai rápido, chamado estresse bom. Viajar, tirar férias, ir à festa, é um estresse bom, um pequeno estresse aqui, aquela pequena ansiedade. Aqui é a fase de resistência, aqui já começa a ter problema. Então, queda de imunidade, doenças oportunistas, aí pega herpes, tem afta, tem insônia, começa a ter... Pega gripe, alergia. Já começa a ter doenças oportunistas porque houve uma queda do sistema de proteção do sistema imunológico. Aqui, dor de cabeça. Quais são os sintomas do estresse da fase de resistência? Cansaço, desgaste, desmotivação. Desmotivação. Erros nas decisões. Às vezes a gente erra por causa disso, dá uma resposta que não devia, é indelicado com uma pessoa porque está tenso demais, acaba errando nas decisões, não é, cometendo erros. Problema de memória, não é, dificuldade de memória, dor de cabeça. Aqui o mais grave que é o chamado estresse de exaustão, aí desenvolve as chamadas doenças psicossomáticas. Hipertensão, angina, infarto, incapacidade... Rejeição, alteração de libido, depressão, queda de autoestima. Aqui mostra bem, todo mundo aprendeu o tal do QI, não é, quociente de inteligência. O que é que é esse QI? É a capacidade de resolver problemas, é a inteligência cognitiva, cortical. O cérebro ele tem a parte aqui cortical, essa parte cortical é a inteligência cognitiva. O sujeito é um gênio, tem QI de 150, sujeito inteligentíssimo. Então ele tem um cociente de inteligência cognitiva, alta, que é do córtex cerebral, do córtex. Aí se verificou que dentro do cérebro há um outro cérebro, chamado cérebro emocional. Então dentro do cérebro há um outro cérebro chamado cérebro emocional. Aí vem então a chamada inteligência emocional. Às vezes tem um QI altíssimo e só faz besteira. Então, inteligência emocional. É o cérebro das emoções. As estruturas límbicas. Esse é um trabalho feito em laboratório, você injeta contraste como se fosse uma noite de terror, um grande medo. O cérebro cortical não acontece nada, o cérebro profundo, as estruturas límbicas são ativadas como se acedesse uma luz dentro desse cérebro mais profundo das estruturas límbicas, hipotálamo, tálamo, hipófise, e sim o chamado cérebro emocional. Aqui mostra bem o cérebro emocional, a glândula hipófise, tálamo, amidala que é o centro do medo, do medo, quando você tem um grande medo você ativa a amidala. Então esse é o chamado sistema límbico, não é? Esse sistema límbico envolve aqui o chamado cérebro emocional. Aqui mostra os neurônios. O sistema nervoso é formado pelo cérebro, e pela medula espinhal, e pelos nervos. A célula nervosa é o neurônio. Veja que aqui está o neurônio, o núcleo dele, a célula, aqui o axônio, aqui o chamado nódulos de Ranvier, e aqui a transmissão nervosa. Então quando eu digo, acaricie alguém, a ordem sai do cérebro. Desce para a medula. Pega o nervo e vai até o músculo. Acaricie alguém. Dê um tiro em alguém. A ordem sai do cérebro. Desce para medula, vai na mão, “pá”, dispara o gatilho. Quando o jogador de futebol, vai lá o Neymar marcar o pênalti, a ordem sai do cérebro. Bate lá no pé e ‘vupt’, e marca o gol. O neurônio pode ser pequenininho ou até comprido. O axônio é o filamento do neurônio. O neurônio da Ana Hickmann da perna deve ter um metro de comprimento, não é, pessoa alta. Veja que os animais inferiores, quando eu dou uma ordem então ao cérebro e a mão obedece, isso é muito rápido. Os animais inferiores, essa condução do impulso nervoso ela é contínua, ponto a ponto, contínua, demorada, animal inferior. Os animais superiores como os mamíferos, nós, a condução é saltatória, ou seja, este neurônio, este axônio aqui ele pula o impulso nervoso, ele vai em salto, condução saltatória, então ela é muito rápida entre você dar a ordem no cérebro e obedecer é quase instantânea, e essa transmissão do impulso nervoso é saltatória porque vai pulando de nódulo de Ranvier para nódulo de Ranvier. O que é que a gente observa aqui? Que um neurônio não encosta no outro. Como é que eu conduzo o impulso nervoso se eles estão separados? Há uma sinapse, há um espaço entre o neurônio pré-sináptico e o neurônio pós-sináptico. Como é que o impulso nervoso passa de um para o outro se um não encosta no outro? Você tem um espaço, porque a transmissão é química, então uma pessoa em depressão está faltando mediadores químicos, a transmissão do impulso nervoso é por substâncias químicas, neuropeptídios de cadeia longa. Serotonina, endorfina, uma série de neurotransmissores. Então uma pessoa em depressão está faltando neurotransmissores, estão faltando neuropeptídios. O que é que são as drogas, as centralinas, os antidepressivos? Nova York só falta pôr na água da Sabesp de lá, tanto que as pessoas tomam antidepressivos, zoloft. Elas encharcam a sinapse, esse espaço entre um neurônio e outro, e encharca de neuropeptídios porque evita que o neurônio pré-sináptico recapte esse neurotransmissor, aí a pessoa levanta, ela fica eufórica, ela se recupera. Então, o professor Schreiber o que é que ele diz? “Vamos produzir esses neurotransmissores sem tomar remédio”. Como é que você pode com métodos naturais superar isso? Aqui mostra bem, esse é um neurônio simpático, o fim do neurônio, não é, esse aqui é o final aqui do neurônio. Aqui o pós-sináptico, então um, o impulso está vindo para cá, é o pré-sináptico, aqui está o pós-sináptico, aqui está o espaço, a sinapse, entre um neurônio e outro. E aqui o adreno receptor pré-sináptico e o adreno receptor pós-sináptico. Então você libera o mediador químico, o impulso passa para o outro neurônio, vai andando até chegar na mão e você fazer o movimento ou, enfim, o pensamento, não é, se não for atividade muscular. Aqui mostra um fato importante que é essencial para todos nós que trabalhamos na área de saúde. Isso aqui é uma célula cancerígena, essa célula maior, essas menores são células assassinas, ou seja, são células de proteção, não é, os glóbulos brancos, os leucócitos, a defesa, os soldados do organismo. Então quando você tem aqui uma célula cancerosa ela é identificada e as células de defesa tentam matá-la, tentam atacá-la. Isso aqui mostra em laboratório uma célula cancerosa e as células de defesa tentando matá-la. Por que é que a pessoa em depressão ela é mais sujeita a doença? Porque ela perde defesa. Essas células de sistema de defesa do organismo, elas não se reproduzem tão rapidamente, cai a defesa e aparece as doenças. Aqui é o que eu me referi, a energia da luz, reprograme o seu relógio biológico. Então, primeira mensagem para a gente guardar para falar com os nossos colegas, alunos, onde a gente trabalha na área de saúde. Acordar cedo e abrir a janela, abrir a cortina. A gente passa o dia inteiro em ambiente fechado, essa luz faz mal, é uma luz artificial. É necessário ao cérebro emocional a presença da luz natural, da aurora matinal entrando pela retina e agindo no cérebro emocional. Os países que têm noites muito longas no Norte do mundo, têm maior incidência de suicídio, porque tem menor presença da luz natural. A segunda é o alimento, nós a cada seis meses trocamos praticamente tudo, a não ser os neurônios. Nós estamos em setembro, quando chegar em fevereiro, março, nós somos outra pessoa. Trocou a pele, trocou o sangue, trocou o cabelo para quem tem cabelo, trocou a unha, trocou o osso, trocou o sangue, só não troca o neurônio. Bom, se troca tudo, como é que se forma esse novo corpo humano, essa nova célula? Ela se forma pelo DNA do papai e da mamãe, então a herança genão ética, o DNA, a respiração, aprender a respirar e a alimentação. Nós somos o resultado da nossa alimentação. Aquele neurônio que nós vimos lá atrás, ele pula, a condução é saltatória. Por que é que ele pula? Porque o axônio é envolvido por uma bainha de lipoproteína que é o ômega 3, ácidos graxos. Então o ômega 3, o ácido graxo que nós não produzimos, precisamos ingerir, ele tem uma ação espetacular no cérebro emocional e na saúde mental. Aqui mostra os alimentos ricos em ômega 3: os peixes, especialmente peixes de águas profundas, espinafre, agrião, óleos, algas-marinhas. Então às vezes é preciso uma suplementação do chamado ômega 3, a importância da alimentação para a saúde e para a saúde mental. O barato do corredor. Há um estudo que mostra, imagina uma pessoa que teve a maior perda que ela pode ter. Perdeu um ente querido, teve uma notícia muito ruim. Aí você compara quem faz ginástica e quem não faz ginástica. Quem faz ginástica consegue superar essa dor com mais facilidade. Porque quando você corre, aí vem o barato do corredor, quando você faz ginástica, quando você faz ginástica você produz endorfina, produz endorfina. O que é endorfina? É aquele o neuropeptídio de cadeia longa. É aquele neurotransmissor. Tanto é que a pessoa, às vezes, ela fica meio viciada em correr, porque sente falta. Então ao invés de tomar zolof, tomar sertralina, tomar antidepressivo, é correr; barato do corredor. E a [ininteligível] e a sua ação no cérebro, não é, você produz neuropeptídios, ginástica, a necessidade do movimento, movimento ordenado, a sua importância para o coração, você prepara o músculo, o coração, o sistema cardiovascular, e ao mesmo tempo age no cérebro liberando neuropeptídios, endorfinas e melhora o humor, o humor das pessoas. A essência da vida é o movimento, não tem coração bom se não tiver movimento. O ponto mais vulnerável para o coração é a falta do movimento. A gente analisa o coração, aquela coisa romântica, não é, aquele orgãozinho frágil, não é?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: O coração é um músculo duríssimo, fortíssimo, ele bate 80 vezes por minutos a vida inteira até morrer. Sem parar. Você está dormindo, ele está bombando, está bombando. É impressionante! O coração é o órgão vital, central, e ele para ser bem tratado, não é, você precisa ter preparado esse coração e o movimento é essencial. O movimento melhora a vida das pessoas em todos os sentidos: mental, físico, cardiológico, circulatório, digestivo, sono. O sedentarismo chega a ser equivalente a fumar um maço de cigarro por dia. E a tendência do mundo moderno ela é sedentária. Você não precisa nem levantar da cadeira para mudar a televisão. Eu me lembro quando eu era criança, meu pai era veterinário, tinha uma caminhonete na fazenda, para erguer o vidro da caminhonete era uma ginástica, você ficava... Hoje é tudo botãozinho, botãozinho. Então, movimento. Envelhecimento saudável exige atividade física, é essencial. Acupuntura. Essa é uma área que não é só de médico, acupuntura é para todas as atividades. A medicina chinesa que tem 4 mil anos, ela diz o seguinte: “Doença é desequilíbrio, envelhecimento é normal”. Envelhecimento é normal, a pessoa pode ser jovem e está doente, pode ter mais idade e não está doente. Ela envelhece, mas não é doença. Doença é desequilíbrio, é o yn e o yang, o escuro e o claro, o profundo e o superficial, o quente e o frio. Então o que é que faz para nós da medicina ocidental, a dor aqui no estômago, não é, pode ser uma gastrite, uma dor, uma inflamação em um órgão, sufixo “ite”. Para a medicina chinesa ainda é sintoma, excesso de energia aqui no estômago. Está faltando no rim, está faltando no fígado, então a acupuntura redistribui esta energia, e ao mesmo tempo ela tem um efeito local fazendo relaxamento muscular, melhorando a presença de sangue, inclusive com ventosas. Vocês viram na Olimpíada os nadadores americanos, como é que chama? Phelps, não é? Phelps. Ele tinha aqui uma... da ventosa, uma espécie de um vidro que você põe calor e gruda. Antigamente não tinha antibiótico. Como é que você tratava a tuberculose? Com ventosa. Com o sangue concentra ali naquele lugar, e a acupuntura age no cérebro. Então você faz uma acupuntura aqui, IG4, aqui na mão, e ela age no cérebro liberando aqueles neuropeptídios, aqueles neurotransmissores. Então a acupuntura ativa o circuito neurofuncional, age no cérebro, diminui a ansiedade, depressão, além de uma ação local. Aqui, a ação da acupuntura no hipotálamo. O hipotálamo controla a hipófise, a hipófise é a glândula que controla todo o corpo humano, praticamente, todo o sistema endócrino. A hipófise controla a tireoide, a hipófise controla a suprarrenal, a hipófise controla os testículos, controla os ovários, ela controla todo o sistema endócrino. E ela é imediatamente ligada ao hipotálamo. Se eu estou bem, o hipotálamo manda uma boa mensagem para hipófise e eu estou equilibrado. Se eu estou mal, o hipotálamo age no sistema emocional em cima da glândula hipófise e o organismo perece. Então, nós temos uma liberação de endorfina que é analgésico e atua na suprarrenal produzindo corticoide. E os colegas aqui, tinha uma brincadeira na faculdade que o pessoal dizia: “Do pescoço para baixo, buscopan. Do pescoço para cima, novalgina. Não sabe o que tem, meticorten”. O que é que é o meticorten? É um corticoide, produz corticoide que é anti-inflamatório. Aqui mostra de novo a ação do tronco encefálico e a produção de encefalina, endorfina, serotonina, noradrenalina, que tem efeito analgésico e ao mesmo tempo age melhorando o sistema nervoso. Higiene do sono. Nós podemos ficar um bom tempo sem comer. Alguém consegue ficar uma semana sem dormir? Não tem hipótese. O sono ele é essencial. É durante o sono que recupera o fígado, o rim, os órgãos. Uma noite bem dormida a pele fica mais bonita, a pessoa fica mais bem-humorada. Então o sono ele é essencial. Hoje, um dos grandes problemas do mundo moderno é insônia. Até em criança, insônia. Há um estudo de cada dez pessoas, praticamente três têm problema de insônia. Uma pessoa que não dorme bem vai ter boa saúde? Está mais sujeita a ter problema. Então, higiene do sono: horário para dormir, ginástica. Porque quem faz ginástica, exercício, dorme melhor. Alimentação correta. Tem pessoas que meia-noite faz aquele jantarzinho, não é? Tem gente que vai ter pesadelo, não é, óbvio. A cada três... Meditação. Repetir um mantra. Sentado. Um, dois, três. Um, dois, três. Pai Nosso. O que quiser. Qual a lógica da meditação? Descansar o cérebro, tirar os pensamentos repetitivos, diminuir a irritação cortical. Chega em um ponto que o cérebro está com irritação cortical, é preciso repousar o cérebro. A meditação nos permite repousar o cérebro, tirar os pensamentos recorrentes, melhora a memória, diminui a irritação cortical, diminui aquele estresse, aquela ansiedade que vai levar a depressão e fobia. Estamos chegando ao final. O amor é uma necessidade biológica. Uma criança quando chora ela quer colo. Você coloca em contato com a pele, ela para de chorar. A minha filha Sofia, tem uma menininha com 30 dias, aí ela: “Olha, ela adora um colo”. Põe no colo, já dorme na hora. O amor é uma necessidade biológica. Entre marido e mulher, namorados, cachorro, vale tudo, não é? Mas há necessidade de afeto. O ser humano precisa ter afeto, amor, sem bem recebido. Então, relacionamentos, cultivar amizades é essencial. Relações humanas para ter saúde mental. E, finalmente, o último, a grande conexão. A vida é muito triste para quem não acredita, não é, em um plano mais elevado. Você vai nascer, crescer, procriar se tiver filhos, e vai morrer. Não há nada mais democrático do que a morte. Ninguém escapou até hoje, pode ser viver um pouquinho mais ou um pouquinho menos. Um dia desses eu fui à missa e o padre: “Quem quer ri para o céu?”. A igreja inteira. “Quem quer ir hoje?”. Nem o padre. Então, se a gente não acredita em nada é muito triste. E por que é que a depressão aumenta? Porque à medida que as pessoas vão ficando mais idosas, elas... você quando é jovem acha que o mundo é infinito. À medida em que você vai ficando mais vivido, está chegando o fim da jornada. Você começa a ter uma série de interrogações. Esse livro do professor Servan-Schreiber, esse médico francês acabou fazendo uma academia nos Estados Unidos, ele começa assim: “a gente imagina, se eu fosse fulano de tal, seria..." ele começa a analisar, "Marylin Monroe, a mulher mais bela, mais desejada em sua geração: suicídio. Ernest Hemingway, overdose de barbitúricos; vocalista da banda Nirvana, Kurt Cobain sucesso jovem... Napoleão Bonaparte, o homem mais poderoso do mundo, cruzou a Europa com a sua espada. D. João VI veio fugindo para o Brasil da invasão napoleônica. Napoleão disse aqui na ilha de Santa Helena, exilado, 'não conheci em toda a minha vida um só dia de felicidade'". Então não é o poder, não é a beleza, não é o dinheiro que faz as pessoas mais ou menos felizes. E, no entanto, há pessoas que têm uma capacidade de agregarem, de superar obstáculos, e conviver e criar relações afetivas extraordinárias. Os mais comuns. E aí vem o outro fato: quem tem fé, qualquer que seja a religião ou filosofia, mas se consegue fazer uma conexão maior, consegue superar os obstáculos que sempre tem. Então, uma despretensiosa dica para enfrentar, até porque a gente diz: “puxa vida, se eu pudesse ir para Ilhabela e ficar lá um mês...” Você pode ir para Ilhabela e ficar lá um mês e ter ‘stress’, ansiedade e depressão. Não é só o local. Pode estar em um local agitado e conseguir superar tudo isso. Então a energia da aurora matinal, a luz solar e a sua ação no cérebro; alimentação mais rica em omega 3, ácidos graxos saturados; o movimento, a ginástica, o exercício, quanto maior a idade mais necessário o movimento; a respiração, tem gente que respira curtinho, não é? Aprender a respirar de maneira mais profunda, principalmente em momentos de ‘stress’. Vai fazer uma prova, então, respira e solta bem devagarinho. Aprender a respirar corretamente. Acupuntura; meditação, limpar o cérebro; massagem. O maior órgão do corpo humano é a pele. É o maior órgão do corpo humano. A massagem também leva a estímulo de produção de neuropeptídios de cadeia longa, aqueles neurotransmissores fundamentais para boa atividade cerebral. As relações humanas: o amor e a grande conexão. Muito obrigado. [[]]